Juntos manteremos Infância ativa! |

Juntos manteremos Infância ativa!

Desde 2018 o “Cadê a Infância?” tem objetivo de oferecer atividades que propõem o brincar tradicional como principal forma de resgatar de uma infância s

Projeto por: Camila Goulart Peres
R$ 5.280,00
arrecadado
meta R$ 1.000,00

65 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Camila Goulart Peres

Camila Goulart Peres

R$ 10
Entrando na roda
9 benfeitores apoiando
Essa recompensa é para quem acredita na ideia, mas não está podendo contribuir muito. Mesmo assim, seu apoio é fundamental e, por isso, enviaremos um SUPER AGRADECIMENTO PERSONALIZADO em sua página no Facebook ou Instagram. Além disso, seu nome constará de forma permanente em nossa página do Facebook marcado como uma das pessoas que contribuiu para a continuidade desse sonho
R$ 20
Desafio lançado
18 benfeitores apoiando
Para quem tiver um pouco mais de disponibilidade financeira, convidamos a brincar e desafiar alguém com UM BRINQUEDO PERSONALIZADO a sua escolha (pião ou saquinho de bolinhas de gude ou jogo de 5 Marias). Assim, não deixamos que o brincar com o outro, seja em casa ou na rua, fique esquecido. + um SUPER AGRADECIMENTO PERSONALIZADO em sua página do Facebook ou Instagram. Além disso, seu nome constará de forma permanente em nossa página do Facebook marcado como uma das pessoas que contribuiu para a continuidade desse sonho
R$ 45
Brincando com a turma
8 benfeitores apoiando
Essa recompensa é para você que acredita na ideia e tem um pouco mais de energia orçamentária. KIT COM OS 3 BRINQUEDOS (pião, saquinho de bolinhas de gude e jogo de 5 Marias) para convidar a turma toda para brincar e se divertir. + um SUPER AGRADECIMENTO PERSONALIZADO em sua página do Facebook ou Instagram. Além disso, seu nome constará de forma permanente em nossa página do Facebook marcado como uma das pessoas que contribuiu para a continuidade desse sonho
R$ 60
Não deixe a peteca cair
11 benfeitores apoiando
Essa recompensa é para quem gostaria de levar a Infância para onde estiver, sempre pertinho do coração. Você ganha uma CAMISETA PERSONALIZADA COM O LOGO DO PROJETO + um SUPER AGRADECIMENTO PERSONALIZADO em sua página do Facebook ou Instagram. Além disso, seu nome constará de forma permanente em nossa página do Facebook marcado como uma das pessoas que contribuiu para a continuidade desse sonho

18 disponíveis.
R$ 110
Subindo em árvore
10 benfeitores apoiando
Essa recompensa é para você que tem energia e força para impulsionar a Kombi Infância, e mantê-la na estrada, levando o brincar e a alegria às periferias de Porto Alegre. Você colabora com essa ideia e pode escolher se quer ganhar 2 CAMISETAS (que podem ser de cores diferentes) ou UMA CAMISETA + UM KIT DE BRINQUEDOS + CESTA PARA GUARDÁ-LOS + um SUPER AGRADECIMENTO PERSONALIZADO em sua página do Facebook ou Instagram. Além disso, seu nome constará de forma permanente em nossa página do Facebook marcado como uma das pessoas que contribuiu para a continuidade desse sonho.

indisponível.
R$ 250
Brincando de Ciranda
3 benfeitores apoiando
Essa recompensa é para você que entende que quanto mais gente brincando, mais divertida fica a brincadeira! Nosso projeto é voluntário e para populações de baixa renda, mas se você tem um evento e gostaria de resgatar o brincar tradicional oferecemos uma AÇÃO RECREATIVA DE 3 HORAS (em Porto Alegre ou Grande Porto Alegre )+ 2 CAMISETAS (de cores diferentes) ou CAMISETA + KIT DE BRINQUEDO + CESTA PARA GUARDAR TUDO ISSO + um SUPER AGRADECIMENTO PERSONALIZADO em sua página do Facebook ou Instagram. Além disso, seu nome constará de forma permanente em nossa página do Facebook marcado como uma das pessoas que contribuiu para a continuidade desse sonho.

indisponível.

