Gastropediatria: um olhar para o futuro |

Gastropediatria: um olhar para o futuro

Projeto que visa arrecadar recursos para compra de equipamentos para o ambulatório de Gastroenterologia Pediátrica do Hospital São Paulo EPM/ UNIFESP

Projeto por: Leticia Helena Caldas Lopes
R$ 46.060,00
arrecadado
meta R$ 11.605,00

115 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Leticia Helena Caldas Lopes

Leticia Helena Caldas Lopes

R$ 20
Gratidão nas redes sociais
10 benfeitores apoiando
Muito obrigada por nos ajudar! Colocaremos seu nome na página da nossa campanha no Facebook, como uma pessoa que olha para o futuro! Continue colaborando com o nosso ambulatório: curta nossa página, compartilhe com seus amigos!
R$ 50
Agradecimento por escrito
10 benfeitores apoiando
Além de ver seu nome na nossa página do Facebook, você receberá por email uma carta, demonstrando toda a nossa gratidão!
R$ 100
Áudio de poema
33 benfeitores apoiando
Além das recompensas anteriores, você receberá por email um áudio de um poema recitado por crianças, em agradecimento por sua colaboração. Você irá se inspirar!
R$ 200
E-book de receitas sem glúten
18 benfeitores apoiando
Você receberá todas as recompensas anteriores, além de um e-book de receitas sem glúten, carinhosamente compiladas para você!
R$ 200
Recompensa relâmpago! R$200 ou mais
2 benfeitores apoiando
Estamos muito felizes e gratos por todo o carinho e apoio que nossa campanha vem recebendo :) Em retribuição, vamos oferecer uma recompensa relâmpago para ajudar você a cuidar da sua saúde! As primeiras 10 pessoas que fizerem doações de R$200,00 ou mais, ganharão uma avaliação da composição corporal através de bioimpedância e pregas cutâneas, com os nutricionistas Roberto Koity e Dayane Faria!

8 disponíveis.
R$ 300
E-book de receitas sem leite de vaca
12 benfeitores apoiando
Muito obrigada! Você receberá também um e-book de receitas sem leite de vaca para se deliciar!
R$ 500
Certificado de doador
12 benfeitores apoiando
Você receberá todas as recompensas anteriores e um certificado personalizado de doador na nossa campanha. Poderá imprimir e exibir para todo mundo!
R$ 1.000
Inscrição para curso
10 benfeitores apoiando
Tenha certeza de que a sua doação é uma grande ajuda para o nosso ambulatório! A nossa retribuição será uma inscrição em curso de atualização em temas de gastroenterologia pediátrica que será ministrado pelos docentes da disciplina, em 2019. Se você não é médico, te enviaremos um e-book com explicações e orientações sobre algumas das doenças gastrointestinais mais comuns em crianças. Obs: despesas com transporte, hospedagem e alimentação não estão incluídas!
R$ 2.000
Divulgação da sua empresa
5 benfeitores apoiando
Estamos muito gratos pelo seu apoio! Você tem direito a todas as recompensas já disponibilizadas e ainda divulgaremos a logomarca da sua empresa na nossa página do Facebook, como doadora oficial de nossa campanha.
R$ 5.000
Placa personalizada
1 benfeitor apoiando
Além de todas as recompensas anteriores, você receberá uma placa personalizada em homenagem ao seu comprometimento com a nossa campanha e o nosso ambulatório!
R$ 10.000
Nome na placa
Seja o primeiro a apoiar!
A sua doação está fazendo a diferença! Para demonstrar nossa gratidão, colocaremos seu nome em uma placa, para ficar exposta no nosso ambulatório!

 

Nossa campanha

Essa é uma Iniciativa independente de todos os médicos e professores do ambulatório de Gastroenterologia Pediátrica do Hospital São Paulo EPM/ Unifesp. Não visamos fins políticos, nem lucro pessoal. Buscamos arrecadar recursos para a compra de equipamentos que irão melhorar o atendimento no nosso ambulatório. 

Participam desse projeto os médicos Leticia Helena Caldas Lopes, Marcela Duarte de Sillos, Ana Cristina Fontenele Soares, Rodrigo Strehl Machado, Sílvio Ogata e os docentes Soraia Tahan, Ramiro Anthero Azevedo, Vera Lúcia Sdepanian e Mauro Batista de Morais

 

Quem somos?

