PAESPE: Programa de Apoio aos Estudantes |

PAESPE: Programa de Apoio aos Estudantes

Promovemos a transformação e ascensão socioeconômica de jovens em vulnerabilidade, oriundos da rede pública de ensino.

Projeto por: Paespe
R$ 37.243,00
arrecadado
meta R$ 11.400,00

191 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Paespe

Paespe
R$ 10
21 benfeitores apoiando
R$ 20
A transformação começa comigo!
35 benfeitores apoiando
Você receberá um e-mail de agradecimento.
R$ 100
Juntos vamos longe!
75 benfeitores apoiando
Você receberá um agradecimento em nossas redes sociais.
R$ 500
Eu compro essa causa!
11 benfeitores apoiando
Você receberá um agradecimento em nossas redes sociais + cartinha de um dos beneficiados.
R$ 1.000
Eu quero fazer acontecer!
3 benfeitores apoiando
Você receberá os benefícios anteriores e terá a oportunidade de nos visitar para ver as atividades acontecendo.

O PAESPE é uma iniciativa social iniciada em 1993 que visa atender às necessidades da comunidade socialmente vulnerável, especificamente estudantes de escolas públicas. A iniciativa promove mobilidade social através de cursos preparatórios ao exame universitário, atualmente em formato piloto no estado de Alagoas. Uma análise da Yunus Negócios Sociais identificou que a cada R$ 1,00 investido em um estudante do PAESPE são gerados R$ 12,00 de valor social e econômico, com impactos diretos na vida de estudantes, e indiretos na comunidade a sua volta ao testemunhar o poder transformador da educação. Hoje, 698 jovens já passaram pelo programa, que mantém um índice de aprovação de 57% na universidade federal de Alagoas imediatamente após a participação no programa. Através do Benfeitoria, buscamos recursos para consolidar nossas ações e exponencializar nosso impacto!

Geramos impacto social positivo em comunidades periféricas que carecem da educação de qualidade, dando-lhes a oportunidade de transformação e ascensão socioeconômica.

O PAESPE entende que a educação é um fator imprescindível para uma mudança positiva na sociedade. Levantamentos estatísticos mostram que pessoas com uma educação de qualidade estão no mercado em melhores condições de trabalho e possuem maior salário.

O resultado obtido pelo PAESPE mostra uma oportunidade de desenvolver o trabalho dentro de Universidades públicas com professores voluntários, com a intenção de testar esse piloto e eventualmente expandi-lo.

Mudar essa realidade é um trabalho colaborativo, no qual várias pessoas se unem com seus talentos em prol de um objetivo comum: dar as mesmas oportunidades de vida a todos os jovens.

O PAESPE foi certificado pela Fundação do Banco do Brasil (FBB) como uma Tecnologia Social. Essa certificação é reflexo da alta capacidade técnica dos professores participantes do projeto, que desenvolvem um trabalho humanizado em um contexto condizente com a realidade dos participantes. Considera-se tecnologia social todo o produto, método, processo ou técnica criado para solucionar algum tipo de problema social, atendendo quesitos de simplicidade, baixo custo, fácil aplicabilidade (e reaplicabilidade) e impacto social comprovado. 

Somos um grupo de professores voluntários, composto por discentes e docentes da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), e buscamos ser referência regional em educação e transformação social de alunos oriundos de escolas públicas, oferecendo aulas inovadoras que promovam o ingresso de jovens em universidades, concursos e mercado de trabalho.

Contamos com a participação de 29 professores do ensino superior e 5 profissionais externos à Universidade. Também colaboram os alunos de graduação, participantes dos Programas de Educação Tutorial (PET Arquitetura, Ciência e Tecnologia, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Civil, Letras e Psicologia) e alunos do Programa de Iniciação à Docência (Pibid) do Instituto de Ciências Biológicas. Além disso, contamos com o apoio das Empresas Juniores do Centro de Tecnologia (Ejec e Proteq).

Nossos voluntários são engajados, apaixonados pelo que fazem. A maior parte deles fez parte do cenário da educação pública de Alagoas. Nós nos identificamos com a realidade desses alunos e por isso queremos o seu apoio para fortalecimento das nossas ações.

O PAESPE promove a mobilidade social através da educação. Desde sua idealização em 1993, o Programa foca na inserção de estudantes de escola pública através de aulas preparatórias para o ENEM e reforço escolar. Em 2012, também passou a promover atividades de inclusão digital para jovens e adultos.

