Ancestralidade negra e florescimento empreendedor |

Ancestralidade negra e florescimento empreendedor

Facilitações orientadas ao florescimento humano com foco nas capacidades empreendedoras, através de práticas de resgate da ancestralidade.

Projeto por: Associação Nacional por Uma Economia de Comunhão
R$ 51.541,00
arrecadado
meta R$ 45.000,00

133 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Associação Nacional por Uma Economia de Comunhão

Associação Nacional por Uma Economia de Comunhão
R$ 20
Chico Mendes (1944 – 1988)
17 benfeitores apoiando
Agradecimento via e-mail, mídias sociais e certificado digital
R$ 100
Pajé Itambé (1934)
30 benfeitores apoiando
Ingresso para o Fórum de Investimentos e Negócios de Impacto organizado pelo ICE e Impact HUB. O Fórum é uma dos maiores eventos do país sobre Investimentos e Negócios de Impacto. Uma oportunidade para conhecer tendências e se conectar com quem empreende, investe e apoia negócios de impacto. Este ano o evento será online nos dias 08, 09 e 10 de junho. Site: http://impactamais.org.br/
R$ 300
Dorothy Mae Stang (1931 – 2005)
6 benfeitores apoiando
Um ingresso ao curso online Medicina Indígena (usufruir em 2020) + Vídeo da comunidade
R$ 500
Raoni Metuktire (1930)
3 benfeitores apoiando
Um período de 2h de cuidado coletivo com terapeuta indígena Ubiraci Pataxó
R$ 800
Mary Aguiar (1925 - 2021)
1 benfeitor apoiando
Um ingresso ao curso online Autonomia da Cura (usufruir em 2020)
R$ 1.500
Santa Dulce dos Pobres (1914 - 1992)
Seja o primeiro a apoiar!
Sessão coletiva de coaching OU Círculo de Inspiração e Apoio Coletivo inspirado na Teoria U
R$ 2.500
Zumbi dos Palmares (1655-1695)
Seja o primeiro a apoiar!
Um curso presencial no Espaço Korihé, na aldeia indígena Coroa Vermelha, localizada em Santa Cruz Cabrália, sul da Bahia (usufruir até dezembro/2022)

A cultura afro é um dos maiores patrimônios do Brasil e pode se tornar um dos principais motores de geração de prosperidade e maior equidade no país. Vamos realizar juntos?

Apoie a constituição de redes colaborativas de afroempreededoras e afroempreendedores na comunidade de Beiru Tancredo Neves, Salvador, Bahia!

Vem conosco!

Já passou o tempo de que preto empreende por necessidade. Estamos na era do empreendedorismo por oportunidade! E essa oportunidade nasce da valorização da ancestralidade, das tecnologias negras que merecem ganhar seu lugar de protagonismo.

E esse movimento começa dentro da periferia, onde a carência gera competência. Chegou a hora de você colaborar com o florescimento de uma das maiores riquezas do Brasil. A cultura afro é um de nossos grandes patrimônios e pode se tornar um dos principais motores de geração de prosperidade e maior equidade do país.

Apoie a constituição de redes colaborativas de afroempreededoras e afroempreendedores na comunidade de Beiru Tancredo Neves, Salvador, Bahia, um dos maiores complexos negros de nosso território.

Você fará isso apoiando uma campanha de financiamento coletivo criada pela Anpecom, em parceria com Espaço Korihé e Associação Zagaia Amazônia para viabilizar um projeto focado em gerar processos de florescimento humano e capacidades empreendedoras a partir do resgate da ancestralidade negra.

Queremos co-criar juntos redes solidárias formadas negócios potentes e sustentáveis. Isso poderá ser replicado por todo país. A vulnerabilidade pode se transformar em fonte potência! Temos certeza que é possível.

Vem com a gente? Cada R$ 1,00 arrecadado na plataforma Enfrente vai gerar uma doação de R$ 2,00 do Fórum de Investimentos e Negócios de Impacto Impacta Mais! Se não arrecadarmos o valor que precisamos para viabilizar nosso projeto, devolveremos todos os valores doados. É tudo ou nada! Vamos com tudo?!

