Brigada Matutu - Prevenção e combate a incêndios florestais |

Brigada Matutu - Prevenção e combate a incêndios florestais

A Brigada Matutu já combateu centenas de incêndios florestais desde de sua criação em 1993. Precisamos da sua colaboração para que este trabalho continue.

Project by: Fundação Matutu
R$ 9.733,00
pledged
goal R$ 36.000,00

31
backers

27%
pledged

12
days to go

PAYMENTS UP TO 6 INSTALLMENTS

Ajude-nos a bater nossa meta até 17/08/2020 - 23:59

BY

Fundação Matutu

Fundação Matutu
R$ 50
R$ 50
2 backers
Proteger o ambiente é uma responsabilidade de todos nós. A sua colaboração vai permitir que a Brigada Matutu continue a fazer esse trabalho.
R$ 100
R$ 100
1 backer
Proteger o ambiente é uma responsabilidade de todos nós. A sua colaboração vai permitir que a Brigada Matutu continue a fazer esse trabalho.
R$ 250
R$ 250
2 backers
Proteger o ambiente é uma responsabilidade de todos nós. A sua colaboração vai permitir que a Brigada Matutu continue a fazer esse trabalho.
R$ 500
R$ 500
4 backers
Proteger o ambiente é uma responsabilidade de todos nós. A sua colaboração vai permitir que a Brigada Matutu continue a fazer esse trabalho.
R$ 1.000
R$ 1.000
2 backers
Proteger o ambiente é uma responsabilidade de todos nós. A sua colaboração vai permitir que a Brigada Matutu continue a fazer esse trabalho.

Didn't find what you wanted?

Another value

Todo ano milhares de hectares de florestas são devastados por queimadas, com sérios impactos na biodiversidade, qualidade do ar, ou mesmo na vida das pessoas. A região da Serra do Papagaio está dentro do bioma da Mata atlântica, um dos biomas mais ricos em diversidade biológica no mundo. Cada hectare da mata atlântica pode conter até 4 mil espécies de plantas e dezenas de milhares de outras espécies. Toda vez que um incêndio atinge uma área dessas é esse tipo de riqueza que está sendo destruída, talvez para sempre.

 

A prevenção e o combate aos incêndios florestais são, atualmente, a forma mais eficaz de proteger essas áreas e garantir a sua permanência para gerações futuras. A Brigada Matutu vem fazendo esse trabalho desde 1993, formando novos voluntários e trabalhando em conjunto com organizações locais e o governo do estado. 

 

Cada operação de combate a incêndios florestais, mobiliza vários brigadistas, utiliza recursos e pode ter custos elevados. A sua participação nesse momento delicado em que vivemos, é fundamental para que a Brigada Matutu possa continuar realizando esse trabalho. 

Para saber mais sobre a Brigada Matutu acesse:  http://matutu.eco/brigada-matutu-campanha2020/

 

Para estarmos preparados para a época das queimadas, que normalmente se inicia em agosto, queremos pedir o seu apoio para a aquisição de equipamentos básicos e ferramentas, necessários para o combate aos incêndios e a segurança dos voluntários. 

 

 

Como funciona o combate a um incêndio? 

 

Tudo começa com a detecção de um foco de incêndio. Quanto mais rápido conseguirmos agir, menor será a destruição. Cada minuto é vital. 

Com o sistema VDI (vigilância e detecção de incêndios) desenvolvido pela Brigada Matutu, conseguimos detectar e localizar incêndios de forma rápida e precisa. Assim que somos informados de um foco, enviamos uma equipe o mais rápido possível para avaliar a situação e iniciar o combate. Muitas vezes essa equipe, composta por 4 a 6 pessoas, já consegue controlar o incêndio e a operação é finalizada. 

Outras vezes, no entanto, um incêndio pode avançar rapidamente e atingir uma grande área. Nesse tipo de situação a primeira equipe passa o máximo de informações para que possamos organizar um combate em maior escala. 

