A(r)mar |

A(r)mar

Produção e temporada de estreia do espetáculo "A(r)mar", inspirado no conto "Manuscrito Achado no Bolso", de Júlio Cortázar e direção de Paulo Azevedo.

Projeto por: Fulano's Produções Artísticas LTDA ME
R$ 11.430,00
arrecadado
meta R$ 15.000,00

64
benfeitores

76%
arrecadado

14
dias restantes

A primeira meta foi batida! O projeto será realizado, mas a arrecadação continua até 11/03/2018 - 23:59

POR

Fulano's Produções Artísticas LTDA ME

Fulano's Produções Artísticas LTDA ME

Produtora parceira de importantes companhias de Teatro da cidade de São Paulo, atuando na área de produção, agenciamento, organização e elaboração de projetos culturais.

R$ 30
9 benfeitores apoiando
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe e também um ingresso para a nossa temporada de estreia.
R$ 60
28 benfeitores apoiando
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe e também um par de ingressos para a nossa temporada de estreia.
R$ 100
15 benfeitores apoiando
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe,3 ingressos para a nossa temporada de estreia e um ímã de geladeira personalizado.
R$ 150
4 benfeitores apoiando
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe,4 ingressos para a nossa temporada de estreia, um ímã de geladeira personalizado e seu nome será citado no programa do espetáculo.
R$ 300
2 benfeitores apoiando
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe,8 ingressos para a nossa temporada de estreia, um ímã de geladeira personalizado, um postal personalizado e seu nome será citado no programa do espetáculo.
R$ 500
2 benfeitores apoiando
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe,8 ingressos para a nossa temporada de estreia, um ímã de geladeira personalizado, um postal personalizado, seu nome será citado no programa do espetáculo e também um livro do escritor Júlio Cortázar.
R$ 1.000
Seja o primeiro a apoiar!
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe,10 ingressos para a nossa temporada de estreia, um ímã de geladeira personalizado, um postal personalizado, seu nome será citado no programa do espetáculo, um livro do escritor Júlio Cortázar e sua logomarca ou nome como apoiador do projeto no programa do espetáculo.
R$ 5.000
1 benfeitor apoiando
Com esse valor, além de nos ajudar, você receberá um agradecimento especial da equipe, um ímã de geladeira personalizado, um postal personalizado, seu nome será citado no programa do espetáculo, um livro do escritor Júlio Cortázar, sua logomarca ou nome como apoiador do projeto no programa do espetáculo. Além disso, você receberá uma sessão do espetáculo para até 60 convidados.

A(R)MAR é o espetáculo livremente inspirado no conto “Manuscrito Achado Num Bolso” do escritor argentino Julio Cortázar, que nós, da Suacompanhia, apresentamos aqui para, através do seu apoio, torná-lo possível. Com esse financiamento coletivo poderemos produzir o espetáculo (cenários, figurinos, adereços, etc) e realizar a temporada de estreia na cidade de São Paulo. 

Com direção e texto de Paulo Azevedo e atuação de Bruno Perillo e Rita Pisano, além da companhia de parceiros de reconhecida trajetória, a montagem quer extrapolar o conto de Cortázar e construir uma estrutura cênica “armada” por meio de jogos – entre os atores; entre atores e a plateia – para compor um espectro múltiplo de leituras sobre a narrativa, sem conclusões ou visões assertivas sobre as razões que movem os personagens em cena. Os pilares são o trabalho de ator como “articulador” do jogo cênico e da dramaturgia, as múltiplas possibilidades de leitura em torno das relações contemporâneas (para além de um jogo amoroso) e a composição de um texto original. Com isso, a montagem foca na complexa aceitação da casualidade como o principal determinante da nossa vida. Entender o imponderável da vida como um jogo.

A dramaturgia inédita, construída através da interação entre autor e elenco, é composta por “peças”, baseada em jogos, que revelam, de forma não-linear, a narrativa. A influência de meses de pesquisa sobre o universo de Cortázar,alémde filmografia e bibliografia,resultou emuma dramaturgia cênica dinâmica, marcada pela URBANIDADE, que vai além de nos pensarmos como “moradores da cidade” e sim sujeitos “praticantes do urbano”, inseridos numa sociedade múltipla e feita de encontros ocasionais, de relações transitórias e fugazes.

Sinopse: 

Em uma arena, duas pessoas rememoram a casualidade de um encontro no metrô de uma grande cidade. Percorrem o espaço em busca de memórias, recapitulam os fatos que os levaram até ali, na tentativa de reconstruir o percurso e vislumbrar as possibilidades não escolhidas. ELE se arrisca ao azar, alheio ao esquema de metas e horários regrados, em vias desconhecidas em um mundo subterrâneo. Vagueia à procura de um encontro que siga à risca um jogo em que ELE é o dono das regras e o seu próprio adversário. ELA, entre uma página e outra de um livro, vive um outro jogo: lapsos entre ir e voltar de uma realidade, sempre no limiar entre o que acaba de ler, o que pensa e o que vê ao redor. Ali no metrô, esse tabuleiro infindável de linhas, estações, sobre trilhos, sob a terra, sem a variação do tempo, ocultos em meio à multidão, se desafiam no campo dos afetos e relativizam as distâncias impostas por universos particulares. Do encontro desses dois olhares, entre o abrir e fechar das portas do metrô, começa um ciclo vicioso de regras impotentes diante da força da casualidade de uma experiência amorosa. ELE e ELA são guias e parceiros de estratégia do público-passageiro-jogador nesse tabuleiro-arena onde os pontos de vista são múltiplos.

