"Capitalismo Carcerário", de Jackie Wang |

"Capitalismo Carcerário", de Jackie Wang

Pré-venda do livro da abolicionista penal pela editora Igrá Kniga - Coleção “Raça e Capitalismo”

Projeto por: Bruno Xavier Martins
R$ 21.613,00
arrecadado
meta R$ 9.450,00

259 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Bruno Xavier Martins

Bruno Xavier Martins
R$ 60 + FRETE
Livro
183 benfeitores apoiando
Você receberá 1 exemplar do livro 'Capitalismo Carcerário', de Jackie Wang, em casa...assim que ele sair da gráfica!
R$ 70 + FRETE
Livro + botton da 'IK'
13 benfeitores apoiando
O livro 'Capitalismo Carcerário', de Jackie Wang (assim que sair da gráfica) + bottom com logo da 'IK'
R$ 100 + FRETE
Livro + Cartaz + Botton
11 benfeitores apoiando
O livro 'Capitalismo Carcerário', de Jackie Wang (assim que sair da gráfica) + cartaz com arte de Diego Dias + bottom com logo da 'IK'
R$ 112 + FRETE
Livro + 1 outro título da editora
21 benfeitores apoiando
O livro 'Capitalismo Carcerário', de Jackie Wang (assim que sair da gráfica) + 'Pandemia & Agronegócio', de Rob Wallace. obs: postaremos esse último título no correio até o final dessa campanha.

11 disponíveis.
R$ 130 + FRETE
Livro + camiseta + botton
12 benfeitores apoiando
O livro 'Capitalismo Carcerário', de Jackie Wang (assim que sair da gráfica) + camiseta com ilustração da REVISTACOMANDO + bottom com logo da 'IK'
R$ 132 + FRETE
Livro + 2 outros títulos da editora
5 benfeitores apoiando
O livro 'Capitalismo Carcerário', de Jackie Wang (assim que sair da gráfica). + 'Pandemia & Agronegócio', de Rob Wallace + 'Pandora Pandêmica', de Glauco Gonçalves. : postaremos esses dois últimos títulos no correio até o final dessa campanha.

indisponível.

O PROJETO

O objetivo desta campanha é financiar o processo de edição e publicação de 500 exemplares do livro Capitalismo Carcerário, da autora estadunidense Jackie Wang.

 

Sua publicação - que chega ao Brasil por meio do selo editorial Igrá Kniga (https://www.igrakniga.com/publicacoes) - traz para o português brasileiro os primeiros textos da autora. Jackie Wang é abolicionista penal, poeta, artista multimídia e pesquisadora do Departamento de Estudos Africanos e Afro-americanos na Universidade de Harvard, onde se especializou na investigação sobre raça e a economia política da polícia e das prisões nos EUA. 

 

 

cFveQc4.jpg O livro Capitalismo Carcerário, que se encontra agora em pré-venda, faz a atualização das dimensões raciais, econômicas, políticas, jurídicas e tecnológicas do problema do encarceramento em massa nos EUA. Ele é composto por sete ensaios que analisam, entre outras coisas, as transformações do controle biopolítico de jovens infratores a partir da década de 1990, com a consequente adoção da prisão perpétua para menores de idade; a formação de um mercado racializado de dívidas "subprime" que promove a despossessão da população negra nos EUA; a formatação de um esquema oficial de pilhagem que se utiliza da polícia e da justiça criminal para prender e arrecadar dinheiro da população pobre, com o intuito de resolver o déficit fiscal dos municípios após a crise de 2008; o desenvolvimento e aplicação de tecnologias preditivas e algorítmicas no policiamento; e um debate poético sobre as possibilidades imaginativas do abolicionismo penal.

 

O livro de Jackie Wang dá início à coleção Raça e Capitalismo, uma série de traduções que relaciona as transformações do capitalismo ao "continuum carcerário racializado" na história dos EUA. O segundo livro da coleção (que já está em processo de tradução e virá ao público no segundo semestre de 2022, também pela Igrá Kniga) é o clássico Golden Gulag, da geógrafa e abolicionista Ruth Wilson Gilmore.

