ALENTE |

ALENTE

O projeto promove a importância do aleitamento materno e incentiva a doação aos bancos de leite, fazendo com que este leite chegue ao bebê e salve sua vida.

Projeto por: Renata Mesquita e Mariana Chaves
R$ 1.320,00
arrecadado
meta R$ 20.000,00

14 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Renata Mesquita Viegas Calabria

renatamesquita81@hotmail.com

Renata Mesquita e Mariana Chaves
R$ 10
Lactância: vidas em um só gesto
1 benfeitor apoiando
R$ 20
Lactância: vidas em um só gesto
2 benfeitores apoiando
e-book de receita saudável produzido pela brilhante Patrícia Melo @patty_meloaguiar
R$ 40
Lactância: vidas em um só gesto
2 benfeitores apoiando
e-book de receita saudável produzido pela brilhante Patrícia Melo @patty_meloaguiar
R$ 60
Lactância: vidas em um só gesto
1 benfeitor apoiando
1 e-book de lanche saudável e 1 e-book de comidas saudáveis produzido pela brilhante Patrícia Melo @patty_meloaguiar
R$ 80
Lactância: vidas em um só gesto
Seja o primeiro a apoiar!
1 e-book de lanche saudável e 1 e-book de comidas saudáveis produzido pela brilhante Patrícia Melo @patty_meloaguiar
R$ 100
Lactância: vidas em um só gesto
6 benfeitores apoiando
1 e-book de lanche saudável e 1 e-book de comidinhas saudáveis produzido pela brilhante Patrícia Melo @patty_meloaguiar
R$ 200
Lactância: vidas em um só gesto
1 benfeitor apoiando
1 e-book de lanche saudável e 1 e-book de comidas saudáveis produzido pela brilhante Patrícia Melo @patty_meloaguiar

No início da pandemia, ao assistir uma reportagem sobre o baixo estoque dos bancos leite pensei como poderia fazer algo para reverter essa situação. 

Então entrei em contato com o Banco de leite que aparece na dita reportagem afim de entender o que dificultava as doações.

 

Notei que o gargalo estava em captar as doadoras devido a falta de informações de fácil acesso e pelo fato que as lactantes precisam conseguir os primeiros potes para armazenamento do leite a ser doado. 

 

Assim, montei uma campanha me propondo a recolher os potes de quem os tivesse para doação e entregá-los às lactantes aptas para doarem leite fazendo seu atendimento e repassando as informações necessárias para cadastro junto ao banco de leite e material sobre higienização e armazenamento do leite.

 

Coincidentemente, a campanha foi lançada na sexta feira santa e com três dias de campanha fui convidada a dar entrevista a um jornal local

   http://globoplay.globo.com/v/8476809/  aumentando a visibilidade e ajudando a elevar o estoque do banco de leite de 20% para 50% em 10 dias de campanha com total de 20 lactantes atendidas.

 

Foi criado um instagram @leitematerno.pe,  mas confesso que sem recuso para muitos atendimentos não pude movimentar muito.

Contudo, sem recurso tem ficado muito difícil manter a campanha.

 

Com a organização e experiência da ação no início da pandemia, vi que seria possível tornar esta campanha permanente ampliando também  o trabalho de conscientização, educação e assistência atuando diretamente junto a médicos e especialistas com produção de material gráfico e digital que auxilie na propagação da lactância. 

 

Este dinheiro será usado para cobrir custos de constituição e gestão de uma ONG, como também custos de campanha permanente de estímulo a lactaçao e doação de leite materno, bem como, doação dos potes para armazenar o leite coletado a ser entregues aos bancos de leite, salvando a vida de muitos bebês e orientando as mães através do atendimento virtual nesse processo onde tantas possuem dificuldades.

 

Esta renda será utilizada da seguinte forma:

 

1.  Retomar as ações de coleta e entrega dos potes com um motoqueiro. 

2. Produção dos folders e panfletos à serem entregues em estabelecimentos visitados.

3. Visitas à médicos especialistas como pediatra e obstetras 

4. Produção do material visual a ser usado nas redes sociais e site.

5. Criação do site 

6. Fomentação da campanha.

Renata Mesquita e Mariana Chaves ainda não publicou nenhuma notícia.

No início da pandemia, ao assistir uma reportagem sobre o baixo estoque dos bancos leite pensei como poderia fazer algo para reverter essa situação. 

Então entrei em contato com o Banco de leite que aparece na dita reportagem afim de entender o que dificultava as doações.

 

Notei que o gargalo estava em captar as doadoras devido a falta de informações de fácil acesso e pelo fato que as lactantes precisam conseguir os primeiros potes para armazenamento do leite a ser doado. 

 

Assim, montei uma campanha me propondo a recolher os potes de quem os tivesse para doação e entregá-los às lactantes aptas para doarem leite fazendo seu atendimento e repassando as informações necessárias para cadastro junto ao banco de leite e material sobre higienização e armazenamento do leite.

 

Coincidentemente, a campanha foi lançada na sexta feira santa e com três dias de campanha fui convidada a dar entrevista a um jornal local

   http://globoplay.globo.com/v/8476809/  aumentando a visibilidade e ajudando a elevar o estoque do banco de leite de 20% para 50% em 10 dias de campanha com total de 20 lactantes atendidas.

 

Foi criado um instagram @leitematerno.pe,  mas confesso que sem recuso para muitos atendimentos não pude movimentar muito.

Contudo, sem recurso tem ficado muito difícil manter a campanha.

 

Com a organização e experiência da ação no início da pandemia, vi que seria possível tornar esta campanha permanente ampliando também  o trabalho de conscientização, educação e assistência atuando diretamente junto a médicos e especialistas com produção de material gráfico e digital que auxilie na propagação da lactância. 

 

Este dinheiro será usado para cobrir custos de constituição e gestão de uma ONG, como também custos de campanha permanente de estímulo a lactaçao e doação de leite materno, bem como, doação dos potes para armazenar o leite coletado a ser entregues aos bancos de leite, salvando a vida de muitos bebês e orientando as mães através do atendimento virtual nesse processo onde tantas possuem dificuldades.

 

Esta renda será utilizada da seguinte forma:

 

1.  Retomar as ações de coleta e entrega dos potes com um motoqueiro. 

2. Produção dos folders e panfletos à serem entregues em estabelecimentos visitados.

3. Visitas à médicos especialistas como pediatra e obstetras 

4. Produção do material visual a ser usado nas redes sociais e site.

5. Criação do site 

6. Fomentação da campanha.

Renata Mesquita e Mariana Chaves ainda não publicou nenhuma notícia.