Combate é uma palavra que pode soar estranha, mas é a melhor forma de descrever o que significa lidar com um incêndio florestal. As chamas podem alcançar de 15 a 20 metros de altura, as temperaturas podem passar de 1000°C, e tudo isso está acontecendo em uma região de topografia difícil, enquanto o vento muda de direção e o fogo avança rapidamente. É uma espécie de batalha, daí a palavra combate. 

Algumas vezes, em incêndios de menor intensidade, utilizamos os abafadores para um ataque direto. Outras vezes quanto o incêndio chega a atingir a copa das árvores, é necessária a abertura de cortes na vegetação (aceiros) ou mesmo do uso de contra fogo.

Toda ação de combate a um incêndio envolve planejamento, estratégia e, acima de tudo, uma equipe bem treinada. Conseguir antecipar o comportamento do fogo é fundamental para que todos possam trabalhar em segurança. Em quase 30 anos de atividade a brigada nunca registrou um acidente sério. 

As diferentes estratégias utilizadas no combate ao incêndio significam diferentes equipamentos e cada operação, principalmente as de grande escala, reduz a vida útil desses equipamentos, que precisam ser substituídos periodicamente. A ferramenta certa na hora certa faz toda a diferença para um combate bem sucedido.

 

 

 

Um pouco sobre a Brigada Matutu:

A Brigada de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do Matutu é a primeira brigada voluntária do sudeste do Brasil. Foi criada em 1993 a partir do trabalho organizado de moradores da comunidade e formalizada em 1995 com a instituição da Fundação Matutu.

Através de projetos e parcerias, a Brigada Matutu formou mais de 500 novos brigadistas e treinou mais de 1500 voluntários em várias localidades da Área de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira, no entorno do Parque Estadual da Serra do Papagaio e em outras unidades de conservação do Brasil, Argentina e Espanha.

Alguns Resultados:

- Mais de 25 anos de experiência

- Mais de 450 focos de incêndio combatidos com sucesso

- Aproximadamente 12.000 ha (120 milhões de m2) de vegetação protegida pelo trabalho da Brigada

- Mais de 750 nascentes protegidas 

- Mais de 500 brigadistas formados

- 5 bases operacionais implementadas, através do projeto Bases Comunitárias de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Fundação Matutu 

- Mais de 1500 voluntários treinados

 

O que será feito com o valor arrecadado?

 

Todo o valor arrecadado será direcionado para a compra de equipamentos usados no combate aos incêndios florestais e na segurança dos brigadistas.
Essa lista inclui principalmente:

 

- Bomba Costal

- Abafador 6mm c/ cabo 

- Enxada c/ cabo

- Pulaski c/ cabo

- Enxadão c/ cabo

- Capacete aba total

- Kit EPI

- Balaclava anti-chamas 

- Rádio motorola talk about 

- Uniforme resistente a chamas 

- Coturno

- Kit primeiro-socorros

 

 

Fundação Matutu No posted news yet.

Todo ano milhares de hectares de florestas são devastados por queimadas, com sérios impactos na biodiversidade, qualidade do ar, ou mesmo na vida das pessoas. A região da Serra do Papagaio está dentro do bioma da Mata atlântica, um dos biomas mais ricos em diversidade biológica no mundo. Cada hectare da mata atlântica pode conter até 4 mil espécies de plantas e dezenas de milhares de outras espécies. Toda vez que um incêndio atinge uma área dessas é esse tipo de riqueza que está sendo destruída, talvez para sempre.

 

A prevenção e o combate aos incêndios florestais são, atualmente, a forma mais eficaz de proteger essas áreas e garantir a sua permanência para gerações futuras. A Brigada Matutu vem fazendo esse trabalho desde 1993, formando novos voluntários e trabalhando em conjunto com organizações locais e o governo do estado. 

 

Cada operação de combate a incêndios florestais, mobiliza vários brigadistas, utiliza recursos e pode ter custos elevados. A sua participação nesse momento delicado em que vivemos, é fundamental para que a Brigada Matutu possa continuar realizando esse trabalho. 