 

Caso você queira olhar o livro Capitalismo Carcerário "por dentro", preparamos uma espécie de “índice comentado”. Separado pelos capítulos que compõem a obra, o texto a seguir, publicado no Le Monde Diplomatique Brasil, mistura algumas citações da autora com comentários feitos pelo tradutor, de modo a apresentar, de passagem, o conteúdo de cada ensaio. Leia o 'índice comentado' aqui: https://diplomatique.org.br/comentarios-sobre-o-livro-da-abolicionista-penal-jackie-wang. 

Boa leitura!!!

 

Acompanhe o Blog e as publicações da IK em: https://www.igrakniga.com/publicacoes.

 

Siga a gente nas redes sociais:

Insta: igrakniga      

Face: igrakniga.ik.5     

Twitter: twitter.com/k_igra

 

Título original "Carceral Capitalism" by Semiotext(e), Intervention Series

Tradução do inglês para o português.

 

m7kUlWT.jpg

 

TÍTULOS E SUBTÍTULOS DO LIVRO

Introdução

Penologia do Sunbelt; A Economia da Dívida; Tecnologia Pisional; Ampliação da Sociedade Carcerária e “Abolicionista” do Controle; Políticas Algorítmicas e Análise Preditiva; Poder Algorítmico; O Partido dos Panteras Negras, a lumpenização e a automação; Encarceramento em Massa, a Economia da Dívida e a Sociedade do Pós-Trabalho; O Novo Capitalismo Racial; O Estado Financeiro de Exceção; Automação; Extorsão e Saque; Confinamento; Violência Gratuita.

Cap. 1 - Acumulação Racializada por Despossessão na Era do Capital Financeiro: Notas sobre a Economia da Dívida Acumulação Primitiva; Da Acumulação Primitiva à Acumulação Racializada por Despossessão; Capitalismo Racial e Colonialismo; Expropriação de Gênero; Expropriação Racializada; Raça e a Economia da Dívida; Dívida Estudantil; Endividamento Municipal; Dívida Hipotecária Racializada: do Redline ao Subprime; Os Termos de Sua Solvência e Não a Cor de Sua Pele: Risco e o Novo Racismo Daltônico; A Racialização do Risco.

Cap. 2 - Policiamento como Pilhagem: Notas sobre as Finanças Municipais e a Economia Política das Taxas e Multas Taxas e multas

Pesadelos Sociais; A Financeirização das Municipalidades: de Nova York a Detroit; Marxismo e Financeirização; Teorizando o Kapitalistate; Teorizando a Governança Municipal e o Kapitalistate Racial; O Direito à Cidade e a Libertação do Espaço Urbano.

Cap. 3 - “Eles carregam armas em vez de lancheiras”: Biopoder e Delinquência Juvenil

A Chegada dos Superpredadores: Caos no Horizonte; Conclusão; Oscilações no tempo: Uma atualização.

Cap. 4 - “Esta é uma História sobre Nerds e Policiais”: PredPol e Policiamento Algorítmico

PredPol e o Policiamento Algorítmico; A Crise de Legitimidade; A Crise de Incerteza; Paranoia; Falsos Positivos; A Política dos Dados do Crime; Conclusão.

Cap. 5 - O Policial Cibernético: RoboCop e o Futuro do Policiamento

Cap. 6 - Contra a Inocência: Raça, Gênero e Política de Segurança

Espaço Branco; Tradução; Espaço Seguro; Abjeção e violência sexual; Contra a Inocência

Cap. 7 - O Imaginário Abolicionista Penal: Uma Conversa

Uma Dúzia de Rosas Contra o Estado Policial; A Prisão é a Nossa Sombra; Flores Sepultadas; As Estrelas Vistas da Prisão; A Morte que Não é Morte, Mas o Nascimento de Tudo Possível; Imaginações no Cativeiro; A Dialética do Sonhar; A Política do Sonhar; Plantando o Sonho.

 

IGPEmbk.jpg

RECOMPENSAS

Além de “Capitalismo Carcerário”, de Jackie Wang, os apoiadores do projeto tem a opção de adquirir também outros livros do nosso catálogo e alguns "Artefatos Culturais da IK" [IKAC], feitos por artistas que se debruçaram sobre a temática do livro. Veja abaixo quais são essas recompensas:

 

 

CmPcnAz.jpg

O livro Pandemia e Agronegócio, do filogeógrafo e biólogo estadunidense Rob Wallace, busca superar a cisão entre ciências humanas e naturais por meio da crítica radical ao modo de produção capitalista aplicado às atividades agropecuárias. Demonstra como os vírus pandêmicos dos últimos tempos não são "infortúnios da natureza", mas sim resíduos reais e letais produzidos nas bio-seguras operações agro-industriais de monocultivo genético, respostas contraditórias que os vírus oferecem ao imperativo da produtividade.
 