 

FICHA TÉCNICA

Livremente inspirado no conto “Manuscrito Achado Num Bolso”, de Julio Cortázar

Texto e Direção: Paulo Azevedo

Dramaturgia: Paulo Azevedo, Bruno Perillo e Rita Pisano

Elenco: Bruno Perillo e Rita Pisano

Cenário e Figurinos: Simone Mina

Trilha Sonora Original: Érico Theobaldo

Desenho de Luz: Ale Domingues

Preparação Corporal: Vitor Vieira

Produção: Fulano’s Produções Artísticas (Rodrigo Palmieri e Leandro Ivo)

Designer Gráfico: Ângela Ribeiro

Fotos: Vitor Vieira

Parceria Criativa: Suacompanhia Criações Artísticas

Currículos Resumidos da Equipe:

PAULO AZEVEDO - Diretor e Dramaturgo Atua há 20 anos nas artes cênicas como ator, autor, diretor e produtor em cerca de 15 espetáculos em parceria com Hector Babenco (“Hell” – 2011 à 2014), Cibele Forjaz (Cia Livre), e Yara de Novaes. Fundador e ex-integrante do Grupo Espanca!, realizando os premiados espetáculos “Por Elise” (Indicado na Categoria Especial do Prêmio Shell 2005) e “Amores Surdos” (Indicado como Melhor Ator Prêmio Qualidade Brasil SP e Usiminas SINPARC 2008). Integrou o Oficinão do Galpão Cine Horto (2002/03),com direção de Chico Pelúcio. Dirigiu o espetáculo “A Carne Exausta” (2011), com texto de Cássio Pires. Assinou a concepção, roteiro e atuava, em parceria com Rita Clemente, no espetáculo “Histórias de Chocar” (2008 e 2009). É autor dos espetáculos “Sonetos de Areia” e “Nômades” do Projeto Cena 3x4 Galpão Cine Horto, sob a coordenação do diretor Antônio Araújo e do dramaturgo Luís Alberto de Abreu. Em 2014, funda a Suacompanhia Criações Artísticas, realizando “Heróis: Uma Pausa Para David” (Prêmio Funarte Myriam Muniz 2014) e “Passe-Partout” (Bolsa de Incentivo à Criação Literária – Dramaturgia ProAC 2015). Protagoniza os longasmetragens “Paixão e Virtude”, último trabalho de Ricardo Miranda; e “Estive em Lisboa e Lembrei de Você” (CinEuphoria de Melhor Ator 2017 – Prêmio do Público, em Portugal, e indicado como Melhor Ator de Filme Estrangeiro no “Melhores Filmes SESC 2016”), co-produção Brasil/Portugal, dirigida pelo lisboeta José Barahona (2015). Em 2017, participa das novas séries da Globo/O2 Filmes, “13 Dias Longe do Sol”; e da TV Cultura: “Terra Dois”; e “Rua Augusta”, da TNT/O2 Filmes; e do novo longa de Ricardo Elias, “Mare Nostrum”. Saiba mais em: www.pauloazevedo.art.br

BRUNO PERILLO - Ator Ator, diretor e músico. Integrante da Cia Fractal de Teatro. Começou sua carreira profissional ao ingressar no Grupo Tapa. Workshop com o diretor inglês Declan Donellan e com o dramaturgo inglês Sir David Hare no British Council. Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direção Teatral na Escola de Teatro Célia Helena. Com a grupo TAPA atuou nas montagens: “A Serpente” de Nelson Rodrigues, “Moço em Estado de Sítio” de Oduvaldo Vianna Filho, “Ivanov” de Anton Tcheckov, entre outras. Com o Grupo Folias d’Arte atuou em: “Happy End” de Bertolt Brecht, “El dia que me quieras” de J. Cabrujas, “Otelo” de William Shakespeare, “Babilônia” de Reinaldo Maia, “Cantos Peregrinos” de José A. de Souza, “Happy End” de Elizabeth Hauptmann, “Surabaya Johnny!” de Weill/Brecht, todas sob a direção de Marco Antonio Rodrigues, tendo participado dos Festivais Internacionais do Porto e de Lisboa com o espetáculo “Otelo”. Foi indicado ao prêmio Shell pela direção musical de “Querô, uma reportagem maldita” de Plínio Marcos. Atuou em “Credores” de August Strindberg e “Dançando em Lúnassa” de Brian Friel, “Ópera do Malandro” de Chico Buarque e “Absinto” de Luciana Carnieli, com os diretores Nelson Baskerville, Domingos Nunez, Kleber Montanheiro e Cassio Scapin respectivamente. Em cinema, atuou em “Salve Geral” de Sergio Rezende, “Onde andará Dulce Veiga” de Guilherme de Almeida Prado, “Último Chá” de David Kullock, “Amparo” de Ricardo P. Silva e “Tanta” de Alexandre Charro. Como diretor teatral, encenou “Velhos Tempos” de Harold Pinter, “O Campo” de Martin Crimp e “Ato a Quatro” de Jane Bodie e “Swallow” de Stef Smith contemplado pelo 21º Festival Cultura Inglesa.

