[SC] Apoie a Casa Preta |

[SC] Apoie a Casa Preta

Apoie a Casa Preta por uma educação feminista e antirracista!

Projeto por: Jaqueline Conceição da Silva
R$ 13.851,00
arrecadado
meta R$ 21.850,00

46
benfeitores

63%
arrecadado

9
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

Ajude-nos a bater nossa meta até 06/06/2020 - 23:59


POR

Jaqueline Conceição da Silva

Jaqueline Conceição da Silva
R$ 10
NZambia Ua Kuatesa
6 benfeitores apoiando
agradecimento nas redes sociais do Coletivo Di Jeje pelo apoio.

993 disponíveis.
R$ 33
Web Aula “Pensamento feminista negro”
6 benfeitores apoiando
web aula com 3 horas de duração em plataforma virtual com a fundadora do Coletivo Di Jeje, a Profª Dtrndª Jaque Conceição, especialista em estudos sobre feminismo negro, sobre o livro “Pensamento Feminista Negro” da Patricia Hill Collins, um marco nos estudos sobre feminismo negro nos Estados Unidos.

44 disponíveis.
R$ 70
Cursos on line da Casa Preta
5 benfeitores apoiando
Curso online oferecido através de web conferência, dentro da programação do mês de Junho da Casa Preta

95 disponíveis.
R$ 96
Assinatura Anual Intié
5 benfeitores apoiando
Plataforma de cursos online voltados para professores da Educação Básica sobre educação indígena, a plataforma oferece 4 cursos que o aluno pode acessar dentro da sua rotina e disponibilidade durante 12 meses. Todos os cursos possuem certificação de 90 horas na modalidade aprimoramento profissional.

45 disponíveis.
R$ 150
Assinatura Anual da KUKALA
Seja o primeiro a apoiar!
Plataforma de cursos online voltados para professores da Educação Básica sobre cultura africana e afro brasileira, a plataforma oferece 8 cursos que o aluno pode acessar dentro da sua rotina e disponibilidade durante 12 meses. Todos os cursos possuem certificação de 90 horas na modalidade aprimoramento profissional.

100 disponíveis.
R$ 240
Assinatura Anual da NKANDA
1 benfeitor apoiando
Plataforma de cursos online sobre feminismo negro e pensamento racial brasileiro, desenvolvida por uma equipe de pesquisadoras e professoras negras; a plataforma oferece 42 cursos e demais conteúdos como filmes, web aulas e documentários, que o aluno pode acessar dentro da sua rotina e disponibilidade durante 12 meses. Todos os cursos possuem certificação de 90 horas na modalidade aprimoramento profissional.

299 disponíveis.
R$ 1.500
IFÁ plataforma de desenvolvimento
Seja o primeiro a apoiar!
: É uma plataforma desenvolvida para atender as expectativas de empresas e instituições frente ao desafio de criar uma cultura institucional que contemple as diversidades e valorize as potencialidades de seus colaboradores, criando pontes para a superação do racismo e práticas sexistas presentes na cultura brasileira. Voltado para empresas e instituições, é um programa de educação corporativa com atividades virtuais sobre racismo e gênero.

20 disponíveis.

Não encontrou o que queria?

Outro valor

Com o apoio pagaremos as despesas fixas de aluguel, água, luz e condomínio do espaço onde está localizada a Casa Preta. Nosso espaço fica na Trindade, no Shopping Max Flora, sala 809 Torre Max. Também manteremos o custo do salário de duas profissionais negras (sendo uma trans) que desenvolvem o trabalho administrativo e pedagógico da Casa Preta. Com o apoio também custearemos os cursos de formação na modalidade online, como forma de garantir a proteção e os procedimentos de prevenção à pandemia do COVID-19. Todos os gastos se referem aos meses de Maio, Junho, Julho e Agosto.

O Coletivo Di Jeje é um Instituto de Pesquisa Racial e de gênero, fundado em 2014. Atua com a oferta de cursos de extensão e aprimoramento sobre o pensamento racial brasileiro e feminismo negro no Brasil, bem como disponibilizando consultorias sobre racismo e gênero para empresas e escolas. Temos quatro plataformas de e-learning (conteúdo virtual educacional) sobre feminismo negro (Plataforma NKANDA), cultura africana e afro brasileira para professores (Plataforma Kukala), educação indígena (Plataforma Intié) e desenvolvimento institucional sobre racismo e sexismo para empresas (Plataforma Ifá).

Em março deste ano(2020), inauguramos a Casa Preta, um espaço para ofertas de cursos presenciais sobre pensamento racial brasileiro e feminismo negro, com objetivo de fomentar a formação política de ativistas, militantes e lideranças negras em Santa Catarina, mas também oferecendo para toda a comunidade catarinense, estratégias de práticas educativas antirracistas e feministas, atuando na formação de professores, de pesquisadores, estudantes e interessados na questão de raça e gênero no Brasil.    

