Circuladô de Oyá |

Circuladô de Oyá

As pretas unindo forças para transformar o choro em sorrisos, a dor em força, a fraqueza em fé e os sonhos em realidade!

Projeto por: Associação Franciscana de Defesa de Direitos e Formação Popular
R$ 6.705,00
arrecadado
meta R$ 44.870,00

13
benfeitores

15%
arrecadado

11
dias restantes

É tudo ou nada! Precisamos bater a meta até 29/10/2018 - 23:59


POR

Associação Franciscana de Defesa de Direitos e Formação Popular

Associação Franciscana de Defesa de Direitos e Formação Popular

R$ 10
Agradecimento e Boton
1 benfeitor apoiando
Toda contribuição faz a diferença. Como recompensa, você receberá um boton quadrado personalizado e estará na lista de agradecimento em nosso site. *O boton deverá ser retirado pessoalmente no escritório da Uneafro Brasil (São Paulo/SP).
R$ 25
Espelho de bolsa e boton
2 benfeitores apoiando
Para agradecer esta contribuição, recompensaremos com um espelho de bolsa e um boton quadrado personalizados. *Envio pelo correio a combinar.

18 disponíveis.
R$ 60
Carteira de tecido e boton
2 benfeitores apoiando
Queremos agradecer o seu apoio com uma linda carteira de tecido exclusiva das Pretas da Uneafro e um Boton personalizado. *Envio pelo correio a combinar.

13 disponíveis.
R$ 100
Camiseta, boton e material de formação
3 benfeitores apoiando
Com essa contribuição, você receberá uma camiseta e um boton personalizados e também um exemplar da apostila utilizada nas oficinas de formação. *Envio pelo correio a combinar.
R$ 250
Livro e boton
2 benfeitores apoiando
Com parceria da Editora Companhia das Letras,agradeceremos essa contribuição com um livro de Djamila Ribeiro, "Quem tem medo do feminismo negro?" e um boton personalizado. *Envio pelo correio a combinar.

8 disponíveis.
R$ 300
Livro e aula inaugural
Seja o primeiro a apoiar!
Graças à maravilhosa Bianca Santana, apoiando com esse valor, você receberá de recompensa um livro da Bianca, "Quando me descobri negra", um boton e a participação na aula inaugural do projeto, em Novembro/18. *Envio pelo correio a combinar.

10 disponíveis.

A Uneafro-Brasil é um movimento de ação comunitária e educação popular que há 8 anos ajuda a escrever histórias de superação na vida de jovens, negros e periféricos.

Somos uma organização do movimento negro e escolhemos enfrentar o racismo, o genocídio, o machismo e as desigualdades sociais e econômicas através da ação direta na vida real das pessoas, no dia a dia dos territórios marcados pelos conflitos e pela violência, através de um trabalho permanente e comunitário.

A principal missão da Uneafro é tirar o corpo negro e pobre da linha do tiro, do contingente encarcerado pelo estado, da fila do hospital e dos números das estatísticas da violência. Para isso, desenvolvemos ações que buscam oferecer oportunidades de estudo e trabalho, sempre acompanhada por uma permanente formação política e social, justamente para que esses jovens alcancem a compreensão dos motivos que geram tanta violência, desigualdade e injustiça.

As Pretas-UNEafro é o encontro de mulheres, que fazem parte dos núcleos de base da UNEafro-Brasil, e também estão envolvidas na construção de uma alternativa ao convívio permanente neste mundo em que a violência contra a mulher, a discriminação, a desigualdade e o individualismo fazem parte de nossa vida e relações. Uma busca por vivências muitas vezes distante de nosso dia a dia, abrimos com esta iniciativa a possibilidade de intercambio, formulação, compartilhamento e difusão de práticas que visam à convivência intercultural e multicultural.

A necessidade de inserir a discussão sobre a situação da mulher em diversas realidades para mais de 600 jovens em 23 comunidades, onde o projeto de cursinho popular está presente hoje, fez com que o grupo trabalhasse na busca de soluções e desenvolvimento local, além de propor uma visão crítica da realidade, antecipando e enfrentando problemas com relação às questões de gênero.

O principal objetivo do grupo é possibilitar as alunas de cursinhos populares a vivência de experiências que ajudem de alguma forma a dar novos rumos ao ambiente que vivemos, combatendo os funis que impedem o desenvolvimento pleno das mulheres, em especial, as mulheres negras. Acreditamos que a comunidade organizada e provocada nestes núcleos de base pode discutir sua realidade vivida e encontrar soluções, não só na área de educação, mas em todas as áreas, pois, entendemos que a transformação de cada comunidade partirá da atuação dos próprios membros envolvidos naquela comunidade. Então, criamos o projeto Circuladô de Oyá.

 

 

Por que Circuladô de Oyá?

Nas religiões de matrizes africanas, Oyá ou Iansã, é o orixá dos ventos e tempestades que espalha a criação, fazendo voar as sementes, que irão germinar na terra e fazer brotar nova vida.

E com o objetivo de espalhar as sementes do fortalecimento das mulheres, o Circuladô de Oyá visa criar uma rede de fortalecimento que capacite e empodere as mulheres negras estudantes da Uneafro Brasil para a atuação política social nas comunidades e nas relações sociais e que torne possível a permanência  dessas alunas nos cursinhos preparatórios e a continuidade de seus estudos.

