Teodora na EICTV - Cuba! |

Teodora na EICTV - Cuba!

Ajude a cineasta e jornalista são-tomense Teodora Martins a continuar seus estudos na Escola Internacional de Cinema e Televisão, em Cuba.

Projeto por: Teodora de Ceita da Luz Martins
R$ 29.220,00
arrecadado
meta R$ 27.000,00

119 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Teodora de Ceita da Luz Martins

Teodora de Ceita da Luz Martins

Sou jornalista licenciada pela Universidade Eduardo Mondlane e mestranda em Direitos Humanos e Boa Governação na Universidade Técnica de Moçambique. Atualmente faço parte da cátedra de Televisão e Novos Meios na Escola Internacional de Cine e TV em Cuba.

R$ 15
Seu nome nos meus filmes!
14 benfeitores apoiando
Eu gostaria de agradecer-lhe desde já, e a primeira maneira de fazê-lo é lembrar de você nos agradecimentos dos créditos em trabalhos feitos durante o curso que você me ajuda a financiar. Equivale a + ou - $3.66
R$ 40
Acesso exclusivo aos curta-metragens!
36 benfeitores apoiando
Para quem me ajudar desta maneira, eu enviarei um link onde você poderá ver todo o trabalho que fiz e farei durante os meus anos de estudo na EICTV. Assim, você acompanha os frutos de meu esforço e da sua contribuição - todos eles com seu nome nos agradecimentos, claro. Equivale a + ou - $9.78
R$ 80
Vídeo-carta direto da EICTV!
15 benfeitores apoiando
Essa recompensa será receber um curta-metragem feito por mim, com uma mensagem pessoal para você, sobre o lugar onde estou estudando e morando: a Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de los Baños. Assim, você pode acompanhar parte do processo e da vida única que nós, estudantes de todo o mundo, levamos aqui. Equivale a + ou - $19,56

5 disponíveis.
R$ 100
Cartão postal da EICTV!
16 benfeitores apoiando
Juntamente com os agradecimentos nos créditos dos meus trabalhos, vou escrever para você um cartão pessoal dedicado e enviado da EICTV diretamente para a sua casa. Assim, um pedacinho da escola, da história dela (e da nossa!) chegará até você. Equivale a + ou - $24,45
R$ 200
Livro sobre cinema!
16 benfeitores apoiando
Ajudando dessa maneira, você recebe junto com seu postal um livro sobre algum aspecto da arte cinematográfica. Uma parte da produção literária cubana, diretamente da ilha para sua cabeça... Equivale a + ou - $48,90

indisponível.
R$ 300
Assessoria com especialista!
8 benfeitores apoiando
Receba a avaliação de um especialista sobre seu projeto audiovisual. Além das recompensas listadas, você terá a oportunidade de receber uma consultoria de 1 hora via Skype com um especialista em uma das oito especialidades que são formadas na EICTV: roteiro, produção, direção de ficção, direção de documentário, som, edição, fotografia ou Televisão e Novos Meios. A visão de alguém de fora de seu projeto e imerso no universo audiovisual certamente terá muito a contribuir. Equivale a + ou - $73,35
R$ 600
Bolsa de ombro EICTV!
4 benfeitores apoiando
Contribuindo dessa forma generosa, adicionaremos uma brinde singelo para a lembrança: uma linda bolsa de pano com o logotipo EICTV. O produto é exclusivo e só é vendido na lojinha da escola. Assim, você pode carregar seus livros e objetos em um pedaço da história do cinema latino-americano. Equivale a + ou - $146,70
R$ 1.000
Consultoria + Lembrança!
2 benfeitores apoiando
Você receberá de tudo, além de carinho incondicional: agradecimentos, video-carta, postal, acesso a vídeos, assessoria e bolsa de ombro EICTV! Equivale a + ou - $244,50
R$ 3.000
Charutos Cubanos Cohiba!
1 benfeitor apoiando
Sua contribuição é uma forma de mecenato moderno. Agradecerei de coração, enviando a você uma autêntica caixa lacrada de Charutos Cubanos Cohibas, os mais famosos charutos do mundo, ou os igualmente famosos Romeu e Julieta. Você pode escolher entre os Esplêndidos, Exquisitos ou Panetelas... Produto original cubano, feito à mão, entregue em sua casa. Equivale a + ou - $733,50

4 disponíveis.