As aulas de reforço e preparatórias para o ENEM complementam as atividades desenvolvidas nas escolas e ocorrem diariamente (de segunda a sábado) nos três turnos para atendimento dos alunos em horário complementar ao da escola. Buscamos suprir a carência do ensino público (ausência de professores e infraestrutura propícia ao aprendizado).

O curso de informática é oferecido ao longo do primeiro trimestre do ano letivo do Programa. Também participam desta atividade os adultos, que são pais e/ou responsáveis pelos jovens do ensino médio que fazem parte do Programa.

Além disso, realizamos atividades complementares (palestras, visitas técnicas e tutorias), que ocorrem ao longo do ano letivo do Programa.

As aulas, palestras e tutorias são realizadas dentro da Universidade para dar a estes jovens a oportunidade de vivenciar o ambiente acadêmico e deste modo estimulá-los ao ingresso no ensino superior. Já as visitas técnicas acontecem em laboratórios da Universidade e ambientes externos (Aeroporto, Porto, Parque Municipal, entre outros).

Nossas aulas são expositivas (teóricas e práticas), com uso de modernos recursos audiovisuais.

A inserção de jovens em cursos de graduação da Universidade Federal é o principal objetivo do PAESPE. Cerca de 60% dos participantes do PAESPE conseguem ingressar em Instituições de Ensino Superior imediatamente após participação no Programa. O projeto já beneficiou cerca de 698 alunos, dos quais mais de 397 ingressaram em Instituições de Ensino Superior (IES).

No entanto, outros impactos são gerados no indivíduo e na comunidade da qual ele faz parte. Alguns alunos, inclusive, hoje atuam como professores universitários. Muitos outros são funcionários públicos, empresários, entre outras profissões que ocupam destaque no mercado de trabalho.

Uma pessoa com o diploma universitário no Brasil ganha em média 2,5 vezes mais do que alguém com ensino médio. (Fonte: Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, 2018). O diploma do ensino superior não se reflete apenas na ascensão socioeconômica do indivíduo, mas também no impacto social gerado, pois as pessoas que fazem parte de sua rede de relacionamento entenderão o poder transformador da educação.

Anualmente realizamos ações com cerca de 200 jovens e 160 adultos (pais e/ou responsáveis dos alunos), com atividades realizadas de segunda a sábado. Para isso, o investimento anual do Programa é de R$ 508.702,00, que inclui despesas básicas como energia, água, internet, recursos humanos, material de consumo (papel, caneta, pincel, apagador, etc.), material didático e lanche para os alunos.

O forte impacto do PAESPE, enquanto tecnologia social, foi estimado pelo programa Yunus Negócios Sociais através do Retorno Social do Investimento (Social Return on Investment, ou SROI). A cada R$ 1,00 investido em um estudante do PAESPE são gerados R$ 12,00 de valor social. Esse valor leva em consideração indicadores como aprovação nas IES, conclusão do curso de graduação e empregabilidade fazendo uso do diploma do ensino superior.

Com esta campanha de financiamento coletivo, pretendemos atender algumas das demandas do PAESPE. A escassez de editais que apoiam iniciativas como a nossa dificulta a continuidade e expansão do Programa. Com base em nossa experiência de 17 anos à frente do PAESPE, delineamos três metas que acreditamos imprescindíveis para a continuidade e expansão do Programa. Conjuntas, elas buscam valorizar a participação de voluntários e beneficiários, e motivá-los a continuar engajados com nosso Programa.

Meta 1 - Uniformes para os participantes

R$ 11.400,00

Nessa meta é tudo ou nada! Se não atingirmos a meta 1, todo o valor arrecadado na campanha será devolvido aos doadores.

A coordenação do PAESPE há anos identificou a necessidade de valorizar o envolvimento de funcionários e estudantes do Programa. Ao definir essa a Meta 1, nós buscamos tangibilizar a identidade e envolvimento com a iniciativa social, o que traz diferentes impactos para os envolvidos, como por exemplo:

- Para os beneficiados, o uniforme traz a sensação de pertencimento que valoriza cada indivíduo, as logomarcas do PAESPE e da Universidade, elevam a autoestima dos alunos e os motiva a dedicar-se mais ao aprendizado durante as atividades.

- Para os professores voluntários, a expressão “vestir a camisa” encontra seu sentido literal, pois é exatamente isso o que acontece. Ao usarem uniformes, os professores voluntários se sentem muito mais envolvidos com o PAESPE. Eles passam a se sentir muito mais integrados ao local e aos beneficiados.