           O Projeto “Cadê Infância?” surgiu bem no início de 2018, a partir da percepção (e preocupação) de um casal de pais-professores, a Camila e o Maicon, que viam cada vez menos crianças nas praças ou espaços de lazer abertos e que notam cada vez mais o crescente uso de telas pelos pequenos, seja para o alívio do tédio infantil ou como forma de terceirização da educação/ocupação do tempo dos filhos. Somou-se a isso o primeiro contato com a Pedagogia de Emergência, o que trouxe ideias e ferramentas de como intervir, de forma efetiva, nesse fenômeno. Então, estabelecemos como objetivo principal levar para as ruas e praças da cidade de Porto Alegre atividades artísticas, culturais e o resgate de brincadeiras tradicionais, de forma itinerante. Para levar as atividades até as crianças/adolescentes, adquirimos uma Kombi: a Infância, que está equipada com diversos materiais lúdicos, livros e instrumentos musicais, se propondo a levar e compartilhar jogos, brinquedos, brincadeiras, contação de história, música e muita Arte por meio de oficinas e livre brincar. Para isso também chamamos amigos-parceiros que acreditaram na ideia e se disponibilizaram voluntariamente como brincantes. O foco do projeto é atender crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e/ou risco pessoal e/ou social em diferentes contextos, e que não tem nenhum ou pouco acesso a Cultura e a Arte, no sentido mais amplo que essas palavras podem ter.

           Além de termos uma Kombi diferentemente colorida, com brinquedos já pouco comuns para boa parte das crianças, não somos um projeto assistencialista, no sentido de chegar na comunidade e distribuir brinquedos - não damos bonecas, bolas ou carrinhos como o Papai Noel ou as festas de Dia das Crianças. Oferecemos o nosso "eu", a nossa Criança, para brincar com a criança que nos recebe. Acreditamos que é o nosso tempo disponível, a nossa presença verdadeira e atenção que podem atuar como "cura", como uma possibilidade de abertura para novos mundos através do brincar.

           Trabalhamos com a ideia de co-responsabilidade. Desde a chegada, deixamos claro para todos os participantes que se trata de algo coletivo, que depende de todos para funcionar bem. Conversamos sobre a necessidade de cuidado, seja com os materiais disponíveis - e que precisarão ser guardados ao final da atividade - seja com o espaço - muitas vezes a própria rua onde moram - que se torna um local de lazer (e gostaríamos de poder voltar e encontrá-la em condições de brincar novamente) ou com o outro, sem o qual o jogo ou a brincadeira, muitas vezes, não acontece. Entendemos que isso também é Educação. É troca de  repertório lúdico, troca entre culturas de tempos e locais diferentes, além do estímulo (mesmo que pontual) à solidariedade e respeito com o que é do outro.

           Vemos meninos e meninas - de diferentes idades - brincando juntos do que quiserem, com liberdade. Usam o espaço disponível - a rua, o chão, o ar - para criar suas brincadeiras e desafios. Essa é a nossa proposta: (con)viver brincando, unir, através do lúdico e se permitir ser criança independente da idade que se tenha.

           Apesar da linda ideia, 2018 foi um ano conturbado, pois o motor da Kombi fundiu e ficamos mais de 3 meses sem ela. Isso nos custou caro! Além da frustração de não cumprir nosso objetivo, precisamos desembolsar mais de R$5.000,00 para deixar tudo em ordem e voltar a rodar com ela. Com criatividade conseguimos garantir a primeira parcela, as demais estão saindo do nosso bolso e por isso criamos esse financiamento coletivo e estamos te convidando a fazer parte desse projeto conosco. Nossa ideia, enquanto iniciativa independente é não depender de patrocinadores "oficiais", como lojas de brinquedos ou grandes marcas de lojas, acreditamos na comunidade e na transparência. Assim, com a colaboração de cada um e de cada uma, saldaremos a dívida que ainda temos com o mecânico e ainda teremos a certeza de estar no caminho certo, pois temos apoio de pessoas de verdade.

