Abrace a comunidade |

Abrace a comunidade

Vamos abraçar juntos o Morro do Papagaio nesse momento de pandemia contra o COVID-19. Faça parte dessa corrente do bem, a comunidade precisa de você!

Projeto por: Associação Engenheiros sem Fronteiras – Brasil
R$ 10.806,00
arrecadado
meta R$ 10.000,00

157 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Associação Engenheiros sem Fronteiras – Brasil

 Associação Engenheiros sem Fronteiras – Brasil
R$ 10
Colaboração - 01
10 benfeitores apoiando
Agradecemos por sua contribuição! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 20
Colaboração - 02
21 benfeitores apoiando
Agradecemos por sua contribuição! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 50
Colaboração - 03
13 benfeitores apoiando
Agradecemos por sua contribuição! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 80
Colaboração - 04
Seja o primeiro a apoiar!
Agradecemos por sua contribuição! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 100
Colaboração - 05
7 benfeitores apoiando
Agradecemos por sua contribuição. Uma família receberá o seu ABRAÇO! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 200
Colaboração - 06
3 benfeitores apoiando
Agradecemos por sua colaboração. Duas famílias receberão o seu ABRAÇO! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 300
Colaboração - 07
Seja o primeiro a apoiar!
Agradecemos por sua colaboração. Três famílias receberão o seu ABRAÇO! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 500
Colaboração - 07
Seja o primeiro a apoiar!
Agradecemos por sua contribuição. Cinco famílias receberão o seu ABRAÇO! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 1.000
Colaboração - 08
Seja o primeiro a apoiar!
Agradecemos por sua contribuição. Dez famílias receberão o seu ABRAÇO! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES
R$ 3.000
Colaboração - 08
Seja o primeiro a apoiar!
Agradecemos por sua contribuição. Trinta famílias receberão o seu ABRAÇO! #JUNTOSSOMOSMAISFORTES

Você conhece o MORRO DO PAPAGAIO?

Localizado bem próximo à região central de Belo Horizonte, o Morro do Papagaio é um aglomerado de ocupações informais e espontâneas composto por 3 vilas _ Vila Estrela, a Vila Santa Rita de Cássia e a Barragem Santa Lucia_ e um “puxadinho” _ Predinhos (onde vivem antigos moradores das vilas e foram realocados para os prédio do Vila Viva).

Os moradores mais antigos contam que a história do aglomerado começou no início da década de 1920. Então, pela história local, a ocupação já está próxima de seus 100 anos e sua história coincide com o início da ocupação da capital mineira, que é do final do século XIX. O contraste entre os bairros e o Morro é, portanto, histórico, e sua paisagem, em contraste com o entorno da cidade, faz a desigualdade social gritar.



Na comunidade vivem aproximadamente 17 mil pessoas, e com o cenário atual da covid19 já existem algumas ações acontecendo no Morro, como campanhas de conscientização, fabricação de máscaras para proteção e outras doações, conduzidas pelo líder comunitário Julio Fessô e pela associação de moradores. Essas ações são importantes para o início do enfrentamento à nossa crise atual, mas são insuficientes para atender a necessidade de todos. Por isso, precisamos MUITO de você!

 

ELES PRECISAM DE VOCÊ!

A pandemia da COVID-19 escancarou (como nunca!) as enormes dificuldades sanitárias e de controle epidemiológico nas cidades brasileiras, em especial nas grandes cidades, onde a desigualdade social é assustadora e perigosa para todos, direta ou indiretamente.  

De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Data Favela e a Central Única das Favelas (Cufa), estima-se que:

 

De acordo com um estudo do Professor Rafael Ribeiro, do grupo de Políticas públicas e Desenvolvimento (GPPD), vinculado à Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o surto da COVID-19 deverá ocorrer entre 27 de abril a 11 de maio no estado de Minas Gerais, quando teremos o maior número de pessoas impactadas pela doença.

Esse contexto intenso de mudanças e incertezas chegou a todos os cantos de Belo Horizonte, inclusive nas regiões que já vivem em situação de vulnerabilidade social e econômica, como no Morro do Papagaio. E assim como na sua casa, as famílias de lá também estão com medo.

Aqui na comunidade, como em muitas outras favelas do Brasil, diversas famílias não vivem em habitações dignas, não contam com equipamentos comunitários, nem possuem infraestrutura mínima. Assim, muito antes do novo Coronavírus chegar, a comunidade já vivia e ainda vive em moradias que facilitam a propagação de doenças transmissíveis, com cômodos reduzidos, ventilação e iluminação naturais precárias e em muitas vezes, as famílias vivem em coabitação e com sistema inadequado de coleta e tratamento de esgoto e abastecimento de água.