- Para o PAESPE o uniforme é uma ótima ferramenta de marketing, pois levará consigo a nossa identidade visual. É uma forma de nossa marca ser lembrada sempre que as pessoas avistarem nossos beneficiados e colaboradores, seja dentro do ambiente escolar ou em qualquer outro lugar da cidade. O que nos ajudará a atrair mais parceiros e indivíduos interessados em nossas ações.

Abaixo apresentamos o orçamento que substancia a Meta 1.

Meta 2 - Aquisição de equipamentos

R$ 34.853,45

Esta meta tem como objetivo um melhor atendimento dos beneficiados através das ações de inclusão digital. Além disso, queremos também realizar a melhoria das nossas aulas de reforço escolar e preparatória para o ENEM, oferecendo um espaço mais confortável e com recursos tecnológicos.

As universidades federais brasileiras têm sofrido com a redução de verbas para investimentos. Os repasses efetuados pelo Ministério da Educação (MEC) reduzem a cada ano, em contraponto à política de expansão do ensino superior, iniciado em 2008. Na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) a situação não tem sido diferente. Entre 2017 e 2018 houve uma redução de 45% para os recursos destinados à equipamentos e materiais permanentes. De acordo com a assessoria de comunicação da universidade, a Ufal tem percebido a estagnação nas liberações dos recursos para custeio, que segundo a instituição, em decorrência da inflação e da elevação dos gastos, já não cobrem as elevações de tarifas e as repactuações contratuais. O aumento do número de alunos e da mudança do perfil do alunado das universidades federais, que para as instituições necessitam de assistência estudantil na forma de bolsas, restaurante universitário, residência universitária, dentre outros benefícios sociais, também influenciam no custeio. (Fonte: https://gazetaweb.globo.com/).

Por este motivo, precisamos de apoio para fomentar as atividades de inclusão digital e fortalecer as demais atividades realizadas.

- Serão adquiridos 5 (cinco) computadores e 5 (cinco) no-breaks de 2200 va. Os equipamentos serão utilizados no curso de informática básica e ficará em nossa sala de estudos à disposição dos beneficiados para uso em pesquisas escolares. A Universidade tem sofrido com constantes quedas de energia, o que justifica a necessidade de aquisição de no-breaks.

- Investiremos também na aquisição de uma TV de 65" que será utilizada para a projeção/exibição do material das aulas e palestras. 

- Também faz parte do nosso planejamento, a compra de 2 aparelhos de ar-condicionado de 48000 BTUs. Os aparelhos serão instalados em nossa sala de aula, local onde realizamos maior parte das atividades. Em Maceió/AL, o verão é longo, quente e de céu parcialmente encoberto. Em 2019 a Capital alagoana teve registro de temperatura em 36,3 °C e sensação térmica ultrapassando os 40 °C (Fonte: https://gazetaweb.globo.com/). Por este motivo, os aparelhos contribuem para um ambiente mais propício ao aprendizado.

Abaixo apresentamos o orçamento que substancia a Meta 2.

Meta 3 - Material didático: laboratórios portáteis e livros

R$ 39.195,00

Com esta meta pretendemos ampliar o nosso acervo bibliográfico, didático (contemplando as disciplinas avaliadas pelo ENEM) e paradidático (contemplando a literatura brasileira e estrangeira). No prédio do PAESPE temos uma biblioteca exclusiva para o atendimento dos estudantes do ensino médio, assim como uma sala de leitura/estudos.

Também iremos adquirir laboratórios portáveis para oferecer aos beneficiados aulas práticas. A aula prática constitui um importante recurso metodológico facilitador do processo de ensino-aprendizagem, ela é igualmente necessária para o ensino pleno dos estudantes. É por meio dela que os professores poderão desenvolver as habilidades da turma e instigar-lhes ainda mais. Dessa forma deixá-los colocar a mão na massa e mostrar as implicações reais que cada conteúdo adquirido possui. Dessa maneira, os alunos terão acesso a uma educação muito mais completa, envolvente, marcante e duradoura.

Iremos investir em 4 laboratórios portáveis: 1) Biologia (Esqueleto 45 cm + Torso Humano De 28 cm, 14 Partes + Microscópio Monocular). 2) Química (experimentos de concentração de misturas; Ligações moleculares; Separação de misturas; Estequiometria; Concentração das soluções - concentração molar; Lei de Proust ; Lei de Dalton), Concentração normal; Lei de Lavoisier. 3) Física (experimentos de fluidos e termologia; Eletricidade, eletromagnetismo e eletrostática; Mecânica; Óptica). 4) Matemática (Sólidos geométricos em acrílico, 20 peças).