Texto em português

(Versión en español más abajo) / (English version below)

Acredito no poder da educação para transformar a sociedade em que vivo, e no cinema como meio capaz de permear todos os espaços sociais. Acredito na minha capacidade para propor conteúdos que preservem a dignidade humana, a identidade cultural do meu povo e que ressaltem o esforço de cada mulher e homem que luta por uma sociedade mais justa. Uma sociedade de pessoas humildes, trabalhadoras e de grandes valores humanos, mas exploradas pela minoria.

Sou Teodora de Ceita da Luz Martins, primeira estudante de São Tomé e Príncipe em toda a história da EICTV - Escola Internacional de Cinema e Televisão de Cuba - na qual levo um ano estudando. Também sou a única africana na geração de estudantes da qual faço parte e curso a especialidade de Televisão e Novas Mídias.

Lutei para entrar na EICTV e hoje continuo lutando para não abandoná-la.

Por não existirem convênios no meu país de origem (e muito menos bolsas dedicadas a Cinema e TV), um estudante no estrangeiro tem que seguir seu caminho por conta própria. Atualmente me encontro longe de casa, sem poder trabalhar desde aqui para continuar pagando meus estudos, e apesar de ser realizadora de projetos e documentários (alguns deles exibidos na televisão pública do meu país), as bolsas com as quais eu contava antes de começar o Curso Regular, vitais para meu desenvolvimento aqui na ilha, me foram negadas.

O curso do qual faço parte tem uma duração de 3 anos e um custo total 15.000€, repartidos em 5.000€ por ano. Esse também é o preço do Curso para os e as estudantes procedentes de países africanos. O primeiro trimestre do segundo ano terá início em Setembro, mas a entrada da primeira metade da matrícula deve ser efetuado antes do próximo 23 de agosto. Dada minha imprevista situação, é impossível conseguir essa quantidade de dinheiro em tão pouco tempo, e me vejo obrigada a pedir ajuda de amigos, familiares, companheiros e qualquer pessoa que sinta, como eles, a importância de que pessoas como eu possam terminar seus estudos no estrangeiro, em uma escola como a EICTV.

Agradecerei a todos e todas aqueles que apoiem com qualquer doação, seja grande ou pequena, para realizar esse sonho de estudar Cinema numa das melhores escolas da América Latina e do mundo.

Sou natural de Santo Tomé, formada em Jornalismo pela UDM (Universidade Eduardo Mondlane), Mestrado em Direitos Humanos e Bom Governo na UDM (Universidade Técnica de Moçambique). Realizei o documentário ‘Marcas do Desterro’ (2015), que foi financiado pela FUNDAC; e ‘O Estado Crioulo de África’, ganhador do programa DOCTV-CPLP III-2018, sendo exibido nos canais televisivos de dois países da comunidade. Em 2016 comecei ‘Reencontros’, um projeto onde mostrava a reunião, pela primeira vez desde a independência, de famílias moçambicanas que foram separadas em processos de deportação em Santo Tomé e Príncipe. Este projeto foi interrompido por minha entrada na EICTV em 2018, onde tive a oportunidade de trabalhar no território da ficção em ‘Loca Pasión’ e ‘El Curandeiro’. Meu último trabalho foi o curta documentário ‘Raízes de Oká’, en 2019.

Versión en Español

Creo en el poder de la educación para transformar la sociedad en la que vivo, y en el Cine como medio capaz de permear todos los espacios sociales. Creo en mi capacidad para proponer contenidos que preservan la dignidad humana, la identidad cultural de mi pueblo y que resaltan el esfuerzo de cada mujer y hombre que lucha por una sociedad más justa. Una sociedad de personas humildes, trabajadoras y de grandes valores humanos, pero explotadas por la minoría.

Soy Teodora de Ceita da Luz Martins, primera estudiante de Santo Tomé y Príncipe en toda la historia de la EICTV -Escuela Internacional de Cine y Televisión de Cuba-, en la que llevo estudiando  un año. También soy la única persona procedente de África en la generación de estudiantes de la que formo parte, y curso la especialidad de Televisión y Nuevos Medios. 

Luché por entrar a la EICTV y hoy sigo luchando por no abandonarla.

Por no existir convenios en mi país de origen (y mucho menos becas dedicadas al Cine y la TV), un estudiante en el extranjero tiene que recorrer su camino por cuenta propia. Actualmente me encuentro lejos de casa sin poder trabajar desde acá para seguir pagando mis estudios, y a pesar de ser realizadora de proyectos y documentales (algunos de ellos exhibidos en la Televisión Pública de mi país), las becas con las que contaba antes de empezar el Curso Regular, vitales para mi desarrollo aquí en la isla, me han sido denegadas.