5Cw58Xp.jpgO livro Pandora Pandêmica, escrito por Glauco Gonçalves e ilustrado por Estevão Parreiras, são quarenta micro(necro)-contos/crônicas, elaborados nos sufocantes meses iniciais da pandemia de COVID-19 no Brasil. 
wLtxSzW.jpg KAC001 - A estampa da camiseta vem de um desenho feito pela REVISTA COMANDO, baseado no ensaio No. 5 do livro Capitalismo Carcerário. Para Jackie Wang, o policiamento algorítmico e preditivo não substitui a força bruta da violência estatal, apenas se transforma em seu corolário! Na imagem, a faca ensaguentada sobrepõe o "Robocop" de 1987, não deixando dúvidas sobre o que veio a ser o "O Policial do Futuro". 
 

 

BVGFCZl.jpg vsfjqAK.jpgIKAC002 -Botton Igrá Kniga

 


p4BrrMn.jpg

Cartaz Capitalismo carcerário, de Diego Sampaio Dias. Nas palavras do artista: "Tomei partido do sistema binário, zero ou um, a informação atômica contida em um 'bit' que rastreia corpos vivos. O desígnio do cartaz foi gerar uma imagem gráfica pela tradução combinatória de padrões um a um e unicamente com o uso da forma algorítmica zero. Processo híbrido, criação de estampas-retículas de forma analógica apoiado no design original da computação gráfica. Um sistema que se fecha, enreda, aprisiona."

Dimensões do cartaz: 64X30 cm.

Impressão: serigrafia. Branco sobre preto, em papel preto,120g.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EQUIPE - quem está por trás do projeto?

Igrá Kniga selo editorial

Conselho Editorial e Curadoria de Obras Allan Rodrigo de Campos Silva, Bruno Xavier Martins, Rafael Florêncio e Rachel Pach

Editores de "Capitalismo Carcerário" Bruno Xavier Martins e Maria Teresa Mhereb

Tradução Bruno Xavier Martins

Prefácio Juliana Borges

Orelha do livro Jean Tible

Revisão da tradução e preparação de texto Maria Teresa Mhereb

Revisão técnica Guilherme Estevão

Ilustração Revista Comando

Projeto gráfico, diagramação e capa Gabriel Kerhart

Produção do cartaz (design e serigrafia) Diego Diasa

Revisão de prova 1 Helena Barbosa

Revisão de prova 2 Bruno Xavier Martins e Maria Teresa Mhereb

 

MINIBIO DAS PESSOAS ENVOLVIDAS

Igrá Kniga é um projeto editorial de crítica radical à modernização capitalista. Criado em 2020, suas últimas publicações são: Pandemia & Agronegócio, de Rob Wallace; Manifesto Contra o Trabalho, do Grupo Krisis; Pandora Pandêmica, de Glauco Gonçalves.

Bruno Xavier Martins é mestre em Geografia Humana pela USP e pela Center University of New York. Graduou-se em Geografia pela USP e em Economia pela PUC-SP. Traduziu o livro "Capitalismo Carcerário", de Jackie Wang. Está traduzindo "Golden Gulag: prisons, surplus, crisis, and opposition in Globalizing California", de Ruth W. Gilmore.

Juliana Borges é autora, entre outros, do livro "Encarceramento em Massa" (2019). É consultora do Núcleo de Enfrentamento, Monitoramento e Memória de Combate à Violência da OAB-SP e conselheira da Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas.

Jean Tible é professor de Ciência Política na USP. Escreveu os livros "Marx Selvagem" e "Barricades". Co-organizou "Junho: Potência das Ruas e das Redes" e "Cartografias da Emergência: Novas Lutas no Brasil".

Maria Teresa Mhereb é tradutora, editora, preparadora de textos e pesquisadora. É doutoranda em Estudos da Tradução na USP. É graduada em Ciências Sociais pela Unesp e em Letras pela USP. Já traduziu, organizou e editou diversos livros junto a várias editoras. Entre as/os autoras/es que já traduziu estão Eleanor Marx, Sylvia Pankhurst, Maria Mies, Michael Löwy e Internacional Situacionista.

