Doe esperança para canoa da vila |

Doe esperança para canoa da vila

5 mulheres, apaixonadas pela costura, e a canoa que construíram, as empoderou e desenvolveu de forma imensurável.Nos ajude a mantê-la navegando.

Projeto por: Luiza Pereira
R$ 5.684,00
arrecadado
meta R$ 5.000,00

42 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Luiza Pereira

Luiza Pereira

Membra do projeto Canoas de Pano da Enactus UFRJ, estudante de Licenciatura em Química pela UFRJ e decida a mudar o mundo através da educação! Trabalho meus dias tentando ajudar pessoas que estão quase que esquecidas pelo poder público

R$ 25
Vídeo de Agradecimento
10 benfeitores apoiando
Vídeo de agradecimento feito por todas as participantes do projeto.
R$ 50
Acessório surpresa + Vídeo
14 benfeitores apoiando
Acessórios podem ser: Arquinhos, estojos de variados tamanhos, chaveiros, e o que mais a imaginação das artesãs permitir.

36 disponíveis.
R$ 100
Mochila + Vídeo
9 benfeitores apoiando
Mochilinha de tecido reutilizado, de variadas estampas.

11 disponíveis.
R$ 200
Bolsa + Vídeo
1 benfeitor apoiando
Bolsa dupla face de tecido reutilizado, perfeita para inúmeras ocasiões

19 disponíveis.
R$ 300
VISITA + Bolsa + Vídeo
1 benfeitor apoiando
Visita a sede com oportunidade de conhecer o espaço de trabalho, as participantes, o local afetado pelas chuvas, e ainda um forte abraço de profunda gratidão.

19 disponíveis.

 

Pensem vocês.

5 mulheres, moradoras de mais uma comunidade do Rio de Janeiro, também esquecida pelo estado. Conquistadoras de sua própria marca, dedicadas ao meio ambiente e APAIXONADAS pela costura. Em uma história de 5 longos anos de muito aprendizado, vão semana a semana dando um passo à frente.

Belíssimas jornadas em seus caminhos.

Em fevereiro de 2019, em meio a tanta esperança, chove.

Chove.

E na água, vão se embora sonhos e alegrias.

Chove e leva embora o que demorou tempo para conquistar.

5 máquinas de costura totalmente danificadas.

Kilos de matéria prima, inutilizáveis.

5 mulheres.

No momento que mais poderiam, desistir, deixar mais uma vez, o rumo de suas vidas ao acaso. Não permitiram.

Pegaram as vassouras, chamaram os amigos, orçaram novos consertos e ali entenderam:

Elas são canoa! Canoa da Vila! Não seria uma água, chuva ou rio, que as iriam parar.

Entenderam também, que Canoa não anda sozinha. Que precisam de remos.

Agora pensem vocês.

Vamos remar?

 


Projeto + Marca

A junção do grupo de mulheres que hoje compõem a equipe da marca Canoa da Vila teve origem no ano de 2014, quando um professor de design e moda da PUC, Felipe, e a Enactus UFRJ, organização de empreendedorismo social, se uniram para investir em capacitações de corte e costura para incentivar o empoderamento feminino na comunidade de Vila Canoas. Essa parceria deu início  ao projeto Canoas de Pano, que busca incentivar a produção artesanal como forma de terapia e até mesmo, ocupação do tempo ocioso.

Além de trabalhar o fortalecimento emocional, o projeto buscou auxiliar na independência financeira das mulheres com a criação de uma marca para que elas pudessem vender seus produtos e gerar renda extra.

Assim surgiu a marca Canoa da Vila. Após 5 anos de estruturação, treinamento e aprimoramento dos pilares de administração e desenvolvimento de um empreendimento, hoje, as artesãs e donas do próprio negócio, Márcia Cordeiro, Lucia Ferreira, Maria José, Ana Lúcia e Luzia Nascimento trabalham juntas em prol de um comércio consciente e sustentável.

 

Costura: ato que as empodera, as motiva, as inspira e da a elas novos horizontes

 

Ao longo de suas vidas, as participantes do projeto não foram incentivadas a enxergar seus interesses pessoais como grandiozidades de forma a se inspirarem por eles. É comum o pensamento sobre a visão da costura com um cunho terapêutico, mas existe outra vertente que também permeia o coração das participantes: a do trabalho, do reconhecimento, da arte, da grandeza. Foi através desse ato e aprendizaram, que essas mulheres se tornaram verdadeiramente donas de seus caminhos. E a partir do momento que essas vertentes foram incentivadas, gerou-se empoderamento, autoestima, e o principal, orgulho do que se faz. Esse é o resultado da junção da costura com a marca Canoa da Vila na vida das mulheres, enxergar em algo que elas tanto sentem prazer em praticar, também algo que lhe traga  retorno financeiro, e principalmente apreciação por sua arte.

 

Tragédia.

No dia 3 de fevereiro no Rio de Janeiro, deu-se uma das chuvas mais forte que tivemos na cidade até o momento. Essa chuva afetou, muitos o bairros de forma grave. Vila Canoas não foi diferente. Essa enxurrada devastou as casas, as ruelas, os becos, o comércio e as máquinas. A sala onde as mulheres de Canoa da Vila trabalhavam ficou coberta de lama, esgoto e água. Foram 4 máquinas que anteriormente tinham sido doadas, totalmente estragadas, alguns kilos de matéria prima ficaram inutilizadas, mas o maior dano, foi o que ficou no emocional daquelas mulheres que lutaram tanto e literalmente, de um dia para outro, viram se perder toda uma história de conquista de suas vidas.

 

  

 

Novos caminhos.

