Brasil na Olimpíada de Economia #IEO2018 |

Brasil na Olimpíada de Economia #IEO2018

Meu voo para Moscou está garantido. Mas a campanha continua! O recurso que entrar de agora em diante vai ser doado aos outros garotos da delegação.

Projeto por: Tomás Aguirre Lessa Vaz
R$ 9.470,00
arrecadado
meta R$ 15.000,00

75
benfeitores

63%
arrecadado

10
dias restantes

A primeira meta foi batida! O projeto será realizado, mas a arrecadação continua até 25/08/2018 - 23:59

POR

Tomás Aguirre Lessa Vaz

Tomás Aguirre Lessa Vaz

Sou o Tomás, estudante de Ensino Médio

R$ 20
Bronze
14 benfeitores apoiando
Você receberá e-mail com agradecimentos e a prestação de contas – transparência é fundamental! Divulgarei também seu apoio em alguns dos posts que fizer após o retorno na categoria sem-a-colaboração-de-todos-vocês-nada-disso-teria acontecido.
R$ 50
Prata
17 benfeitores apoiando
Além das recompensas anteriores, você receberá um relato exclusivo da viagem.
R$ 100
Ouro
31 benfeitores apoiando
Além das recopensas anteriores, divulgarei também seu apoio nos posts sobre a IEO2018 que fizer após o retorno na categoria apoiadores.
R$ 500
Diamante
7 benfeitores apoiando
Além das recompensas anteriores, divulgarei também seu apoio nos posts que fizer sobre a IEO2018 com destaque especial na categoria "patrocinador". Se for o caso de querer identificar seu apoio como institucional, posso incluir o logo da empresa nas divulgações e materiais produzidos. Solicite isso no email tomas.aguirre.lessa.vaz@gmail.com Marcarei também um encontro com os patrocinadores na volta da viagem para a gente se conhecer, eu agradecer ao vivo e relatar a experiência. Quem sabe, com a medalha!

Em dois dias de campanha – entre os dias 28 e 29/julho  – consegui atingir a meta de arrecadação para tornar a minha viagem possível. Agradeço a todos os que colaboraram até agora! 

Como os quatro outros integrantes da delegação – Rafael Carlini, Marcio Akira Imanishi de Moraes, Adriano Kenzo Inoue Bonora e Henrique Lasevicius Azevedo  –​ também precisam de recursos para a passagem, vou repassar para eles todo o valor arrecadado de agora em diante. Somos uma equipe, e o trabalho em grupo será uma das principais atividades da Olimpíada. A camaradagem já começa agora. Portanto, a campanha continua! Peço seu apoio: eu e meus colegas queremos trazer medalhas para o Brasil.

OLIMPÍADA DE ECONOMIA!?

A Olimpíada de Economia é uma novidade. Começou esse ano, tanto a nacional como a mundial. Soube dela em abril e me animei de cara. Me interesso por Economia há bastante tempo – estou decidido a prestar vestibular nessa área. Acredito que o Brasil e o mundo precisam de cabeças pensando a economia com criatividade e sensibilidade e vou tentar contribuir para isso. 

Mergulhei de cabeça na preparação, repassando todos os pontos do programa. Valeu a pena: obtive a primeira colocação em ambas as fases da OBECON. Me ajudou muito o fato de que já estava estudando, por pura curiosidade, justamente o livro didático principal usado para a preparação da prova, o The Economy, que é disponibilizado gratuitamente online pela CORE Foundation. Além de já ter lido os principais livros recomendados, também percebo que contribuiu no meu desempenho o fato de acompanhar a mídia especializada, como a revista The Economist, hábito que peguei dos meus pais, ambos jornalistas de formação. Isso sem falar do meu gosto por Matemática e as perguntas desafiadoras que, a meu pedido, minha mãe e meu pai inventaram nos dias que antecederam as provas.

Estou muito entusiasmado para participar da Olimpíada Internacional de Economia, organizada pela Higher School of Economics, Universidade localizada em Moscou. Será, certamente, uma experiência única representar o Brasil nessa competição acadêmica. E, espero, trazer um bom resultado, talvez até as medalhas!