Contamos com você e suas redes de contato. Divulgue por todos os cantos! Para mudar o mundo, precisamos dar as mãos e cuidar do que somos e podemos ser juntos!

 

 

Quem somos?

A Anpecom, Espaço Korihé e Zagaia Amazônia são três organizações que se encontraram para potencializar seus objetivos comuns: atuar fortemente na redução das desigualdades por meio do empoderamento pessoal e fomento ao empreendedorismo de impacto em comunidades vulnerabilizadas.

De comunidades tradicionais ribeirinhas, indígenas, quilombolas a grandes periferias, acreditamos que as oportunidades de florescimento humano devem ser multiplicadas e nascem justamente a partir de um olhar cuidadoso e afetuoso às pessoas, as verdadeiras protagonistas das mudanças institucionais e sistêmicas que almejamos.

Unimos nossas experiências e saberes em processos de autocuidado e facilitação de aprendizagem focados no florescimento humano para concretizar o projeto Ancestralidade Negra e Florescimento Humano. Fazemos isso há mais de 20 anos em nossas organizações e estamos aqui para viabilizar com vocês mais uma iniciativa transformadora!

 

Por que criamos o projeto e o que faremos juntos?

Acreditamos que o presente e o futuro de maior equidade social e prosperidade compartilhada exige um olhar prioritário às comunidades negras e à periferia. Providos de saberes ancestrais (que muitas vezes o próprio indivíduo em questão não reconhece/valoriza) capazes de transformar o mundo em crise e em colapso social e ambiental, mais cedo ou mais tarde todos os setores da economia e da vida social serão impactados pela inovação e criatividade de líderes comunitários/as emergentes das periferias.

São afroempreendoras/es em busca de espaços de crescimento que lhes são renegados. São pessoas que vivem e sabem crescer em comunidade. Possuem muitos saberes a compartilhar e experiências capazes de impactar o mundo. Porém, preciso de espaço e de acesso a oportunidades.

Por isso nasceu nosso projeto. Desejamos trabalhar com essas comunidades, colaborando para que a cultura afro seja reconhecida como uma das maiores potências do Brasil, liberando-a da condição periférica, para que muitos negros e negras possam florescer humanamente e comunitariamente, atraindo investimentos e atenção privilegiada de atores que desejam um Brasil mais équo e poderoso economicamente.

Pretendemos oferecer acesso a metodologias que atuam no campo do florescimento humano, com foco nas capacidades empreendedoras, proporcionando condições para o empoderamento de pessoas vulnerabilizadas de forma comunitária; resgate da ancestralidade por meio de movimentos de valorização cultural, musical, gastronômica e estética, favorecendo a criação de redes solidárias comprometidas com a geração de novas oportunidades de trabalho e circulação de recursos na comunidade.

 

Acontecerá assim:

(1)Círculos de Solidariedade Social;

(2) escutas coletivas e rodas com ferramentas de coaching em grupo para florescimento de talentos e levantamento de dores sobre o fazer empreendedor e as possibilidades de evolução da comunidade;

(3) Rodas de Conversa Temáticas inspiradas na TCI (Terapia Comunitária Integrativa Temática - metodologia de intervenção e engajamento criada há 36 anos pelo etno-psiquiatra Adalberto de Paula Barreto que deseja fortalecer do tecido social e, consequentemente, ao ecossistema de negócios de impacto);

(4) Oficinas de reconstrução do histórico ancestral através dos hábitos, costumes, vocabulário ioruba, manifestações culturais, religiosas, estéticas e gastronômicas;

(5) Assessorias e Mentorias para planejamento de negócios, articulação empreendedora e fortalecimento de redes;

(6) Organização e realização de um Festival Comunitário com gastronomia, música, moda, cultura e estética afro-brasileira, com o objetivo de favorecer o nascimento e/ou consolidação de oportunidades de trabalho e geração de recursos na comunidade e a estruturação de negócios de impacto;

(7) Formalização de uma rede de empreendedorismo na comunidade. 

 

 

 

 

Como funciona o Matchfunding?