Guilherme Estevão é geógrafo, mestre em Geografia Humana pela USP e professor de educação básica. Pesquisador da área de geografia urbana e relações raciais, compõe o NEPEN (Núcleo de Estudantes e Pesquisadoras Negras do Departamento de Geografia da USP).

Revista Comando é um coletivo gráfico formado pelos artistas Guilherme Boso e Frederico Heer. Seus trabalhos são construídos a quatro mãos em xilogravura e serigrafia para construção de murais, álbuns, séries de cartazes, ilustrações, revistas e livros de artista.

Gabriel Kerhart é poeta, pesquisador e performer. É integrante do grupo Riverão. Vende livros, faz oficinas e trabalha como designer. Participou das exposições GIL70 e TOM ZÉ 80 anos. Publicou nas revistas: Artéria, Errática, Circuladô, Córrego, Pitomba.

Helena Barbosa é tradutora, revisora e advogada indigenista. Mestra em Estudos da Tradução pela USP, bacharela em Letras-Tradução pela UnB e em Direito pelo UniCEUB. Desenvolve pesquisas sobre tradução feminista e sobre a história da tradução e da interpretação no Brasil, como foco especialmente em tradutoras e intérpretes indígenas.

Diego Sampaio Dias (a.k.a. Diego Diasa) é poeta, designer, performer e pesquisador. Compõe o grupo Riverão desde 2008. Participou de projetos editoriais como "68: como Incendiar um País" e "Diárias", de Jonas Mekas. Dedica-se há mais de uma década ao design de superfícies e à serigrafia, tendo realizado impressões em papel e tecido em grande formato – e.g. Exposição “VKhutemas - O Futuro em Construção 1918-1930”, no SESC-Pompéia, 2018.

Rachel Pach é doutoranda em Geografia Humana na USP, pesquisadora nas áreas de geografia urbana, história da arte, arquitetura & urbanismo. É uma das tradutoras do livro "Capitalismo em Quarentena".

Allan de Campos é tradutor e geógrafo, mestre e doutor em geografia humana pela USP. Pesquisador da área de geografia, migrações e saúde pública. Traduziu o livro "Pandemia & Agronegócio", de Rob Wallace.

Rafael Florêncio é doutorando em Geografia Humana pela USP, pesquisador nas áreas de geografia cultural, música e cultura pop. Contribui com o blog da Igrá Kniga.

 

ORÇAMENTO

META 1 está garantida a impressão de 200 exemplares. Além disso, pagaremos o ISBN, a ficha catalográfica, o diagramador, a revisão de prova e 40% da preparação de texto. Com isso, o livro chegará até a sua casa.

META 2 impressão de mais 150 exemplares. Além disso, pagaremos o restante da preparação de texto, toda a revisão técnica e 40% da tradução e da revisão de tradução. Se essa for alcançada, o livro físico será inteiramente ilustrado pela incrível Revista Comando.

META 3 impressão dos últimos 150 exemplares do livro. Finalizaremos o pagamento de toda a tradução, da revisão e do processo editorial. Por fim, se essa meta for alcançada, produziremos o livro também no formato e-book.

 

CRONOGRAMA

- Tradução: finalizada em set/21

- Revisão da tradução e preparação do texto: de out/21 à fev/22

- Revisão técnica: jan-fev/22

- Prefácio: dez/21

- Capa: fev/22

- Ilustração: dez/21 a mar/22

- Diagramação: início em nov/21 e finalização em abril/22

- Revisão de prova 1: abril/22

- Revisão de prova 2: abril/22

- Gráfica: final de abril/22

- Entrega dos livros: você vai receber até o meio de maio/22.

 

ESPECIFICAÇÕES DO LIVRO

- aprox. 300 páginas

- papel pólen soft

- miolo preto e branco

- formato 16x23cm

- capa: papel cartão, laminação fosca

É hoje: “Live” de pré-lançamento do livro “Capitalismo Carcerário”

Em: 14/12/2021 11:18

Caros colaboradores, 

Acontece hoje a primeira conversa pública sobre o livro ?Capitalismo Carcerário?. Estarão presentes Juliana Borges (autora de ?Encarceramento em Massa?), Bruno Xavier (tradutor da obra) e Frei Guilherme (Pastoral Carcerária da Arquidiocese de São Paulo).