QUEM SOU EU

Sou Tomás Aguirre Lessa Vaz, aluno do 3º. ano do Ensino Médio. Hoje, estudo na Escola Estadual Prof. Ciridão, mas grande parte da minha educação foi no Colégio Oswald de Andrade e no Colégio FECAP, onde fiz Ensino Técnico em Comércio Internacional.  

Como 1º. colocado na Olimpíada Brasileira de Economia (OBECON), estou classificado para compor a delegação brasileira na 1ª Olimpíada Internacional de Economia (IEO), em Moscou, voltada a alunos do Ensino Médio. Lancei esta campanha para cobrir os gastos os custos da passagem para a Rússia, que ficam por conta de cada participante. Em economês, diria que, com recursos escassos, uma solução é a economia colaborativa.

Pedi ao Bigode, ex-professor meu, que fizesse um comentário sobre mim, como uma recomendação. O depoimento dele chegou a me emocionar!

"Nos meus 40 anos como professor, de tempos em tempos encontrei algum aluno ou aluna
excepcional. Em 2013, o
correu-me ter tido o prazer de ter o Tomás como aluno. Ele cursava
o 7º ano. Tomás sempre foi um indivíduo curioso, reflexivo, sagaz, criativo, investigador
e competentíssimo. Tive vários momentos de grande prazer quando me trazia uma ideia
ou descoberta original. Dali em diante passei a acompanhar seu desenvolvimento
como estudante.
Assim, não me surpreendi por sua performance vitoriosa na Olimpíada
Brasileira de Economia. Espero que consiga os apoios necessários para representar o Brasil
e se destacar na Olimpíada Internacional de Economia a ser realizada em Moscou. 
Manda ver, Tomás!”  

ANTONIO JOSÉ LOPES “BIGODE”, doutor em Didática da Matemática pela Universidade Autônoma de Barcelona. Professor e pesquisador do Centro de Educação Matemática (CEM), professor visitante do IME-USP. Consultor do MEC, autor de livros didáticos e de metodologia para professores. Autor e apresentador da série Matemática em Toda Parte da TV Escola/MEC/UNESCO.

 

 

 

 

 

 

 

 

5 razões para dar seu apoio

1.      As olimpíadas acadêmicas são importantes para a educação brasileira e para o desenvolvimento de novos talentos. Há exemplos claros na Matemática: 18 milhões de estudantes participam da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP) e, esse ano, o Brasil conquistou o pentacampeonato na Olimpíada Internacional de Matemática. Entre os campeões anteriores, está Arthur Avila, primeiro ganhador latino-americano da medalha Fields, o “Nobel” da Matemática. Além de casos excepcionais como esse, as olimpíadas têm um grande - e crescente - papel para revelar talentos e estimular interesse em diversos assuntos.

2.      É importante para a educação brasileira marcar presença nessas competições. E conseguir bons resultados: tenho mantido uma rigorosa preparação para
dar o meu melhor nas provas.

3.      Na Copa da Rússia, o hexa infelizmente não veio. Mas quem sabe seja possível trazer uma medalha da IEO?

4.      Tudo que eu estou aprendendo nessa preparação e na estadia em Moscou se alinham completamente com os meus planos futuros: meu objetivo é cursar Ciência da Computação na Universidade de São Paulo. Pretendo, assim, conciliar a minha paixão pelas áreas de Matemática e Computação com a Economia, me especializando em Ciência de Dados. Procurarei compartilhar todos os meus aprendizados na Rússia com meus colegas. 

5.      O presidente do Conselho de Curadores da Olimpíada, Eric Maskin, é ganhador do Nobel da Economia de 2007. Maskin é acadêmico e faz pesquisas sobre a teoria da escolha social, uma das intersecções de economia e matemática que me interessam. Estou torcendo para que alguma atividade prevista inclua sua presença! Esse intercâmbio é importante para mim, claro, mas fundamental para que o país forme profissionais atualizados e informados sobre discussões de ponta. 

Por que um crowdfunding?

  • O tempo é curto para a gente conseguir formalizar patrocínios institucionais. 12 de setembro, data que eu planejo estar embarcando, está aí!
     
  • Numa campanha como essa, cada um pode dar de acordo com sua possibilidade. Se você pode dispor de R$ 20, menor doação possível, está valendo. Somando os valores, vou conseguir juntar o recurso necessário e realizar esse projeto, um sonho!
     