Abaixo apresentamos o orçamento que substancia a Meta 3.
 
COLABORAÇÕES EXTERNAS

R$15.523,00

40 colaboradores

A campanha captou os valores acima através da ação de arrecadação via cupons da GNT. Quer saber mais? Conheça a ação aqui

Paespe ainda não publicou nenhuma notícia.

O PAESPE é uma iniciativa social iniciada em 1993 que visa atender às necessidades da comunidade socialmente vulnerável, especificamente estudantes de escolas públicas. A iniciativa promove mobilidade social através de cursos preparatórios ao exame universitário, atualmente em formato piloto no estado de Alagoas. Uma análise da Yunus Negócios Sociais identificou que a cada R$ 1,00 investido em um estudante do PAESPE são gerados R$ 12,00 de valor social e econômico, com impactos diretos na vida de estudantes, e indiretos na comunidade a sua volta ao testemunhar o poder transformador da educação. Hoje, 698 jovens já passaram pelo programa, que mantém um índice de aprovação de 57% na universidade federal de Alagoas imediatamente após a participação no programa. Através do Benfeitoria, buscamos recursos para consolidar nossas ações e exponencializar nosso impacto!

Geramos impacto social positivo em comunidades periféricas que carecem da educação de qualidade, dando-lhes a oportunidade de transformação e ascensão socioeconômica.

O PAESPE entende que a educação é um fator imprescindível para uma mudança positiva na sociedade. Levantamentos estatísticos mostram que pessoas com uma educação de qualidade estão no mercado em melhores condições de trabalho e possuem maior salário.

O resultado obtido pelo PAESPE mostra uma oportunidade de desenvolver o trabalho dentro de Universidades públicas com professores voluntários, com a intenção de testar esse piloto e eventualmente expandi-lo.

Mudar essa realidade é um trabalho colaborativo, no qual várias pessoas se unem com seus talentos em prol de um objetivo comum: dar as mesmas oportunidades de vida a todos os jovens.

O PAESPE foi certificado pela Fundação do Banco do Brasil (FBB) como uma Tecnologia Social. Essa certificação é reflexo da alta capacidade técnica dos professores participantes do projeto, que desenvolvem um trabalho humanizado em um contexto condizente com a realidade dos participantes. Considera-se tecnologia social todo o produto, método, processo ou técnica criado para solucionar algum tipo de problema social, atendendo quesitos de simplicidade, baixo custo, fácil aplicabilidade (e reaplicabilidade) e impacto social comprovado. 

Somos um grupo de professores voluntários, composto por discentes e docentes da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), e buscamos ser referência regional em educação e transformação social de alunos oriundos de escolas públicas, oferecendo aulas inovadoras que promovam o ingresso de jovens em universidades, concursos e mercado de trabalho.

Contamos com a participação de 29 professores do ensino superior e 5 profissionais externos à Universidade. Também colaboram os alunos de graduação, participantes dos Programas de Educação Tutorial (PET Arquitetura, Ciência e Tecnologia, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Civil, Letras e Psicologia) e alunos do Programa de Iniciação à Docência (Pibid) do Instituto de Ciências Biológicas. Além disso, contamos com o apoio das Empresas Juniores do Centro de Tecnologia (Ejec e Proteq).

Nossos voluntários são engajados, apaixonados pelo que fazem. A maior parte deles fez parte do cenário da educação pública de Alagoas. Nós nos identificamos com a realidade desses alunos e por isso queremos o seu apoio para fortalecimento das nossas ações.

O PAESPE promove a mobilidade social através da educação. Desde sua idealização em 1993, o Programa foca na inserção de estudantes de escola pública através de aulas preparatórias para o ENEM e reforço escolar. Em 2012, também passou a promover atividades de inclusão digital para jovens e adultos.

As aulas de reforço e preparatórias para o ENEM complementam as atividades desenvolvidas nas escolas e ocorrem diariamente (de segunda a sábado) nos três turnos para atendimento dos alunos em horário complementar ao da escola. Buscamos suprir a carência do ensino público (ausência de professores e infraestrutura propícia ao aprendizado).

