Mau Lugar - Estreia e Temporada |

Mau Lugar - Estreia e Temporada

Estreia e temporada do espetáculo Mau Lugar, uma distopia à brasileira do Coletivo de Galochas

Projeto por: Rafael Presto
R$ 18.135,00
arrecadado
meta R$ 15.000,00

135 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Rafael Presto

Rafael Presto

Rafael Presto é dramaturgo, diretor, ator, percussionista, ilustrador e escritor. Formado em dramaturgia na Faculdade de Artes Cênicas da ECA – USP. Fundador do Coletivo de Galochas, do qual faz parte desde 2010. Membro do Coletivo DAR (Desentorpecendo a Razão). Coautor de livros didáticos de artes, com enfoque na linguagem teatral.

R$ 20
Paulo Castro
23 benfeitores apoiando
Ingresso Mau Lugar + Agradecimento Programa
R$ 30
Ana
40 benfeitores apoiando
2 Ingressos Mau Lugar + Agradecimento Programa
R$ 50
Vitória
45 benfeitores apoiando
2 Ingressos Mau Lugar + Agradecimento Programa + Livro "Coletivo de Galochas: Dramaturgia Completa"
R$ 100
Lúcia
23 benfeitores apoiando
2 Ingressos Mau Lugar + Agradecimento Programa + Livro + Camiseta
R$ 200
Tenente Lacerda
11 benfeitores apoiando
2 Ingressos Mau Lugar + Agradecimento Programa + Livro + Camiseta + Workshop Teatral
R$ 500
Doutor Moraes
8 benfeitores apoiando
2 Ingresso Mau Lugar + Agradecimento Programa + Livro + Camiseta + Workshop + Máscara Teatral Exclusiva
R$ 1.000
Divino
3 benfeitores apoiando
Todas as recompensas + Apresentação fechada do Mau Lugar

Apresentação do projeto:

Mau Lugar é um espetáculo inédito e em processo de criação do Coletivo de Galochas, grupo de teatro de São Paulo. A peça se passa em um universo distópico, retratando uma sociedade brasileira em um futuro alternativo, altamente controlado, militarizado e segregado. A exploração do trabalho atingiu níveis inimagináveis e a hipermedicalização culminou no consumo obrigatório do Remédio da Felicidade, droga do controle e da manutenção do poder. Apesar do suicídio ser criminalizado, cada vez mais jovens resolvem tirar a própria vida. Nesse contexto, Lúcia se vê envolta em problemas com sua filha.

Esta é uma campanha de financiamento coletivo para a estreia desse novo trabalho. Realizamos uma abertura de processo no final do ano passado e agora pedimos sua contribuição para realizar a primeira temporada do espetáculo Mau Lugar na sede do nosso grupo. Dessa forma, financiaremos o acabamento dos figurinos, cenários e adereços somado à manutenção do Espaço de Galochas.

Sobre a encenação da peça Mau Lugar:

O espetáculo surgiu diante de um cenário político de retrocessos, perseguições, derrotas. Vivemos nossa própria distopia. São tempos sombrios, marcados pela repressão cotidiana que nega a autonomia sobre nossos próprios corpos e por uma onda de intolerância arrasadora, que busca minar os debates e a produção artística. Não há mais lugar para o sonho de liberdade. Sobrou apenas uma amarga sensação de falta de perspectiva.

Esta é a matéria-prima da criação dessa nova peça: a falta de horizontes vivida por movimentos sociais, organizações de esquerda, grupos de teatro. Perdemos conquistas, espaços, militantes valiosos. Falamos de nós e de nossos companheiros. No texto dramatúrgico, os personagens se encontram inseridos em um espelho perverso de nossa sociedade. Buscamos uma distopia totalmente desprovida de sonhos, sem redenção, onde a própria vida foi moldada em doses compulsórias de satisfação e bem-estar.

E se o direito à melancolia nos foi negado, como compreender o suicídio? Seria um ato de desespero ou de desobediência? Uma forma de desistir da vida ou resistir à opressão? A rendição ou a própria recusa a ela? Frente a essas indagações, iniciamos nosso processo; atrás de respostas, sim, mas mais interessados em representar no palco nossas próprias dúvidas e angústias.