El Curso del que formo parte tiene una duración de 3 años, y un costo total de 15.000€, repartidos en 5.000€ por año. Para los y las estudiantes procedentes de países africanos también es el precio del Curso. El primer trimestre del segundo año tendrá inicio en septiembre, pero el ingreso de la primera mitad de la matrícula debe ser efectuado antes del próximo 23 de agosto. Dada mi imprevista situación me es imposible lograr esa cantidad de dinero en tan breve tiempo, y me veo obligada a pedir la ayuda de amigos, familiares, compañeros y cualquier persona que sienta como ellos la importancia de que personas como yo puedan terminar sus estudios en el extranjero, en una escuela como la EICTV.

Agradeceré a todos y todas aquellos que apoyen con cualquier donación, ya sea grande o pequeña, para realizar este sueño de estudiar Cine en una de las mejores escuelas de Latinoamérica y el mundo. 

Soy natural de Santo Tomé, licenciada en Periodismo por la UDM (Universidade Eduardo Mondlane), Maestría en Derechos Humanos y Buen Gobierno en la UDM (Universidade Técnica de Moçambique). He realizado el documental ‘Marcas do Desterro’ (2015), que fue financiado por la FUNDAC; y ‘O Estado Crioulo de África’, ganador del programa DOCTV-CPLP III-2018, siendo exhibido en los canales televisivos de dos países de la comunidad. En 2016 empecé ‘Reencontros’, un proyecto donde mostraba la reunión por vez primera desde la independencia, de familias mozambicanas que fueron separadas en procesos de deportación en Santo Tomé e Príncipe. Este proyecto fue interrumpido por mi ingreso en la EICTV en 2018, donde tuve la oportunidad de trabajar el territorio de la ficción en ‘Loca Pasión’ y ‘El Curandeiro’. Mi último trabajo fue el corto documental ‘Raízes de Oká’, en 2019.

 

English version

I believe in the power of education to transform our society, and the ability of film to reach a multitude of social spaces. I believe in my capacity to bring forward content that preserves human dignity, cultural identity of my people, and that supports the efforts of every person that struggles for a more just society. Which is a society of humble, people dedicated to human values, but who have been exploited by a small minority.

I am Teodora de Ceita de Luz Martins, the first student from Santo Tomé and Príncipe to study at EICTV (International School of Film and Television in Cuba) where I have been studying for one year. I am the only student from Africa in my generation of students as well as the only African student in the specialty of Television and New Media.

It was a challenge to enter EICTV and to find funding a year ago, and I am facing a new challenge to not abandon my studies.

The lack of international relationships in my country (much less scholarships dedicated to Film and Television), means that students who study abroad have to depend on their own ability to pay. Currently, I have been unable to return home or work remotely from Cuba to continue paying for my studies. Despite being a creator of projects and documentaries (some of which have been broadcast in public television in my country), the scholarships that I have depended on since starting in the program at EICTV have fallen through.

The program that I am a part of is three years and the total cost is €15,000, €5,000 per year – people coming from African countries pay this same amount. I will begin the first semester of second year in September, and the first half of the payment is due before August 23rd. Given my situation it is impossible that I will be able to find this much money in such a short time, and I feel compelled to ask the help of my friends, family, and whoever believes it is important that people like me can finish their studies in a school such as EICTV.

I am grateful to everyone for their support, whether it is small or big donations, they all help accomplish this dream to study film in one of the best schools in Latin America and the world.

I was born and raised in Santo Tomé, licensed in journalism by UDM (University Eduardo Mondlane), and have a masters in Human Rights and Governance from the Universidade Técnica de Moçambique. I created the documentary ‘Marcas do Desterro’ (2015), that was financed by FUNDAC, and ‘O Estado Crioulo de África’, winner of the DOCTV-CPLP III-2018, that was shown in two countries. In 2016 I began ‘Reencontros’, a project where I showed the reunification, for the first time since independence, of people from Mozambique that were separated in the deportation process from Santo Tomé and Príncipe. This project was temporarily interrupted by my enrollment in EICTV in 2018, where I have taken the opportunity to create the fiction films of ‘Loca Pasión’ and ‘El Curandeiro’. My most recent work was the documentary short ‘Raízes de Oká’, in 2019.

 

Teodora de Ceita da Luz Martins ainda não publicou nenhuma notícia.

