Trilogia VEREDAS DO AGORA |

Trilogia VEREDAS DO AGORA

DESTINOS, VITRINES e MVI serão três documentários produzidos pelo Coletivo Olhares sobre o invisível e o indizível na contemporaneidade.

Projeto por: Coletivo Olhares
R$ 5.300,00
arrecadado
meta R$ 5.000,00

50 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Coletivo Olhares

Coletivo Olhares

Diretor e Produtor audiovisual

R$ 20
4 benfeitores apoiando
Agradecimento nos créditos e cartão virtual personalizado
R$ 50
14 benfeitores apoiando
Anteriores + link com acesso exclusivo e em primeira mão à Trilogia Veredas do Agora
R$ 80
3 benfeitores apoiando
Recompensas anteriores + DVD com a Trilogia Veredas do Agora
R$ 100
17 benfeitores apoiando
Recompensas anteriores + Imã do Coletivo Olhares
R$ 150
3 benfeitores apoiando
Recompensas anteriores + CD com fotos Você ganhará um exclusivo CD com fotos tiradas nos sets de filmagem dos nossos novos filmes.
R$ 200
3 benfeitores apoiando
Recompensas anteriores + bloquinho do Coletivo Olhares
R$ 250
1 benfeitor apoiando
Recompensas anteriores + Caneca do Coletivo Olhares

19 disponíveis.
R$ 600
Seja o primeiro a apoiar!
Logotipo da sua empresa no material de divulgação, DVD, imã, CD com fotos Muito obrigado! Torne-se um patrocinador dos nossos filmes com o logotipo da sua empresa nos créditos das obras.

Em 2018, o Coletivo Olhares se lança na produção da trilogia VEREDAS DO AGORA, com três curtas-metragens: DESTINOS,  VITRINES e MVI.

DESTINOS aborda o que a gente sente, mas não vê: a saudade, as imprecisões e as dúvidas nos rumos da vida de cada pessoa entrevistada durante uma noite na rodoviária. VITRINES trata do que a gente vê, mas não pode ter: os corredores repletos de objetos de consumo. MVI reflete para onde vão os registros das nossas memórias e vivências: um filme experimental feito com imagens de arquivo pessoais encontradas no Youtube. Três documentários que abordam temas sociais aparentemente invisíveis, recorrentemente indizíveis. Três documentários que abordam temas sociais aparentemente invisíveis, recorrentemente indizíveis.

DESTINOS é um documentário sobre vidas em trânsito. Na rodoviária, as histórias de diferentes vidas se encontram, os destinos se cruzam e nos azem pensar sobre chegadas e partidas. Durante sessões de 12 horas de filmagem, o Coletivo Olhares entrevistará quem aguarda o momento de embarcar, quem espera familiares ou amigos e quem trabalha nas empresas de ônibus. Os relatos de vidas em trânsito e os desafios dos deslocamentos se cruzam em meio à dura poesia concreta dos terminais, onde ônibus chegam e partem com gente disposta a enfrentar as estradas de um país continental.

VITRINES é um documentário-ensaio sobre as formas contemporâneas de consumo. Morar confortavelmente, comer bem e se vestir elegantemente são mandamentos para quem precisa se ajustar aos padrões do bom consumidor. A despeito da ampla difusão das formas de consumo, nem todos podem alcançar os valiosos produtos. A partir do método observacional, aliado ao depoimento de uma trabalhadora do caixa de uma loja de luxo, o circuito de consumo será interpretado através da experiência cotidiana de quem assiste aos movimentos de compra e venda pelas ruas e vitrines. As lentes do documentário vão desnaturalizar os signos comuns do consumo de luxo no espaço da rua Oscar Freire.

MVI é um filme de montagem de imagens de arquivo pessoais encontradas no Youtube. Em uma era em que todos podem filmar, infinitas imagens são produzidas e disseminadas a cada minuto. A busca pelo prefixo "MVI" no Youtube permite encontrar arquivos brutos de câmeras e celulares, de pessoas em diferentes lugares do mundo. O que registram? Como filmam? Quem assiste? Uma exploração visual sobre memórias perdidas na nuvem.

COLETIVO OLHARES

O Coletivo Olhares, formado por João Pedro Diaz, Luã Leal, Mariana Martinelli e Sérgio Faria, é um grupo dedicado à produção audiovisual independente e autoral. Desde 2012, o quarteto cria documentários que promovem diálogos entre perspectivas estéticas e sociológicas.