Para encenar esse drama, partimos de dois conceitos chave: a Degradação e o Grotesco. A realidade degradada do nosso universo distópico é o fio que amarra a estética do espetáculo, norteando a confecção do cenário, figurinos e adereços. A falta de perspectiva se reflete em toda a materialidade da peça, como um signo primitivo e catastrófico. Já a interpretação dramática, com incursões no melodrama, busca elementos do Grotesco para criar o estranhamento pretendido. 

Quem são os homens e mulheres da distopia? Cada ator e atriz carrega consigo seu duplo, um boneco confeccionado em tamanho real. No universo de Mau Lugar, é difícil distinguir entre o que está vivo e o que não está. Os duplos, que se confundem entre corpos e objetos, representam esse limiar perturbador. Dessa forma, cada boneco representa o papel dos corpos humanos em uma sociedade altamente controlada: matéria com aparência de vida, apenas.

Com essa campanha de financiamento coletivo, pretendemos finalizar a confecção do cenário, dos figurinos, adereços e bonecos. Contamos com a sua ajuda para estrear nosso novo espetáculo!

Sobre o Coletivo de Galochas

O Coletivo de Galochas é um grupo de teatro da cidade de São Paulo criado em 2010 para pesquisar formas de atuação político-poéticas. Nesses 8 anos de trajetória continuada, realizamos nosso teatro ao lado de movimentos, grupos parceiros, ocupações, quebradas e comunidades, fazendo da experiência do teatro um gesto de vida e luta. 

Realizamos 4 encenações diferentes, sendo 3 autorais: Piratas de Galochas, Revolução das Galochas e Cantos de Refúgio. Essas peças se desdobraram em inúmeras experiências teatrais, ocupando os mais diferentes espaços. Mau Lugar é o 4º espetáculo autoral do Coletivo de Galochas. Todas as dramaturgias do grupo podem ser conferidas no livro Coletivo de Galochas: Dramaturgia Completa.

A Campanha

Assim, está lançada a campanha de arrecadação pela plataforma Benfeitoria ! 

A meta mínima é de R$15.000. Essa quantia garantirá a estreia do espetáculo Mau Lugar, seguido de 1 (um) mês de temporada.

Com esse dinheiro vamos custear a produção e reforma dos figurinos, adereços e cenários da peça, além de garantir a manutenção do Espaço de Galochas e seu acervo técnico.

A meta expandida do projeto é de R$20.000. Com isso, a temporada de estreia da peça sobe para 2 (dois) meses, além de garantir uma festa de encerramento do projeto!

Por fim, caso o financiamento seja surpreendente, a última meta é de R$25.000. Com ela, além da temporada de 2 (dois) meses da peça Mau Lugar, faremos uma temporada extra de um dos nossos espetáculos de repertório, Piratas de Galochas, durante 1 (um) mês!

A campanha de financiamento coletivo não envolve pagamento de recursos humanos dos artistas envolvidos na construção do espetáculo. O dinheiro da colaboração financiará somente os elementos da peça e a manutenção do espaço do grupo.

As recompensas giram em torno das realizações do Coletivo de Galochas. Assim, podemos compartilhar um pouco da nossa história com nossas apoiadoras e apoiadores. São elas:
- ingressos para o espetáculo Mau Lugar;
- exemplar do livro Coletivo de Galochas: Dramaturgia Completa, um compilado com a dramaturgia das 4 peças escritas pelo grupo;
- camiseta do Coletivo de Galochas, com uma bela ilustração de Diego Henrique, a Cidade-Molotov;
- workshop sobre o teatro de ocupação, compartilhando um pouco das técnicas e caminhos de trabalho teatral que utilizamos;
- máscara de commedia dell'arte, feita exclusivamente para essa campanha por Daniel Lopes, mascareiro e ator.

Veja abaixo o modelo da camiseta que você pode ganhar:

 

Participe conosco dessa campanha! Seja uma apoiadora ou apoiador da estreia do espetáculo Mau Lugar. Você pode contribuir com qualquer um dos valores descritos ao lado, escolhendo a recompensa a partir do nome de um dos personagens da peça.