A live ocorrerá pelos canais da Pastoral Carcerária Nacional.


Segue o link do YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=QVLQdGP4uk0



Compartilhe: 




Reta final da campanha do livro “Capitalismo Carcerário”, de Jackie Wang.

Em: 06/12/2021 09:56

Caros colaboradores,


Queremos agradecer a participação de vocês no projeto do livro ?Capitalismo Carcerário?. Ela já garantiu a realização do projeto. 


Porém, para alcançar a terceira meta, terminar de pagar todos os envolvidos e conseguir fazer a tiragem de 500 exemplares, ainda precisa que muitos outros colaboradores se juntem à campanha! 


É muito importante, nesses dias finais do financiamento colaborativo, que a ideia do projeto chegue ao máximo de pessoas. Se puder, compartilhe o link abaixo com sua rede de contatos interessada no tema e fale sobre o lançamento do livro no Brasil:


https://benfeitoria.com/capitalismocarcerario


Muito obrigado,

Editorial Igrá Kniga.


O PROJETO

O objetivo desta campanha é financiar o processo de edição e publicação de 500 exemplares do livro Capitalismo Carcerário, da autora estadunidense Jackie Wang.

 

Sua publicação - que chega ao Brasil por meio do selo editorial Igrá Kniga (https://www.igrakniga.com/publicacoes) - traz para o português brasileiro os primeiros textos da autora. Jackie Wang é abolicionista penal, poeta, artista multimídia e pesquisadora do Departamento de Estudos Africanos e Afro-americanos na Universidade de Harvard, onde se especializou na investigação sobre raça e a economia política da polícia e das prisões nos EUA. 

 

 

cFveQc4.jpg O livro Capitalismo Carcerário, que se encontra agora em pré-venda, faz a atualização das dimensões raciais, econômicas, políticas, jurídicas e tecnológicas do problema do encarceramento em massa nos EUA. Ele é composto por sete ensaios que analisam, entre outras coisas, as transformações do controle biopolítico de jovens infratores a partir da década de 1990, com a consequente adoção da prisão perpétua para menores de idade; a formação de um mercado racializado de dívidas "subprime" que promove a despossessão da população negra nos EUA; a formatação de um esquema oficial de pilhagem que se utiliza da polícia e da justiça criminal para prender e arrecadar dinheiro da população pobre, com o intuito de resolver o déficit fiscal dos municípios após a crise de 2008; o desenvolvimento e aplicação de tecnologias preditivas e algorítmicas no policiamento; e um debate poético sobre as possibilidades imaginativas do abolicionismo penal.

 

O livro de Jackie Wang dá início à coleção Raça e Capitalismo, uma série de traduções que relaciona as transformações do capitalismo ao "continuum carcerário racializado" na história dos EUA. O segundo livro da coleção (que já está em processo de tradução e virá ao público no segundo semestre de 2022, também pela Igrá Kniga) é o clássico Golden Gulag, da geógrafa e abolicionista Ruth Wilson Gilmore.

 

Caso você queira olhar o livro Capitalismo Carcerário "por dentro", preparamos uma espécie de “índice comentado”. Separado pelos capítulos que compõem a obra, o texto a seguir, publicado no Le Monde Diplomatique Brasil, mistura algumas citações da autora com comentários feitos pelo tradutor, de modo a apresentar, de passagem, o conteúdo de cada ensaio. Leia o 'índice comentado' aqui: https://diplomatique.org.br/comentarios-sobre-o-livro-da-abolicionista-penal-jackie-wang. 

Boa leitura!!!

 

Acompanhe o Blog e as publicações da IK em: https://www.igrakniga.com/publicacoes.

 

Siga a gente nas redes sociais:

Insta: igrakniga      

Face: igrakniga.ik.5     

Twitter: twitter.com/k_igra

 

Título original "Carceral Capitalism" by Semiotext(e), Intervention Series

Tradução do inglês para o português.

 

m7kUlWT.jpg

 

TÍTULOS E SUBTÍTULOS DO LIVRO

Introdução

Penologia do Sunbelt; A Economia da Dívida; Tecnologia Pisional; Ampliação da Sociedade Carcerária e “Abolicionista” do Controle; Políticas Algorítmicas e Análise Preditiva; Poder Algorítmico; O Partido dos Panteras Negras, a lumpenização e a automação; Encarceramento em Massa, a Economia da Dívida e a Sociedade do Pós-Trabalho; O Novo Capitalismo Racial; O Estado Financeiro de Exceção; Automação; Extorsão e Saque; Confinamento; Violência Gratuita.