Duas gerações, uma só brincadeira - Avó ensina netos a jogarem bolinha de gude

         Então, com a aquisição da Kombi Infância, nos últimos dias de 2017, começamos a pensar como poderíamos atuar e modificar algumas das tantas coisas que nos incomodavam. Pais de uma menina que acabava de completar 3 anos e também professores já há algum tempo, observamos com atenção os espaços públicos e não-públicos o brincar das crianças e suas movimentações cada vez mais restritas. Nossa filha tinha oportunidades que pareciam cada vez mais privilégios de alguns, como contato com a terra e areia, o livre brincar (em casa e na escola), e o acesso a brinquedos não estruturados com os quais ficava muito tempo entretida. Assim, depois de muito planejamento, estabelecimento de objetivos e formas de atuar, chamamos amigos-parceiros  nosso desejo se concretizou. 

          No dia 18 de março de 2018 colocamos na rua a nossa primeira ação. Foi na Zona Norte de Porto Alegre, outro grande parceiro tinha proximidade com a Associação Comunitária do local, fez a ponte e a Infância chegou. Foi uma festa, uma tarde muito especial, de trocas, de aproximações, de olhos curiosos e brilhantes com a descoberta de cada brinquedo, cada brincadeira proposta e que também puderam propor para enriquecer nosso repertório, os instrumentos musicais chamaram a atenção e trouxeram ainda mais possibilidades de aprendizados. Saímos de lá revigorados e com a certeza que a estrada seria longa e de sucesso.
Quer ver mais detalhes desse encontro? Clica aqui e assiste o vídeo.

              No mês seguinte, os contatos foram mais difíceis, mas não desistimos. Avisamos pelas redes sociais que o encontro seria em um parque central da cidade. Divulgamos entre amigos e seguidores da página. Dessa vez o público era incerto, pois não havia uma organização prévia com nenhuma instituição. A experiência foi diferente, porém tão válida quanto. Aproximaram-se famílias inteiras, de pais com filhos à avós que tinham na sua memória tantas das brincadeiras que propúnhamos. Foi tarde de usar o chão do parque para desenhar a Amarelinha e o jogo de bolinhas de gude, foi momento de relembrar como se "pulava elástico" e as cantigas de brincadeiras de mão, entre tantos outros jogos o Pião foi motivo de desafio inclusive entre adultos que resgataram suas crianças. Para assistir ao vídeo com um pouquinho mais dessa tarde, é só clicar aqui.

              Depois disso, foram vários os percalços enfrentados. A cada dia que marcavamos nossas ações, um obstáculo diferente aparecia. Primeiro foi a greve dos caminhoneiros que parou o país e fez com que ninguém saísse de casa. Depois as chuvas do inverno gaúcho teimaram em cair bem quando os espaços disponíveis não tinham cobertura alguma. E em agosto foi o motor da Infância que resolveu parar. Lá se foram 3 meses parada na oficina e nenhuma criança brincando :( Quando ela voltou já era final do ano, correrias e compromissos pessoais já assumidos dificultaram a construção de qualquer agenda. Dezembro, enfim teríamos mais uma oportunidade de finalizar o ano brincando, porém a atividade para qual fomos convidados foi cancelada por falta de autorização da Prefeitura.

              Mas 2019 promete!  Já temos cronograma planejado para todos os meses e estamos na fase de contatos que possam nos receber. Com o pagamento da dívida dos consertos (por que o motor foi apenas um deles) seguiremos em frente, investindo e acreditando, porque o Brincar é revolucionário!!


Como todo financiamento coletivo, não é apenas o valor do que desejamos que entra na nossa conta, mas como transparência é fundamental apresentamos, no gráfico ao lado, como será repartida toda a arrecadação que tivermos. Lembrando que estamos num financiamento TUDO OU NADA, ou seja se não alcançarmos a nossa meta mínima, todas as colaborações serão devolvidas ao final do prazo da campanha. 

Por outro lado, atingindo a meta, conseguiremos pagar a dívida que o projeto "Cadê a Infância?" teve o ano passado com o conserto do motor da Kombi.
Sendo um projeto voluntário que não conta (ou não contava até agora) com recurso nenhum  - além do que dispunham seus idealizadores (com seus salários de professores da Educação Básica) - as contribuições serão de fundamental importância para mantermos essa ideia viva e rodando pela cidade. Em contrapartida oferecemos pequenas, mas significativas, RECOMPENSAS. Você contribui e nós presenteamos você, todos saem ganhando.  Serão pequenos objetos que além de lembrar que você foi um COLABORADOR-INCENTIVADOR do brincar pela cidade, também pretendem oferecer momentos lúdicos para você e quem estiver próximo. Serão brinquedos que compõem nosso acervo (como piões, bolinhas de gude, 5 Marias e  tantos outros), ou também a chance de divulgar essa forma de ver o mundo através de camisetas e adesivos, podendo chegar até a uma ação especial para você e seus convidados no local que escolher. 