Desde já, nosso muito obrigado! Até a estreia!

 

FICHA TÉCNICA
=========
Direção: Daniel Lopes
Elenco: Diego Henrique, Kleber Palmeira, Mariana Queiroz, Rafael Presto, Roanne Aragão, Wendy Villalobos
Dramaturgia: Antonio Herci, Jéssica Paes, Rafael Presto
Direção Musical e Sonoplastia: Antonio Herci
Iluminação: Mariana Queiroz, Rafael Presto, Rodrigo Oliveira
Cenografia e Bonecos: Daniel Lopes, Diego Henrique, Kleber Palmeira
Figurino: Mariana Queiroz, Roanne Aragão
Músicos: Antonio Herci (piano e piano preparado), Rafael Presto (percussão)
Preparação Corporal: Gabriela Segato
Danças Urbanas: Andrezinho
Comunicação: Antonio Herci, Wendy Villalobos

 

 

Apresentação do projeto:

Mau Lugar é um espetáculo inédito e em processo de criação do Coletivo de Galochas, grupo de teatro de São Paulo. A peça se passa em um universo distópico, retratando uma sociedade brasileira em um futuro alternativo, altamente controlado, militarizado e segregado. A exploração do trabalho atingiu níveis inimagináveis e a hipermedicalização culminou no consumo obrigatório do Remédio da Felicidade, droga do controle e da manutenção do poder. Apesar do suicídio ser criminalizado, cada vez mais jovens resolvem tirar a própria vida. Nesse contexto, Lúcia se vê envolta em problemas com sua filha.

Esta é uma campanha de financiamento coletivo para a estreia desse novo trabalho. Realizamos uma abertura de processo no final do ano passado e agora pedimos sua contribuição para realizar a primeira temporada do espetáculo Mau Lugar na sede do nosso grupo. Dessa forma, financiaremos o acabamento dos figurinos, cenários e adereços somado à manutenção do Espaço de Galochas.

Sobre a encenação da peça Mau Lugar:

O espetáculo surgiu diante de um cenário político de retrocessos, perseguições, derrotas. Vivemos nossa própria distopia. São tempos sombrios, marcados pela repressão cotidiana que nega a autonomia sobre nossos próprios corpos e por uma onda de intolerância arrasadora, que busca minar os debates e a produção artística. Não há mais lugar para o sonho de liberdade. Sobrou apenas uma amarga sensação de falta de perspectiva.

Esta é a matéria-prima da criação dessa nova peça: a falta de horizontes vivida por movimentos sociais, organizações de esquerda, grupos de teatro. Perdemos conquistas, espaços, militantes valiosos. Falamos de nós e de nossos companheiros. No texto dramatúrgico, os personagens se encontram inseridos em um espelho perverso de nossa sociedade. Buscamos uma distopia totalmente desprovida de sonhos, sem redenção, onde a própria vida foi moldada em doses compulsórias de satisfação e bem-estar.

E se o direito à melancolia nos foi negado, como compreender o suicídio? Seria um ato de desespero ou de desobediência? Uma forma de desistir da vida ou resistir à opressão? A rendição ou a própria recusa a ela? Frente a essas indagações, iniciamos nosso processo; atrás de respostas, sim, mas mais interessados em representar no palco nossas próprias dúvidas e angústias.

Para encenar esse drama, partimos de dois conceitos chave: a Degradação e o Grotesco. A realidade degradada do nosso universo distópico é o fio que amarra a estética do espetáculo, norteando a confecção do cenário, figurinos e adereços. A falta de perspectiva se reflete em toda a materialidade da peça, como um signo primitivo e catastrófico. Já a interpretação dramática, com incursões no melodrama, busca elementos do Grotesco para criar o estranhamento pretendido. 

Quem são os homens e mulheres da distopia? Cada ator e atriz carrega consigo seu duplo, um boneco confeccionado em tamanho real. No universo de Mau Lugar, é difícil distinguir entre o que está vivo e o que não está. Os duplos, que se confundem entre corpos e objetos, representam esse limiar perturbador. Dessa forma, cada boneco representa o papel dos corpos humanos em uma sociedade altamente controlada: matéria com aparência de vida, apenas.