O ambulatório de gastroenterologia pediátrica da Escola Paulista de Medicina realiza mais de 6000 atendimentos por ano. Quase a totalidade das crianças atendidas apresenta doenças graves. Chegam no nosso ambulatório, encaminhadas por Pediatras ou médicos de outros serviços de Gastroenterologia Pediátrica. As crianças doentes apresentam problemas do esôfago, estômago, intestino, fígado e pâncreas. Vêm de todo o Brasil em busca de diagnóstico e tratamento que proporcione alívio de seu sofrimento. Muitas crianças apresentam problemas que ocasionam desnutrição grave. 

Embora não falte a vontade de ajudar a todos, o ambulatório está enfrentando grandes dificuldades para a realização de exames diagnósticos, decorrentes da grave crise financeira que se observa no setor da saúde em nosso país. Além disso, equipamentos essenciais vão sofrendo o desgaste diário e acabam necessitando de reposição, como é o caso de balanças pediátricas, por exemplo.

Além do atendimento aos pacientes, o ambulatório tem um papel importante no ensino de alunos de Medicina, médicos residentes de Pediatria e Gastroenterologia Pediátrica, alunos de psicologia, nutricionistas em especialização, alunos de Mestrado e Doutorado. Todos matriculados em cursos da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. Apesar de todas as dificuldades, recebemos também para estágio médicos e alunos de outros hospitais e faculdades. 

Depois de formados, estes profissionais vão aplicar o aprendizado e vivências não somente em São Paulo como também em outras regiões do Brasil. 

Esses são os motivos pelos quais nos recusamos a nos “acostumar” com tudo o que falta para que possamos prestar um atendimento mais digno às crianças e aos adolescentes que nos procuram, além de um ensino de melhor qualidade aos novos profissionais que estamos formando.

Porque vontade, dedicação e amor nunca faltaram…

 

 

O que esperamos do futuro?

Sonhamos com uma realidade em que nossos pacientes possam ter acesso a todos os exames dos quais necessitam sem precisarem esperar em filas. Queremos utilizar todo o potencial do laboratório da nossa disciplina, que por falta de insumos, hoje vem operando de maneira limitada.

 

 

O que podemos melhorar hoje com essa campanha?

 

  • Voltar a pesar as crianças pequenas em balanças pediátricas e aumentar o número de balanças de adultos, para que as crianças maiores e os adolescentes possam ser pesados adequadamente e com privacidade.
  • Avaliar melhor a pressão arterial das crianças com aparelhos infantis
  • Voltar a realizar o teste de Sudam para pesquisa de gordura nas fezes, com a compra de um novo microscópio.
  • Continuar realizando manometrias esofágica e anorretal de forma adequada
  • Estender os exames endoscópicos aos bebês menores, com um endoscópio neonatal.
  • Criar uma brinquedoteca no ambulatório para que as crianças esperem pela consulta brincando.

 

Atualmente, estamos na meta 1. Para conseguirmos comprar todos os equipamentos, inclusive o endoscópio, precisamos alcançar a meta 3.

 

 A realização de um sonho começa no primeiro passo…

 

 Em uma época em que as especialidades pediátricas no Brasil estavam apenas começando e que a diarreia levava muitas crianças à desnutrição e à morte, o professor Ulysses Fagundes Neto procurou especializar-se em gastroenterologia pediátrica na Argentina. Logo após o seu retorno, uniu-se ao professor Jamal Wehba para criarem o setor de gastroenterologia pediátrica da Escola Paulista de Medicina, em 1974. Suas atividades, nessa época, abrangiam atendimento aos pacientes ambulatoriais e internados e ensino de alunos do 4º e 6º anos do curso médico e dos residentes. Além disso, dedicavam-se a pesquisas clínicas. Rapidamente, o setor começou a atrair especializandos de vários locais do Brasil e da América Latina, entre os quais, os professores Elizabeth Kawakami e Mauro Batista de Morais, provenientes da Escola Paulista de Medicina. Em 1985, oficialmente foi criada a disciplina de Gastroenterologia Pediátrica  e posteriormente, juntaram-se ao grupo os professores Vera Lúcia Sdepanian, Ramiro Anthero de Azevedo e, mais recentemente, a professora Soraia Tahan. Compartilhando os mesmos ideais de “produzir e difundir conhecimentos” que levaram os professores Ulysses e Jamal a criarem o setor em 1974, esse grupo alçou a disciplina ao patamar de qualidade que ela ocupa hoje.