  

 

Participe dessa campanha! Lembre-se de que Brincar é revolucionário e você estará colaborando para que muitas crianças tenham essa linda experiência de forma tão diferente do comum.

DIVULGUE! COMPARTILHE! COLABORE!

Todo valor é bem vindo. Colabore para  atingirmos essa a meta!

           O Projeto “Cadê Infância?” surgiu bem no início de 2018, a partir da percepção (e preocupação) de um casal de pais-professores, a Camila e o Maicon, que viam cada vez menos crianças nas praças ou espaços de lazer abertos e que notam cada vez mais o crescente uso de telas pelos pequenos, seja para o alívio do tédio infantil ou como forma de terceirização da educação/ocupação do tempo dos filhos. Somou-se a isso o primeiro contato com a Pedagogia de Emergência, o que trouxe ideias e ferramentas de como intervir, de forma efetiva, nesse fenômeno. Então, estabelecemos como objetivo principal levar para as ruas e praças da cidade de Porto Alegre atividades artísticas, culturais e o resgate de brincadeiras tradicionais, de forma itinerante. Para levar as atividades até as crianças/adolescentes, adquirimos uma Kombi: a Infância, que está equipada com diversos materiais lúdicos, livros e instrumentos musicais, se propondo a levar e compartilhar jogos, brinquedos, brincadeiras, contação de história, música e muita Arte por meio de oficinas e livre brincar. Para isso também chamamos amigos-parceiros que acreditaram na ideia e se disponibilizaram voluntariamente como brincantes. O foco do projeto é atender crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e/ou risco pessoal e/ou social em diferentes contextos, e que não tem nenhum ou pouco acesso a Cultura e a Arte, no sentido mais amplo que essas palavras podem ter.

           Além de termos uma Kombi diferentemente colorida, com brinquedos já pouco comuns para boa parte das crianças, não somos um projeto assistencialista, no sentido de chegar na comunidade e distribuir brinquedos - não damos bonecas, bolas ou carrinhos como o Papai Noel ou as festas de Dia das Crianças. Oferecemos o nosso "eu", a nossa Criança, para brincar com a criança que nos recebe. Acreditamos que é o nosso tempo disponível, a nossa presença verdadeira e atenção que podem atuar como "cura", como uma possibilidade de abertura para novos mundos através do brincar.

           Trabalhamos com a ideia de co-responsabilidade. Desde a chegada, deixamos claro para todos os participantes que se trata de algo coletivo, que depende de todos para funcionar bem. Conversamos sobre a necessidade de cuidado, seja com os materiais disponíveis - e que precisarão ser guardados ao final da atividade - seja com o espaço - muitas vezes a própria rua onde moram - que se torna um local de lazer (e gostaríamos de poder voltar e encontrá-la em condições de brincar novamente) ou com o outro, sem o qual o jogo ou a brincadeira, muitas vezes, não acontece. Entendemos que isso também é Educação. É troca de  repertório lúdico, troca entre culturas de tempos e locais diferentes, além do estímulo (mesmo que pontual) à solidariedade e respeito com o que é do outro.

           Vemos meninos e meninas - de diferentes idades - brincando juntos do que quiserem, com liberdade. Usam o espaço disponível - a rua, o chão, o ar - para criar suas brincadeiras e desafios. Essa é a nossa proposta: (con)viver brincando, unir, através do lúdico e se permitir ser criança independente da idade que se tenha.

           Apesar da linda ideia, 2018 foi um ano conturbado, pois o motor da Kombi fundiu e ficamos mais de 3 meses sem ela. Isso nos custou caro! Além da frustração de não cumprir nosso objetivo, precisamos desembolsar mais de R$5.000,00 para deixar tudo em ordem e voltar a rodar com ela. Com criatividade conseguimos garantir a primeira parcela, as demais estão saindo do nosso bolso e por isso criamos esse financiamento coletivo e estamos te convidando a fazer parte desse projeto conosco. Nossa ideia, enquanto iniciativa independente é não depender de patrocinadores "oficiais", como lojas de brinquedos ou grandes marcas de lojas, acreditamos na comunidade e na transparência. Assim, com a colaboração de cada um e de cada uma, saldaremos a dívida que ainda temos com o mecânico e ainda teremos a certeza de estar no caminho certo, pois temos apoio de pessoas de verdade.