Começamos nosso Coletivo ainda na faculdade de Ciência Sociais. “Olhares/Africanidades” foi um filme realizado como parte da disciplina de História da África, explorando a perspectiva que os brasileiros têm sobre a África. Depois de uma carreira bem sucedida em festivais nacionais, fomos convidados a exibir o filme na VI Bienal de Jovens Criadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em 2013. Nesse ambiente tão intenso e vibrante, com artistas das mais diversas áreas e origens, falando a mesma língua, teve origem o nosso segundo curta documentário: "Tanto Mar”. Com a profissionalização do Coletivo, realizamos em parceria com a produtora Do Rio Filmes o curta "Meio-Fio", um ensaio documental sobre artistas de rua, exibido em festivais nacionais e internacionais. "Bastidores", fruto de uma campanha de financiamento coletivo bem sucedida pela Benfeitoria, trouxe ao público um cinema de encontros nos bastidores do universo teatral.

Precisamos agora da sua ajuda para concretizar os nossos novos projetos: DESTINOS, VITRINES e MVI.

FILMOGRAFIA

OLHARES/AFRICANIDADES (2012): selecionado para o Festival de Cinema de Petrópolis, 2012, programação oficial da VI Bienal de Jovens Criadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em Salvador/BA (2013), II Vercine - Festival de Cinema da Baixada Fluminense (2014).

TANTO MAR (2015): selecionado para o III Vercine - Festival de Cinema da Baixada Fluminense (2015), sessão de vídeos do 17º Congresso da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) (2015), Mostra Jovens.mov, exibição no Centro Cultural da Justiça Federal (2016).

MEIO-FIO (2016): selecionado para o 40º Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (2016), Mostra Jovens.mov (2016), exibição no RTV-DOC da RTV-Unicamp, 1º Festival de Cinema de Lajeado (2017), Short of the Year Online Audience Award (2017), 18º Congresso da Sociedade Brasileira de Sociologia (2017), GeoFilm Festival, em CIttadella, Pádua, na Itália (2017-2018).

BASTIDORES (2017): estreia no Cinema Estação Net Rio e na Casa do Lago Unicamp. 

 

O que é Financiamento Coletivo?

O Financiamento Coletivo é uma nova forma de colaborar com os projetos nos quais você acredita. Cada pessoa colabora com a doação que for melhor para o seu bolso e aguarda o resultado da campanha para ver os curtas saírem do papel. Caso o projeto não alcance a meta no prazo estabelecido, o dinheiro será devolvido integralmente.

A arrecadação dos nossos filmes será feita totalmente por Financiamento Coletivo na plataforma Benfeitoria. Escolhemos Benfeitoria porque é um portal confiável, bem estruturado e que não cobra comissão sobre o valor arrecadado dos projetos. Quem colaborar, poderá escolher se, além da doação para o filme, deseja contribuir para que o site continue abrigando projetos de financiamento coletivo. Confira as recompensas que separamos para cada faixa de de colaboração.

Toda campanha de Financiamento Coletivo depende das pessoas interessadas nos projetos. Contribua e nos ajude a promover a campanha para os próximos curtas da TRILOGIA VEREDAS DO AGORA.

Em 2018, o Coletivo Olhares se lança na produção da trilogia VEREDAS DO AGORA, com três curtas-metragens: DESTINOS,  VITRINES e MVI.

DESTINOS aborda o que a gente sente, mas não vê: a saudade, as imprecisões e as dúvidas nos rumos da vida de cada pessoa entrevistada durante uma noite na rodoviária. VITRINES trata do que a gente vê, mas não pode ter: os corredores repletos de objetos de consumo. MVI reflete para onde vão os registros das nossas memórias e vivências: um filme experimental feito com imagens de arquivo pessoais encontradas no Youtube. Três documentários que abordam temas sociais aparentemente invisíveis, recorrentemente indizíveis. Três documentários que abordam temas sociais aparentemente invisíveis, recorrentemente indizíveis.

DESTINOS é um documentário sobre vidas em trânsito. Na rodoviária, as histórias de diferentes vidas se encontram, os destinos se cruzam e nos azem pensar sobre chegadas e partidas. Durante sessões de 12 horas de filmagem, o Coletivo Olhares entrevistará quem aguarda o momento de embarcar, quem espera familiares ou amigos e quem trabalha nas empresas de ônibus. Os relatos de vidas em trânsito e os desafios dos deslocamentos se cruzam em meio à dura poesia concreta dos terminais, onde ônibus chegam e partem com gente disposta a enfrentar as estradas de um país continental.