Durante esses 44 anos de existência, a Gastroenterologia Pediátrica da EPM já formou mais de 200 gastroenterologistas, muitos dos quais ingressaram na vida acadêmica através da pós graduação, que também se estende a nutricionistas e psicólogos. Esses profissionais passaram a difundir por sua vez, o conhecimento adquirido aqui, em outras instituições, de vários estados do Brasil.

 

Aos nossos professores por tudo o que nos ensinaram, a nossa gratidão e carinho.

 

Nossos agradecimentos especiais

À Rita Trevisan, Pablo Assolini e toda a equipe do Cucas Conteúdo Inteligente, que criou nosso logo e fez a arte da campanha gratuitamente, somente porque compartilha os nossos ideais!

Às nutricionistas Fernanda Ferreira Corrêa, Marcela Barros Barbosa Ferreira e Marília Graziela Alves de Souza, que cederam e compilaram as receitas dos e-books que serão disponibilizados como recompensa.

Aos nutricionista Dayane Faria e Roberto Koity, nutricionistas com pós graduação em gastroenterologia pediátrica e pós graduação em nutrição esportiva, que muito gentilmente, ofereceram as bioimpedâncias, como recompensas na nossa campanha.

À copiadora Xaxim que fez nosso material impresso.

Ao Prof Dr José Roberto Ferraro, superintendente do Hospital São Paulo, que autoriza e apoia a campanha.

"O brilho do meu olhar não vem das lágrimas que derramei, vem de um mundo que nunca vi, mas sei que existe".

'

 

 

Nossa campanha

Essa é uma Iniciativa independente de todos os médicos e professores do ambulatório de Gastroenterologia Pediátrica do Hospital São Paulo EPM/ Unifesp. Não visamos fins políticos, nem lucro pessoal. Buscamos arrecadar recursos para a compra de equipamentos que irão melhorar o atendimento no nosso ambulatório. 

Participam desse projeto os médicos Leticia Helena Caldas Lopes, Marcela Duarte de Sillos, Ana Cristina Fontenele Soares, Rodrigo Strehl Machado, Sílvio Ogata e os docentes Soraia Tahan, Ramiro Anthero Azevedo, Vera Lúcia Sdepanian e Mauro Batista de Morais

 

Quem somos?

O ambulatório de gastroenterologia pediátrica da Escola Paulista de Medicina realiza mais de 6000 atendimentos por ano. Quase a totalidade das crianças atendidas apresenta doenças graves. Chegam no nosso ambulatório, encaminhadas por Pediatras ou médicos de outros serviços de Gastroenterologia Pediátrica. As crianças doentes apresentam problemas do esôfago, estômago, intestino, fígado e pâncreas. Vêm de todo o Brasil em busca de diagnóstico e tratamento que proporcione alívio de seu sofrimento. Muitas crianças apresentam problemas que ocasionam desnutrição grave. 

Embora não falte a vontade de ajudar a todos, o ambulatório está enfrentando grandes dificuldades para a realização de exames diagnósticos, decorrentes da grave crise financeira que se observa no setor da saúde em nosso país. Além disso, equipamentos essenciais vão sofrendo o desgaste diário e acabam necessitando de reposição, como é o caso de balanças pediátricas, por exemplo.

Além do atendimento aos pacientes, o ambulatório tem um papel importante no ensino de alunos de Medicina, médicos residentes de Pediatria e Gastroenterologia Pediátrica, alunos de psicologia, nutricionistas em especialização, alunos de Mestrado e Doutorado. Todos matriculados em cursos da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. Apesar de todas as dificuldades, recebemos também para estágio médicos e alunos de outros hospitais e faculdades. 

Depois de formados, estes profissionais vão aplicar o aprendizado e vivências não somente em São Paulo como também em outras regiões do Brasil. 

Esses são os motivos pelos quais nos recusamos a nos “acostumar” com tudo o que falta para que possamos prestar um atendimento mais digno às crianças e aos adolescentes que nos procuram, além de um ensino de melhor qualidade aos novos profissionais que estamos formando.