 

Como ja mencionado, as chuvas devastadoras do mês de fevereiro levaram consigo os materiais necessários para dar continuidade à produção, porém os sonhos,  a determinação e o amor pela costura permanecem no grupo da Canoa da Vila. O dinheiro arrecadado será totalmente revertido para a compra de novos produtos e conserto dos antigos que ainda tem algum funcionamento, trazendo de volta assim, a alegria e a produtividade para a comunidade.

O dinheiro adquirido com a primeira meta será destinado para a compra de 2 máquinas industriais retas, 2 motores e 4 meses de costura.

A segunda meta tem como foco um investimento em uma nova sede para a marca, já que a atual ainda sofre bastante com os imprevistos ambientais, devido a sua localização um pouco precária. Contudo, para a obtenção desse novo espaço, é necessário que obras sejam realizadas, de modo que uma verba é essencial para que esse sonho e objetivo sejam concretizados.

 

Luiza Pereira ainda não publicou nenhuma notícia.

 

Pensem vocês.

5 mulheres, moradoras de mais uma comunidade do Rio de Janeiro, também esquecida pelo estado. Conquistadoras de sua própria marca, dedicadas ao meio ambiente e APAIXONADAS pela costura. Em uma história de 5 longos anos de muito aprendizado, vão semana a semana dando um passo à frente.

Belíssimas jornadas em seus caminhos.

Em fevereiro de 2019, em meio a tanta esperança, chove.

Chove.

E na água, vão se embora sonhos e alegrias.

Chove e leva embora o que demorou tempo para conquistar.

5 máquinas de costura totalmente danificadas.

Kilos de matéria prima, inutilizáveis.

5 mulheres.

No momento que mais poderiam, desistir, deixar mais uma vez, o rumo de suas vidas ao acaso. Não permitiram.

Pegaram as vassouras, chamaram os amigos, orçaram novos consertos e ali entenderam:

Elas são canoa! Canoa da Vila! Não seria uma água, chuva ou rio, que as iriam parar.

Entenderam também, que Canoa não anda sozinha. Que precisam de remos.

Agora pensem vocês.

Vamos remar?

 


Projeto + Marca

A junção do grupo de mulheres que hoje compõem a equipe da marca Canoa da Vila teve origem no ano de 2014, quando um professor de design e moda da PUC, Felipe, e a Enactus UFRJ, organização de empreendedorismo social, se uniram para investir em capacitações de corte e costura para incentivar o empoderamento feminino na comunidade de Vila Canoas. Essa parceria deu início  ao projeto Canoas de Pano, que busca incentivar a produção artesanal como forma de terapia e até mesmo, ocupação do tempo ocioso.

Além de trabalhar o fortalecimento emocional, o projeto buscou auxiliar na independência financeira das mulheres com a criação de uma marca para que elas pudessem vender seus produtos e gerar renda extra.

Assim surgiu a marca Canoa da Vila. Após 5 anos de estruturação, treinamento e aprimoramento dos pilares de administração e desenvolvimento de um empreendimento, hoje, as artesãs e donas do próprio negócio, Márcia Cordeiro, Lucia Ferreira, Maria José, Ana Lúcia e Luzia Nascimento trabalham juntas em prol de um comércio consciente e sustentável.

 

Costura: ato que as empodera, as motiva, as inspira e da a elas novos horizontes

 

Ao longo de suas vidas, as participantes do projeto não foram incentivadas a enxergar seus interesses pessoais como grandiozidades de forma a se inspirarem por eles. É comum o pensamento sobre a visão da costura com um cunho terapêutico, mas existe outra vertente que também permeia o coração das participantes: a do trabalho, do reconhecimento, da arte, da grandeza. Foi através desse ato e aprendizaram, que essas mulheres se tornaram verdadeiramente donas de seus caminhos. E a partir do momento que essas vertentes foram incentivadas, gerou-se empoderamento, autoestima, e o principal, orgulho do que se faz. Esse é o resultado da junção da costura com a marca Canoa da Vila na vida das mulheres, enxergar em algo que elas tanto sentem prazer em praticar, também algo que lhe traga  retorno financeiro, e principalmente apreciação por sua arte.

 

Tragédia.

No dia 3 de fevereiro no Rio de Janeiro, deu-se uma das chuvas mais forte que tivemos na cidade até o momento. Essa chuva afetou, muitos o bairros de forma grave. Vila Canoas não foi diferente. Essa enxurrada devastou as casas, as ruelas, os becos, o comércio e as máquinas. A sala onde as mulheres de Canoa da Vila trabalhavam ficou coberta de lama, esgoto e água. Foram 4 máquinas que anteriormente tinham sido doadas, totalmente estragadas, alguns kilos de matéria prima ficaram inutilizadas, mas o maior dano, foi o que ficou no emocional daquelas mulheres que lutaram tanto e literalmente, de um dia para outro, viram se perder toda uma história de conquista de suas vidas.

 

  

 

Novos caminhos.

 

Como ja mencionado, as chuvas devastadoras do mês de fevereiro levaram consigo os materiais necessários para dar continuidade à produção, porém os sonhos,  a determinação e o amor pela costura permanecem no grupo da Canoa da Vila. O dinheiro arrecadado será totalmente revertido para a compra de novos produtos e conserto dos antigos que ainda tem algum funcionamento, trazendo de volta assim, a alegria e a produtividade para a comunidade.

O dinheiro adquirido com a primeira meta será destinado para a compra de 2 máquinas industriais retas, 2 motores e 4 meses de costura.

A segunda meta tem como foco um investimento em uma nova sede para a marca, já que a atual ainda sofre bastante com os imprevistos ambientais, devido a sua localização um pouco precária. Contudo, para a obtenção desse novo espaço, é necessário que obras sejam realizadas, de modo que uma verba é essencial para que esse sonho e objetivo sejam concretizados.

 

Luiza Pereira ainda não publicou nenhuma notícia.