Cortejinho Providência |

Cortejinho Providência

Projeto de formação de um bloco de rua mirim na Providência/RJ

Projeto por: Carolina Andries Gigliotti Machado
R$ 5.934,00
arrecadado
meta R$ 30.620,00

37 benfeitores
apoiaram essa campanha

Não foi dessa vez :/

A meta de arrecadação não foi atingida e todas as colaborações foram estornadas. Obrigado pelo apoio ainda assim!

POR

Carolina Andries Gigliotti Machado

Carolina Andries Gigliotti Machado
R$ 20
Abra alas afetuoso!
3 benfeitores apoiando
Contamos afetuosamente com você, que quer colaborar simbolicamente para a concretização desse presente musical e manter vivo o ritmo de financiamento do projeto Cortejinho Providência.
R$ 40
Leve no bolso!
3 benfeitores apoiando
Disponibilizaremos um conjunto fofinho de dois mini instrumentos percussivos. Um mimo para você se lembrar sempre que colaborou com o projeto mais lúdico e carnavalesco do Rio de Janeiro. Recompensa exclusiva para colaboradores do Rio de Janeiro.
R$ 80
Vista a camisa!
2 benfeitores apoiando
Que tal uma camiseta personalizada com a logo do projeto? Estampe no peito o apoio ao Cortejinho Providência! Você também faz parte dessa equipe.
R$ 100
Colora o seu dia a dia!
Seja o primeiro a apoiar!
Leve para casa um calendário especial, feito com as fotos do processo vivido no Cortejinho Providência! Você receberá esse belo registro para lembrar do projeto durante toooooodo o ano de 2021!!
R$ 180
Dance nas alturas!
Seja o primeiro a apoiar!
Uma vivência especial em grupo, realizada na cidade do Rio de Janeiro, na data 29/03/2020 (domingo) às 10h e às 13h, na Praça Paris, com duração de 2h. As turmas serão divididas de acordo com as experiências prévias do participante. Já imaginou a sensação de se equilibrar em pernas de pau e ver o mundo desde outra perspectiva? Já viveu a sensação de se equilibrar em pernas de pau e quer ir mais além? Trabalharemos em duas frentes. Para os alunos iniciantes, uma primeira vivência. Para os já iniciados, uma provocação acrobática. Vamos nos permitir?

10 disponíveis.
R$ 180
Entre no movimento!
Seja o primeiro a apoiar!
Uma vivência especial em grupo, realizada na cidade do Rio de Janeiro, na data 13/02/2020 (quinta-feira) em dois horários - até 10 pessoas cada - às 18h e às 20h, na Praça Paris, com duração de 2h. Serão trabalhadas dinâmicas de toques e danças brasileiras e outras expressividades latino-americanas. Juntes trabalharemos múltiplas maneiras de se relacionar com o xekerê. Vamos experimentar?

20 disponíveis.
R$ 180
Faça seu som!
Seja o primeiro a apoiar!
Uma vivência especial em grupo, realizada na cidade do Rio de Janeiro na data 22/03/2020 (domingo) em dois horários - até 10 pessoas cada - às 11h e às 14h, no aterro do Flamengo altura do Posto 3, com duração de 1h30. Pra você que sempre quis tocar um instrumento e nunca começou, ou para você que já tem um pouco de afinidade com percussão mas quer ir além... Nós iremos te ajudar a entender melhor o universo percussivo e suas possibilidades! Vamos tocar tambor?

20 disponíveis.
R$ 220
Brinque de Cortejinho por um dia!
Seja o primeiro a apoiar!
Convidamos todas as crianças para uma experiência de imersão em jogos musicais e cênicos, baseados na proposta pedagógica do Cortejinho Providência. A oficina será realizada no aterro do Flamengo altura do Posto 3, na cidade do Rio de Janeiro, dia 14/03/2020 (sábado), com duração de 1h30. Será uma vivência destinada para crianças na faixa etária de 7 a 14 anos. Vamos brincar?

15 disponíveis.
R$ 1.500
La Fanfarrita!!
Seja o primeiro a apoiar!
Contribua com a alegria das crianças da Providência e, de quebra, dê um presente em forma de show performático para os pequenos que divertem a sua vida. O conjunto musical La Fanfarrita, formado pelos realizadores do Cortejinho Providência, fará uma performance de 45 minutos de brincadeiras (dentre repertório musical e jogos infantis). O evento deve ser realizado em outubro de 2020, mês das crianças; e a data deve ser marcada com um mês de antecedência. Recompensa exclusiva para colaboradores do Rio de Janeiro.