Duas gerações, uma só brincadeira - Avó ensina netos a jogarem bolinha de gude

         Então, com a aquisição da Kombi Infância, nos últimos dias de 2017, começamos a pensar como poderíamos atuar e modificar algumas das tantas coisas que nos incomodavam. Pais de uma menina que acabava de completar 3 anos e também professores já há algum tempo, observamos com atenção os espaços públicos e não-públicos o brincar das crianças e suas movimentações cada vez mais restritas. Nossa filha tinha oportunidades que pareciam cada vez mais privilégios de alguns, como contato com a terra e areia, o livre brincar (em casa e na escola), e o acesso a brinquedos não estruturados com os quais ficava muito tempo entretida. Assim, depois de muito planejamento, estabelecimento de objetivos e formas de atuar, chamamos amigos-parceiros  nosso desejo se concretizou. 

          No dia 18 de março de 2018 colocamos na rua a nossa primeira ação. Foi na Zona Norte de Porto Alegre, outro grande parceiro tinha proximidade com a Associação Comunitária do local, fez a ponte e a Infância chegou. Foi uma festa, uma tarde muito especial, de trocas, de aproximações, de olhos curiosos e brilhantes com a descoberta de cada brinquedo, cada brincadeira proposta e que também puderam propor para enriquecer nosso repertório, os instrumentos musicais chamaram a atenção e trouxeram ainda mais possibilidades de aprendizados. Saímos de lá revigorados e com a certeza que a estrada seria longa e de sucesso.
Quer ver mais detalhes desse encontro? Clica aqui e assiste o vídeo.

              No mês seguinte, os contatos foram mais difíceis, mas não desistimos. Avisamos pelas redes sociais que o encontro seria em um parque central da cidade. Divulgamos entre amigos e seguidores da página. Dessa vez o público era incerto, pois não havia uma organização prévia com nenhuma instituição. A experiência foi diferente, porém tão válida quanto. Aproximaram-se famílias inteiras, de pais com filhos à avós que tinham na sua memória tantas das brincadeiras que propúnhamos. Foi tarde de usar o chão do parque para desenhar a Amarelinha e o jogo de bolinhas de gude, foi momento de relembrar como se "pulava elástico" e as cantigas de brincadeiras de mão, entre tantos outros jogos o Pião foi motivo de desafio inclusive entre adultos que resgataram suas crianças. Para assistir ao vídeo com um pouquinho mais dessa tarde, é só clicar aqui.

              Depois disso, foram vários os percalços enfrentados. A cada dia que marcavamos nossas ações, um obstáculo diferente aparecia. Primeiro foi a greve dos caminhoneiros que parou o país e fez com que ninguém saísse de casa. Depois as chuvas do inverno gaúcho teimaram em cair bem quando os espaços disponíveis não tinham cobertura alguma. E em agosto foi o motor da Infância que resolveu parar. Lá se foram 3 meses parada na oficina e nenhuma criança brincando :( Quando ela voltou já era final do ano, correrias e compromissos pessoais já assumidos dificultaram a construção de qualquer agenda. Dezembro, enfim teríamos mais uma oportunidade de finalizar o ano brincando, porém a atividade para qual fomos convidados foi cancelada por falta de autorização da Prefeitura.

              Mas 2019 promete!  Já temos cronograma planejado para todos os meses e estamos na fase de contatos que possam nos receber. Com o pagamento da dívida dos consertos (por que o motor foi apenas um deles) seguiremos em frente, investindo e acreditando, porque o Brincar é revolucionário!!


Como todo financiamento coletivo, não é apenas o valor do que desejamos que entra na nossa conta, mas como transparência é fundamental apresentamos, no gráfico ao lado, como será repartida toda a arrecadação que tivermos. Lembrando que estamos num financiamento TUDO OU NADA, ou seja se não alcançarmos a nossa meta mínima, todas as colaborações serão devolvidas ao final do prazo da campanha. 