  • Se alguém não puder contribuir financeiramente, sempre é possível compartilhar ou marcar nos comentários outras pessoas que possam se interessar em ser apoiadoras desse projeto educacional.
     
  • Hoje sou eu aqui pedindo. Talvez alguns de vocês já tenham sido beneficiados por alguma forma de ajuda no passado – bolsas, ensino público, doações. Acredito nas redes de apoio – me comprometo a retornar todo o valor que eu receber em forma de doação a outros estudantes tão logo eu esteja trabalhando. É um compromisso que assumo publicamente.
     
  • Se alguém se interessar em dar  patrocínio institucional, o aporte poderá também ser feito por aqui. Os patrocinadores desta categoria terão seus logos incluídos nas notícias sobre esse crowdfunding #TomásRumoaRússia e nos posts sobre a IEO (na volta da viagem, bem entendido, porque lá em Moscou será 100% de concentração nas provas).

Em dois dias de campanha – entre os dias 28 e 29/julho  – consegui atingir a meta de arrecadação para tornar a minha viagem possível. Agradeço a todos os que colaboraram até agora! 

Como os quatro outros integrantes da delegação – Rafael Carlini, Marcio Akira Imanishi de Moraes, Adriano Kenzo Inoue Bonora e Henrique Lasevicius Azevedo  –​ também precisam de recursos para a passagem, vou repassar para eles todo o valor arrecadado de agora em diante. Somos uma equipe, e o trabalho em grupo será uma das principais atividades da Olimpíada. A camaradagem já começa agora. Portanto, a campanha continua! Peço seu apoio: eu e meus colegas queremos trazer medalhas para o Brasil.

OLIMPÍADA DE ECONOMIA!?

A Olimpíada de Economia é uma novidade. Começou esse ano, tanto a nacional como a mundial. Soube dela em abril e me animei de cara. Me interesso por Economia há bastante tempo – estou decidido a prestar vestibular nessa área. Acredito que o Brasil e o mundo precisam de cabeças pensando a economia com criatividade e sensibilidade e vou tentar contribuir para isso. 

Mergulhei de cabeça na preparação, repassando todos os pontos do programa. Valeu a pena: obtive a primeira colocação em ambas as fases da OBECON. Me ajudou muito o fato de que já estava estudando, por pura curiosidade, justamente o livro didático principal usado para a preparação da prova, o The Economy, que é disponibilizado gratuitamente online pela CORE Foundation. Além de já ter lido os principais livros recomendados, também percebo que contribuiu no meu desempenho o fato de acompanhar a mídia especializada, como a revista The Economist, hábito que peguei dos meus pais, ambos jornalistas de formação. Isso sem falar do meu gosto por Matemática e as perguntas desafiadoras que, a meu pedido, minha mãe e meu pai inventaram nos dias que antecederam as provas.

Estou muito entusiasmado para participar da Olimpíada Internacional de Economia, organizada pela Higher School of Economics, Universidade localizada em Moscou. Será, certamente, uma experiência única representar o Brasil nessa competição acadêmica. E, espero, trazer um bom resultado, talvez até as medalhas!

QUEM SOU EU

Sou Tomás Aguirre Lessa Vaz, aluno do 3º. ano do Ensino Médio. Hoje, estudo na Escola Estadual Prof. Ciridão, mas grande parte da minha educação foi no Colégio Oswald de Andrade e no Colégio FECAP, onde fiz Ensino Técnico em Comércio Internacional.  

Como 1º. colocado na Olimpíada Brasileira de Economia (OBECON), estou classificado para compor a delegação brasileira na 1ª Olimpíada Internacional de Economia (IEO), em Moscou, voltada a alunos do Ensino Médio. Lancei esta campanha para cobrir os gastos os custos da passagem para a Rússia, que ficam por conta de cada participante. Em economês, diria que, com recursos escassos, uma solução é a economia colaborativa.

Pedi ao Bigode, ex-professor meu, que fizesse um comentário sobre mim, como uma recomendação. O depoimento dele chegou a me emocionar!