Para concretizar tudo isso contamos com a parceria do ICE, do Fórum de Negócios e Investimentos e Negócios de Impacto, da Benfeitoria e Fundação Tide Setúbal em uma modalidade de financiamento coletivo combinado, o Matchfunding.

O Matchfunding Enfrente Impacta Mais é uma iniciativa para fortalecer organizações dinamizadoras que apoiam empreendedores (as) de impacto. Suas campanhas de financiamento coletivo têm como objetivo financiar projetos com foco em empreendedores (as) oriundos de territórios vulnerabilizados, negros (as), mulheres ou empreendedores (as) que usam tecnologia para resolução de problemas sociais e ambientais. A cada R$ 1 real captado na plataforma, o Fórum fará um match, ou seja, fará uma doação adicional de R$ 2 reais. Caso a campanha não atinja o valor necessário, o dinheiro volta para os colaboradores. Ou seja, é tudo ou nada!

 

 

Recompensas

Todas as contribuições são valiosas, pois cada uma delas nos ajudará a alcançar nossa meta. E como forma de reconhecer cada doação, apresentamos abaixo nossos atos de gratidão em sete categorias (inspiradas em grandes mestres):

 

Zumbi dos Palmares (1655-1695) – Doações acima de R$2.500,00

Um curso presencial no Espaço Korihé, na aldeia indígena Coroa Vermelha, localizada em Santa Cruz Cabrália, sul da Bahia (usufruir até dezembro/2022).

 

Santa Dulce dos Pobres (1914 - 1992) – Doações de R$1.500,00

Sessão coletiva de coaching

Círculo de Inspiração e Apoio Coletivo inspirado na Teoria U

 

Mary Aguiar (1925 - 2021) – Doações de R$800,00

Um ingresso ao curso online Autonomia da Cura (usufruir em 2020)

 

Raoni Metuktire (1930) – Doações de R$500,00

Um período de 2h de cuidado coletivo com terapeuta indígena Ubiraci Pataxó

 

Dorothy Mae Stang (1931 – 2005) – Doações de R$300,00

Um ingresso ao curso online Medicina Indígena (usufruir em 2020) + Vídeo da comunidade

 

Pajé Itambé (1934) – Doações de R$100,00

Ingresso para o Fórum de Investimentos e Negócios de Impacto organizado pelo ICE e Impact HUB. O Fórum é uma dos maiores eventos do país sobre Investimentos e Negócios de Impacto. Uma oportunidade para conhecer tendências e se conectar com quem empreende, investe e apoia negócios de impacto. Este ano o evento será online nos dias 08, 09 e 10 de junho. Site: http://impactamais.org.br/

 
Chico Mendes (1944 – 1988) – Doações de R$20,00

Agradecimento via e-mail, mídias sociais e certificado digital

Ancestralidade Negra e Florescimento do Empreendedorismo: veja as novidades!

Em: 26/10/2021 15:14


O projeto Ancestralidade Negra e Florescimento do Empreendedorismo nasceu da parceria entre a Anpecom, Espaço Korihé e Associação Zagaia Amazônia com o genuíno intuito de levar a vocação empreendedora às comunidades vulnerabilizadas como um dos caminhos para diminuir as desigualdades e impulsionar negócios que respeitam e valorizam as raízes negras, indígenas, ribeirinhas ou de qualquer outra comunidade tradicional.  ?


A seguir, você confere as principais notícias do projeto que vem sendo desenvolvido na comunidade de Beiru/Tancredo Neves, em Salvador, em modalidade híbrida.   ?


...

Círculo de convivência social   


Nessa atividade, inspirada no Círculo de Solidariedade Social, as pessoas participam de uma roda de conversa orientada. É uma prática individual de escuta social que viabiliza a inteligência coletiva em vista do início do processo de transformação, evolução e florescimento da pessoa. ? E o nosso espaço de diálogo foi incrível! Teve muita participação e todos e todas contribuíram para construção de um espaço de bem-estar pessoal e coletivo.   ? ?


