AOS PÁSSAROS |

AOS PÁSSAROS

O espetáculo AOS PÁSSAROS é um drama poético que revela a possibilidade de reencontro entre um pai evangélico e um filho artista e drag queen.

Projeto por: Marina Coutinho Hodecker
R$ 11.905,00
arrecadado
meta R$ 11.800,00

66 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Marina Coutinho Hodecker

Marina Coutinho Hodecker

R$ 30
Cota 1
11 benfeitores apoiando
agradecimento nominal na página do facebook.
R$ 60
Cota 2
31 benfeitores apoiando
agradecimento nominal na página do facebook + 1 ingresso.
R$ 120
Cota 3
15 benfeitores apoiando
agradecimento nominal na página do facebook + 1 ingresso + link para videoarte exclusiva feita por Filipe Codeço + 1 postal com identidade visual do espetáculo e texto de agradecimento da equipe.
R$ 250
Cota 4
3 benfeitores apoiando
agradecimento nominal na página do facebook + 2 ingressos + link para videoarte exclusiva feita por Filipe Codeço + 1 CD da cantora Alice Passos + 2 imagens que compõe a identidade visual do espetáculo + carta de agradecimento.
R$ 350
Cota 5
Seja o primeiro a apoiar!
agradecimento nominal na página do facebook + 2 ingressos + link para videoarte exclusiva feita por Filipe Codeço + 1 Fotolivro do espetáculo (contendo aproximadamente 20 páginas) + carta de agradecimento.
R$ 500
Cota 6
3 benfeitores apoiando
agradecimento nominal na página do facebook + 3 ingressos + link para videoarte exclusiva feita por Filipe Codeço + 6h de oficina com a diretora Marcela Andrade sobre escuta e criação colaborativa (base processual do espetáculo).
R$ 1.000
Cota 7
2 benfeitores apoiando
agradecimento nominal na página do facebook + 4 ingressos + link para videoarte exclusiva feita por Filipe Codeço + Show da Drag Queen Dorothy Dolores (sob agendamento).

O que é esse projeto?

Se cada ser humano é, ao mesmo tempo, vários, quais as possibilidades de repetição e de transformação em famílias pressionadas sob mesmo teto? Quantas personalidades habitam um convencional triângulo familiar de pai - mãe - filho? O que há em cada um que espelha ou que rejeita o outro? O que há de oculto no que cada um revela?

A montagem que propomos tem como reflexão central o convívio da diferença em e entre indivíduos. Desejamos um olhar ampliado que enxergue limites, mas que perceba brechas de convivências tanto no espaço íntimo quanto no espaço social.

Após processo de 18 meses, inspirado por notícias jornalísticas recentes do país e baseado em memórias pessoais e coletivas cultivadas em diálogos e improvisações, o espetáculo conta hoje com 15 artistas trabalhando de forma independente para fazê-lo existir. Em conjunto, objetivamos realizar a temporada de estreia de AOS PÁSSAROS, contendo 12 sessões, na Sede das Cias, de 31/10/2017 a 23/11/2017. 

Para isso recorremos ao financiamento coletivo como forma de viabilizar a produção deste projeto. Em meio ao cenário cultural de crise na cidade do Rio de Janeiro, acreditamos que esta é uma forma potente e possível de se fazer teatro, e fazer teatro nas circunstâncias atuais é resistir. Tratar de temas como religiosidade e sexualidade é se posicionar politicamente através do olhar prismado da arte;  é traçar escutas aos acontecimentos da cidade; é processar em cena situações latentes do país e do mundo. 

 

Como funciona o financiamento coletivo?

A ideia é simples, vamos financiar coletivamente o projeto de modo que todo mundo ganhe. Quem contribui ganha uma recompensa (além de poder assistir ao espetáculo, claro!) Mas se não conseguirmos atingir a meta, ninguém perde, pois o dinheiro será devolvido para o apoiador.

Nossa meta inicial é R$ 11.800,00, quantia que cobre os custos mínimos do projeto, referentes a aquisição de materiais e mão de obra para a produção de elementos cênicos (cenário, figurinos, maquiagem, iluminação), pagamento de locação de salas de ensaio, de estúdio de gravação, de custos mínimos de produção, de assessoria de imprensa e de divulgação. Por fim, há o pagamento de todos os custos nas transações financeiras e do sistema de financiamento coletivo (MOIP + 3% deste valor para a plataforma = 8%).