RITA PISANO - Atriz Atriz e professora de teatro. Integrou o CPT de Antunes Filho. Formada em Interpretação Teatral pelo INDAC. Atuou nas montagens “O Caminho de Parsifal” de Tancred Dorst – direção Sérgio Ferrara, “Autor Bom é Ator Morto” direção e dramaturgia de Kiko Marques, “Histórias pra Ninar Gente Grande, Quatro Prismas da Paixão” (dança teatro) direção Flávia Pucci; “Na cadeira com os pés na Varanda” direção Paulo Barcelos, “Cinco Mulheres e Um Homem Só” direção Lorena Nobel, “Agora eu Era Herói” e “Oliver Twist” (ganhador da 20ª edição do Festival da Cultura Inglesa), dramaturgia e direção Rodrigo Audi, com a CIA UM. Participou da peça internacional “Retorno ao Deserto” de Bernard Marie Kòltes, direção de Catherine Marnas com a CIA PARNAS, montagem que cumpriu temporada em diversas cidades na França e no Brasil. Participou de diversos curtas metragens. Fez a preparação de elenco para os curtas metragens: “Algum lugar no Recreio”, direção Caroline Fioratti, vencedor do Prêmio Estímulo 2010, e “O Melhor som do Mundo”, dirigido por Pedro Paulo Andrade. Preparou o elenco e participou como atriz da série infanto-juvenil da TV CULTURA “A Grande Viagem”, direção de Caroline Fioratti. Formada na Faculdade de Educação da USP e pós-graduada em Arte, Cultura e Educação pela ECA-USP é professora de teatro, de Leitura e Crítica da Obra Teatral, Curta Metragem e Ateliê para alunos do Ensino Médio.

FULANO’S PRODUÇÕES ARTÍSTICAS (Rodrigo Palmieri e Leandro Ivo) - Produção Produtora parceira de importantes companhias de Teatro da cidade de São Paulo, atuando na área de produção, agenciamento, organização e elaboração de projetos culturais. Tornou-se pessoa jurídica em agosto de 2013, embora suas atividades tenham iniciado em maio de 2006 com a parceria dos atores e produtores Leandro Ivo e Rodrigo Palmieri. Dentre seus trabalhos, destacam-se a produção, elaboração de projetos, estreias e prestação de contas dos espetáculos da República Ativa de Teatro: “O Inimigo” (2016) - ProAC 08/2016, Mostra SESC Cariri de Culturas 2017 e FENATA 2017; “Splash ou A História da Gota Que Sonhava Ser Rio” (2016) – Projeto “A Parte Que Falta” - 1º Prêmio Zé Renato; “Quem Apagou a Luz?” (2012) - Programa Cultural das Empresas Eletrobras (Lei Rouanet); “A Menina e o Vento” (2012); “O Cavalinho Azul” (2008) – “Festival Internacional de Teatro ENTEPACH 2009” (Chile) – Edital de Intercâmbio Cultural do MINC e ProAC Circulação 2011; “A Bruxinha Que Era Boa” (2006) – “3º Encuentro de La Red Iberoamericana de Artes Escènicas 2007” (Chile) – Edital de Intercâmbio Cultural do MINC; Projeto “O Real Imaginário: O Universo Infantil em Maria Clara Machado” - SESCs Bom Retiro (2012), Sorocaba (2013), São Caetano (2015) e São José dos Campos (2017). Produziu “O Pato, a Morte e a Tulipa”, da Cia de Feitos, contemplado pelo ProAC Produção 2010. Também produziu diversas apresentações e temporadas na capital e no Estado de São Paulo dos espetáculos “Concílio da Destruição”, da Cia Les Commediens Tropicales; “A Hora da Estrela”, “Alberto Caeiro – Ele Mesmo”, “A Incrível Batalha Pelo Tesouro de Laduê”, e “Hamlet S.A.” da Cia Estrela D’Alva; “O Poetinha e a Lua”, do Grupo Estação Teatro; “A Nova Roupa do Rei”, “O Botão Mágico”, “A Menina Que Entra em Livros”, “O Beco dos Gatos” e “João e Maria?” do Núcleo Educatho; “Esperando Gordô”, da Cia Lona de Retalhos; e “Sementeira” dos Grupos Teatral Rizoma e Pontos de Fiandeiras. Em 2017, produziu o espetáculo “Sonata”, da ciA.Aposto, com direção de Christina Trevisan. Idealizou, escreveu e produziu o projeto “Temos Vagas”, da Cia Navega Jangada, que foi contemplado pelo ProAC 08/2016. Produziu o projeto “Duas Culturas, Duas Visões, Uma Mesma Problemática” do Grupo Refinaria Teatral (em parceria com a Universidade de Guadalajara – México) contemplado pela 28ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

