Movimento Amigos de Darcy Ribeiro |

Movimento Amigos de Darcy Ribeiro

A FUNDAÇÃO DARCY RIBEIRO convida todos que se identificam com seus ideais a formar o Movimento Amigos de Darcy Ribeiro. Faça parte desse Movimento!

Projeto por: Fundação Darcy Ribeiro
R$ 40.460,00
arrecadado
meta R$ 40.000,00

144 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Fundação Darcy Ribeiro

contato@fundar.org.br

Fundação Darcy Ribeiro
R$ 20
Ararinha Azul
19 benfeitores apoiando
Certificado de participação do Movimento Amigos de Darcy.
R$ 50
Mico Leão Dourado
37 benfeitores apoiando
01 livro da coleção Darcy no Bolso e o certificado de participação do Movimento Amigos de Darcy

1156 disponíveis.
R$ 100
Gato Maracajá
52 benfeitores apoiando
03 livros da coleção Darcy no bolso e o certificado de participação do Movimento Amigos de Darcy

441 disponíveis.
R$ 200
Lobo Guará
24 benfeitores apoiando
01 livro da coleção Franceses no Brasil + 03 livros da Coleção Darcy no Bolso e o certificado de participação do Movimento Amigos de Darcy.
R$ 500
Boto Cor de Rosa
9 benfeitores apoiando
Coleção Franceses no Brasil(05 livros) + Coleção Darcy no Bolso (10 livros) e o certificado de participação do Movimento Amigos de Darcy

90 disponíveis.
R$ 1.000
Tamanduá Bandeira
8 benfeitores apoiando
Col. Franceses no Brasil (05) + Col. Darcy no Bolso (10) + O Povo Brasileiro (01) + Maíra (01) e o certificado de participação do Movimento Amigos de Darcy.
R$ 1.500
Onça Pintada
6 benfeitores apoiando
Coleções Franceses (05) + Col. Darcy no Bolso (10) + O Povo Brasileiro (01) + Maíra (01) + Beijodromo (01) e o certificado de participação do Movimento Amigos de Darcy

 

“Vivi sempre pregando e lutando pelas causas que me comovem: a salvação dos índios, a escolarização das crianças, a reforma agrária, o socialismo em liberdade, a universidade necessária. Somei mais fracassos que vitórias. Horrível seria ter ficado ao lado dos que nos venceram nessas batalhas. ” (Carta aos moços, 1994)

Há 24 anos Darcy Ribeiro criou a Fundação que leva seu nome, para seguir com essas lutas, que sabia, continuariam atuais para muito além do seu tempo de vida. Essas lutas são os nossos objetivos.

O trágico ano de 2020 escancarou nossas desigualdades e, para nossa tristeza, mostrou o quanto de ódio, intolerância e incompreensão ainda persiste em nossa sociedade.

Neste contexto de grandes dificuldades, a Fundação Darcy Ribeiro vem convidar aqueles que se identificam com seus ideais para formar o Movimento Amigos de Darcy Ribeiro e colaborar conosco, de modo que, mais fortalecidos, possamos continuar nossa jornada em busca das utopias de Darcy Ribeiro e do povo brasileiro.

Com os nossos sinceros agradecimentos

 

 

Assista videos com depoimentos de Amigos de Darcy


RECOMPENSAS


Colaborando com o Movimento Amigos de Darcy você receberá uma dessas recompensas, de acordo com sua doação.É também uma forma de difundir as utopias De Darcy Ribeiro. 

 

Coleção Darcy de Bolso

 

A coleção Darcy no Bolso, com 10 livros, aborda a infância em Montes Claros, os anos de formação em Belo Horizonte, os amores, os tempos em que viveu com os índios, a visão sobre o Brasil, as reflexões sobre a América Latina, o depoimento sobre o golpe de 1964 na era Jango, a criação da UnB, a vivência do exílio.