Cap. 1 - Acumulação Racializada por Despossessão na Era do Capital Financeiro: Notas sobre a Economia da Dívida Acumulação Primitiva; Da Acumulação Primitiva à Acumulação Racializada por Despossessão; Capitalismo Racial e Colonialismo; Expropriação de Gênero; Expropriação Racializada; Raça e a Economia da Dívida; Dívida Estudantil; Endividamento Municipal; Dívida Hipotecária Racializada: do Redline ao Subprime; Os Termos de Sua Solvência e Não a Cor de Sua Pele: Risco e o Novo Racismo Daltônico; A Racialização do Risco.

Cap. 2 - Policiamento como Pilhagem: Notas sobre as Finanças Municipais e a Economia Política das Taxas e Multas Taxas e multas

Pesadelos Sociais; A Financeirização das Municipalidades: de Nova York a Detroit; Marxismo e Financeirização; Teorizando o Kapitalistate; Teorizando a Governança Municipal e o Kapitalistate Racial; O Direito à Cidade e a Libertação do Espaço Urbano.

Cap. 3 - “Eles carregam armas em vez de lancheiras”: Biopoder e Delinquência Juvenil

A Chegada dos Superpredadores: Caos no Horizonte; Conclusão; Oscilações no tempo: Uma atualização.

Cap. 4 - “Esta é uma História sobre Nerds e Policiais”: PredPol e Policiamento Algorítmico

PredPol e o Policiamento Algorítmico; A Crise de Legitimidade; A Crise de Incerteza; Paranoia; Falsos Positivos; A Política dos Dados do Crime; Conclusão.

Cap. 5 - O Policial Cibernético: RoboCop e o Futuro do Policiamento

Cap. 6 - Contra a Inocência: Raça, Gênero e Política de Segurança

Espaço Branco; Tradução; Espaço Seguro; Abjeção e violência sexual; Contra a Inocência

Cap. 7 - O Imaginário Abolicionista Penal: Uma Conversa

Uma Dúzia de Rosas Contra o Estado Policial; A Prisão é a Nossa Sombra; Flores Sepultadas; As Estrelas Vistas da Prisão; A Morte que Não é Morte, Mas o Nascimento de Tudo Possível; Imaginações no Cativeiro; A Dialética do Sonhar; A Política do Sonhar; Plantando o Sonho.

 

IGPEmbk.jpg

RECOMPENSAS

Além de “Capitalismo Carcerário”, de Jackie Wang, os apoiadores do projeto tem a opção de adquirir também outros livros do nosso catálogo e alguns "Artefatos Culturais da IK" [IKAC], feitos por artistas que se debruçaram sobre a temática do livro. Veja abaixo quais são essas recompensas:

 

 

CmPcnAz.jpg

O livro Pandemia e Agronegócio, do filogeógrafo e biólogo estadunidense Rob Wallace, busca superar a cisão entre ciências humanas e naturais por meio da crítica radical ao modo de produção capitalista aplicado às atividades agropecuárias. Demonstra como os vírus pandêmicos dos últimos tempos não são "infortúnios da natureza", mas sim resíduos reais e letais produzidos nas bio-seguras operações agro-industriais de monocultivo genético, respostas contraditórias que os vírus oferecem ao imperativo da produtividade.
 
5Cw58Xp.jpgO livro Pandora Pandêmica, escrito por Glauco Gonçalves e ilustrado por Estevão Parreiras, são quarenta micro(necro)-contos/crônicas, elaborados nos sufocantes meses iniciais da pandemia de COVID-19 no Brasil. 
wLtxSzW.jpg KAC001 - A estampa da camiseta vem de um desenho feito pela REVISTA COMANDO, baseado no ensaio No. 5 do livro Capitalismo Carcerário. Para Jackie Wang, o policiamento algorítmico e preditivo não substitui a força bruta da violência estatal, apenas se transforma em seu corolário! Na imagem, a faca ensaguentada sobrepõe o "Robocop" de 1987, não deixando dúvidas sobre o que veio a ser o "O Policial do Futuro". 
 