Texto em português

(Versión en español más abajo) / (English version below)

Acredito no poder da educação para transformar a sociedade em que vivo, e no cinema como meio capaz de permear todos os espaços sociais. Acredito na minha capacidade para propor conteúdos que preservem a dignidade humana, a identidade cultural do meu povo e que ressaltem o esforço de cada mulher e homem que luta por uma sociedade mais justa. Uma sociedade de pessoas humildes, trabalhadoras e de grandes valores humanos, mas exploradas pela minoria.

Sou Teodora de Ceita da Luz Martins, primeira estudante de São Tomé e Príncipe em toda a história da EICTV - Escola Internacional de Cinema e Televisão de Cuba - na qual levo um ano estudando. Também sou a única africana na geração de estudantes da qual faço parte e curso a especialidade de Televisão e Novas Mídias.

Lutei para entrar na EICTV e hoje continuo lutando para não abandoná-la.

Por não existirem convênios no meu país de origem (e muito menos bolsas dedicadas a Cinema e TV), um estudante no estrangeiro tem que seguir seu caminho por conta própria. Atualmente me encontro longe de casa, sem poder trabalhar desde aqui para continuar pagando meus estudos, e apesar de ser realizadora de projetos e documentários (alguns deles exibidos na televisão pública do meu país), as bolsas com as quais eu contava antes de começar o Curso Regular, vitais para meu desenvolvimento aqui na ilha, me foram negadas.

O curso do qual faço parte tem uma duração de 3 anos e um custo total 15.000€, repartidos em 5.000€ por ano. Esse também é o preço do Curso para os e as estudantes procedentes de países africanos. O primeiro trimestre do segundo ano terá início em Setembro, mas a entrada da primeira metade da matrícula deve ser efetuado antes do próximo 23 de agosto. Dada minha imprevista situação, é impossível conseguir essa quantidade de dinheiro em tão pouco tempo, e me vejo obrigada a pedir ajuda de amigos, familiares, companheiros e qualquer pessoa que sinta, como eles, a importância de que pessoas como eu possam terminar seus estudos no estrangeiro, em uma escola como a EICTV.

Agradecerei a todos e todas aqueles que apoiem com qualquer doação, seja grande ou pequena, para realizar esse sonho de estudar Cinema numa das melhores escolas da América Latina e do mundo.

Sou natural de Santo Tomé, formada em Jornalismo pela UDM (Universidade Eduardo Mondlane), Mestrado em Direitos Humanos e Bom Governo na UDM (Universidade Técnica de Moçambique). Realizei o documentário ‘Marcas do Desterro’ (2015), que foi financiado pela FUNDAC; e ‘O Estado Crioulo de África’, ganhador do programa DOCTV-CPLP III-2018, sendo exibido nos canais televisivos de dois países da comunidade. Em 2016 comecei ‘Reencontros’, um projeto onde mostrava a reunião, pela primeira vez desde a independência, de famílias moçambicanas que foram separadas em processos de deportação em Santo Tomé e Príncipe. Este projeto foi interrompido por minha entrada na EICTV em 2018, onde tive a oportunidade de trabalhar no território da ficção em ‘Loca Pasión’ e ‘El Curandeiro’. Meu último trabalho foi o curta documentário ‘Raízes de Oká’, en 2019.

Versión en Español

Creo en el poder de la educación para transformar la sociedad en la que vivo, y en el Cine como medio capaz de permear todos los espacios sociales. Creo en mi capacidad para proponer contenidos que preservan la dignidad humana, la identidad cultural de mi pueblo y que resaltan el esfuerzo de cada mujer y hombre que lucha por una sociedad más justa. Una sociedad de personas humildes, trabajadoras y de grandes valores humanos, pero explotadas por la minoría.

Soy Teodora de Ceita da Luz Martins, primera estudiante de Santo Tomé y Príncipe en toda la historia de la EICTV -Escuela Internacional de Cine y Televisión de Cuba-, en la que llevo estudiando  un año. También soy la única persona procedente de África en la generación de estudiantes de la que formo parte, y curso la especialidad de Televisión y Nuevos Medios. 

Luché por entrar a la EICTV y hoy sigo luchando por no abandonarla.

Por no existir convenios en mi país de origen (y mucho menos becas dedicadas al Cine y la TV), un estudiante en el extranjero tiene que recorrer su camino por cuenta propia. Actualmente me encuentro lejos de casa sin poder trabajar desde acá para seguir pagando mis estudios, y a pesar de ser realizadora de proyectos y documentales (algunos de ellos exhibidos en la Televisión Pública de mi país), las becas con las que contaba antes de empezar el Curso Regular, vitales para mi desarrollo aquí en la isla, me han sido denegadas.