O curso de informática é oferecido ao longo do primeiro trimestre do ano letivo do Programa. Também participam desta atividade os adultos, que são pais e/ou responsáveis pelos jovens do ensino médio que fazem parte do Programa.

Além disso, realizamos atividades complementares (palestras, visitas técnicas e tutorias), que ocorrem ao longo do ano letivo do Programa.

As aulas, palestras e tutorias são realizadas dentro da Universidade para dar a estes jovens a oportunidade de vivenciar o ambiente acadêmico e deste modo estimulá-los ao ingresso no ensino superior. Já as visitas técnicas acontecem em laboratórios da Universidade e ambientes externos (Aeroporto, Porto, Parque Municipal, entre outros).

Nossas aulas são expositivas (teóricas e práticas), com uso de modernos recursos audiovisuais.

A inserção de jovens em cursos de graduação da Universidade Federal é o principal objetivo do PAESPE. Cerca de 60% dos participantes do PAESPE conseguem ingressar em Instituições de Ensino Superior imediatamente após participação no Programa. O projeto já beneficiou cerca de 698 alunos, dos quais mais de 397 ingressaram em Instituições de Ensino Superior (IES).

No entanto, outros impactos são gerados no indivíduo e na comunidade da qual ele faz parte. Alguns alunos, inclusive, hoje atuam como professores universitários. Muitos outros são funcionários públicos, empresários, entre outras profissões que ocupam destaque no mercado de trabalho.

Uma pessoa com o diploma universitário no Brasil ganha em média 2,5 vezes mais do que alguém com ensino médio. (Fonte: Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, 2018). O diploma do ensino superior não se reflete apenas na ascensão socioeconômica do indivíduo, mas também no impacto social gerado, pois as pessoas que fazem parte de sua rede de relacionamento entenderão o poder transformador da educação.

Anualmente realizamos ações com cerca de 200 jovens e 160 adultos (pais e/ou responsáveis dos alunos), com atividades realizadas de segunda a sábado. Para isso, o investimento anual do Programa é de R$ 508.702,00, que inclui despesas básicas como energia, água, internet, recursos humanos, material de consumo (papel, caneta, pincel, apagador, etc.), material didático e lanche para os alunos.

O forte impacto do PAESPE, enquanto tecnologia social, foi estimado pelo programa Yunus Negócios Sociais através do Retorno Social do Investimento (Social Return on Investment, ou SROI). A cada R$ 1,00 investido em um estudante do PAESPE são gerados R$ 12,00 de valor social. Esse valor leva em consideração indicadores como aprovação nas IES, conclusão do curso de graduação e empregabilidade fazendo uso do diploma do ensino superior.

Com esta campanha de financiamento coletivo, pretendemos atender algumas das demandas do PAESPE. A escassez de editais que apoiam iniciativas como a nossa dificulta a continuidade e expansão do Programa. Com base em nossa experiência de 17 anos à frente do PAESPE, delineamos três metas que acreditamos imprescindíveis para a continuidade e expansão do Programa. Conjuntas, elas buscam valorizar a participação de voluntários e beneficiários, e motivá-los a continuar engajados com nosso Programa.

Meta 1 - Uniformes para os participantes

R$ 11.400,00

Nessa meta é tudo ou nada! Se não atingirmos a meta 1, todo o valor arrecadado na campanha será devolvido aos doadores.

A coordenação do PAESPE há anos identificou a necessidade de valorizar o envolvimento de funcionários e estudantes do Programa. Ao definir essa a Meta 1, nós buscamos tangibilizar a identidade e envolvimento com a iniciativa social, o que traz diferentes impactos para os envolvidos, como por exemplo:

- Para os beneficiados, o uniforme traz a sensação de pertencimento que valoriza cada indivíduo, as logomarcas do PAESPE e da Universidade, elevam a autoestima dos alunos e os motiva a dedicar-se mais ao aprendizado durante as atividades.

- Para os professores voluntários, a expressão “vestir a camisa” encontra seu sentido literal, pois é exatamente isso o que acontece. Ao usarem uniformes, os professores voluntários se sentem muito mais envolvidos com o PAESPE. Eles passam a se sentir muito mais integrados ao local e aos beneficiados.

- Para o PAESPE o uniforme é uma ótima ferramenta de marketing, pois levará consigo a nossa identidade visual. É uma forma de nossa marca ser lembrada sempre que as pessoas avistarem nossos beneficiados e colaboradores, seja dentro do ambiente escolar ou em qualquer outro lugar da cidade. O que nos ajudará a atrair mais parceiros e indivíduos interessados em nossas ações.