"Nos meus 40 anos como professor, de tempos em tempos encontrei algum aluno ou aluna
excepcional. Em 2013, o
correu-me ter tido o prazer de ter o Tomás como aluno. Ele cursava
o 7º ano. Tomás sempre foi um indivíduo curioso, reflexivo, sagaz, criativo, investigador
e competentíssimo. Tive vários momentos de grande prazer quando me trazia uma ideia
ou descoberta original. Dali em diante passei a acompanhar seu desenvolvimento
como estudante.
Assim, não me surpreendi por sua performance vitoriosa na Olimpíada
Brasileira de Economia. Espero que consiga os apoios necessários para representar o Brasil
e se destacar na Olimpíada Internacional de Economia a ser realizada em Moscou. 
Manda ver, Tomás!”  

ANTONIO JOSÉ LOPES “BIGODE”, doutor em Didática da Matemática pela Universidade Autônoma de Barcelona. Professor e pesquisador do Centro de Educação Matemática (CEM), professor visitante do IME-USP. Consultor do MEC, autor de livros didáticos e de metodologia para professores. Autor e apresentador da série Matemática em Toda Parte da TV Escola/MEC/UNESCO.

 

 

 

 

 

 

 

 

5 razões para dar seu apoio

1.      As olimpíadas acadêmicas são importantes para a educação brasileira e para o desenvolvimento de novos talentos. Há exemplos claros na Matemática: 18 milhões de estudantes participam da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP) e, esse ano, o Brasil conquistou o pentacampeonato na Olimpíada Internacional de Matemática. Entre os campeões anteriores, está Arthur Avila, primeiro ganhador latino-americano da medalha Fields, o “Nobel” da Matemática. Além de casos excepcionais como esse, as olimpíadas têm um grande - e crescente - papel para revelar talentos e estimular interesse em diversos assuntos.

2.      É importante para a educação brasileira marcar presença nessas competições. E conseguir bons resultados: tenho mantido uma rigorosa preparação para
dar o meu melhor nas provas.

3.      Na Copa da Rússia, o hexa infelizmente não veio. Mas quem sabe seja possível trazer uma medalha da IEO?

4.      Tudo que eu estou aprendendo nessa preparação e na estadia em Moscou se alinham completamente com os meus planos futuros: meu objetivo é cursar Ciência da Computação na Universidade de São Paulo. Pretendo, assim, conciliar a minha paixão pelas áreas de Matemática e Computação com a Economia, me especializando em Ciência de Dados. Procurarei compartilhar todos os meus aprendizados na Rússia com meus colegas. 

5.      O presidente do Conselho de Curadores da Olimpíada, Eric Maskin, é ganhador do Nobel da Economia de 2007. Maskin é acadêmico e faz pesquisas sobre a teoria da escolha social, uma das intersecções de economia e matemática que me interessam. Estou torcendo para que alguma atividade prevista inclua sua presença! Esse intercâmbio é importante para mim, claro, mas fundamental para que o país forme profissionais atualizados e informados sobre discussões de ponta. 

Por que um crowdfunding?

  • O tempo é curto para a gente conseguir formalizar patrocínios institucionais. 12 de setembro, data que eu planejo estar embarcando, está aí!
     
  • Numa campanha como essa, cada um pode dar de acordo com sua possibilidade. Se você pode dispor de R$ 20, menor doação possível, está valendo. Somando os valores, vou conseguir juntar o recurso necessário e realizar esse projeto, um sonho!
     
  • Se alguém não puder contribuir financeiramente, sempre é possível compartilhar ou marcar nos comentários outras pessoas que possam se interessar em ser apoiadoras desse projeto educacional.
     
  • Hoje sou eu aqui pedindo. Talvez alguns de vocês já tenham sido beneficiados por alguma forma de ajuda no passado – bolsas, ensino público, doações. Acredito nas redes de apoio – me comprometo a retornar todo o valor que eu receber em forma de doação a outros estudantes tão logo eu esteja trabalhando. É um compromisso que assumo publicamente.
     
  • Se alguém se interessar em dar  patrocínio institucional, o aporte poderá também ser feito por aqui. Os patrocinadores desta categoria terão seus logos incluídos nas notícias sobre esse crowdfunding #TomásRumoaRússia e nos posts sobre a IEO (na volta da viagem, bem entendido, porque lá em Moscou será 100% de concentração nas provas).

Tomás Aguirre Lessa Vaz ainda não publicou nenhuma notícia.