 

BVGFCZl.jpg vsfjqAK.jpgIKAC002 -Botton Igrá Kniga

 


p4BrrMn.jpg

Cartaz Capitalismo carcerário, de Diego Sampaio Dias. Nas palavras do artista: "Tomei partido do sistema binário, zero ou um, a informação atômica contida em um 'bit' que rastreia corpos vivos. O desígnio do cartaz foi gerar uma imagem gráfica pela tradução combinatória de padrões um a um e unicamente com o uso da forma algorítmica zero. Processo híbrido, criação de estampas-retículas de forma analógica apoiado no design original da computação gráfica. Um sistema que se fecha, enreda, aprisiona."

Dimensões do cartaz: 64X30 cm.

Impressão: serigrafia. Branco sobre preto, em papel preto,120g.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EQUIPE - quem está por trás do projeto?

Igrá Kniga selo editorial

Conselho Editorial e Curadoria de Obras Allan Rodrigo de Campos Silva, Bruno Xavier Martins, Rafael Florêncio e Rachel Pach

Editores de "Capitalismo Carcerário" Bruno Xavier Martins e Maria Teresa Mhereb

Tradução Bruno Xavier Martins

Prefácio Juliana Borges

Orelha do livro Jean Tible

Revisão da tradução e preparação de texto Maria Teresa Mhereb

Revisão técnica Guilherme Estevão

Ilustração Revista Comando

Projeto gráfico, diagramação e capa Gabriel Kerhart

Produção do cartaz (design e serigrafia) Diego Diasa

Revisão de prova 1 Helena Barbosa

Revisão de prova 2 Bruno Xavier Martins e Maria Teresa Mhereb

 

MINIBIO DAS PESSOAS ENVOLVIDAS

Igrá Kniga é um projeto editorial de crítica radical à modernização capitalista. Criado em 2020, suas últimas publicações são: Pandemia & Agronegócio, de Rob Wallace; Manifesto Contra o Trabalho, do Grupo Krisis; Pandora Pandêmica, de Glauco Gonçalves.

Bruno Xavier Martins é mestre em Geografia Humana pela USP e pela Center University of New York. Graduou-se em Geografia pela USP e em Economia pela PUC-SP. Traduziu o livro "Capitalismo Carcerário", de Jackie Wang. Está traduzindo "Golden Gulag: prisons, surplus, crisis, and opposition in Globalizing California", de Ruth W. Gilmore.

Juliana Borges é autora, entre outros, do livro "Encarceramento em Massa" (2019). É consultora do Núcleo de Enfrentamento, Monitoramento e Memória de Combate à Violência da OAB-SP e conselheira da Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas.

Jean Tible é professor de Ciência Política na USP. Escreveu os livros "Marx Selvagem" e "Barricades". Co-organizou "Junho: Potência das Ruas e das Redes" e "Cartografias da Emergência: Novas Lutas no Brasil".

Maria Teresa Mhereb é tradutora, editora, preparadora de textos e pesquisadora. É doutoranda em Estudos da Tradução na USP. É graduada em Ciências Sociais pela Unesp e em Letras pela USP. Já traduziu, organizou e editou diversos livros junto a várias editoras. Entre as/os autoras/es que já traduziu estão Eleanor Marx, Sylvia Pankhurst, Maria Mies, Michael Löwy e Internacional Situacionista.

Guilherme Estevão é geógrafo, mestre em Geografia Humana pela USP e professor de educação básica. Pesquisador da área de geografia urbana e relações raciais, compõe o NEPEN (Núcleo de Estudantes e Pesquisadoras Negras do Departamento de Geografia da USP).

Revista Comando é um coletivo gráfico formado pelos artistas Guilherme Boso e Frederico Heer. Seus trabalhos são construídos a quatro mãos em xilogravura e serigrafia para construção de murais, álbuns, séries de cartazes, ilustrações, revistas e livros de artista.

Gabriel Kerhart é poeta, pesquisador e performer. É integrante do grupo Riverão. Vende livros, faz oficinas e trabalha como designer. Participou das exposições GIL70 e TOM ZÉ 80 anos. Publicou nas revistas: Artéria, Errática, Circuladô, Córrego, Pitomba.

