Ajudando a resistir |

Ajudando a resistir

Os alunos da Escola Parque fazem uma convocação: É hora da ação! Cada um fazendo a sua parte para ajudar quem precisa.

Projeto por: Téo Benjamin
R$ 11.320,00
arrecadado
meta R$ 5.000,00

62 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Téo Benjamin

Téo Benjamin
R$ 20
Apoiar essa campanha com R$ 20
3 benfeitores apoiando
R$ 50
Apoiar essa campanha com R$ 50
3 benfeitores apoiando
R$ 80
Apoiar essa campanha com R$ 80
3 benfeitores apoiando
R$ 100
Apoiar essa campanha com R$ 100
8 benfeitores apoiando
R$ 200
Apoiar essa campanha com R$ 200
1 benfeitor apoiando
R$ 300
Apoiar essa campanha com R$ 300
2 benfeitores apoiando
R$ 500
Apoiar essa campanha com R$ 500
Seja o primeiro a apoiar!
R$ 1.000
Apoiar essa campanha com R$ 1000
Seja o primeiro a apoiar!
R$ 3.000
Apoiar essa campanha com R$ 3000
Seja o primeiro a apoiar!

Olá, somos um grupo de alunos do Ensino Médio da Escola Parque - Gávea.

A pandemia do COVID-19 vem mudando tudo e nos preocupando. Sabemos que neste momento, a desigualdade social se agrava ainda mais e muita gente precisa de ajuda. O empilhamento de tantos problemas e o distanciamento imposto pelo vírus nos traz um sentimento de impotência. Afinal, como podemos ajudar?

Dentro da Escola, buscamos sempre uma conexão com a Rocinha, nossa vizinha, e agora não seria diferente. Mesmo sem poder sair de casa, queremos apoiar quem está na ponta, o que é essencial na nossa visão. Ainda mais em um momento tão delicado como esse, em que se é necessário muita empatia e solidariedade.

Com esse objetivo, contactamos o coletivo A Rocinha Resiste com o intuito de criar essa campanha de financiamento coletivo, buscando arrecadar dinheiro e ajudar na estruturação do projeto para que ele possa continuar ajudando os moradores, debatendo ideias, criando conceitos e concretizando ações visando transformar o seu território.

Sobre o projeto

A Rocinha Resiste é uma rede mobilizadora formada por pessoas ligadas à Rocinha e que reúne saberes múltiplos. Sua proposta é, num diálogo aberto com outras favelas, debater ideias, criar conceitos e concretizar ações para a transformação da realidade deste território, levando em consideração seus problemas históricos e emergentes.

O coletivo oferece um grande suporte dentro da comunidade da Rocinha, onde já realizou diversos projetos. Um deles foi um mutirão visando a arrecadação de recursos para famílias vítimas de chuvas fortes que ocorreram na Rocinha em fevereiro. Outro projeto muito relevante é o Rocinha contra o coronavírus, em que foi arrecadado dinheiro que foi revertido em cestas básicas e insumos necessários para a proteção pessoal e sobrevivência durante esse período, no qual alguns moradores estão sem receber salário e outros têm que ir trabalhar mesmo na presença da pandemia, o que é um grande risco. Há também o Covid-19 na Rocinha, que almeja criar um registro da pandemia na favela sob o olhar do morador. Essa construção se dará de maneira colaborativa com artistas e comunicadores locais, através de um curso online com o objetivo de potencializar o alcance dos trabalhos realizados.

O projeto passou por uma etapa aguda de ações de rua visando o combate aos impactos do coronavírus e agora precisa de apoio para seguir trabalhando em uma segunda etapa mais interna, tão importante quanto, ainda que com menos visibilidade.

A coordenação do coletivo A Rocinha Resiste é composta por Leandro Castro, Magda Gomes, Michele Lacerda e Pedro Paiva, mas também é fundamental destacar a presença dos voluntários que fazem tudo isso acontecer. Através deles, e com um pouquinho da nossa ajuda, a Rocinha seguirá resistindo!

 

Téo Benjamin ainda não publicou nenhuma notícia.

Olá, somos um grupo de alunos do Ensino Médio da Escola Parque - Gávea.

A pandemia do COVID-19 vem mudando tudo e nos preocupando. Sabemos que neste momento, a desigualdade social se agrava ainda mais e muita gente precisa de ajuda. O empilhamento de tantos problemas e o distanciamento imposto pelo vírus nos traz um sentimento de impotência. Afinal, como podemos ajudar?

Dentro da Escola, buscamos sempre uma conexão com a Rocinha, nossa vizinha, e agora não seria diferente. Mesmo sem poder sair de casa, queremos apoiar quem está na ponta, o que é essencial na nossa visão. Ainda mais em um momento tão delicado como esse, em que se é necessário muita empatia e solidariedade.

Com esse objetivo, contactamos o coletivo A Rocinha Resiste com o intuito de criar essa campanha de financiamento coletivo, buscando arrecadar dinheiro e ajudar na estruturação do projeto para que ele possa continuar ajudando os moradores, debatendo ideias, criando conceitos e concretizando ações visando transformar o seu território.

Sobre o projeto

A Rocinha Resiste é uma rede mobilizadora formada por pessoas ligadas à Rocinha e que reúne saberes múltiplos. Sua proposta é, num diálogo aberto com outras favelas, debater ideias, criar conceitos e concretizar ações para a transformação da realidade deste território, levando em consideração seus problemas históricos e emergentes.

O coletivo oferece um grande suporte dentro da comunidade da Rocinha, onde já realizou diversos projetos. Um deles foi um mutirão visando a arrecadação de recursos para famílias vítimas de chuvas fortes que ocorreram na Rocinha em fevereiro. Outro projeto muito relevante é o Rocinha contra o coronavírus, em que foi arrecadado dinheiro que foi revertido em cestas básicas e insumos necessários para a proteção pessoal e sobrevivência durante esse período, no qual alguns moradores estão sem receber salário e outros têm que ir trabalhar mesmo na presença da pandemia, o que é um grande risco. Há também o Covid-19 na Rocinha, que almeja criar um registro da pandemia na favela sob o olhar do morador. Essa construção se dará de maneira colaborativa com artistas e comunicadores locais, através de um curso online com o objetivo de potencializar o alcance dos trabalhos realizados.

O projeto passou por uma etapa aguda de ações de rua visando o combate aos impactos do coronavírus e agora precisa de apoio para seguir trabalhando em uma segunda etapa mais interna, tão importante quanto, ainda que com menos visibilidade.

A coordenação do coletivo A Rocinha Resiste é composta por Leandro Castro, Magda Gomes, Michele Lacerda e Pedro Paiva, mas também é fundamental destacar a presença dos voluntários que fazem tudo isso acontecer. Através deles, e com um pouquinho da nossa ajuda, a Rocinha seguirá resistindo!

 

Téo Benjamin ainda não publicou nenhuma notícia.