Abaixo apresentamos o orçamento que substancia a Meta 1.

Meta 2 - Aquisição de equipamentos

R$ 34.853,45

Esta meta tem como objetivo um melhor atendimento dos beneficiados através das ações de inclusão digital. Além disso, queremos também realizar a melhoria das nossas aulas de reforço escolar e preparatória para o ENEM, oferecendo um espaço mais confortável e com recursos tecnológicos.

As universidades federais brasileiras têm sofrido com a redução de verbas para investimentos. Os repasses efetuados pelo Ministério da Educação (MEC) reduzem a cada ano, em contraponto à política de expansão do ensino superior, iniciado em 2008. Na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) a situação não tem sido diferente. Entre 2017 e 2018 houve uma redução de 45% para os recursos destinados à equipamentos e materiais permanentes. De acordo com a assessoria de comunicação da universidade, a Ufal tem percebido a estagnação nas liberações dos recursos para custeio, que segundo a instituição, em decorrência da inflação e da elevação dos gastos, já não cobrem as elevações de tarifas e as repactuações contratuais. O aumento do número de alunos e da mudança do perfil do alunado das universidades federais, que para as instituições necessitam de assistência estudantil na forma de bolsas, restaurante universitário, residência universitária, dentre outros benefícios sociais, também influenciam no custeio. (Fonte: https://gazetaweb.globo.com/).

Por este motivo, precisamos de apoio para fomentar as atividades de inclusão digital e fortalecer as demais atividades realizadas.

- Serão adquiridos 5 (cinco) computadores e 5 (cinco) no-breaks de 2200 va. Os equipamentos serão utilizados no curso de informática básica e ficará em nossa sala de estudos à disposição dos beneficiados para uso em pesquisas escolares. A Universidade tem sofrido com constantes quedas de energia, o que justifica a necessidade de aquisição de no-breaks.

- Investiremos também na aquisição de uma TV de 65" que será utilizada para a projeção/exibição do material das aulas e palestras. 

- Também faz parte do nosso planejamento, a compra de 2 aparelhos de ar-condicionado de 48000 BTUs. Os aparelhos serão instalados em nossa sala de aula, local onde realizamos maior parte das atividades. Em Maceió/AL, o verão é longo, quente e de céu parcialmente encoberto. Em 2019 a Capital alagoana teve registro de temperatura em 36,3 °C e sensação térmica ultrapassando os 40 °C (Fonte: https://gazetaweb.globo.com/). Por este motivo, os aparelhos contribuem para um ambiente mais propício ao aprendizado.

Abaixo apresentamos o orçamento que substancia a Meta 2.

Meta 3 - Material didático: laboratórios portáteis e livros

R$ 39.195,00

Com esta meta pretendemos ampliar o nosso acervo bibliográfico, didático (contemplando as disciplinas avaliadas pelo ENEM) e paradidático (contemplando a literatura brasileira e estrangeira). No prédio do PAESPE temos uma biblioteca exclusiva para o atendimento dos estudantes do ensino médio, assim como uma sala de leitura/estudos.

Também iremos adquirir laboratórios portáveis para oferecer aos beneficiados aulas práticas. A aula prática constitui um importante recurso metodológico facilitador do processo de ensino-aprendizagem, ela é igualmente necessária para o ensino pleno dos estudantes. É por meio dela que os professores poderão desenvolver as habilidades da turma e instigar-lhes ainda mais. Dessa forma deixá-los colocar a mão na massa e mostrar as implicações reais que cada conteúdo adquirido possui. Dessa maneira, os alunos terão acesso a uma educação muito mais completa, envolvente, marcante e duradoura.

Iremos investir em 4 laboratórios portáveis: 1) Biologia (Esqueleto 45 cm + Torso Humano De 28 cm, 14 Partes + Microscópio Monocular). 2) Química (experimentos de concentração de misturas; Ligações moleculares; Separação de misturas; Estequiometria; Concentração das soluções - concentração molar; Lei de Proust ; Lei de Dalton), Concentração normal; Lei de Lavoisier. 3) Física (experimentos de fluidos e termologia; Eletricidade, eletromagnetismo e eletrostática; Mecânica; Óptica). 4) Matemática (Sólidos geométricos em acrílico, 20 peças).

Abaixo apresentamos o orçamento que substancia a Meta 3.
 

Paespe ainda não publicou nenhuma notícia.