 

Coleção Os Franceses no Brasil

A publicação da coleção Os Franceses no Brasil disponibiliza ao público as obras mais importantes sobre a participação dos franceses na conquista do Brasil. A coleção reúne testemunhos da tentativa de colonização francesa no Brasil no Século XVI e início do Século XVII, com relatos sobre os projetos da França Antártica, uma colônia calvinista no Rio de Janeiro, e da França Equinocial no Maranhão. A descrição da terra e dos índios, seus costumes e vida nas aldeias, os conflitos entre os colonizadores e a aventura colonial são alguns dos eventos relatados por Yves d’Evreux, André Thevet, Jean de Léry e nas correspondências de Villegaignon.

Trata-se da edição crítica de um conjunto de quatro livros, incluindo a publicação inédita das correspondências de Nicolas Durand de Villegaignon, que formulou e liderou o projeto da colônia francesa no Rio de Janeiro entre 1555 e 1557. Completam a coleção a publicação de novas traduções, mais completas e revisadas, das obras de Jean de Léry, André Thevet e Yves D’Evreux.

Maíra

Maíra , romance de  estreia  de  Darcy Ribeiro, traz para o universo ficcional sua experiência como antropólogo, o que levou o crítico literário Antônio Candido a afirmar: “curioso é o caso de um antropólogo como Darcy Ribeiro, que no romance Maíra renovou o tema indígena, superando a barreira dos gêneros numa admirável narrativa onde o mitológico, o social e o individual se cruzam para formar um espaço novo e raro.

O Povo Brasileiro

 

O livro trata das matrizes culturais e dos mecanismos de formação étnica e cultural do povo brasileiro.

No prefácio da primeira edição, de 1995, Darcy Ribeiro afirma que escrever este livro “foi o maior desafio” que se propôs. Demorou 30 anos para escrevê-lo. Segundo Darcy, o livro unifica uma teoria de base empírica de classes sociais no Brasil e na América Latina; uma tipologia das formas de exercício do poder e de militância política; e uma teoria de cultura.

Trate-se da obra final do autor publicada antes de sua morte. É revestida de opiniões e impressões formadas pela experiência da vida do autor. O livro apresenta as formas através das quais a empresa “Brasil” moldou as zonas de habitação humana no território nacional e sua influência na miscigenação das 3 matrizes básicas formadoras do brasileiro

Beijódromo

A publicação Beijódromo apresenta com textos e fotos o Memorial Darcy Ribeiro, situado no campus da UnB, local escolhido por Darcy para eternizar suas ideias e projetos e para abrigar o acervo e biblioteca de Darcy e Berta Ribeiro. Como ele mesmo dizia, um lugar “enorme, sem janelas, com iluminação zenital, na forma de maloca ou disco voador. O melhor porém, fica do lado de fora, é o Beijódromo do Darcy, um palco para serestas, leitura de poesias e teatro, diante de uma arquibancada para namorar, beijar e ver a lua cheia."

 

 

 

 

 

 

 

Fundação Darcy Ribeiro ainda não publicou nenhuma notícia.

 

“Vivi sempre pregando e lutando pelas causas que me comovem: a salvação dos índios, a escolarização das crianças, a reforma agrária, o socialismo em liberdade, a universidade necessária. Somei mais fracassos que vitórias. Horrível seria ter ficado ao lado dos que nos venceram nessas batalhas. ” (Carta aos moços, 1994)

Há 24 anos Darcy Ribeiro criou a Fundação que leva seu nome, para seguir com essas lutas, que sabia, continuariam atuais para muito além do seu tempo de vida. Essas lutas são os nossos objetivos.

O trágico ano de 2020 escancarou nossas desigualdades e, para nossa tristeza, mostrou o quanto de ódio, intolerância e incompreensão ainda persiste em nossa sociedade.

Neste contexto de grandes dificuldades, a Fundação Darcy Ribeiro vem convidar aqueles que se identificam com seus ideais para formar o Movimento Amigos de Darcy Ribeiro e colaborar conosco, de modo que, mais fortalecidos, possamos continuar nossa jornada em busca das utopias de Darcy Ribeiro e do povo brasileiro.