El Curso del que formo parte tiene una duración de 3 años, y un costo total de 15.000€, repartidos en 5.000€ por año. Para los y las estudiantes procedentes de países africanos también es el precio del Curso. El primer trimestre del segundo año tendrá inicio en septiembre, pero el ingreso de la primera mitad de la matrícula debe ser efectuado antes del próximo 23 de agosto. Dada mi imprevista situación me es imposible lograr esa cantidad de dinero en tan breve tiempo, y me veo obligada a pedir la ayuda de amigos, familiares, compañeros y cualquier persona que sienta como ellos la importancia de que personas como yo puedan terminar sus estudios en el extranjero, en una escuela como la EICTV.

Agradeceré a todos y todas aquellos que apoyen con cualquier donación, ya sea grande o pequeña, para realizar este sueño de estudiar Cine en una de las mejores escuelas de Latinoamérica y el mundo. 

Soy natural de Santo Tomé, licenciada en Periodismo por la UDM (Universidade Eduardo Mondlane), Maestría en Derechos Humanos y Buen Gobierno en la UDM (Universidade Técnica de Moçambique). He realizado el documental ‘Marcas do Desterro’ (2015), que fue financiado por la FUNDAC; y ‘O Estado Crioulo de África’, ganador del programa DOCTV-CPLP III-2018, siendo exhibido en los canales televisivos de dos países de la comunidad. En 2016 empecé ‘Reencontros’, un proyecto donde mostraba la reunión por vez primera desde la independencia, de familias mozambicanas que fueron separadas en procesos de deportación en Santo Tomé e Príncipe. Este proyecto fue interrumpido por mi ingreso en la EICTV en 2018, donde tuve la oportunidad de trabajar el territorio de la ficción en ‘Loca Pasión’ y ‘El Curandeiro’. Mi último trabajo fue el corto documental ‘Raízes de Oká’, en 2019.

 

English version

I believe in the power of education to transform our society, and the ability of film to reach a multitude of social spaces. I believe in my capacity to bring forward content that preserves human dignity, cultural identity of my people, and that supports the efforts of every person that struggles for a more just society. Which is a society of humble, people dedicated to human values, but who have been exploited by a small minority.

I am Teodora de Ceita de Luz Martins, the first student from Santo Tomé and Príncipe to study at EICTV (International School of Film and Television in Cuba) where I have been studying for one year. I am the only student from Africa in my generation of students as well as the only African student in the specialty of Television and New Media.

It was a challenge to enter EICTV and to find funding a year ago, and I am facing a new challenge to not abandon my studies.

The lack of international relationships in my country (much less scholarships dedicated to Film and Television), means that students who study abroad have to depend on their own ability to pay. Currently, I have been unable to return home or work remotely from Cuba to continue paying for my studies. Despite being a creator of projects and documentaries (some of which have been broadcast in public television in my country), the scholarships that I have depended on since starting in the program at EICTV have fallen through.

The program that I am a part of is three years and the total cost is €15,000, €5,000 per year – people coming from African countries pay this same amount. I will begin the first semester of second year in September, and the first half of the payment is due before August 23rd. Given my situation it is impossible that I will be able to find this much money in such a short time, and I feel compelled to ask the help of my friends, family, and whoever believes it is important that people like me can finish their studies in a school such as EICTV.

I am grateful to everyone for their support, whether it is small or big donations, they all help accomplish this dream to study film in one of the best schools in Latin America and the world.

I was born and raised in Santo Tomé, licensed in journalism by UDM (University Eduardo Mondlane), and have a masters in Human Rights and Governance from the Universidade Técnica de Moçambique. I created the documentary ‘Marcas do Desterro’ (2015), that was financed by FUNDAC, and ‘O Estado Crioulo de África’, winner of the DOCTV-CPLP III-2018, that was shown in two countries. In 2016 I began ‘Reencontros’, a project where I showed the reunification, for the first time since independence, of people from Mozambique that were separated in the deportation process from Santo Tomé and Príncipe. This project was temporarily interrupted by my enrollment in EICTV in 2018, where I have taken the opportunity to create the fiction films of ‘Loca Pasión’ and ‘El Curandeiro’. My most recent work was the documentary short ‘Raízes de Oká’, in 2019.

 

Teodora de Ceita da Luz Martins ainda não publicou nenhuma notícia.