"Foi algo libertador. Quando a gente tem ideias e pensamentos que estão somente dentro de nós, na nossa cabeça, fica algo ali, martelando, mas, quando a gente divide esse fardo, é uma libertação a gente tem a sensação de que estamos livres. Quando encontramos pessoas que nos edificam que têm anseios e sonhos como nós, mesmo que sejam totalmente diferentes, as necessidades são as mesmas. Chegarmos nesse lugar e nos identificamos, dá um estalo, um clic, a chave vira, viver mais e acreditar. Colocar na lista de prioridade o nosso sonho", disse Carlos. ?


...?

Oficina de florescimento pessoal e comunitário 


As oficinas eram um convite a estimular empreendedores(as) a reconhecerem o estado atual pessoal e da comunidade; auxiliá-los(as) a promover uma tomada de consciência dos próprios talentos e recursos internos e externos, à autoavaliação das competências emocionais pessoais e sociais; além de facilitar para que assumam a autorresponsabilidade de agir para alcançar os próprios sonhos e sonhos da comunidade. ?


Fé, determinação, resistência, vontade, força, esperança foram apenas algumas das competências e habilidades que vieram à tona durante as oficinas. O diálogo também fez emergir questões como as  dificuldades econômicas e sociais e ao final compreenderam que era preciso assumir a própria realidade e transformar suas vidas. "Eu vou mudar essa história", disse um deles.  ? ?


"Vejo o bairro como um grande polo de desenvolvimento financeiro, um berço de representações negras que precisam apenas de oportunidades para alcançar os desejos e sonhos. E no que depender de mim, atuando diretamente ou indiretamente com projetos sociais, irei buscar isso onde tiver, farei o que preciso for para ver os sonhos que sonhei pra mim e para esta comunidade se realizar de forma positiva."  Elisane Lima (mobilizadora do projeto) ?


...

Terapia Comunitária Integrativa


Outra atividade que marcou o projeto nesse primeiro período foram as Rodas de Escuta, ou Terapia Comunitária Integrativa. Em todas elas tivemos questões de incômodo e superação (estratégias) compartilhadas com o grupo. ?


A receptividade da atividade foi muito boa e ao final, era perceptível a maior empatia entre as pessoas e o estabelecimento de uma rede de apoio.   As rodas de escuta abordaram temas como a concorrência, a disputa, a tolerância, a autoestima e o autocuidado e também a crença no próprio potencial, a fé e a coragem.  ? ?


"Em uma das oficinas falamos de histórias que às vezes ouvimos. Ideias plantadas em nosso inconsciente, como por exemplo, ?homem não chora?, ?homem tem que ser duro?. Diante dessas vozes reproduzimos comportamentos que não queria fazer porque todo mundo fala. Dentro da favela é muito complicado porque você é empurrado o tempo todo para diversos comportamentos ruins. Aprendi que preciso ser surdo para certas vozes para poder subir na árvore e mudar de lugar", disse Evandro.


... Oficina de audiovisual ?

E não podemos esquecer da Oficina Direção Artística ? ?Ao vivo e a cores? ministrada pelo Silvio Francisco. A oficina foi oferecida aos jovens que realizaram o vídeo da benfeitoria e que farão o registro do projeto.? ?




Siga-nos nas redes sociais e acompanhe mais notícias e novidades sobre nossos projetos. https://www.instagram.com/edcomunhaobr/? ?


A cultura afro é um dos maiores patrimônios do Brasil e pode se tornar um dos principais motores de geração de prosperidade e maior equidade no país. Vamos realizar juntos?

Apoie a constituição de redes colaborativas de afroempreededoras e afroempreendedores na comunidade de Beiru Tancredo Neves, Salvador, Bahia!

Vem conosco!

Já passou o tempo de que preto empreende por necessidade. Estamos na era do empreendedorismo por oportunidade! E essa oportunidade nasce da valorização da ancestralidade, das tecnologias negras que merecem ganhar seu lugar de protagonismo.

E esse movimento começa dentro da periferia, onde a carência gera competência. Chegou a hora de você colaborar com o florescimento de uma das maiores riquezas do Brasil. A cultura afro é um de nossos grandes patrimônios e pode se tornar um dos principais motores de geração de prosperidade e maior equidade do país.

