"Um olhar sobre as ruas" |

"Um olhar sobre as ruas"

Livro composto por fotografias que mostram moradores de rua, muitos deles, invisíveis aos olhos da sociedade. Imagens do cotidiano também irão compor o livro

Projeto por: Leandro Gladstone
R$ 1.920,00
arrecadado
meta R$ 3.000,00

31 benfeitores
apoiaram essa campanha

Não foi dessa vez :/

A meta de arrecadação não foi atingida e todas as colaborações foram estornadas. Obrigado pelo apoio ainda assim!

POR

Leandro Gladstone

Leandro Gladstone

Fotógrafo e músico profissional

R$ 15
Nome nos Agradecimentos do livro
2 benfeitores apoiando
Em agradecimento a todos que colaborarem com o projeto o nome constara na parte de agradecimentos do livro.
R$ 35
Livro + Nome nos agradecimentos
4 benfeitores apoiando
Direito a 1 copia do livro e o nome nos agradecimentos.
R$ 65
Livro, Nome nos agradecimentos, foto
7 benfeitores apoiando
Direito a 1 copia do livro o nome nos agradecimentos e uma foto impressa 20x30
R$ 100
Livro + Nome nos Agradecimentos + caneca
3 benfeitores apoiando
Direito a 1 copia do livro o nome nos agradecimentos e caneca "A look at the streets"

A fotografia é a arte de registrar momentos,  fragmentos de vida, importantes à vida social do homem. 

Muitas vezes,a imagem fotográfica é um modo de despertar, nas pessoas, a sensibilidade para os detalhes do cotidiano, os quais passam despercebidos aos olhos rápidos da cidade agitada.

Ao longo dos anos, as pessoas que vivem em situação de rua vão migrando de um espaço para outros, percorrendo ruas, praças, avenidas, bulevares, transformando a paisagem, como se fossem nômades em busca de um território próprio. De dentro de nossas casas e de nosso carros, protegidos pelos vidros da modernização, vemos pessoas maltrapilhas, andarilhos do asfalto, que estão sempre em busca de algo - comida, vestimentas, casa - mas que são donos de espaços sempre provisórios. A rua é uma casa aberta para eles. Assim, como este livro, pretendo fotografar esses espaços e esses sujeitos, tentando ainda sensibilizar os leitores para uma realidade tão próxima de todos nós, ou seja, a condição de vida dos moradores de rua, que passam a integrar a paisagem, sem serem notados. 

No decorrer de anos do meu trabalho, fotografando as ruas de Belo Horizonte e de outras cidades, percebi que muitos desses habitantes precisam e sentem a necessidade de serem notados, como indivíduos, pessoas humanas, e não como objetos sem  relevância. Eles sentem dor, amam, odeiam, dialogam, sentem fome, frio, medo, coragem, guerreiam para sobreviver. Muitos deles demonstram afeto e amor pelos seus companheiros, pelos animais, construindo amizades, relações de confiança, como todos nós.

Com a realização desse livro, irei  captar um espaço sensível dessas pessoas, registrado parte da história delas.

Certa vez, em uma visitação a essas pessoas, uma delas me disse a seguinte frase:

"Obrigado por falar comigo, é bom saber que pelo menos alguém vai se lembrar de mim".

Tal frase me sensibilizou de forma inexplicável, motivando-me, cada vez mais, à concretização desse projeto. A fotografia para mim é arte e, sendo arte, é um modo de alcançar a sociedade, por meio da vida daqueles que, em sua maioria, não são notados. Por meio da arte fotográfica, portanto, anseio tocar os olhares dos indivíduos, fazendo com eles passem a visualizar as vidas alheias, a vida da rua. 

Em relação ao formanto do livro,  com uma média de 50 páginas, contendo imagens desses cidadãos e outras da cidade de Belo Horizonte. 

Sobre mim, meu nome é Leandro Gladstone, sou fotógrafo profissional há sete anos, mas a fotografia está presente em minha vida há muitos anos, muitos mesmo.

Cresci em Belo Horizonte, circulando nas cenas de produção independente, tocando em bandas (também sou músico), ajudando a realizar projetos culturais. Hoje, vivo profissionalmente da fotografia: ela virou meu estilo de vida, o modo como eu me relaciono com o mundo, a forma como o mundo me vê.