Com os nossos sinceros agradecimentos

 

 

Assista videos com depoimentos de Amigos de Darcy


RECOMPENSAS


Colaborando com o Movimento Amigos de Darcy você receberá uma dessas recompensas, de acordo com sua doação.É também uma forma de difundir as utopias De Darcy Ribeiro. 

 

Coleção Darcy de Bolso

 

A coleção Darcy no Bolso, com 10 livros, aborda a infância em Montes Claros, os anos de formação em Belo Horizonte, os amores, os tempos em que viveu com os índios, a visão sobre o Brasil, as reflexões sobre a América Latina, o depoimento sobre o golpe de 1964 na era Jango, a criação da UnB, a vivência do exílio.

 

Coleção Os Franceses no Brasil

A publicação da coleção Os Franceses no Brasil disponibiliza ao público as obras mais importantes sobre a participação dos franceses na conquista do Brasil. A coleção reúne testemunhos da tentativa de colonização francesa no Brasil no Século XVI e início do Século XVII, com relatos sobre os projetos da França Antártica, uma colônia calvinista no Rio de Janeiro, e da França Equinocial no Maranhão. A descrição da terra e dos índios, seus costumes e vida nas aldeias, os conflitos entre os colonizadores e a aventura colonial são alguns dos eventos relatados por Yves d’Evreux, André Thevet, Jean de Léry e nas correspondências de Villegaignon.

Trata-se da edição crítica de um conjunto de quatro livros, incluindo a publicação inédita das correspondências de Nicolas Durand de Villegaignon, que formulou e liderou o projeto da colônia francesa no Rio de Janeiro entre 1555 e 1557. Completam a coleção a publicação de novas traduções, mais completas e revisadas, das obras de Jean de Léry, André Thevet e Yves D’Evreux.

Maíra

Maíra , romance de  estreia  de  Darcy Ribeiro, traz para o universo ficcional sua experiência como antropólogo, o que levou o crítico literário Antônio Candido a afirmar: “curioso é o caso de um antropólogo como Darcy Ribeiro, que no romance Maíra renovou o tema indígena, superando a barreira dos gêneros numa admirável narrativa onde o mitológico, o social e o individual se cruzam para formar um espaço novo e raro.

O Povo Brasileiro

 

O livro trata das matrizes culturais e dos mecanismos de formação étnica e cultural do povo brasileiro.

No prefácio da primeira edição, de 1995, Darcy Ribeiro afirma que escrever este livro “foi o maior desafio” que se propôs. Demorou 30 anos para escrevê-lo. Segundo Darcy, o livro unifica uma teoria de base empírica de classes sociais no Brasil e na América Latina; uma tipologia das formas de exercício do poder e de militância política; e uma teoria de cultura.

Trate-se da obra final do autor publicada antes de sua morte. É revestida de opiniões e impressões formadas pela experiência da vida do autor. O livro apresenta as formas através das quais a empresa “Brasil” moldou as zonas de habitação humana no território nacional e sua influência na miscigenação das 3 matrizes básicas formadoras do brasileiro

Beijódromo

A publicação Beijódromo apresenta com textos e fotos o Memorial Darcy Ribeiro, situado no campus da UnB, local escolhido por Darcy para eternizar suas ideias e projetos e para abrigar o acervo e biblioteca de Darcy e Berta Ribeiro. Como ele mesmo dizia, um lugar “enorme, sem janelas, com iluminação zenital, na forma de maloca ou disco voador. O melhor porém, fica do lado de fora, é o Beijódromo do Darcy, um palco para serestas, leitura de poesias e teatro, diante de uma arquibancada para namorar, beijar e ver a lua cheia."

 

 

 

 

 

 

 

Fundação Darcy Ribeiro ainda não publicou nenhuma notícia.