Tendo assegurado a meta inicial, partimos para a meta intermediária no valor de R$ 17.000,00, na qual acrescentamos o pagamento de transporte dos seis profissionais presentes nas doze sessões, mais pagamento de técnicos e operadores de luz e som, além de garantir o pagamento de pauta do teatro. Aqui também estão incluídos os custos das transações financeiras e do sistema de financiamento coletivo,tendo o percentual para a plataforma sido aumentado de 3% para 5% (total: MOIP + 5% = 10%).

O último passo é a meta final de R$ 22.400,00 que acrescenta à anterior um pagamento inicial de parte da equipe artística, além de uma alteração no percentual para a plataforma de 5% para 9% (total: MOIP + 9% = 14%).

 

Observação: Contribuições feitas nos dias 24/11 a 26/11 garantirão o(s) ingresso(s) como recompensa para temporadas futuras.

 

 

Quem são os profissionais que estão envolvidos no projeto?

 

Dramaturgia: Marcela Andrade

Colaboração dramatúrgica: Filipe Codeço, Maksin Oliveira, Pedro Struchiner e Reinaldo Dutra

Direção: Marcela Andrade

Elenco: Filipe Codeço, Maksin Oliveira e Reinaldo Dutra

Direção de Movimento: Jan Macedo

Preparação Corporal: Carla Stank

Trilha sonora: Filipe Codeço e Sandro Toledo (em processo colaborativo com direção e elenco)

Canto: Alice Passos

Castanholas (gravação e instrução): Gabriel Marins

Voz off Maria: Marcela Andrade

Canção cristã “Essa luz era Jesus”: Filipe Codeço e Maksin Oliveira (composição), Gabriel Marins (arranjo), Côca (voz)

Operação de Som: Marcela Andrade

Iluminação: Adriana Milhomem

Operação de Luz: Isabella Castro

Cenografia: Cássia Maria Monteiro

Cenotécnico: 4 One Cenotécnica

Figurino: Erika Schwarz

Assistência de Figurino: Rebeca Banus

Costura: Maria Helena Teixeira

Confecção (sandália): Walmer Oliveira Nogueira

Visagismo: Rodrigo Reinoso

Fotografia e Identidade Visual: Jaqueline Sampin

Vídeo: Filipe Codeço

Participações em Vídeo: Jackeline Silva e Bento Codeço

Idealização: Roda Produtiva

Realização: Roda Produtiva, AR Produções e Marcela Andrade

Produção: André Roman e Marina Hodecker

Assessoria de Imprensa: Duetto Comunicação/Alessandra Costa e Michelli Toledo

 

                                                                                            

 

Como seu dinheiro será usado?

50% para materiais e mão-de-obra (costureira, cenotécnico, etc.)

26% para serviços (como locação de espaço ensaio, gastos com montagem/desmontagem, operação de luz e som etc.)

16% para divulgação (assessoria, programas, banner)

8% para taxas financeiras e percentual para a plataforma

 

   

Marina Coutinho Hodecker ainda não publicou nenhuma notícia.

O que é esse projeto?

Se cada ser humano é, ao mesmo tempo, vários, quais as possibilidades de repetição e de transformação em famílias pressionadas sob mesmo teto? Quantas personalidades habitam um convencional triângulo familiar de pai - mãe - filho? O que há em cada um que espelha ou que rejeita o outro? O que há de oculto no que cada um revela?

A montagem que propomos tem como reflexão central o convívio da diferença em e entre indivíduos. Desejamos um olhar ampliado que enxergue limites, mas que perceba brechas de convivências tanto no espaço íntimo quanto no espaço social.

Após processo de 18 meses, inspirado por notícias jornalísticas recentes do país e baseado em memórias pessoais e coletivas cultivadas em diálogos e improvisações, o espetáculo conta hoje com 15 artistas trabalhando de forma independente para fazê-lo existir. Em conjunto, objetivamos realizar a temporada de estreia de AOS PÁSSAROS, contendo 12 sessões, na Sede das Cias, de 31/10/2017 a 23/11/2017. 