Porque vontade, dedicação e amor nunca faltaram…

 

 

O que esperamos do futuro?

Sonhamos com uma realidade em que nossos pacientes possam ter acesso a todos os exames dos quais necessitam sem precisarem esperar em filas. Queremos utilizar todo o potencial do laboratório da nossa disciplina, que por falta de insumos, hoje vem operando de maneira limitada.

 

 

O que podemos melhorar hoje com essa campanha?

 

  • Voltar a pesar as crianças pequenas em balanças pediátricas e aumentar o número de balanças de adultos, para que as crianças maiores e os adolescentes possam ser pesados adequadamente e com privacidade.
  • Avaliar melhor a pressão arterial das crianças com aparelhos infantis
  • Voltar a realizar o teste de Sudam para pesquisa de gordura nas fezes, com a compra de um novo microscópio.
  • Continuar realizando manometrias esofágica e anorretal de forma adequada
  • Estender os exames endoscópicos aos bebês menores, com um endoscópio neonatal.
  • Criar uma brinquedoteca no ambulatório para que as crianças esperem pela consulta brincando.

 

Atualmente, estamos na meta 1. Para conseguirmos comprar todos os equipamentos, inclusive o endoscópio, precisamos alcançar a meta 3.

 

 A realização de um sonho começa no primeiro passo…

 

 Em uma época em que as especialidades pediátricas no Brasil estavam apenas começando e que a diarreia levava muitas crianças à desnutrição e à morte, o professor Ulysses Fagundes Neto procurou especializar-se em gastroenterologia pediátrica na Argentina. Logo após o seu retorno, uniu-se ao professor Jamal Wehba para criarem o setor de gastroenterologia pediátrica da Escola Paulista de Medicina, em 1974. Suas atividades, nessa época, abrangiam atendimento aos pacientes ambulatoriais e internados e ensino de alunos do 4º e 6º anos do curso médico e dos residentes. Além disso, dedicavam-se a pesquisas clínicas. Rapidamente, o setor começou a atrair especializandos de vários locais do Brasil e da América Latina, entre os quais, os professores Elizabeth Kawakami e Mauro Batista de Morais, provenientes da Escola Paulista de Medicina. Em 1985, oficialmente foi criada a disciplina de Gastroenterologia Pediátrica  e posteriormente, juntaram-se ao grupo os professores Vera Lúcia Sdepanian, Ramiro Anthero de Azevedo e, mais recentemente, a professora Soraia Tahan. Compartilhando os mesmos ideais de “produzir e difundir conhecimentos” que levaram os professores Ulysses e Jamal a criarem o setor em 1974, esse grupo alçou a disciplina ao patamar de qualidade que ela ocupa hoje.

Durante esses 44 anos de existência, a Gastroenterologia Pediátrica da EPM já formou mais de 200 gastroenterologistas, muitos dos quais ingressaram na vida acadêmica através da pós graduação, que também se estende a nutricionistas e psicólogos. Esses profissionais passaram a difundir por sua vez, o conhecimento adquirido aqui, em outras instituições, de vários estados do Brasil.

 

Aos nossos professores por tudo o que nos ensinaram, a nossa gratidão e carinho.

 

Nossos agradecimentos especiais

À Rita Trevisan, Pablo Assolini e toda a equipe do Cucas Conteúdo Inteligente, que criou nosso logo e fez a arte da campanha gratuitamente, somente porque compartilha os nossos ideais!

Às nutricionistas Fernanda Ferreira Corrêa, Marcela Barros Barbosa Ferreira e Marília Graziela Alves de Souza, que cederam e compilaram as receitas dos e-books que serão disponibilizados como recompensa.

Aos nutricionista Dayane Faria e Roberto Koity, nutricionistas com pós graduação em gastroenterologia pediátrica e pós graduação em nutrição esportiva, que muito gentilmente, ofereceram as bioimpedâncias, como recompensas na nossa campanha.

À copiadora Xaxim que fez nosso material impresso.

Ao Prof Dr José Roberto Ferraro, superintendente do Hospital São Paulo, que autoriza e apoia a campanha.

"O brilho do meu olhar não vem das lágrimas que derramei, vem de um mundo que nunca vi, mas sei que existe".

'

 

Leticia Helena Caldas Lopes ainda não publicou nenhuma notícia.