Adote uma cisterna na comunidade Quilombola Santo Isidoro |

Adote uma cisterna na comunidade Quilombola Santo Isidoro

Água é um direito. Nos ajude a garantir água de qualidade e em quantidade suficiente para a comunidade quilombola Santo Isidoro, no Vale do Jequitinhonha/MG.

Projeto por: Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais
R$ 240,00
arrecadado
meta R$ 200.000,00

5 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais

Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais

A campanha Água, Esperança de Vida: adote uma cisterna na comunidade quilombola Santo Isidoro foi criada para arrecadar recursos para custear 79 cisternas ​de placas de armazenamento de água de chuva que foram construídas na comunidade quilombola de Santo Isidoro, município de Berilo, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. Cada cisterna tem um custo de R$ 3.277,89, totalizando um valor gasto de R$ 258.953,31.

Através do armazenamento da água da chuva em cisternas construídas com placas de cimento ao lado de casa, as pessoas que vivem no quilombo Santo Isidoro passaram a ter água de qualidade e em quantidade suficiente para consumo de toda a família. Com a chegada das cisternas, não é mais necessário comprar água do carro pipa ou o sacrifício de andar quilômetros para buscar água para fazer um café, cozinhar e beber. A realidade do quilombo mudou e agora nós precisamos da sua ajuda para pagar as cisternas.

“Pulei de alegria quando recebi essa caixa. Meus olhos encheram de lágrimas por saber que vinha cisterna pra cá. Agora só de saber que vai chover, alegria, alegria. O dia que terminou a cisterna nós soltamos fogos de alegria, foi festa! A nossa qualidade de vida vai melhorar, pois não vou precisar comprar água do carro pipa. Quando a caixa encher, vou filmar e mandar para o Brasil ver. É divino, benção de Deus!”, conta Carla Maria Do Rosário Saúde Rodrigues,moradora da comunidade Santo Isidoro.
 

COMO FUNCIONA A CISTERNA?

Cada cisterna tem capacidade para armazenar 16 mil litros de água, volume suficiente para abastecer uma família de até seis pessoas no período de estiagem, que pode chegar a oito meses na região. O seu funcionamento é bem simples: durante as chuvas, a água que cai no telhado da casa escoa pela calha e fica armazenada na cisterna. É uma tecnologia social simples que já mudou a vida de 1 milhão e 375 mil famílias do semiárido brasileiro e está transformando a vida das 79 famílias do quilombo Santo Isidoro.

O SEMIÁRIDO MINEIRO

O semiárido brasileiro ocupa 12% do território nacional, abrangendo 1.262 municípios do nordeste, do Norte de Minas e do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. O Brasil tem o semiárido mais chuvoso do mundo, no entanto a chuva é concentrada em poucos meses do ano e distribuída de forma irregular. Esse desafio tem sido enfrentado pelas famílias agricultoras através do armazenamento da água de chuva em tecnologias sociais, como a cisterna de placas ou caixa, como é popularmente conhecida em Minas. Não se pode combater a seca, mas os povos do semiárido criaram muitas possibilidades de convivência com a região. Vamos ajudar?

A CÁRITAS DIOCESANA DE ALMENARA

Com quase 40 anos de história, a Cáritas de Almenara tem a missão de lutar pela promoção da vida e defesa da justiça e da solidariedade em uma das regiões de maior desigualdade e exclusão social do país, o baixo Vale do Jequitinhonha/MG. Desde sua fundação, a instituição tem como prioridade atuar junto às populações do campo, potencializando as iniciativas locais, a partilha e a construção de conhecimentos inovadores, sempre em busca de um desenvolvimento rural sustentável e solidário.

Com larga experiência, a Cáritas de Almenara já construiu mais de 4 mil cisternas na região do semiárido mineiro, garantindo dignidade, qualidade de vida, saúde e alegria para as famílias.

Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais ainda não publicou nenhuma notícia.

A campanha Água, Esperança de Vida: adote uma cisterna na comunidade quilombola Santo Isidoro foi criada para arrecadar recursos para custear 79 cisternas ​de placas de armazenamento de água de chuva que foram construídas na comunidade quilombola de Santo Isidoro, município de Berilo, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. Cada cisterna tem um custo de R$ 3.277,89, totalizando um valor gasto de R$ 258.953,31.

Através do armazenamento da água da chuva em cisternas construídas com placas de cimento ao lado de casa, as pessoas que vivem no quilombo Santo Isidoro passaram a ter água de qualidade e em quantidade suficiente para consumo de toda a família. Com a chegada das cisternas, não é mais necessário comprar água do carro pipa ou o sacrifício de andar quilômetros para buscar água para fazer um café, cozinhar e beber. A realidade do quilombo mudou e agora nós precisamos da sua ajuda para pagar as cisternas.

“Pulei de alegria quando recebi essa caixa. Meus olhos encheram de lágrimas por saber que vinha cisterna pra cá. Agora só de saber que vai chover, alegria, alegria. O dia que terminou a cisterna nós soltamos fogos de alegria, foi festa! A nossa qualidade de vida vai melhorar, pois não vou precisar comprar água do carro pipa. Quando a caixa encher, vou filmar e mandar para o Brasil ver. É divino, benção de Deus!”, conta Carla Maria Do Rosário Saúde Rodrigues,moradora da comunidade Santo Isidoro.
 

COMO FUNCIONA A CISTERNA?

Cada cisterna tem capacidade para armazenar 16 mil litros de água, volume suficiente para abastecer uma família de até seis pessoas no período de estiagem, que pode chegar a oito meses na região. O seu funcionamento é bem simples: durante as chuvas, a água que cai no telhado da casa escoa pela calha e fica armazenada na cisterna. É uma tecnologia social simples que já mudou a vida de 1 milhão e 375 mil famílias do semiárido brasileiro e está transformando a vida das 79 famílias do quilombo Santo Isidoro.

O SEMIÁRIDO MINEIRO

O semiárido brasileiro ocupa 12% do território nacional, abrangendo 1.262 municípios do nordeste, do Norte de Minas e do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. O Brasil tem o semiárido mais chuvoso do mundo, no entanto a chuva é concentrada em poucos meses do ano e distribuída de forma irregular. Esse desafio tem sido enfrentado pelas famílias agricultoras através do armazenamento da água de chuva em tecnologias sociais, como a cisterna de placas ou caixa, como é popularmente conhecida em Minas. Não se pode combater a seca, mas os povos do semiárido criaram muitas possibilidades de convivência com a região. Vamos ajudar?

A CÁRITAS DIOCESANA DE ALMENARA

Com quase 40 anos de história, a Cáritas de Almenara tem a missão de lutar pela promoção da vida e defesa da justiça e da solidariedade em uma das regiões de maior desigualdade e exclusão social do país, o baixo Vale do Jequitinhonha/MG. Desde sua fundação, a instituição tem como prioridade atuar junto às populações do campo, potencializando as iniciativas locais, a partilha e a construção de conhecimentos inovadores, sempre em busca de um desenvolvimento rural sustentável e solidário.

Com larga experiência, a Cáritas de Almenara já construiu mais de 4 mil cisternas na região do semiárido mineiro, garantindo dignidade, qualidade de vida, saúde e alegria para as famílias.

Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais ainda não publicou nenhuma notícia.