SIMONE MINA - Cenário e Figurino É diretora de arte, cenógrafa e estilista, integrante da Cia.Livre e da Cia. Teatral Ueinzz. Tem trânsito artístico livre com outras companhias e artistas. A partir de 2011 é diretora de arte dos trabalhos de Zélia Duncan. No teatro, destacam-se: “Agora eu vou ficar bonita” (2015) com Regina Braga e Celso Sim que cumpriu temporada no SESC Bom Retiro, “Cine Monstro” (2014) com Enrique Diaz, “As Três Velhas” (2010) com Maria Alice Vergueiro, “Kastelo” (2009) com o Teatro da Vertigem, e “Rainhas – Duas Atrizes em Busca de um Coração” (2008). Assina a direção de arte do projeto “SALA DE ESTAR”, realizado no SESC Pompéia, onde recebe grandes nomes da Música Brasileira. Nas artes visuais, é artista convidada do projeto X Moradias, com a instalação “H.TELL & Soul” (2010) em Mannhein – Alemanha, “Convite a Hospitalidade ou Exercício de Admiração I” (2009) em SP; outras instalações e performances - áudio-instalação a partir da conferência de J. Derrida, “O animal que logo sou... Corpo-conferência #1 – Concerto silogístico para 13 gatos e um homem” (2008); performance “Roupa-Assistida II – Bordados”, (2006) SESC Pompéia; instalação e performance “Roupa-Assistida I”; “Exposição Viés”, na Galeria Vermelho/SP (2005). Participa como cenógrafa convidada da 8ª e 9ª Quadrienal de Cenografia,Figurino e Arquitetura Cênica da República Checa, em Praga, em 1999 e 2003. Integra a seleção de artistas brasileiros com a instalação “DES_FIOS” (realizada em 2013 para o Hemispheric Institute, SESC Vila Mariana).

ÉRICO THEOBALDO - Trilha Sonora Original Atua em diversas frentes da produção musical, compondo, tocando e produzindo para teatro, cinema, TV, espetáculos de teatro, dança e shows musicais. Destacam-se a Trilha Sonora para o longa “Natimorto” com direção de Paulo Machline (2009), e para os documentários “Sarau” (2010) e “Idades da Moda” (2013) ambos dirigidos por Marcelo Machado. No teatro, compôs a música para os trabalhos mais recentes da prestigiada companhia Teatro da Vertigem nos espetáculos “Bom Retiro 958 metros” (2012), “A última palavra é a penúltima 2.0” (2013) e “O Filho” (2015). Fez a direção musical ao lado de Zeca Baleiro para o musical infanto-juvenil “Quem tem medo de Curupira” (2010) dirigido por Débora Dubois. Também produziu a trilha sonora dos espetáculos “4.48-Psicose” dirigido por Nelson de Sá, “Urbes” dirigido por Hugo Possolo e “Cubos” do grupo Lúdica Dança ao lado de Zeca Baleiro. Multi-instrumentista do musical “Roque Santeiro” (2017) também dirigido por Débora Dubois. Produziu e compôs projetos artísticos de gêneros diversos que passam pelo Rock, MPB, música eletônica e Hip Hop. Zeca Baleiro, Luisa Maita, Aldo, the Band, Z’áfrica Brasil, Otto, Nô Stopa e SNJ são alguns dos artistas com quem mantém uma parceria constante. É um dos integrantes e fundadores do influente coletivo audiovisual Embolex Media Jockeys que explora a linguagem do live-cinema, vedo-mashups e instalações multimídia, participando de eventos como RedBull Live Images (2002), Festival Eletronika (Belo Horizonte – 2003 e 2004), Festival Brasil no Ar (Barcelona – 2006), Skol Beats (2006), SKY Multimídia (2008) e Virada Cultural de São Paulo (2006/2008). Produziu e apresentou ao vivo a trilha sonora do desfile SPFW (2004 e 2005). Produziu a trilha sonora da série “3%” exibida pelo Netflix, da minissérie “Antônia” pela Rede Globo e O2 Filmes.

ANGELA RIBEIRO - Designer Gráfico É atriz, dramaturga e publicitária (designer e redatora). Formou-se em Comunicação Social pela Universidade Federal do Pará – UFPA. Especializou-se em criação - designer e redação - na Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM. Desde sua formação, trabalhou nas agências Norte, CA Comunicação e Castilho Propaganda no Pará. E nas agências Z+, Ponto de Criação, Luminas e Bamboo em São Paulo. Atendeu contas como Mercedes Benz, Chrysler, Procter & Gamble (Ariel, Pampers e outras), Effem (Chocolate MM’s, Pedigree e Whyskas), Shopping Iguatemi, Livrarias Saraiva e Siciliano, CCE, Clinique, Suzano e Hamilton Beach entre outros. Além disso tem criado vários projetos gráficos e identidades para diversos grupos de teatro. Ouro no NY Festival como assistente de Redação em 2009. Como criativa da campanha Dia das Crianças Siciliano em 2006 e em 2005 com a ação “Árvore” para a CCE.