Por outro lado, atingindo a meta, conseguiremos pagar a dívida que o projeto "Cadê a Infância?" teve o ano passado com o conserto do motor da Kombi.
Sendo um projeto voluntário que não conta (ou não contava até agora) com recurso nenhum  - além do que dispunham seus idealizadores (com seus salários de professores da Educação Básica) - as contribuições serão de fundamental importância para mantermos essa ideia viva e rodando pela cidade. Em contrapartida oferecemos pequenas, mas significativas, RECOMPENSAS. Você contribui e nós presenteamos você, todos saem ganhando.  Serão pequenos objetos que além de lembrar que você foi um COLABORADOR-INCENTIVADOR do brincar pela cidade, também pretendem oferecer momentos lúdicos para você e quem estiver próximo. Serão brinquedos que compõem nosso acervo (como piões, bolinhas de gude, 5 Marias e  tantos outros), ou também a chance de divulgar essa forma de ver o mundo através de camisetas e adesivos, podendo chegar até a uma ação especial para você e seus convidados no local que escolher. 

  

 

Participe dessa campanha! Lembre-se de que Brincar é revolucionário e você estará colaborando para que muitas crianças tenham essa linda experiência de forma tão diferente do comum.

DIVULGUE! COMPARTILHE! COLABORE!

Todo valor é bem vindo. Colabore para  atingirmos essa a meta!

Campanha “Traz +1!”

Em: 12/03/2019 11:55

 

Olá!!!

                   Viemos mais uma vez agradecer a sua participação em nosso financiamento COLETIVO para mantermos a Infância ativa para levar o brincar até quem mais precisa. Lembrando que o prazo está se esgotando e a campanha se encerra no dia 22/03 (TEMOS APENAS MAIS 10 DIAS), por isso, tamanha a urgência em acionarmos as nossas redes de contato - e também as suas redes. Assim, estamos lançando uma campanha de reta final chamada “TRAZ +1!” Você que já colaborou com esse ideia por que acredita que JUNTOS podemos construir um mundo melhor, pode trazer mais um BENFEITOR para o nosso grupo. Valem todas as formas de contato (Facebook, WhatsApp, conversas pessoais, e-mail).

                   Precisamos atingir a meta dos R$ 5.200,00, pois (como está no vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=YZbqLnu0hsc&t=16s) depois de retificar o motor vieram muitos outros problemas mecânicos que precisaram ser resolvidos para manter o "Cadê a Infância?" na rua. Reparos esses que chegam quase ao mesmo valor do primeiro, assim essa última meta nos ajudará a deixá-la totalmente ATIVA, POR MUITO TEMPO.

                    Então é fundamental que todas e todos continuem divulgando a campanha (www.benfeitoria.com/cadeainfancia). Também sigam e compartilhem a página. E sempre que possível façam sua contribuição - todo valor é importante. Uma sugestão de texto a ser compartilhado é:

“Pessoal, sabia que tem uma família bacana que com uma kombi super astral e leva brincadeira as crianças da periferia de Porto Alegre?

 

Brincadeira que estimula o cuidado mútuo e o coletivo, alegra, transforma!

Só que a kombi estragou ano passado.  Pra consertar a kombi eles entraram plataforma de financiamento coletivo.

Então é hora de colaborar! Um pouco de cada um/a e o PROJETO continua!

No site: www.benfeitoria.com/cadeainfancia tem mais detalhes.

 Eles têm até o dia 22/03 para alcançarem a meta ideal dos  R$5.000. Você pode escolher com quanto gostaria de APOIAR e ainda pode receber um "mimo" como retribuição, basta escolher.

Tem que fazer um cadastro ou fazer login pelo Facebook. E pagar no cartão ou no boleto. Todo valor é bem vindo e ajuda!

Agora é só clicar em: www.benfeitoria.com/cadeainfancia Você também pode assistir ao vídeo para saber mais.

Valeu!”

Ou ainda, pode copiar algum trecho da descrição que está na página do www.benfeitoria.com/cadeainfancia como, por exemplo, “quem somos” ou “o nosso diferencial”.

 JUNTOS MANTEREMOS A INFÂNCIA ATIVA!!

Gratidão a todos que participaram até aqui!!!