Para saber mais sobre a Brigada Matutu acesse:  http://matutu.eco/brigada-matutu-campanha2020/

 

Para estarmos preparados para a época das queimadas, que normalmente se inicia em agosto, queremos pedir o seu apoio para a aquisição de equipamentos básicos e ferramentas, necessários para o combate aos incêndios e a segurança dos voluntários. 

 

 

Como funciona o combate a um incêndio? 

 

Tudo começa com a detecção de um foco de incêndio. Quanto mais rápido conseguirmos agir, menor será a destruição. Cada minuto é vital. 

Com o sistema VDI (vigilância e detecção de incêndios) desenvolvido pela Brigada Matutu, conseguimos detectar e localizar incêndios de forma rápida e precisa. Assim que somos informados de um foco, enviamos uma equipe o mais rápido possível para avaliar a situação e iniciar o combate. Muitas vezes essa equipe, composta por 4 a 6 pessoas, já consegue controlar o incêndio e a operação é finalizada. 

Outras vezes, no entanto, um incêndio pode avançar rapidamente e atingir uma grande área. Nesse tipo de situação a primeira equipe passa o máximo de informações para que possamos organizar um combate em maior escala. 

Combate é uma palavra que pode soar estranha, mas é a melhor forma de descrever o que significa lidar com um incêndio florestal. As chamas podem alcançar de 15 a 20 metros de altura, as temperaturas podem passar de 1000°C, e tudo isso está acontecendo em uma região de topografia difícil, enquanto o vento muda de direção e o fogo avança rapidamente. É uma espécie de batalha, daí a palavra combate. 

Algumas vezes, em incêndios de menor intensidade, utilizamos os abafadores para um ataque direto. Outras vezes quanto o incêndio chega a atingir a copa das árvores, é necessária a abertura de cortes na vegetação (aceiros) ou mesmo do uso de contra fogo.

Toda ação de combate a um incêndio envolve planejamento, estratégia e, acima de tudo, uma equipe bem treinada. Conseguir antecipar o comportamento do fogo é fundamental para que todos possam trabalhar em segurança. Em quase 30 anos de atividade a brigada nunca registrou um acidente sério. 

As diferentes estratégias utilizadas no combate ao incêndio significam diferentes equipamentos e cada operação, principalmente as de grande escala, reduz a vida útil desses equipamentos, que precisam ser substituídos periodicamente. A ferramenta certa na hora certa faz toda a diferença para um combate bem sucedido.

 

 

 

Um pouco sobre a Brigada Matutu:

A Brigada de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do Matutu é a primeira brigada voluntária do sudeste do Brasil. Foi criada em 1993 a partir do trabalho organizado de moradores da comunidade e formalizada em 1995 com a instituição da Fundação Matutu.

Através de projetos e parcerias, a Brigada Matutu formou mais de 500 novos brigadistas e treinou mais de 1500 voluntários em várias localidades da Área de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira, no entorno do Parque Estadual da Serra do Papagaio e em outras unidades de conservação do Brasil, Argentina e Espanha.

Alguns Resultados:

- Mais de 25 anos de experiência

- Mais de 450 focos de incêndio combatidos com sucesso

- Aproximadamente 12.000 ha (120 milhões de m2) de vegetação protegida pelo trabalho da Brigada

- Mais de 750 nascentes protegidas 

- Mais de 500 brigadistas formados

- 5 bases operacionais implementadas, através do projeto Bases Comunitárias de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Fundação Matutu 

- Mais de 1500 voluntários treinados

 

O que será feito com o valor arrecadado?

 

Todo o valor arrecadado será direcionado para a compra de equipamentos usados no combate aos incêndios florestais e na segurança dos brigadistas.
Essa lista inclui principalmente:

 

- Bomba Costal

- Abafador 6mm c/ cabo 

- Enxada c/ cabo

- Pulaski c/ cabo

- Enxadão c/ cabo

- Capacete aba total

- Kit EPI

- Balaclava anti-chamas 

- Rádio motorola talk about 

- Uniforme resistente a chamas 

- Coturno

- Kit primeiro-socorros

 

 

Fundação Matutu No posted news yet.