O Coletivo Di Jeje que mantém a Casa Preta é um negócio social criado pela pesquisadora e ativista Jaqueline Conceição da Silva, e tem, desde a sua inauguração desenvolvido uma série de pesquisas e Atividades de formação política e teórica sobre feminismo negro e o pensamento racial brasileiro voltadas para pesquisadoras/es, professoras/es e ativistas dos direitos humanos, sobretudo no campo do movimento negro. Nos últimos seis anos, portanto, os pesquisadores do Coletivo Di Jeje tem realizado paletras ministrado cursos, orientado pesquisas, todas elas no campo das discussões de gênero e raça, pelas plataformas virtuais de cursos e conteúdos (NKANDA, KUKALA, INTIÉ e IFÁ). Hoje contamos com cerca de 500 pesquisadoras/es debruçados sobre estudos e pesquisas orientados por equipe de professores/as com larga experiência em pesquisa no âmbito dos estudos de raça e gênero; e, na Casa Preta, espaço de trocas e formação em Florianópolis, existe uma rede de 89 pesquisadores que têm se reunido virtualmente para trocas e formações sobre os estudos de raça e gênero presentes no pensamento racial brasileiro.

Por trabalharmos com cursos na modalidade online, através da metodologia e-learning, atuamos com coletivos periféricos de todo o Brasil, com a oferta de cursos e serviços em nossas plataformas de conteúdo virtual. De todo modo, as ações de formação voltadas para professores, ativistas e estudantes negros da Cidade de Florianópolis/SC executadas presencialmente, serão fortalecidas por meio dos cursos online que oferecemos nas nossas plataformas.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

 

Jaqueline Conceição da Silva ainda não publicou nenhuma notícia.

Com o apoio pagaremos as despesas fixas de aluguel, água, luz e condomínio do espaço onde está localizada a Casa Preta. Nosso espaço fica na Trindade, no Shopping Max Flora, sala 809 Torre Max. Também manteremos o custo do salário de duas profissionais negras (sendo uma trans) que desenvolvem o trabalho administrativo e pedagógico da Casa Preta. Com o apoio também custearemos os cursos de formação na modalidade online, como forma de garantir a proteção e os procedimentos de prevenção à pandemia do COVID-19. Todos os gastos se referem aos meses de Maio, Junho, Julho e Agosto.

O Coletivo Di Jeje é um Instituto de Pesquisa Racial e de gênero, fundado em 2014. Atua com a oferta de cursos de extensão e aprimoramento sobre o pensamento racial brasileiro e feminismo negro no Brasil, bem como disponibilizando consultorias sobre racismo e gênero para empresas e escolas. Temos quatro plataformas de e-learning (conteúdo virtual educacional) sobre feminismo negro (Plataforma NKANDA), cultura africana e afro brasileira para professores (Plataforma Kukala), educação indígena (Plataforma Intié) e desenvolvimento institucional sobre racismo e sexismo para empresas (Plataforma Ifá).

Em março deste ano(2020), inauguramos a Casa Preta, um espaço para ofertas de cursos presenciais sobre pensamento racial brasileiro e feminismo negro, com objetivo de fomentar a formação política de ativistas, militantes e lideranças negras em Santa Catarina, mas também oferecendo para toda a comunidade catarinense, estratégias de práticas educativas antirracistas e feministas, atuando na formação de professores, de pesquisadores, estudantes e interessados na questão de raça e gênero no Brasil.    

O Coletivo Di Jeje que mantém a Casa Preta é um negócio social criado pela pesquisadora e ativista Jaqueline Conceição da Silva, e tem, desde a sua inauguração desenvolvido uma série de pesquisas e Atividades de formação política e teórica sobre feminismo negro e o pensamento racial brasileiro voltadas para pesquisadoras/es, professoras/es e ativistas dos direitos humanos, sobretudo no campo do movimento negro. Nos últimos seis anos, portanto, os pesquisadores do Coletivo Di Jeje tem realizado paletras ministrado cursos, orientado pesquisas, todas elas no campo das discussões de gênero e raça, pelas plataformas virtuais de cursos e conteúdos (NKANDA, KUKALA, INTIÉ e IFÁ). Hoje contamos com cerca de 500 pesquisadoras/es debruçados sobre estudos e pesquisas orientados por equipe de professores/as com larga experiência em pesquisa no âmbito dos estudos de raça e gênero; e, na Casa Preta, espaço de trocas e formação em Florianópolis, existe uma rede de 89 pesquisadores que têm se reunido virtualmente para trocas e formações sobre os estudos de raça e gênero presentes no pensamento racial brasileiro.

Por trabalharmos com cursos na modalidade online, através da metodologia e-learning, atuamos com coletivos periféricos de todo o Brasil, com a oferta de cursos e serviços em nossas plataformas de conteúdo virtual. De todo modo, as ações de formação voltadas para professores, ativistas e estudantes negros da Cidade de Florianópolis/SC executadas presencialmente, serão fortalecidas por meio dos cursos online que oferecemos nas nossas plataformas.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

 

Jaqueline Conceição da Silva ainda não publicou nenhuma notícia.