Helena Barbosa é tradutora, revisora e advogada indigenista. Mestra em Estudos da Tradução pela USP, bacharela em Letras-Tradução pela UnB e em Direito pelo UniCEUB. Desenvolve pesquisas sobre tradução feminista e sobre a história da tradução e da interpretação no Brasil, como foco especialmente em tradutoras e intérpretes indígenas.

Diego Sampaio Dias (a.k.a. Diego Diasa) é poeta, designer, performer e pesquisador. Compõe o grupo Riverão desde 2008. Participou de projetos editoriais como "68: como Incendiar um País" e "Diárias", de Jonas Mekas. Dedica-se há mais de uma década ao design de superfícies e à serigrafia, tendo realizado impressões em papel e tecido em grande formato – e.g. Exposição “VKhutemas - O Futuro em Construção 1918-1930”, no SESC-Pompéia, 2018.

Rachel Pach é doutoranda em Geografia Humana na USP, pesquisadora nas áreas de geografia urbana, história da arte, arquitetura & urbanismo. É uma das tradutoras do livro "Capitalismo em Quarentena".

Allan de Campos é tradutor e geógrafo, mestre e doutor em geografia humana pela USP. Pesquisador da área de geografia, migrações e saúde pública. Traduziu o livro "Pandemia & Agronegócio", de Rob Wallace.

Rafael Florêncio é doutorando em Geografia Humana pela USP, pesquisador nas áreas de geografia cultural, música e cultura pop. Contribui com o blog da Igrá Kniga.

 

ORÇAMENTO

META 1 está garantida a impressão de 200 exemplares. Além disso, pagaremos o ISBN, a ficha catalográfica, o diagramador, a revisão de prova e 40% da preparação de texto. Com isso, o livro chegará até a sua casa.

META 2 impressão de mais 150 exemplares. Além disso, pagaremos o restante da preparação de texto, toda a revisão técnica e 40% da tradução e da revisão de tradução. Se essa for alcançada, o livro físico será inteiramente ilustrado pela incrível Revista Comando.

META 3 impressão dos últimos 150 exemplares do livro. Finalizaremos o pagamento de toda a tradução, da revisão e do processo editorial. Por fim, se essa meta for alcançada, produziremos o livro também no formato e-book.

 

CRONOGRAMA

- Tradução: finalizada em set/21

- Revisão da tradução e preparação do texto: de out/21 à fev/22

- Revisão técnica: jan-fev/22

- Prefácio: dez/21

- Capa: fev/22

- Ilustração: dez/21 a mar/22

- Diagramação: início em nov/21 e finalização em abril/22

- Revisão de prova 1: abril/22

- Revisão de prova 2: abril/22

- Gráfica: final de abril/22

- Entrega dos livros: você vai receber até o meio de maio/22.

 

ESPECIFICAÇÕES DO LIVRO

- aprox. 300 páginas

- papel pólen soft

- miolo preto e branco

- formato 16x23cm

- capa: papel cartão, laminação fosca

É hoje: “Live” de pré-lançamento do livro “Capitalismo Carcerário”

Em: 14/12/2021 11:18

Caros colaboradores, 

Acontece hoje a primeira conversa pública sobre o livro ?Capitalismo Carcerário?. Estarão presentes Juliana Borges (autora de ?Encarceramento em Massa?), Bruno Xavier (tradutor da obra) e Frei Guilherme (Pastoral Carcerária da Arquidiocese de São Paulo).

A live ocorrerá pelos canais da Pastoral Carcerária Nacional.


Segue o link do YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=QVLQdGP4uk0



Compartilhe: 




Reta final da campanha do livro “Capitalismo Carcerário”, de Jackie Wang.

Em: 06/12/2021 09:56

Caros colaboradores,


Queremos agradecer a participação de vocês no projeto do livro ?Capitalismo Carcerário?. Ela já garantiu a realização do projeto. 


Porém, para alcançar a terceira meta, terminar de pagar todos os envolvidos e conseguir fazer a tiragem de 500 exemplares, ainda precisa que muitos outros colaboradores se juntem à campanha! 


É muito importante, nesses dias finais do financiamento colaborativo, que a ideia do projeto chegue ao máximo de pessoas. Se puder, compartilhe o link abaixo com sua rede de contatos interessada no tema e fale sobre o lançamento do livro no Brasil:


https://benfeitoria.com/capitalismocarcerario


Muito obrigado,

Editorial Igrá Kniga.