Apoie a constituição de redes colaborativas de afroempreededoras e afroempreendedores na comunidade de Beiru Tancredo Neves, Salvador, Bahia, um dos maiores complexos negros de nosso território.

Você fará isso apoiando uma campanha de financiamento coletivo criada pela Anpecom, em parceria com Espaço Korihé e Associação Zagaia Amazônia para viabilizar um projeto focado em gerar processos de florescimento humano e capacidades empreendedoras a partir do resgate da ancestralidade negra.

Queremos co-criar juntos redes solidárias formadas negócios potentes e sustentáveis. Isso poderá ser replicado por todo país. A vulnerabilidade pode se transformar em fonte potência! Temos certeza que é possível.

Vem com a gente? Cada R$ 1,00 arrecadado na plataforma Enfrente vai gerar uma doação de R$ 2,00 do Fórum de Investimentos e Negócios de Impacto Impacta Mais! Se não arrecadarmos o valor que precisamos para viabilizar nosso projeto, devolveremos todos os valores doados. É tudo ou nada! Vamos com tudo?!

Contamos com você e suas redes de contato. Divulgue por todos os cantos! Para mudar o mundo, precisamos dar as mãos e cuidar do que somos e podemos ser juntos!

 

 

Quem somos?

A Anpecom, Espaço Korihé e Zagaia Amazônia são três organizações que se encontraram para potencializar seus objetivos comuns: atuar fortemente na redução das desigualdades por meio do empoderamento pessoal e fomento ao empreendedorismo de impacto em comunidades vulnerabilizadas.

De comunidades tradicionais ribeirinhas, indígenas, quilombolas a grandes periferias, acreditamos que as oportunidades de florescimento humano devem ser multiplicadas e nascem justamente a partir de um olhar cuidadoso e afetuoso às pessoas, as verdadeiras protagonistas das mudanças institucionais e sistêmicas que almejamos.

Unimos nossas experiências e saberes em processos de autocuidado e facilitação de aprendizagem focados no florescimento humano para concretizar o projeto Ancestralidade Negra e Florescimento Humano. Fazemos isso há mais de 20 anos em nossas organizações e estamos aqui para viabilizar com vocês mais uma iniciativa transformadora!

 

Por que criamos o projeto e o que faremos juntos?

Acreditamos que o presente e o futuro de maior equidade social e prosperidade compartilhada exige um olhar prioritário às comunidades negras e à periferia. Providos de saberes ancestrais (que muitas vezes o próprio indivíduo em questão não reconhece/valoriza) capazes de transformar o mundo em crise e em colapso social e ambiental, mais cedo ou mais tarde todos os setores da economia e da vida social serão impactados pela inovação e criatividade de líderes comunitários/as emergentes das periferias.

São afroempreendoras/es em busca de espaços de crescimento que lhes são renegados. São pessoas que vivem e sabem crescer em comunidade. Possuem muitos saberes a compartilhar e experiências capazes de impactar o mundo. Porém, preciso de espaço e de acesso a oportunidades.

Por isso nasceu nosso projeto. Desejamos trabalhar com essas comunidades, colaborando para que a cultura afro seja reconhecida como uma das maiores potências do Brasil, liberando-a da condição periférica, para que muitos negros e negras possam florescer humanamente e comunitariamente, atraindo investimentos e atenção privilegiada de atores que desejam um Brasil mais équo e poderoso economicamente.

Pretendemos oferecer acesso a metodologias que atuam no campo do florescimento humano, com foco nas capacidades empreendedoras, proporcionando condições para o empoderamento de pessoas vulnerabilizadas de forma comunitária; resgate da ancestralidade por meio de movimentos de valorização cultural, musical, gastronômica e estética, favorecendo a criação de redes solidárias comprometidas com a geração de novas oportunidades de trabalho e circulação de recursos na comunidade.