Para você ter uma ideia, muitos moradores da comunidade são diaristas e autônomos, além de haver muitas mães solos. Sem renda nesse momento de crise, as famílias estão com dificuldades de adquirir itens básicos de alimentação, limpeza e higiene pessoal, já que os comerciantes locais adquirem os produtos com valor mais alto do que o normal por causa da crise, e repassam esse valor à comunidade, que por sua vez, está com os bolsos vazios.

Queremos reforçar o auxilio do governo e nos tornar mais um suporte para essas famílias, pois a fome não espera!

 

COMO VOCÊ PODE ABRAÇAR NOSSA COMUNIDADE?

Sabemos que os problemas estruturais do Morro do Papagaio não serão resolvidos agora, por isso, precisamos de você para conter os impactos mais imediatos e negativos que o novo Coronavírus pode trazer às famílias da comunidade.

Estamos preocupados com a vida das famílias e com atendimento básico à alimentação e à saúde. Com a sua participação, iremos centralizar recursos para viabilizar a compra e a distribuição de cestas básicas de alimentação e kits de limpeza/higiene pessoal para as famílias mais necessitadas deste auxílio.

O KIT QUE IREMOS DISTRIBUIR PARA A COMUNIDADE CONTÉM :

 

COMPARTILHE DAS NOSSAS METAS <3

Já comentamos por aqui que a comunidade abriga aproximadamente 17 mil habitantes, lembra? Dentre eles, a associação de moradores (Centro Comunitário Tio Flávio), estima que pelo menos 500 famílias precise da nossa ajuda através deste projeto, o #abraceacomunidade.

Assim, nossa meta é ajudar, o máximo de famílias possíveis que se encontram em situação de maior vulnerabilidade social e econômica.

 

O SEU REAL FAZ DIFERENÇA

Nós estamos agindo de forma coletiva e em cooperação conjunta. Em cada real que você puder doar ou para cada amigo que você puder compartilhar a nossa campanha, o nosso abraço CRESCE. E esse abraço precisa crescer até envolver todo o Morro do Papagaio. Vem com a gente!

Você pode doar qualquer quantia que puder clicando em “apoie com qualquer valor”, que está disponível abaixo dos valores pré-estipulados, e é importante lembrar que as cestas básicas de alimentação e os kits de limpeza/higiene pessoal serão adquiridos e entregues após o término da campanha!

 

SEJA UM BENFEITOR!

A plataforma Benfeitoria trabalha com a estratégia “ganha, ganha”, ou seja, quando o benfeitor realiza uma doação, ele ganha uma recompensa. Mas em nossa campanha, o investimento que seria feito em brindes aos benfeitores será revertido à comunidade e ressignificaremos essa recompensa, com a certeza de que a sua maior recompensa seja o maior atendimento possível à comunidade, que precisa muito desta ajuda.

 

CONHEÇA QUEM ESTÁ POR TRÁS DESSA CAMPANHA, CONHEÇA O ESF-BH!

Quem são os Engenheiros Sem Fronteiras?

A atuação dos núcleos da ONG Engenheiros Sem Fronteiras é gerida pela rede nacional ESF-Brasil. O ESF-Brasil faz parte da rede Engineers Without Borders – International (EWB-I), presente em 65 países ao redor do mundo. Desde 2010 no Brasil, a organização já impactou mais de 84 mil vidas. A rede atualmente conta com mais de 2000 voluntários espalhados em todas as regiões do país - https://esf.org.br/

Fazendo parte dessa rede nacional, o núcleo de Belo Horizonte surgiu em novembro de 2015, a partir de uma iniciativa de estudantes.

 

Atualmente a organização conta com 140 voluntários, dentre membros efetivos e os colaboradores chamados de "Amigos Sem Fronteiras". Conseguir envolver mudanças sociais e as técnicas presentes na Engenharia é o grande desafio do núcleo. A atuação da organização promove a Engenharia Popular, que permite que comunidades e pessoas vulnerabilizadas consigam viver em ambientes com infraestrutura adequada (com saneamento básico, iluminação pública, estruturas de habitações etc). A equipe da organização é multidisciplinar e conta com estudantes e profissionais atuantes em diversos setores no mercado.

A ONG já realizou e vem realizando uma série de eventos, ações sociais e outras intervenções importantes, como as que foram realizadas na creche Lar dos Meninos (captação de água, horta, reforma do banheiro da creche, pintura da fachada e casinha de materiais reciclados para as crianças) e o Integre-se por Luz que se objetiva por levar iluminação de base tecnológica sustentável para áreas socialmente vulneráveis. E hoje estamos aqui, mais uma vez abraçando a comunidade!

