Casa do Jongo |

Casa do Jongo

A Casa do Jongo, no Morro da Serrinha em Madureira, é uma referencia do patrimônio imaterial carioca.


Meta 1: R$ 7.100

Entrega: Manutenção de três oficinas (jongo, canto, capoeira) semanais, lanche e material pedagógico, para 400 crianças, adolescentes e jovens e da infra-estrutura e equipe de administrativo.

Celebração: Festa com roda de jongo e samba e entrega de vales-feijoada e adesivos.

Meta 2: R$ 13.000

Entrega: Manutenção da infra-estrutura, da equipe adm e de sete oficinas (jongo, canto, capoeira, violão, cultura popular, percussão e horta ) semanais, lanche e material, para cerca de 300 crianças.

Celebração: Festa com roda de jongo e samba e entrega de vales-feijoada, adesivos, camisetas e bolsa e estojo com estampa de fotos históricas.

Meta 3: R$ 13.400

Entrega: Manutenção da infra-estrutura, da equipe administrativa e de três oficinas (jongo, canto e capoeira) semanais no contraturno escolar com lanche e material para cerca de 100 crianças.

Celebração: Festa com roda de jongo e samba e entrega de vales-feijoada, adesivos e camisetas.

Meta 4: R$ 21.500

Entrega: Manutenção de sete oficinas (jongo, canto, capoeira, cultura popular, percussão, artesanato e horta ) semanais, lanche e material pedagógico, para 400 crianças, adolescentes e jovens e da in

Celebração: Festa para comunidade, convidados e apoiadores com direito a Vale-feijoada e distribuição de adesivos para os apoiadores.

Para manter a sede do Jongo da Serrinha precisamos de sua colaboração!  São atividades para cerca da 400 alunos de todas as idades além de eventos mensais e a manutenção do Centro de Memória permanente. Você pode ser um “sócio-torcedor” do Jongo da Serrinha nos incluindo no seu orçamento mensal!

12105694_737120673054299_6153871911764947951_n.jpg

O Jongo da Serrinha é uma organização social com cerca de 60 anos, criada no bairro de Madureira, zona norte do Rio, que promove ações integradas entre cultura, arte, saúde, memória, desenvolvimento social, trabalho e renda. Há 17 anos é uma associação sem fins lucrativos e vem atuando em parceria com o poder público, privado e instituições internacionais para o desenvolvimento social de populações afro-brasileiras. . Em 2015, foi inaugurada a Casa do Jongo com atividades de arte, cultura e educação, baseadas nas heranças de matriz africanas.

Em 2005, o jongo foi registrado como Patrimônio Imaterial do Sudeste pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN). O Jongo da Serrinha teve importante papel na solicitação do registro bem como na articulação de ações de salvaguarda deste bem.

Em 2015, em parceira com a Prefeitura, o Jongo da Serriha criou sua nova sede  transformando um galpão abandonado num centro cultural municipal, o único da rede situado dentro de uma favela na cidade. Com cerca 2000m2 de área, a Casa do Jongo ganhou projeto do RUA Arquitetos e foi destaque na Bienal de Arquitetura de Veneza em 2016. A Casa tem uma estreita parceria com as escolas públicas da região, implementa atividades de geração de renda e oferece lazer gratuito de alta qualidade num projeto de elaboração de políticas públicas, economia solidária, arte e educação popular.

Nesses cerca de 60 anos de trabalho continuado, o Jongo da Serrinha virou uma referência da cultura afro-carioca no país.

14570474_866593883440310_1460422443078959689_n.jpg

O Grupo ganhou diversos prêmios entre eles a Medalha de Ordem ao Mérito Cultural (Presidência da República), , Cultura Viva (MINC), Prêmio Asas (MINC), Orilaxé (Afroreggae), Cultura Nota Dez (Secretaria de Cultura do Estado do RJ)e Itaú-Unicef (2005 e 2007).

Aguarde, carregando...



R$ 2.560,00
arrecadado por mês
meta R$ 7.100
60
assinantes
36%
arrecadado





Financiamento Recorrente

Faça parte desse projeto!
Vire um assinante mensal.



assinar com este valor
R$20 por mês

23 assinantes mensais

assinar com este valor
R$40 por mês

17 assinantes mensais

assinar com este valor
R$60 por mês

11 assinantes mensais

assinar com este valor
R$100 por mês

7 assinantes mensais

É uma forma de viabilizar projetos de impacto positivo. Essa não é uma compra. É um ato de confiança.

A Benfeitoria não pode assegurar a execução do projeto nem a entrega das recompensas. Essa é uma responsabilidade direta dos realizadores. Estamos empenhados em fazer uma nova economia acontecer. Vamos juntos?

Saiba mais sobre as responsabilidades

  • Dyonne Boy
  • Categoria: Cultura e Arte, Educação, Inclusão Social

Dyonne Boy

Carolina Sandoval
Aline Said Pessoa
Marina Baumgratz
Jose Motta
Jose Carlos Della Vedova
VANESSA RIBEIRO TEIXEIRA
Guilherme Mendes Cruz
mariana conde cavagnari
Julia Chaves de Figueiredo
Maria Cecilia Schneider Alcure
DENISE MARIA CHAVES DE OLIVEIRA
Helena Stewart
dulce maria chaves de oliveira
vanessa resende machado
Tina Tepedino
isabel ribeiro penoni