 

Acontecerá assim:

(1)Círculos de Solidariedade Social;

(2) escutas coletivas e rodas com ferramentas de coaching em grupo para florescimento de talentos e levantamento de dores sobre o fazer empreendedor e as possibilidades de evolução da comunidade;

(3) Rodas de Conversa Temáticas inspiradas na TCI (Terapia Comunitária Integrativa Temática - metodologia de intervenção e engajamento criada há 36 anos pelo etno-psiquiatra Adalberto de Paula Barreto que deseja fortalecer do tecido social e, consequentemente, ao ecossistema de negócios de impacto);

(4) Oficinas de reconstrução do histórico ancestral através dos hábitos, costumes, vocabulário ioruba, manifestações culturais, religiosas, estéticas e gastronômicas;

(5) Assessorias e Mentorias para planejamento de negócios, articulação empreendedora e fortalecimento de redes;

(6) Organização e realização de um Festival Comunitário com gastronomia, música, moda, cultura e estética afro-brasileira, com o objetivo de favorecer o nascimento e/ou consolidação de oportunidades de trabalho e geração de recursos na comunidade e a estruturação de negócios de impacto;

(7) Formalização de uma rede de empreendedorismo na comunidade. 

 

 

 

 

Como funciona o Matchfunding?

Para concretizar tudo isso contamos com a parceria do ICE, do Fórum de Negócios e Investimentos e Negócios de Impacto, da Benfeitoria e Fundação Tide Setúbal em uma modalidade de financiamento coletivo combinado, o Matchfunding.

O Matchfunding Enfrente Impacta Mais é uma iniciativa para fortalecer organizações dinamizadoras que apoiam empreendedores (as) de impacto. Suas campanhas de financiamento coletivo têm como objetivo financiar projetos com foco em empreendedores (as) oriundos de territórios vulnerabilizados, negros (as), mulheres ou empreendedores (as) que usam tecnologia para resolução de problemas sociais e ambientais. A cada R$ 1 real captado na plataforma, o Fórum fará um match, ou seja, fará uma doação adicional de R$ 2 reais. Caso a campanha não atinja o valor necessário, o dinheiro volta para os colaboradores. Ou seja, é tudo ou nada!

 

 

Recompensas

Todas as contribuições são valiosas, pois cada uma delas nos ajudará a alcançar nossa meta. E como forma de reconhecer cada doação, apresentamos abaixo nossos atos de gratidão em sete categorias (inspiradas em grandes mestres):

 

Zumbi dos Palmares (1655-1695) – Doações acima de R$2.500,00

Um curso presencial no Espaço Korihé, na aldeia indígena Coroa Vermelha, localizada em Santa Cruz Cabrália, sul da Bahia (usufruir até dezembro/2022).

 

Santa Dulce dos Pobres (1914 - 1992) – Doações de R$1.500,00

Sessão coletiva de coaching

Círculo de Inspiração e Apoio Coletivo inspirado na Teoria U

 

Mary Aguiar (1925 - 2021) – Doações de R$800,00

Um ingresso ao curso online Autonomia da Cura (usufruir em 2020)

 

Raoni Metuktire (1930) – Doações de R$500,00

Um período de 2h de cuidado coletivo com terapeuta indígena Ubiraci Pataxó

 

Dorothy Mae Stang (1931 – 2005) – Doações de R$300,00

Um ingresso ao curso online Medicina Indígena (usufruir em 2020) + Vídeo da comunidade

 

Pajé Itambé (1934) – Doações de R$100,00

Ingresso para o Fórum de Investimentos e Negócios de Impacto organizado pelo ICE e Impact HUB. O Fórum é uma dos maiores eventos do país sobre Investimentos e Negócios de Impacto. Uma oportunidade para conhecer tendências e se conectar com quem empreende, investe e apoia negócios de impacto. Este ano o evento será online nos dias 08, 09 e 10 de junho. Site: http://impactamais.org.br/

 
Chico Mendes (1944 – 1988) – Doações de R$20,00

Agradecimento via e-mail, mídias sociais e certificado digital

Ancestralidade Negra e Florescimento do Empreendedorismo: veja as novidades!

Em: 26/10/2021 15:14


O projeto Ancestralidade Negra e Florescimento do Empreendedorismo nasceu da parceria entre a Anpecom, Espaço Korihé e Associação Zagaia Amazônia com o genuíno intuito de levar a vocação empreendedora às comunidades vulnerabilizadas como um dos caminhos para diminuir as desigualdades e impulsionar negócios que respeitam e valorizam as raízes negras, indígenas, ribeirinhas ou de qualquer outra comunidade tradicional.  ?