Com essa campanha de financiamento coletivo, pretendemos finalizar a confecção do cenário, dos figurinos, adereços e bonecos. Contamos com a sua ajuda para estrear nosso novo espetáculo!

Sobre o Coletivo de Galochas

O Coletivo de Galochas é um grupo de teatro da cidade de São Paulo criado em 2010 para pesquisar formas de atuação político-poéticas. Nesses 8 anos de trajetória continuada, realizamos nosso teatro ao lado de movimentos, grupos parceiros, ocupações, quebradas e comunidades, fazendo da experiência do teatro um gesto de vida e luta. 

Realizamos 4 encenações diferentes, sendo 3 autorais: Piratas de Galochas, Revolução das Galochas e Cantos de Refúgio. Essas peças se desdobraram em inúmeras experiências teatrais, ocupando os mais diferentes espaços. Mau Lugar é o 4º espetáculo autoral do Coletivo de Galochas. Todas as dramaturgias do grupo podem ser conferidas no livro Coletivo de Galochas: Dramaturgia Completa.

A Campanha

Assim, está lançada a campanha de arrecadação pela plataforma Benfeitoria ! 

A meta mínima é de R$15.000. Essa quantia garantirá a estreia do espetáculo Mau Lugar, seguido de 1 (um) mês de temporada.

Com esse dinheiro vamos custear a produção e reforma dos figurinos, adereços e cenários da peça, além de garantir a manutenção do Espaço de Galochas e seu acervo técnico.

A meta expandida do projeto é de R$20.000. Com isso, a temporada de estreia da peça sobe para 2 (dois) meses, além de garantir uma festa de encerramento do projeto!

Por fim, caso o financiamento seja surpreendente, a última meta é de R$25.000. Com ela, além da temporada de 2 (dois) meses da peça Mau Lugar, faremos uma temporada extra de um dos nossos espetáculos de repertório, Piratas de Galochas, durante 1 (um) mês!

A campanha de financiamento coletivo não envolve pagamento de recursos humanos dos artistas envolvidos na construção do espetáculo. O dinheiro da colaboração financiará somente os elementos da peça e a manutenção do espaço do grupo.

As recompensas giram em torno das realizações do Coletivo de Galochas. Assim, podemos compartilhar um pouco da nossa história com nossas apoiadoras e apoiadores. São elas:
- ingressos para o espetáculo Mau Lugar;
- exemplar do livro Coletivo de Galochas: Dramaturgia Completa, um compilado com a dramaturgia das 4 peças escritas pelo grupo;
- camiseta do Coletivo de Galochas, com uma bela ilustração de Diego Henrique, a Cidade-Molotov;
- workshop sobre o teatro de ocupação, compartilhando um pouco das técnicas e caminhos de trabalho teatral que utilizamos;
- máscara de commedia dell'arte, feita exclusivamente para essa campanha por Daniel Lopes, mascareiro e ator.

Veja abaixo o modelo da camiseta que você pode ganhar:

 

Participe conosco dessa campanha! Seja uma apoiadora ou apoiador da estreia do espetáculo Mau Lugar. Você pode contribuir com qualquer um dos valores descritos ao lado, escolhendo a recompensa a partir do nome de um dos personagens da peça.

Desde já, nosso muito obrigado! Até a estreia!

 

FICHA TÉCNICA
=========
Direção: Daniel Lopes
Elenco: Diego Henrique, Kleber Palmeira, Mariana Queiroz, Rafael Presto, Roanne Aragão, Wendy Villalobos
Dramaturgia: Antonio Herci, Jéssica Paes, Rafael Presto
Direção Musical e Sonoplastia: Antonio Herci
Iluminação: Mariana Queiroz, Rafael Presto, Rodrigo Oliveira
Cenografia e Bonecos: Daniel Lopes, Diego Henrique, Kleber Palmeira
Figurino: Mariana Queiroz, Roanne Aragão
Músicos: Antonio Herci (piano e piano preparado), Rafael Presto (percussão)
Preparação Corporal: Gabriela Segato
Danças Urbanas: Andrezinho
Comunicação: Antonio Herci, Wendy Villalobos

 

 

Rafael Presto ainda não publicou nenhuma notícia.