Já colocamos a Infância na estrada. Gratidão!!!

Em: 10/03/2019 00:20

É com imensa satisfação que comemoramos. 
A segunda meta também foi atingida. Chegamos ao valor com o qual conseguiremos pagar todas as prestações que ainda faltam do conserto do motor e isso será muito valioso, pois (como está no vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=YZbqLnu0hsc&t=16s) depois de retificar o motor vieram muitos outros problemas mecânicos que precisaram ser resolvidos para manter o "Cadê a Infância?" na rua. Reparos esses que chegam quase ao mesmo valor do primeiro, assim essa última meta nos ajudará a deixa-la totalmente ATIVA, POR MUITO TEMPO.

Lembrando que o prazo está se esgotando e a campanha se encerra no dia 22/03 (TEMOS APENAS MAIS 13 DIAS).

Então é fundamental que todas e todos continuem divulgando a campanha (www.benfeitoria.com/cadeainfancia). Também sigam e compartilhem a página. E sempre que possível façam sua contribuição - todo valor é importante.
JUNTOS MANTEREMOS A INFÂNCIA ATIVA!!

Gratidão a todos que participaram até aqui!!!
Lenon Veronese e Fernando Peres (nossos artistas voluntários, que doaram seu talento e deixaram tudo mais lindo) e todos os BENFEITORES DO BRINCAR que apoiaram a campanha até aqui: Alessandra de Avila Brandão, Alessandra Quadros, Aline Brum, Aline Pereira de Barros, Amanda Senna, Ana Néri Goulart Peres, Ana Oliveira, Ana Paula Fagundes, Andrea Koliver, Camile Pasqualotto Lewczynski, Carolina Guimarães, Cintia Mabilde, Clarissa Gregory Brunet, Claudia Vargas, Daniela Cesa Fracasso, Dayse Rocha, Fabi das Águas, Fernanda Costa, Fernando Meloni, Francisco Jose de Carvalho Duarte da Silva, Gabriela Lopes, Helenise Sartori, Isabela Niemeyer, Larissa Moraes Cunha, Leda Meirelles, Lucas Santos Morais, Luciana Hahn Brum, Luciano Seade, Luísa Batista Diederichs, Mogar Damaceno Miranda, Natália Lanita, Olei Amarilho Peres, Rosane Nunes Garcia, Sítio dos Pijucas, Tânia Bergamo, Tiago João, Tuchaua Rodrigues, Yellow - Escola de Educação Infantil, Vivian Albertoni.


Seguimos brincando, mas com seu apoio vai ser ainda melhor

Em: 20/02/2019 20:42

Nossa primeira ação do ano foi na vila Planetário, no último domingo, dia 17/02.

Nosso encontro foi lindo e transformador. Vivenciamos o brincar de forma plena. Sentimos a presença autêntica das crianças e dos adultos que passaram pela rua. Estávamos todos juntos e misturados na comunidade imbuídos pelo espirito da infância.

Gratidão aos voluntários do Projeto, que colaboram muito para que pudéssemos iniciar esse ano com muito entusiamo.

Faça parte dessa história também! Contribua com a campanha, pois JUNTOS manteremos a Infância ativa!!!!

 

"O ser humano somente brinca onde ele é verdadeiro homem; e ele só é completamente homem onde ele brinca" ( Schiller)

https://www.facebook.com/projetocadeainfancia/photos/a.1196003273863120/1480815792048532/?type=3&theater


O arranque foi dado

Em: 19/02/2019 19:17

É com imensa satisfação que comemoramos. 
A primeira meta foi atingida. Chegamos ao valor mínimo que precisávamos para seguir com as novas etapas do financiamento coletivo.

Com o valor da nova meta conseguiremos pagar todas as prestações que ainda faltam do conserto e isso será muito valioso, pois depois desse conserto vieram muitos outros (que chegam quase ao mesmo valor do primeiro).

Lembrando que o prazo não é muito grande e a campanha se encerra no dia 22/03. 
Então é fundamental que todas e todos continuem divulgando a campanha. Também sigam e compartilhem a página (https://www.facebook.com/projetocadeainfancia/). E sempre que possível façam sua contribuição - todo valor é importante.

JUNTOS MANTEREMOS A INFÂNCIA ATIVA!!