A seguir, você confere as principais notícias do projeto que vem sendo desenvolvido na comunidade de Beiru/Tancredo Neves, em Salvador, em modalidade híbrida.   ?


...

Círculo de convivência social   


Nessa atividade, inspirada no Círculo de Solidariedade Social, as pessoas participam de uma roda de conversa orientada. É uma prática individual de escuta social que viabiliza a inteligência coletiva em vista do início do processo de transformação, evolução e florescimento da pessoa. ? E o nosso espaço de diálogo foi incrível! Teve muita participação e todos e todas contribuíram para construção de um espaço de bem-estar pessoal e coletivo.   ? ?


"Foi algo libertador. Quando a gente tem ideias e pensamentos que estão somente dentro de nós, na nossa cabeça, fica algo ali, martelando, mas, quando a gente divide esse fardo, é uma libertação a gente tem a sensação de que estamos livres. Quando encontramos pessoas que nos edificam que têm anseios e sonhos como nós, mesmo que sejam totalmente diferentes, as necessidades são as mesmas. Chegarmos nesse lugar e nos identificamos, dá um estalo, um clic, a chave vira, viver mais e acreditar. Colocar na lista de prioridade o nosso sonho", disse Carlos. ?


...?

Oficina de florescimento pessoal e comunitário 


As oficinas eram um convite a estimular empreendedores(as) a reconhecerem o estado atual pessoal e da comunidade; auxiliá-los(as) a promover uma tomada de consciência dos próprios talentos e recursos internos e externos, à autoavaliação das competências emocionais pessoais e sociais; além de facilitar para que assumam a autorresponsabilidade de agir para alcançar os próprios sonhos e sonhos da comunidade. ?


Fé, determinação, resistência, vontade, força, esperança foram apenas algumas das competências e habilidades que vieram à tona durante as oficinas. O diálogo também fez emergir questões como as  dificuldades econômicas e sociais e ao final compreenderam que era preciso assumir a própria realidade e transformar suas vidas. "Eu vou mudar essa história", disse um deles.  ? ?


"Vejo o bairro como um grande polo de desenvolvimento financeiro, um berço de representações negras que precisam apenas de oportunidades para alcançar os desejos e sonhos. E no que depender de mim, atuando diretamente ou indiretamente com projetos sociais, irei buscar isso onde tiver, farei o que preciso for para ver os sonhos que sonhei pra mim e para esta comunidade se realizar de forma positiva."  Elisane Lima (mobilizadora do projeto) ?


...

Terapia Comunitária Integrativa


Outra atividade que marcou o projeto nesse primeiro período foram as Rodas de Escuta, ou Terapia Comunitária Integrativa. Em todas elas tivemos questões de incômodo e superação (estratégias) compartilhadas com o grupo. ?


A receptividade da atividade foi muito boa e ao final, era perceptível a maior empatia entre as pessoas e o estabelecimento de uma rede de apoio.   As rodas de escuta abordaram temas como a concorrência, a disputa, a tolerância, a autoestima e o autocuidado e também a crença no próprio potencial, a fé e a coragem.  ? ?


"Em uma das oficinas falamos de histórias que às vezes ouvimos. Ideias plantadas em nosso inconsciente, como por exemplo, ?homem não chora?, ?homem tem que ser duro?. Diante dessas vozes reproduzimos comportamentos que não queria fazer porque todo mundo fala. Dentro da favela é muito complicado porque você é empurrado o tempo todo para diversos comportamentos ruins. Aprendi que preciso ser surdo para certas vozes para poder subir na árvore e mudar de lugar", disse Evandro.


... Oficina de audiovisual ?

E não podemos esquecer da Oficina Direção Artística ? ?Ao vivo e a cores? ministrada pelo Silvio Francisco. A oficina foi oferecida aos jovens que realizaram o vídeo da benfeitoria e que farão o registro do projeto.? ?




Siga-nos nas redes sociais e acompanhe mais notícias e novidades sobre nossos projetos. https://www.instagram.com/edcomunhaobr/? ?