VITOR VIEIRA - Preparador Corporal e Fotografia É ator, bailarino, artista visual e professor. Integrante desde 2002 do grupo Tablado de Arruar (Indicado e premiado no Shell, APCA, Questão de Crítica, Aplauso Brasil e Cooperativa Paulista de Teatro por diversos espetáculos), na qual atuou em todos os trabalhos e mais recentemente em “Trilogia Abnegação”. Foi indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator 2012 com “Mateus, 10”. Dançou por 7 anos no Núcleo de Improvisação, sob direção de Zélia Monteiro, com pesquisa baseada nos princípios de Klauss Vianna. É formado pela Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP) e cursou até o 5˚ semestre do curso de dança na Anhembi Morumbi. Atualmente, estuda Artes Visuais na UNIP-SP.

Fulano's Produções Artísticas LTDA ME ainda não publicou nenhuma notícia.

A(R)MAR é o espetáculo livremente inspirado no conto “Manuscrito Achado Num Bolso” do escritor argentino Julio Cortázar, que nós, da Suacompanhia, apresentamos aqui para, através do seu apoio, torná-lo possível. Com esse financiamento coletivo poderemos produzir o espetáculo (cenários, figurinos, adereços, etc) e realizar a temporada de estreia na cidade de São Paulo. 

Com direção e texto de Paulo Azevedo e atuação de Bruno Perillo e Rita Pisano, além da companhia de parceiros de reconhecida trajetória, a montagem quer extrapolar o conto de Cortázar e construir uma estrutura cênica “armada” por meio de jogos – entre os atores; entre atores e a plateia – para compor um espectro múltiplo de leituras sobre a narrativa, sem conclusões ou visões assertivas sobre as razões que movem os personagens em cena. Os pilares são o trabalho de ator como “articulador” do jogo cênico e da dramaturgia, as múltiplas possibilidades de leitura em torno das relações contemporâneas (para além de um jogo amoroso) e a composição de um texto original. Com isso, a montagem foca na complexa aceitação da casualidade como o principal determinante da nossa vida. Entender o imponderável da vida como um jogo.

A dramaturgia inédita, construída através da interação entre autor e elenco, é composta por “peças”, baseada em jogos, que revelam, de forma não-linear, a narrativa. A influência de meses de pesquisa sobre o universo de Cortázar,alémde filmografia e bibliografia,resultou emuma dramaturgia cênica dinâmica, marcada pela URBANIDADE, que vai além de nos pensarmos como “moradores da cidade” e sim sujeitos “praticantes do urbano”, inseridos numa sociedade múltipla e feita de encontros ocasionais, de relações transitórias e fugazes.

Sinopse: 

Em uma arena, duas pessoas rememoram a casualidade de um encontro no metrô de uma grande cidade. Percorrem o espaço em busca de memórias, recapitulam os fatos que os levaram até ali, na tentativa de reconstruir o percurso e vislumbrar as possibilidades não escolhidas. ELE se arrisca ao azar, alheio ao esquema de metas e horários regrados, em vias desconhecidas em um mundo subterrâneo. Vagueia à procura de um encontro que siga à risca um jogo em que ELE é o dono das regras e o seu próprio adversário. ELA, entre uma página e outra de um livro, vive um outro jogo: lapsos entre ir e voltar de uma realidade, sempre no limiar entre o que acaba de ler, o que pensa e o que vê ao redor. Ali no metrô, esse tabuleiro infindável de linhas, estações, sobre trilhos, sob a terra, sem a variação do tempo, ocultos em meio à multidão, se desafiam no campo dos afetos e relativizam as distâncias impostas por universos particulares. Do encontro desses dois olhares, entre o abrir e fechar das portas do metrô, começa um ciclo vicioso de regras impotentes diante da força da casualidade de uma experiência amorosa. ELE e ELA são guias e parceiros de estratégia do público-passageiro-jogador nesse tabuleiro-arena onde os pontos de vista são múltiplos.

