Tupinambás e Pataxós sem COVID 19 |

Tupinambás e Pataxós sem COVID 19

Atendimento médico remoto para índios do sul da Bahia e EPIs para equipe médica e multi local.

Projeto por: Maryana Dias Novaes
R$ 760,00
arrecadado
meta R$ 94.160,00

7
benfeitores

0%
arrecadado

28
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

Ajude-nos a bater nossa meta até 30/07/2020 - 23:59

POR

Maryana Dias Novaes

Maryana Dias Novaes

Não encontrou o que queria?

Outro valor

Precisamos da arma mais importante que há: sua solidariedade!

A pandemia da COVID-19 causa pânico em todo o mundo. Nas aldeias indígenas não é diferente. Na verdade, é. Pois ela pode ser até 150% mais mortal nas tribos, comparando com as cidades. Um vírus que não pertence às suas terras, mas invade seus lares.

Com o intuito de garantir os cuidados básicos aos povos nativos, somamos esforços com equipes médicas e multiprofissionais de polos indígenas para oferecer atendimento médico remoto e teleorientação aos indígenas de forma gratuita.

Para isso montamos uma equipe médica e um fluxo de atendimento via telefone e internet para ajudar na contenção da transmissão e da mortalidade no território indígena do sul da Bahia, onde vivem os Tupinambás de Olivença e os Pataxós Hã-Hã-Hãe.

Um esforço colaborativo onde cada envolvido doa seu tempo sem cobrar nada. E para que os trabalhos continuem tendo êxito e salvando vidas, os profissionais do projeto precisam de equipamentos de proteção individual (EPI’s), como máscaras N95, máscaras cirúrgicas, luvas e aventais, além da distribuição de materiais de higiene aos indígenas e compra de material para confecção de máscaras de pano por costureiras em diferentes comunidades indígenas e por costureiras em Salvador, que serão distribuídas nos territórios indígenas onde não há mão de obra capacitada suficiente e equipamentos para corte e costura. A iniciativa de confecção de máscara é organizada pela Associação Nacional de Ação Indigenista (ANAÍ) e coletivo Delas para Todxs, o Programa de Pesquisas sobre Povos Índigenas do Nordeste Brasileiro (PINEB), o Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste (MUPOIBA), a Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (APOINME) e a Rede Kunhã Asé de Mulheres na CIência. 

Acreditamos no poder da solidariedade como arma nessa batalha. 

Colabore conosco na luta contra a COVID-19 nas tribos indígenas.

Foto: Miguel Pinheiro

Maryana Dias Novaes ainda não publicou nenhuma notícia.

Precisamos da arma mais importante que há: sua solidariedade!

A pandemia da COVID-19 causa pânico em todo o mundo. Nas aldeias indígenas não é diferente. Na verdade, é. Pois ela pode ser até 150% mais mortal nas tribos, comparando com as cidades. Um vírus que não pertence às suas terras, mas invade seus lares.

Com o intuito de garantir os cuidados básicos aos povos nativos, somamos esforços com equipes médicas e multiprofissionais de polos indígenas para oferecer atendimento médico remoto e teleorientação aos indígenas de forma gratuita.

Para isso montamos uma equipe médica e um fluxo de atendimento via telefone e internet para ajudar na contenção da transmissão e da mortalidade no território indígena do sul da Bahia, onde vivem os Tupinambás de Olivença e os Pataxós Hã-Hã-Hãe.

Um esforço colaborativo onde cada envolvido doa seu tempo sem cobrar nada. E para que os trabalhos continuem tendo êxito e salvando vidas, os profissionais do projeto precisam de equipamentos de proteção individual (EPI’s), como máscaras N95, máscaras cirúrgicas, luvas e aventais, além da distribuição de materiais de higiene aos indígenas e compra de material para confecção de máscaras de pano por costureiras em diferentes comunidades indígenas e por costureiras em Salvador, que serão distribuídas nos territórios indígenas onde não há mão de obra capacitada suficiente e equipamentos para corte e costura. A iniciativa de confecção de máscara é organizada pela Associação Nacional de Ação Indigenista (ANAÍ) e coletivo Delas para Todxs, o Programa de Pesquisas sobre Povos Índigenas do Nordeste Brasileiro (PINEB), o Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste (MUPOIBA), a Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (APOINME) e a Rede Kunhã Asé de Mulheres na CIência. 

Acreditamos no poder da solidariedade como arma nessa batalha. 

Colabore conosco na luta contra a COVID-19 nas tribos indígenas.

Foto: Miguel Pinheiro

Maryana Dias Novaes ainda não publicou nenhuma notícia.