Com os impactos gerados por seus projetos, a rede nacional Engenheiros Sem Fronteiras foi premiada no prêmio "Melhores ONGs 2019" como a melhor ONG de desenvolvimento local no país.

 

FALE CONOSCO

Se você ainda tem alguma dúvida ou queira conversar com nossa equipe, entre em contato conosco! Você pode enviar um e-mail para comunicacao.bh@esf-brasil.org.

Você também pode acompanhar nosso trabalho através das nossas redes de comunicação:

Instagram: @esf.bh

Facebook: Engenheiros sem Fronteiras – Núcleo BH

Site (nacional): https://esf.org.br/

Associação Engenheiros sem Fronteiras – Brasil ainda não publicou nenhuma notícia.

Você conhece o MORRO DO PAPAGAIO?

Localizado bem próximo à região central de Belo Horizonte, o Morro do Papagaio é um aglomerado de ocupações informais e espontâneas composto por 3 vilas _ Vila Estrela, a Vila Santa Rita de Cássia e a Barragem Santa Lucia_ e um “puxadinho” _ Predinhos (onde vivem antigos moradores das vilas e foram realocados para os prédio do Vila Viva).

Os moradores mais antigos contam que a história do aglomerado começou no início da década de 1920. Então, pela história local, a ocupação já está próxima de seus 100 anos e sua história coincide com o início da ocupação da capital mineira, que é do final do século XIX. O contraste entre os bairros e o Morro é, portanto, histórico, e sua paisagem, em contraste com o entorno da cidade, faz a desigualdade social gritar.



Na comunidade vivem aproximadamente 17 mil pessoas, e com o cenário atual da covid19 já existem algumas ações acontecendo no Morro, como campanhas de conscientização, fabricação de máscaras para proteção e outras doações, conduzidas pelo líder comunitário Julio Fessô e pela associação de moradores. Essas ações são importantes para o início do enfrentamento à nossa crise atual, mas são insuficientes para atender a necessidade de todos. Por isso, precisamos MUITO de você!

 

ELES PRECISAM DE VOCÊ!

A pandemia da COVID-19 escancarou (como nunca!) as enormes dificuldades sanitárias e de controle epidemiológico nas cidades brasileiras, em especial nas grandes cidades, onde a desigualdade social é assustadora e perigosa para todos, direta ou indiretamente.  

De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Data Favela e a Central Única das Favelas (Cufa), estima-se que:

 

De acordo com um estudo do Professor Rafael Ribeiro, do grupo de Políticas públicas e Desenvolvimento (GPPD), vinculado à Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o surto da COVID-19 deverá ocorrer entre 27 de abril a 11 de maio no estado de Minas Gerais, quando teremos o maior número de pessoas impactadas pela doença.

Esse contexto intenso de mudanças e incertezas chegou a todos os cantos de Belo Horizonte, inclusive nas regiões que já vivem em situação de vulnerabilidade social e econômica, como no Morro do Papagaio. E assim como na sua casa, as famílias de lá também estão com medo.

Aqui na comunidade, como em muitas outras favelas do Brasil, diversas famílias não vivem em habitações dignas, não contam com equipamentos comunitários, nem possuem infraestrutura mínima. Assim, muito antes do novo Coronavírus chegar, a comunidade já vivia e ainda vive em moradias que facilitam a propagação de doenças transmissíveis, com cômodos reduzidos, ventilação e iluminação naturais precárias e em muitas vezes, as famílias vivem em coabitação e com sistema inadequado de coleta e tratamento de esgoto e abastecimento de água.

Para você ter uma ideia, muitos moradores da comunidade são diaristas e autônomos, além de haver muitas mães solos. Sem renda nesse momento de crise, as famílias estão com dificuldades de adquirir itens básicos de alimentação, limpeza e higiene pessoal, já que os comerciantes locais adquirem os produtos com valor mais alto do que o normal por causa da crise, e repassam esse valor à comunidade, que por sua vez, está com os bolsos vazios.

Queremos reforçar o auxilio do governo e nos tornar mais um suporte para essas famílias, pois a fome não espera!

 

COMO VOCÊ PODE ABRAÇAR NOSSA COMUNIDADE?

Sabemos que os problemas estruturais do Morro do Papagaio não serão resolvidos agora, por isso, precisamos de você para conter os impactos mais imediatos e negativos que o novo Coronavírus pode trazer às famílias da comunidade.