 

FICHA TÉCNICA

Livremente inspirado no conto “Manuscrito Achado Num Bolso”, de Julio Cortázar

Texto e Direção: Paulo Azevedo

Dramaturgia: Paulo Azevedo, Bruno Perillo e Rita Pisano

Elenco: Bruno Perillo e Rita Pisano

Cenário e Figurinos: Simone Mina

Trilha Sonora Original: Érico Theobaldo

Desenho de Luz: Ale Domingues

Preparação Corporal: Vitor Vieira

Produção: Fulano’s Produções Artísticas (Rodrigo Palmieri e Leandro Ivo)

Designer Gráfico: Ângela Ribeiro

Fotos: Vitor Vieira

Parceria Criativa: Suacompanhia Criações Artísticas

Currículos Resumidos da Equipe:

PAULO AZEVEDO - Diretor e Dramaturgo Atua há 20 anos nas artes cênicas como ator, autor, diretor e produtor em cerca de 15 espetáculos em parceria com Hector Babenco (“Hell” – 2011 à 2014), Cibele Forjaz (Cia Livre), e Yara de Novaes. Fundador e ex-integrante do Grupo Espanca!, realizando os premiados espetáculos “Por Elise” (Indicado na Categoria Especial do Prêmio Shell 2005) e “Amores Surdos” (Indicado como Melhor Ator Prêmio Qualidade Brasil SP e Usiminas SINPARC 2008). Integrou o Oficinão do Galpão Cine Horto (2002/03),com direção de Chico Pelúcio. Dirigiu o espetáculo “A Carne Exausta” (2011), com texto de Cássio Pires. Assinou a concepção, roteiro e atuava, em parceria com Rita Clemente, no espetáculo “Histórias de Chocar” (2008 e 2009). É autor dos espetáculos “Sonetos de Areia” e “Nômades” do Projeto Cena 3x4 Galpão Cine Horto, sob a coordenação do diretor Antônio Araújo e do dramaturgo Luís Alberto de Abreu. Em 2014, funda a Suacompanhia Criações Artísticas, realizando “Heróis: Uma Pausa Para David” (Prêmio Funarte Myriam Muniz 2014) e “Passe-Partout” (Bolsa de Incentivo à Criação Literária – Dramaturgia ProAC 2015). Protagoniza os longasmetragens “Paixão e Virtude”, último trabalho de Ricardo Miranda; e “Estive em Lisboa e Lembrei de Você” (CinEuphoria de Melhor Ator 2017 – Prêmio do Público, em Portugal, e indicado como Melhor Ator de Filme Estrangeiro no “Melhores Filmes SESC 2016”), co-produção Brasil/Portugal, dirigida pelo lisboeta José Barahona (2015). Em 2017, participa das novas séries da Globo/O2 Filmes, “13 Dias Longe do Sol”; e da TV Cultura: “Terra Dois”; e “Rua Augusta”, da TNT/O2 Filmes; e do novo longa de Ricardo Elias, “Mare Nostrum”. Saiba mais em: www.pauloazevedo.art.br

BRUNO PERILLO - Ator Ator, diretor e músico. Integrante da Cia Fractal de Teatro. Começou sua carreira profissional ao ingressar no Grupo Tapa. Workshop com o diretor inglês Declan Donellan e com o dramaturgo inglês Sir David Hare no British Council. Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direção Teatral na Escola de Teatro Célia Helena. Com a grupo TAPA atuou nas montagens: “A Serpente” de Nelson Rodrigues, “Moço em Estado de Sítio” de Oduvaldo Vianna Filho, “Ivanov” de Anton Tcheckov, entre outras. Com o Grupo Folias d’Arte atuou em: “Happy End” de Bertolt Brecht, “El dia que me quieras” de J. Cabrujas, “Otelo” de William Shakespeare, “Babilônia” de Reinaldo Maia, “Cantos Peregrinos” de José A. de Souza, “Happy End” de Elizabeth Hauptmann, “Surabaya Johnny!” de Weill/Brecht, todas sob a direção de Marco Antonio Rodrigues, tendo participado dos Festivais Internacionais do Porto e de Lisboa com o espetáculo “Otelo”. Foi indicado ao prêmio Shell pela direção musical de “Querô, uma reportagem maldita” de Plínio Marcos. Atuou em “Credores” de August Strindberg e “Dançando em Lúnassa” de Brian Friel, “Ópera do Malandro” de Chico Buarque e “Absinto” de Luciana Carnieli, com os diretores Nelson Baskerville, Domingos Nunez, Kleber Montanheiro e Cassio Scapin respectivamente. Em cinema, atuou em “Salve Geral” de Sergio Rezende, “Onde andará Dulce Veiga” de Guilherme de Almeida Prado, “Último Chá” de David Kullock, “Amparo” de Ricardo P. Silva e “Tanta” de Alexandre Charro. Como diretor teatral, encenou “Velhos Tempos” de Harold Pinter, “O Campo” de Martin Crimp e “Ato a Quatro” de Jane Bodie e “Swallow” de Stef Smith contemplado pelo 21º Festival Cultura Inglesa.