Será realizado um encontro de formação em cada um dos 23 núcleos de Educação Popular da Uneafro Brasil, localizados nos municípios de São Paulo/SP , Poá/SP , Itaquaquecetuba/SP, Mogi das Cruzes/SP, Santo André/SP, São Bernardo do Campo/SP, Cotia/SP,  Bragança Paulista/SP, Atibaia/SP, Belo Horizonte/MG, Nova Iguaçu/RJ e Belford Roxo/RJ. No total, serão  690 coordenadoras e estudantes da Uneafro envolvidas no projeto.

A nossa meta mínima cobre gastos de material de formação e alimentação para as alunas e transporte, alimentação e hospedagem para a equipe de coordenação de cada encontro.

 

 

Para que o projeto aconteça, precisamos da sua colaboração. 

 

 

Criamos recompensas personalizadas para estimular você a apoiar o nosso projeto: Botons, espelhos de bolsa, camisetas e carteiras personalizadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Uneafro-Brasil é um movimento de ação comunitária e educação popular que há 8 anos ajuda a escrever histórias de superação na vida de jovens, negros e periféricos.

Somos uma organização do movimento negro e escolhemos enfrentar o racismo, o genocídio, o machismo e as desigualdades sociais e econômicas através da ação direta na vida real das pessoas, no dia a dia dos territórios marcados pelos conflitos e pela violência, através de um trabalho permanente e comunitário.

A principal missão da Uneafro é tirar o corpo negro e pobre da linha do tiro, do contingente encarcerado pelo estado, da fila do hospital e dos números das estatísticas da violência. Para isso, desenvolvemos ações que buscam oferecer oportunidades de estudo e trabalho, sempre acompanhada por uma permanente formação política e social, justamente para que esses jovens alcancem a compreensão dos motivos que geram tanta violência, desigualdade e injustiça.

As Pretas-UNEafro é o encontro de mulheres, que fazem parte dos núcleos de base da UNEafro-Brasil, e também estão envolvidas na construção de uma alternativa ao convívio permanente neste mundo em que a violência contra a mulher, a discriminação, a desigualdade e o individualismo fazem parte de nossa vida e relações. Uma busca por vivências muitas vezes distante de nosso dia a dia, abrimos com esta iniciativa a possibilidade de intercambio, formulação, compartilhamento e difusão de práticas que visam à convivência intercultural e multicultural.

A necessidade de inserir a discussão sobre a situação da mulher em diversas realidades para mais de 600 jovens em 23 comunidades, onde o projeto de cursinho popular está presente hoje, fez com que o grupo trabalhasse na busca de soluções e desenvolvimento local, além de propor uma visão crítica da realidade, antecipando e enfrentando problemas com relação às questões de gênero.

O principal objetivo do grupo é possibilitar as alunas de cursinhos populares a vivência de experiências que ajudem de alguma forma a dar novos rumos ao ambiente que vivemos, combatendo os funis que impedem o desenvolvimento pleno das mulheres, em especial, as mulheres negras. Acreditamos que a comunidade organizada e provocada nestes núcleos de base pode discutir sua realidade vivida e encontrar soluções, não só na área de educação, mas em todas as áreas, pois, entendemos que a transformação de cada comunidade partirá da atuação dos próprios membros envolvidos naquela comunidade. Então, criamos o projeto Circuladô de Oyá.

 

 

Por que Circuladô de Oyá?

Nas religiões de matrizes africanas, Oyá ou Iansã, é o orixá dos ventos e tempestades que espalha a criação, fazendo voar as sementes, que irão germinar na terra e fazer brotar nova vida.

E com o objetivo de espalhar as sementes do fortalecimento das mulheres, o Circuladô de Oyá visa criar uma rede de fortalecimento que capacite e empodere as mulheres negras estudantes da Uneafro Brasil para a atuação política social nas comunidades e nas relações sociais e que torne possível a permanência  dessas alunas nos cursinhos preparatórios e a continuidade de seus estudos.

Será realizado um encontro de formação em cada um dos 23 núcleos de Educação Popular da Uneafro Brasil, localizados nos municípios de São Paulo/SP , Poá/SP , Itaquaquecetuba/SP, Mogi das Cruzes/SP, Santo André/SP, São Bernardo do Campo/SP, Cotia/SP,  Bragança Paulista/SP, Atibaia/SP, Belo Horizonte/MG, Nova Iguaçu/RJ e Belford Roxo/RJ. No total, serão  690 coordenadoras e estudantes da Uneafro envolvidas no projeto.

A nossa meta mínima cobre gastos de material de formação e alimentação para as alunas e transporte, alimentação e hospedagem para a equipe de coordenação de cada encontro.

 

 

Para que o projeto aconteça, precisamos da sua colaboração. 

 

 

Criamos recompensas personalizadas para estimular você a apoiar o nosso projeto: Botons, espelhos de bolsa, camisetas e carteiras personalizadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Associação Franciscana de Defesa de Direitos e Formação Popular ainda não publicou nenhuma notícia.