Para isso recorremos ao financiamento coletivo como forma de viabilizar a produção deste projeto. Em meio ao cenário cultural de crise na cidade do Rio de Janeiro, acreditamos que esta é uma forma potente e possível de se fazer teatro, e fazer teatro nas circunstâncias atuais é resistir. Tratar de temas como religiosidade e sexualidade é se posicionar politicamente através do olhar prismado da arte;  é traçar escutas aos acontecimentos da cidade; é processar em cena situações latentes do país e do mundo. 

 

Como funciona o financiamento coletivo?

A ideia é simples, vamos financiar coletivamente o projeto de modo que todo mundo ganhe. Quem contribui ganha uma recompensa (além de poder assistir ao espetáculo, claro!) Mas se não conseguirmos atingir a meta, ninguém perde, pois o dinheiro será devolvido para o apoiador.

Nossa meta inicial é R$ 11.800,00, quantia que cobre os custos mínimos do projeto, referentes a aquisição de materiais e mão de obra para a produção de elementos cênicos (cenário, figurinos, maquiagem, iluminação), pagamento de locação de salas de ensaio, de estúdio de gravação, de custos mínimos de produção, de assessoria de imprensa e de divulgação. Por fim, há o pagamento de todos os custos nas transações financeiras e do sistema de financiamento coletivo (MOIP + 3% deste valor para a plataforma = 8%).

Tendo assegurado a meta inicial, partimos para a meta intermediária no valor de R$ 17.000,00, na qual acrescentamos o pagamento de transporte dos seis profissionais presentes nas doze sessões, mais pagamento de técnicos e operadores de luz e som, além de garantir o pagamento de pauta do teatro. Aqui também estão incluídos os custos das transações financeiras e do sistema de financiamento coletivo,tendo o percentual para a plataforma sido aumentado de 3% para 5% (total: MOIP + 5% = 10%).

O último passo é a meta final de R$ 22.400,00 que acrescenta à anterior um pagamento inicial de parte da equipe artística, além de uma alteração no percentual para a plataforma de 5% para 9% (total: MOIP + 9% = 14%).

 

Observação: Contribuições feitas nos dias 24/11 a 26/11 garantirão o(s) ingresso(s) como recompensa para temporadas futuras.

 

 

Quem são os profissionais que estão envolvidos no projeto?

 

Dramaturgia: Marcela Andrade

Colaboração dramatúrgica: Filipe Codeço, Maksin Oliveira, Pedro Struchiner e Reinaldo Dutra

Direção: Marcela Andrade

Elenco: Filipe Codeço, Maksin Oliveira e Reinaldo Dutra

Direção de Movimento: Jan Macedo

Preparação Corporal: Carla Stank

Trilha sonora: Filipe Codeço e Sandro Toledo (em processo colaborativo com direção e elenco)

Canto: Alice Passos

Castanholas (gravação e instrução): Gabriel Marins

Voz off Maria: Marcela Andrade

Canção cristã “Essa luz era Jesus”: Filipe Codeço e Maksin Oliveira (composição), Gabriel Marins (arranjo), Côca (voz)

Operação de Som: Marcela Andrade

Iluminação: Adriana Milhomem

Operação de Luz: Isabella Castro

Cenografia: Cássia Maria Monteiro

Cenotécnico: 4 One Cenotécnica

Figurino: Erika Schwarz

Assistência de Figurino: Rebeca Banus

Costura: Maria Helena Teixeira

Confecção (sandália): Walmer Oliveira Nogueira

Visagismo: Rodrigo Reinoso

Fotografia e Identidade Visual: Jaqueline Sampin

Vídeo: Filipe Codeço

Participações em Vídeo: Jackeline Silva e Bento Codeço

Idealização: Roda Produtiva

Realização: Roda Produtiva, AR Produções e Marcela Andrade

Produção: André Roman e Marina Hodecker

Assessoria de Imprensa: Duetto Comunicação/Alessandra Costa e Michelli Toledo

 

                                                                                            

 

Como seu dinheiro será usado?

50% para materiais e mão-de-obra (costureira, cenotécnico, etc.)

26% para serviços (como locação de espaço ensaio, gastos com montagem/desmontagem, operação de luz e som etc.)

16% para divulgação (assessoria, programas, banner)

8% para taxas financeiras e percentual para a plataforma

 

   

Marina Coutinho Hodecker ainda não publicou nenhuma notícia.