RITA PISANO - Atriz Atriz e professora de teatro. Integrou o CPT de Antunes Filho. Formada em Interpretação Teatral pelo INDAC. Atuou nas montagens “O Caminho de Parsifal” de Tancred Dorst – direção Sérgio Ferrara, “Autor Bom é Ator Morto” direção e dramaturgia de Kiko Marques, “Histórias pra Ninar Gente Grande, Quatro Prismas da Paixão” (dança teatro) direção Flávia Pucci; “Na cadeira com os pés na Varanda” direção Paulo Barcelos, “Cinco Mulheres e Um Homem Só” direção Lorena Nobel, “Agora eu Era Herói” e “Oliver Twist” (ganhador da 20ª edição do Festival da Cultura Inglesa), dramaturgia e direção Rodrigo Audi, com a CIA UM. Participou da peça internacional “Retorno ao Deserto” de Bernard Marie Kòltes, direção de Catherine Marnas com a CIA PARNAS, montagem que cumpriu temporada em diversas cidades na França e no Brasil. Participou de diversos curtas metragens. Fez a preparação de elenco para os curtas metragens: “Algum lugar no Recreio”, direção Caroline Fioratti, vencedor do Prêmio Estímulo 2010, e “O Melhor som do Mundo”, dirigido por Pedro Paulo Andrade. Preparou o elenco e participou como atriz da série infanto-juvenil da TV CULTURA “A Grande Viagem”, direção de Caroline Fioratti. Formada na Faculdade de Educação da USP e pós-graduada em Arte, Cultura e Educação pela ECA-USP é professora de teatro, de Leitura e Crítica da Obra Teatral, Curta Metragem e Ateliê para alunos do Ensino Médio.

FULANO’S PRODUÇÕES ARTÍSTICAS (Rodrigo Palmieri e Leandro Ivo) - Produção Produtora parceira de importantes companhias de Teatro da cidade de São Paulo, atuando na área de produção, agenciamento, organização e elaboração de projetos culturais. Tornou-se pessoa jurídica em agosto de 2013, embora suas atividades tenham iniciado em maio de 2006 com a parceria dos atores e produtores Leandro Ivo e Rodrigo Palmieri. Dentre seus trabalhos, destacam-se a produção, elaboração de projetos, estreias e prestação de contas dos espetáculos da República Ativa de Teatro: “O Inimigo” (2016) - ProAC 08/2016, Mostra SESC Cariri de Culturas 2017 e FENATA 2017; “Splash ou A História da Gota Que Sonhava Ser Rio” (2016) – Projeto “A Parte Que Falta” - 1º Prêmio Zé Renato; “Quem Apagou a Luz?” (2012) - Programa Cultural das Empresas Eletrobras (Lei Rouanet); “A Menina e o Vento” (2012); “O Cavalinho Azul” (2008) – “Festival Internacional de Teatro ENTEPACH 2009” (Chile) – Edital de Intercâmbio Cultural do MINC e ProAC Circulação 2011; “A Bruxinha Que Era Boa” (2006) – “3º Encuentro de La Red Iberoamericana de Artes Escènicas 2007” (Chile) – Edital de Intercâmbio Cultural do MINC; Projeto “O Real Imaginário: O Universo Infantil em Maria Clara Machado” - SESCs Bom Retiro (2012), Sorocaba (2013), São Caetano (2015) e São José dos Campos (2017). Produziu “O Pato, a Morte e a Tulipa”, da Cia de Feitos, contemplado pelo ProAC Produção 2010. Também produziu diversas apresentações e temporadas na capital e no Estado de São Paulo dos espetáculos “Concílio da Destruição”, da Cia Les Commediens Tropicales; “A Hora da Estrela”, “Alberto Caeiro – Ele Mesmo”, “A Incrível Batalha Pelo Tesouro de Laduê”, e “Hamlet S.A.” da Cia Estrela D’Alva; “O Poetinha e a Lua”, do Grupo Estação Teatro; “A Nova Roupa do Rei”, “O Botão Mágico”, “A Menina Que Entra em Livros”, “O Beco dos Gatos” e “João e Maria?” do Núcleo Educatho; “Esperando Gordô”, da Cia Lona de Retalhos; e “Sementeira” dos Grupos Teatral Rizoma e Pontos de Fiandeiras. Em 2017, produziu o espetáculo “Sonata”, da ciA.Aposto, com direção de Christina Trevisan. Idealizou, escreveu e produziu o projeto “Temos Vagas”, da Cia Navega Jangada, que foi contemplado pelo ProAC 08/2016. Produziu o projeto “Duas Culturas, Duas Visões, Uma Mesma Problemática” do Grupo Refinaria Teatral (em parceria com a Universidade de Guadalajara – México) contemplado pela 28ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

