[MG] Lá da Favelinha |

[MG] Lá da Favelinha

Apoie o Centro Cultural Lá da Favelinha para manter o pagamento dos seus colaboradores durante a quarentena do Covid19

Projeto por: Kdu Dos Anjos
R$ 30.670,00
arrecadado
meta R$ 30.000,00

104 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Kdu Dos Anjos

Kdu Dos Anjos
R$ 10
Só força!
16 benfeitores apoiando
Agradecimento nas redes sociais e benefícios nas atividades da Favelinha pós pandemia.
R$ 50
Dô Valor!
12 benfeitores apoiando
Agradecimento nas redes sociais e benefícios nas atividades da Favelinha pós pandemia.
R$ 100
Só fortalece!
8 benfeitores apoiando
Agradecimento nas redes sociais e benefícios nas atividades da Favelinha pós pandemia.
R$ 250
Deus aumenta!
1 benfeitor apoiando
Agradecimento nas redes sociais e benefícios nas atividades da Favelinha pós pandemia.
R$ 500
Tamo junto!
1 benfeitor apoiando
Agradecimento nas redes sociais e benefícios nas atividades da Favelinha pós pandemia.
R$ 1.000
Lançou a braba!
1 benfeitor apoiando
Agradecimento nas redes sociais e benefícios nas atividades da Favelinha pós pandemia.
R$ 5.000
O Serrão agradece!
Seja o primeiro a apoiar!
Agradecimento nas redes sociais e benefícios nas atividades da Favelinha pós pandemia.

Precisamos manter o pró labore dos prestadores de serviços do Lá da Favelinha, tendo em vista que todos são freelancer e dependem dos eixos de sustentabilidade do projeto como: venda, produção e promoção de eventos, artistas e palestras, que estão diretamente atingidos com a quarentena, além da venda de roupas que também não está funcionando.

Além do pagamento dos "funcionários" do Lá da favelinha que estão em quarentena, diariamente temos gastos com as entregas de cestas básicas, produtos de limpeza e higiene, que estão acontecendo a três semanas. Até o momento já atendemos cerca de 3 mil familias do Aglomerado da Serra.

A história do Centro Cultural Lá da Favelinha começou com uma oficina de rap e uma biblioteca comunitária. Mas diante das demandas da comunidade, foi possível perceber a necessidade de construir um espaço comunitário e de formação profissional. A partir dessa ideia, a instituição deu muitos passinhos e hoje é um Centro Cultural independente que tem a missão de incentivar o empreendedorismo criativo e comunitário e promover a educação, cultura e o desenvolvimento humano, principalmente, de crianças e jovens do Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte.

Através de sua atuação, o Centro Cultural busca integrar toda a comunidade em suas atividades, a fim de promover a ocupação do espaço, construir uma relação de pertencimento e se transformar em um local que valoriza a coletividade, a diversidade e a sustentabilidade. Além disso, incentiva a ocupação do espaço público e vem transformando e deixando marcas na capital mineira através da dança, da música e da moda.

Seguindo sua missão, em cinco anos de história, o Lá da Favelinha se transformou em um espaço cultural, político e de resistência, com grande potencial artístico, cultural e empreendedor. Atualmente, oferece 13 oficinas gratuitas, voluntárias e semanais (teatro, vogue, capoeira, comunicação, espanhol, judô, terapia com arte, pilates, violão, stencil, dança espanhola, corpo e movimento e ritmo e poesia - rap), além de ter uma marca de moda sustentável, o Remexe, e promover eventos que geram renda e dão visibilidade aos artistas da comunidade.

Devido a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a instituição teve suas principais fontes de renda afetadas, que são as apresentações de dança, palestras e vendas da marca Remexe. Diante dessa situação, precisa fortalecer seu financiamento coletivo recorrente para conseguir arrecadar os recursos necessários para manter suas atividades e pagar os funcionários nos próximos meses. Por isso, o Centro Cultural acredita na força coletiva para continuar transformando vidas no Aglomerado da Serra, Belo Horizonte.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

COLABORAÇÕES EXTERNAS

R$1.000,00

colaborador

A campanha [MG] Lá da Favelinha captou os valores acima através de ações de arrecadação independentes, ou seja, fora da plataforma Benfeitoria. Ficou com dúvidas? Clique aqui

Kdu Dos Anjos ainda não publicou nenhuma notícia.

Precisamos manter o pró labore dos prestadores de serviços do Lá da Favelinha, tendo em vista que todos são freelancer e dependem dos eixos de sustentabilidade do projeto como: venda, produção e promoção de eventos, artistas e palestras, que estão diretamente atingidos com a quarentena, além da venda de roupas que também não está funcionando.

Além do pagamento dos "funcionários" do Lá da favelinha que estão em quarentena, diariamente temos gastos com as entregas de cestas básicas, produtos de limpeza e higiene, que estão acontecendo a três semanas. Até o momento já atendemos cerca de 3 mil familias do Aglomerado da Serra.

A história do Centro Cultural Lá da Favelinha começou com uma oficina de rap e uma biblioteca comunitária. Mas diante das demandas da comunidade, foi possível perceber a necessidade de construir um espaço comunitário e de formação profissional. A partir dessa ideia, a instituição deu muitos passinhos e hoje é um Centro Cultural independente que tem a missão de incentivar o empreendedorismo criativo e comunitário e promover a educação, cultura e o desenvolvimento humano, principalmente, de crianças e jovens do Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte.

Através de sua atuação, o Centro Cultural busca integrar toda a comunidade em suas atividades, a fim de promover a ocupação do espaço, construir uma relação de pertencimento e se transformar em um local que valoriza a coletividade, a diversidade e a sustentabilidade. Além disso, incentiva a ocupação do espaço público e vem transformando e deixando marcas na capital mineira através da dança, da música e da moda.

Seguindo sua missão, em cinco anos de história, o Lá da Favelinha se transformou em um espaço cultural, político e de resistência, com grande potencial artístico, cultural e empreendedor. Atualmente, oferece 13 oficinas gratuitas, voluntárias e semanais (teatro, vogue, capoeira, comunicação, espanhol, judô, terapia com arte, pilates, violão, stencil, dança espanhola, corpo e movimento e ritmo e poesia - rap), além de ter uma marca de moda sustentável, o Remexe, e promover eventos que geram renda e dão visibilidade aos artistas da comunidade.

Devido a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a instituição teve suas principais fontes de renda afetadas, que são as apresentações de dança, palestras e vendas da marca Remexe. Diante dessa situação, precisa fortalecer seu financiamento coletivo recorrente para conseguir arrecadar os recursos necessários para manter suas atividades e pagar os funcionários nos próximos meses. Por isso, o Centro Cultural acredita na força coletiva para continuar transformando vidas no Aglomerado da Serra, Belo Horizonte.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Kdu Dos Anjos ainda não publicou nenhuma notícia.