"Um olhar sobre as ruas" - ( A look at the streets) é um projeto íntimo e, ao mesmo tempo, coletivo. É o meu olhar captando outros olhares, cenários, paisagens, pessoas que habitam as ruas. Esse gênero fotográfico diz muito sobre mim,  pois me vejo nessas imagens, sou parte delas; elas parte de mim. 

Fotografar as ruas e seus moradores é perceber que, em nossas lentes, há um mundo e seus conflitos; há pessoas 

 e suas individualidades, há, enfim, humanidade. 
 

Obs: Caso a primeira meta ultrapasse o valor será doado 1 livro para 15 escolas publicas de Belo Horizonte, e todo dinheiro vendido com a cota de livros ultrapassada será doado para casas de abrigo! 

A fotografia é a arte de registrar momentos,  fragmentos de vida, importantes à vida social do homem. 

Muitas vezes,a imagem fotográfica é um modo de despertar, nas pessoas, a sensibilidade para os detalhes do cotidiano, os quais passam despercebidos aos olhos rápidos da cidade agitada.

Ao longo dos anos, as pessoas que vivem em situação de rua vão migrando de um espaço para outros, percorrendo ruas, praças, avenidas, bulevares, transformando a paisagem, como se fossem nômades em busca de um território próprio. De dentro de nossas casas e de nosso carros, protegidos pelos vidros da modernização, vemos pessoas maltrapilhas, andarilhos do asfalto, que estão sempre em busca de algo - comida, vestimentas, casa - mas que são donos de espaços sempre provisórios. A rua é uma casa aberta para eles. Assim, como este livro, pretendo fotografar esses espaços e esses sujeitos, tentando ainda sensibilizar os leitores para uma realidade tão próxima de todos nós, ou seja, a condição de vida dos moradores de rua, que passam a integrar a paisagem, sem serem notados. 

No decorrer de anos do meu trabalho, fotografando as ruas de Belo Horizonte e de outras cidades, percebi que muitos desses habitantes precisam e sentem a necessidade de serem notados, como indivíduos, pessoas humanas, e não como objetos sem  relevância. Eles sentem dor, amam, odeiam, dialogam, sentem fome, frio, medo, coragem, guerreiam para sobreviver. Muitos deles demonstram afeto e amor pelos seus companheiros, pelos animais, construindo amizades, relações de confiança, como todos nós.

Com a realização desse livro, irei  captar um espaço sensível dessas pessoas, registrado parte da história delas.

Certa vez, em uma visitação a essas pessoas, uma delas me disse a seguinte frase:

"Obrigado por falar comigo, é bom saber que pelo menos alguém vai se lembrar de mim".

Tal frase me sensibilizou de forma inexplicável, motivando-me, cada vez mais, à concretização desse projeto. A fotografia para mim é arte e, sendo arte, é um modo de alcançar a sociedade, por meio da vida daqueles que, em sua maioria, não são notados. Por meio da arte fotográfica, portanto, anseio tocar os olhares dos indivíduos, fazendo com eles passem a visualizar as vidas alheias, a vida da rua. 

Em relação ao formanto do livro,  com uma média de 50 páginas, contendo imagens desses cidadãos e outras da cidade de Belo Horizonte. 

Sobre mim, meu nome é Leandro Gladstone, sou fotógrafo profissional há sete anos, mas a fotografia está presente em minha vida há muitos anos, muitos mesmo.

Cresci em Belo Horizonte, circulando nas cenas de produção independente, tocando em bandas (também sou músico), ajudando a realizar projetos culturais. Hoje, vivo profissionalmente da fotografia: ela virou meu estilo de vida, o modo como eu me relaciono com o mundo, a forma como o mundo me vê.

"Um olhar sobre as ruas" - ( A look at the streets) é um projeto íntimo e, ao mesmo tempo, coletivo. É o meu olhar captando outros olhares, cenários, paisagens, pessoas que habitam as ruas. Esse gênero fotográfico diz muito sobre mim,  pois me vejo nessas imagens, sou parte delas; elas parte de mim. 

Fotografar as ruas e seus moradores é perceber que, em nossas lentes, há um mundo e seus conflitos; há pessoas 

 e suas individualidades, há, enfim, humanidade. 
 

Obs: Caso a primeira meta ultrapasse o valor será doado 1 livro para 15 escolas publicas de Belo Horizonte, e todo dinheiro vendido com a cota de livros ultrapassada será doado para casas de abrigo! 

Leandro Gladstone ainda não publicou nenhuma notícia.