Estamos preocupados com a vida das famílias e com atendimento básico à alimentação e à saúde. Com a sua participação, iremos centralizar recursos para viabilizar a compra e a distribuição de cestas básicas de alimentação e kits de limpeza/higiene pessoal para as famílias mais necessitadas deste auxílio.

O KIT QUE IREMOS DISTRIBUIR PARA A COMUNIDADE CONTÉM :

 

COMPARTILHE DAS NOSSAS METAS <3

Já comentamos por aqui que a comunidade abriga aproximadamente 17 mil habitantes, lembra? Dentre eles, a associação de moradores (Centro Comunitário Tio Flávio), estima que pelo menos 500 famílias precise da nossa ajuda através deste projeto, o #abraceacomunidade.

Assim, nossa meta é ajudar, o máximo de famílias possíveis que se encontram em situação de maior vulnerabilidade social e econômica.

 

O SEU REAL FAZ DIFERENÇA

Nós estamos agindo de forma coletiva e em cooperação conjunta. Em cada real que você puder doar ou para cada amigo que você puder compartilhar a nossa campanha, o nosso abraço CRESCE. E esse abraço precisa crescer até envolver todo o Morro do Papagaio. Vem com a gente!

Você pode doar qualquer quantia que puder clicando em “apoie com qualquer valor”, que está disponível abaixo dos valores pré-estipulados, e é importante lembrar que as cestas básicas de alimentação e os kits de limpeza/higiene pessoal serão adquiridos e entregues após o término da campanha!

 

SEJA UM BENFEITOR!

A plataforma Benfeitoria trabalha com a estratégia “ganha, ganha”, ou seja, quando o benfeitor realiza uma doação, ele ganha uma recompensa. Mas em nossa campanha, o investimento que seria feito em brindes aos benfeitores será revertido à comunidade e ressignificaremos essa recompensa, com a certeza de que a sua maior recompensa seja o maior atendimento possível à comunidade, que precisa muito desta ajuda.

 

CONHEÇA QUEM ESTÁ POR TRÁS DESSA CAMPANHA, CONHEÇA O ESF-BH!

Quem são os Engenheiros Sem Fronteiras?

A atuação dos núcleos da ONG Engenheiros Sem Fronteiras é gerida pela rede nacional ESF-Brasil. O ESF-Brasil faz parte da rede Engineers Without Borders – International (EWB-I), presente em 65 países ao redor do mundo. Desde 2010 no Brasil, a organização já impactou mais de 84 mil vidas. A rede atualmente conta com mais de 2000 voluntários espalhados em todas as regiões do país - https://esf.org.br/

Fazendo parte dessa rede nacional, o núcleo de Belo Horizonte surgiu em novembro de 2015, a partir de uma iniciativa de estudantes.

 

Atualmente a organização conta com 140 voluntários, dentre membros efetivos e os colaboradores chamados de "Amigos Sem Fronteiras". Conseguir envolver mudanças sociais e as técnicas presentes na Engenharia é o grande desafio do núcleo. A atuação da organização promove a Engenharia Popular, que permite que comunidades e pessoas vulnerabilizadas consigam viver em ambientes com infraestrutura adequada (com saneamento básico, iluminação pública, estruturas de habitações etc). A equipe da organização é multidisciplinar e conta com estudantes e profissionais atuantes em diversos setores no mercado.

A ONG já realizou e vem realizando uma série de eventos, ações sociais e outras intervenções importantes, como as que foram realizadas na creche Lar dos Meninos (captação de água, horta, reforma do banheiro da creche, pintura da fachada e casinha de materiais reciclados para as crianças) e o Integre-se por Luz que se objetiva por levar iluminação de base tecnológica sustentável para áreas socialmente vulneráveis. E hoje estamos aqui, mais uma vez abraçando a comunidade!

Com os impactos gerados por seus projetos, a rede nacional Engenheiros Sem Fronteiras foi premiada no prêmio "Melhores ONGs 2019" como a melhor ONG de desenvolvimento local no país.

 

FALE CONOSCO

Se você ainda tem alguma dúvida ou queira conversar com nossa equipe, entre em contato conosco! Você pode enviar um e-mail para comunicacao.bh@esf-brasil.org.

Você também pode acompanhar nosso trabalho através das nossas redes de comunicação:

Instagram: @esf.bh

Facebook: Engenheiros sem Fronteiras – Núcleo BH

Site (nacional): https://esf.org.br/

Associação Engenheiros sem Fronteiras – Brasil ainda não publicou nenhuma notícia.