VITRINES é um documentário-ensaio sobre as formas contemporâneas de consumo. Morar confortavelmente, comer bem e se vestir elegantemente são mandamentos para quem precisa se ajustar aos padrões do bom consumidor. A despeito da ampla difusão das formas de consumo, nem todos podem alcançar os valiosos produtos. A partir do método observacional, aliado ao depoimento de uma trabalhadora do caixa de uma loja de luxo, o circuito de consumo será interpretado através da experiência cotidiana de quem assiste aos movimentos de compra e venda pelas ruas e vitrines. As lentes do documentário vão desnaturalizar os signos comuns do consumo de luxo no espaço da rua Oscar Freire.

MVI é um filme de montagem de imagens de arquivo pessoais encontradas no Youtube. Em uma era em que todos podem filmar, infinitas imagens são produzidas e disseminadas a cada minuto. A busca pelo prefixo "MVI" no Youtube permite encontrar arquivos brutos de câmeras e celulares, de pessoas em diferentes lugares do mundo. O que registram? Como filmam? Quem assiste? Uma exploração visual sobre memórias perdidas na nuvem.

COLETIVO OLHARES

O Coletivo Olhares, formado por João Pedro Diaz, Luã Leal, Mariana Martinelli e Sérgio Faria, é um grupo dedicado à produção audiovisual independente e autoral. Desde 2012, o quarteto cria documentários que promovem diálogos entre perspectivas estéticas e sociológicas.

Começamos nosso Coletivo ainda na faculdade de Ciência Sociais. “Olhares/Africanidades” foi um filme realizado como parte da disciplina de História da África, explorando a perspectiva que os brasileiros têm sobre a África. Depois de uma carreira bem sucedida em festivais nacionais, fomos convidados a exibir o filme na VI Bienal de Jovens Criadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em 2013. Nesse ambiente tão intenso e vibrante, com artistas das mais diversas áreas e origens, falando a mesma língua, teve origem o nosso segundo curta documentário: "Tanto Mar”. Com a profissionalização do Coletivo, realizamos em parceria com a produtora Do Rio Filmes o curta "Meio-Fio", um ensaio documental sobre artistas de rua, exibido em festivais nacionais e internacionais. "Bastidores", fruto de uma campanha de financiamento coletivo bem sucedida pela Benfeitoria, trouxe ao público um cinema de encontros nos bastidores do universo teatral.

Precisamos agora da sua ajuda para concretizar os nossos novos projetos: DESTINOS, VITRINES e MVI.

FILMOGRAFIA

OLHARES/AFRICANIDADES (2012): selecionado para o Festival de Cinema de Petrópolis, 2012, programação oficial da VI Bienal de Jovens Criadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em Salvador/BA (2013), II Vercine - Festival de Cinema da Baixada Fluminense (2014).

TANTO MAR (2015): selecionado para o III Vercine - Festival de Cinema da Baixada Fluminense (2015), sessão de vídeos do 17º Congresso da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) (2015), Mostra Jovens.mov, exibição no Centro Cultural da Justiça Federal (2016).

MEIO-FIO (2016): selecionado para o 40º Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (2016), Mostra Jovens.mov (2016), exibição no RTV-DOC da RTV-Unicamp, 1º Festival de Cinema de Lajeado (2017), Short of the Year Online Audience Award (2017), 18º Congresso da Sociedade Brasileira de Sociologia (2017), GeoFilm Festival, em CIttadella, Pádua, na Itália (2017-2018).

BASTIDORES (2017): estreia no Cinema Estação Net Rio e na Casa do Lago Unicamp. 

 

O que é Financiamento Coletivo?

O Financiamento Coletivo é uma nova forma de colaborar com os projetos nos quais você acredita. Cada pessoa colabora com a doação que for melhor para o seu bolso e aguarda o resultado da campanha para ver os curtas saírem do papel. Caso o projeto não alcance a meta no prazo estabelecido, o dinheiro será devolvido integralmente.

A arrecadação dos nossos filmes será feita totalmente por Financiamento Coletivo na plataforma Benfeitoria. Escolhemos Benfeitoria porque é um portal confiável, bem estruturado e que não cobra comissão sobre o valor arrecadado dos projetos. Quem colaborar, poderá escolher se, além da doação para o filme, deseja contribuir para que o site continue abrigando projetos de financiamento coletivo. Confira as recompensas que separamos para cada faixa de de colaboração.

Toda campanha de Financiamento Coletivo depende das pessoas interessadas nos projetos. Contribua e nos ajude a promover a campanha para os próximos curtas da TRILOGIA VEREDAS DO AGORA.

Coletivo Olhares ainda não publicou nenhuma notícia.