SIMONE MINA - Cenário e Figurino É diretora de arte, cenógrafa e estilista, integrante da Cia.Livre e da Cia. Teatral Ueinzz. Tem trânsito artístico livre com outras companhias e artistas. A partir de 2011 é diretora de arte dos trabalhos de Zélia Duncan. No teatro, destacam-se: “Agora eu vou ficar bonita” (2015) com Regina Braga e Celso Sim que cumpriu temporada no SESC Bom Retiro, “Cine Monstro” (2014) com Enrique Diaz, “As Três Velhas” (2010) com Maria Alice Vergueiro, “Kastelo” (2009) com o Teatro da Vertigem, e “Rainhas – Duas Atrizes em Busca de um Coração” (2008). Assina a direção de arte do projeto “SALA DE ESTAR”, realizado no SESC Pompéia, onde recebe grandes nomes da Música Brasileira. Nas artes visuais, é artista convidada do projeto X Moradias, com a instalação “H.TELL & Soul” (2010) em Mannhein – Alemanha, “Convite a Hospitalidade ou Exercício de Admiração I” (2009) em SP; outras instalações e performances - áudio-instalação a partir da conferência de J. Derrida, “O animal que logo sou... Corpo-conferência #1 – Concerto silogístico para 13 gatos e um homem” (2008); performance “Roupa-Assistida II – Bordados”, (2006) SESC Pompéia; instalação e performance “Roupa-Assistida I”; “Exposição Viés”, na Galeria Vermelho/SP (2005). Participa como cenógrafa convidada da 8ª e 9ª Quadrienal de Cenografia,Figurino e Arquitetura Cênica da República Checa, em Praga, em 1999 e 2003. Integra a seleção de artistas brasileiros com a instalação “DES_FIOS” (realizada em 2013 para o Hemispheric Institute, SESC Vila Mariana).

ÉRICO THEOBALDO - Trilha Sonora Original Atua em diversas frentes da produção musical, compondo, tocando e produzindo para teatro, cinema, TV, espetáculos de teatro, dança e shows musicais. Destacam-se a Trilha Sonora para o longa “Natimorto” com direção de Paulo Machline (2009), e para os documentários “Sarau” (2010) e “Idades da Moda” (2013) ambos dirigidos por Marcelo Machado. No teatro, compôs a música para os trabalhos mais recentes da prestigiada companhia Teatro da Vertigem nos espetáculos “Bom Retiro 958 metros” (2012), “A última palavra é a penúltima 2.0” (2013) e “O Filho” (2015). Fez a direção musical ao lado de Zeca Baleiro para o musical infanto-juvenil “Quem tem medo de Curupira” (2010) dirigido por Débora Dubois. Também produziu a trilha sonora dos espetáculos “4.48-Psicose” dirigido por Nelson de Sá, “Urbes” dirigido por Hugo Possolo e “Cubos” do grupo Lúdica Dança ao lado de Zeca Baleiro. Multi-instrumentista do musical “Roque Santeiro” (2017) também dirigido por Débora Dubois. Produziu e compôs projetos artísticos de gêneros diversos que passam pelo Rock, MPB, música eletônica e Hip Hop. Zeca Baleiro, Luisa Maita, Aldo, the Band, Z’áfrica Brasil, Otto, Nô Stopa e SNJ são alguns dos artistas com quem mantém uma parceria constante. É um dos integrantes e fundadores do influente coletivo audiovisual Embolex Media Jockeys que explora a linguagem do live-cinema, vedo-mashups e instalações multimídia, participando de eventos como RedBull Live Images (2002), Festival Eletronika (Belo Horizonte – 2003 e 2004), Festival Brasil no Ar (Barcelona – 2006), Skol Beats (2006), SKY Multimídia (2008) e Virada Cultural de São Paulo (2006/2008). Produziu e apresentou ao vivo a trilha sonora do desfile SPFW (2004 e 2005). Produziu a trilha sonora da série “3%” exibida pelo Netflix, da minissérie “Antônia” pela Rede Globo e O2 Filmes.

ANGELA RIBEIRO - Designer Gráfico É atriz, dramaturga e publicitária (designer e redatora). Formou-se em Comunicação Social pela Universidade Federal do Pará – UFPA. Especializou-se em criação - designer e redação - na Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM. Desde sua formação, trabalhou nas agências Norte, CA Comunicação e Castilho Propaganda no Pará. E nas agências Z+, Ponto de Criação, Luminas e Bamboo em São Paulo. Atendeu contas como Mercedes Benz, Chrysler, Procter & Gamble (Ariel, Pampers e outras), Effem (Chocolate MM’s, Pedigree e Whyskas), Shopping Iguatemi, Livrarias Saraiva e Siciliano, CCE, Clinique, Suzano e Hamilton Beach entre outros. Além disso tem criado vários projetos gráficos e identidades para diversos grupos de teatro. Ouro no NY Festival como assistente de Redação em 2009. Como criativa da campanha Dia das Crianças Siciliano em 2006 e em 2005 com a ação “Árvore” para a CCE.

VITOR VIEIRA - Preparador Corporal e Fotografia É ator, bailarino, artista visual e professor. Integrante desde 2002 do grupo Tablado de Arruar (Indicado e premiado no Shell, APCA, Questão de Crítica, Aplauso Brasil e Cooperativa Paulista de Teatro por diversos espetáculos), na qual atuou em todos os trabalhos e mais recentemente em “Trilogia Abnegação”. Foi indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator 2012 com “Mateus, 10”. Dançou por 7 anos no Núcleo de Improvisação, sob direção de Zélia Monteiro, com pesquisa baseada nos princípios de Klauss Vianna. É formado pela Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP) e cursou até o 5˚ semestre do curso de dança na Anhembi Morumbi. Atualmente, estuda Artes Visuais na UNIP-SP.

Fulano's Produções Artísticas LTDA ME ainda não publicou nenhuma notícia.