6 disponíveis.
R$ 2.500
Besáme? Mucho!
Seja o primeiro a apoiar!
Além de levar alegria para as crianças da Providência, você poderá criar um evento irrecusável, oferecendo aos seus convidados uma apresentação performática latino-americana exclusiva com o Bloco Bésame Mucho. O show contará com 1 hora de repertório do bloco e deve ser marcado com um mês de antecedência, sob a condição de disponibilidade do bloco dentro do período de Março a Dezembro de 2020. Recompensa exclusiva para colaboradores do Rio de Janeiro.

4 disponíveis.

O que é o Cortejinho Providência? 

O Cortejinho Providência é um projeto que busca construir, junto às crianças do bairro da Providência, uma proposta coletiva de cortejo festivo. Usando ferramentas artísticas e pedagógicas para a criação de um bloco de rua, iremos estimular o desenvolvimento de linguagens artísticas, oferecendo oficinas de musicalização percussiva, performance, confecção de estandarte e fantasias carnavalescas. 

Por que o Cortejinho Providência é importante?

A intervenção artística no espaço público oferece a possibilidade de transformarmos o ambiente onde vivemos de maneira contundente e benéfica. O trabalho de construção de um conhecimento através da formação de um cortejo artístico festivo composto por crianças, à curto prazo, apresenta-se como importante meio de oferecer a oportunidade de experienciar atividades que as crianças geralmente não encontram na escola. Possibilita também a troca de saberes e acesso a modos diferentes de brincar, de criar e de fazer arte. A longo prazo, incentiva a prática musical coletiva, a integração social através de relações de aprendizagem e de expressões artística, o fortalecimento da autoestima, e a construção de perspectivas dignas de si e do outro e o desenvolvimento de autonomias a partir de uma relação formativa engajada com e para elas. 

Quais os objetivos do Cortejinho Providência?

Desejamos proporcionar uma experiência musical coletiva sócio-educativa que atenda uma demanda apresentada pelas crianças e pelo centro sócio-cultural e artístico Casa Amarela, do bairro da Providência, no Rio de Janeiro. A saber, o aprendizado de música percussiva. Unimos esse interesse à nossa vontade: construir conjuntamente um bloco de rua composto por crianças do bairro, que apresente conhecimentos elaborados sobre música percussiva, danças, performances circenses e de rua, e artes plásticas. Queremos dar continuidade aos conhecimentos e habilidades que temos, enquanto artistas e educadores em diversas áreas, visando a formação de dois desfiles em cortejo dentro da comunidade. 

Quais os prazos do Cortejinho Providência?

O primeiro resultado das oficinas acontecerá no dia 10 de outubro de 2020, em homenagem ao dia das crianças. O segundo acontecerá no pré-carnaval de 2021. Ambos serão grandes e coloridos desfiles infantis, que irão descer o Morro da Providência. Ali, as crianças poderão apresentar todo o conhecimento construído ao longo da execução do projeto.

Como funcionará na prática? 

As oficinas acontecerão semanalmente, a partir de março de 2020 até fevereiro de 2021, na Casa Amarela, centro artístico e cultural que já atua como espaço comunitário do bairro. A primeira fase será entre março e outubro de 2020, e consistirá em duas aulas semanais, com 1h30 de duração, de musicalização percussiva e performance. Em paralelo, aulas exclusivamente para a confecção de fantasias e estandarte irão acontecer no final de cada mês, até passarem a ser realizadas semanalmente, à medida que nos aproximemos da data de primeiro resultado do projeto. A segunda fase será entre outubro de 2020 e fevereiro de 2021, em formato de um ensaio semanal de repertório e de coreografias. Isso possibilitará a manutenção dos saberes construídos em percussão e performance, assim como a ampliação do repertório de danças e de músicas. 

Como você pode colaborar? 

A nossa campanha de financiamento coletivo junto à Benfeitoria irá garantir a concretização da ideia, viabilizando as aulas (custo do serviço aos profissionais envolvidos, logística, gestão, divulgação, campanha do financiamento coletivo, recompensas, etc.) e a compra de materiais para construir os dois desfiles.  

Quem somos nós? 

Nós somos um grupo de artistas associados ao Bloco Bésame Mucho (instagram e facebook: @blocobesamemucho), um coletivo composto majoritariamente por migrantes latino-americanos, que existe desde 2012 e leva às ruas do Rio de Janeiro um repertório cultural de nossos países. Após a realização de duas ações no bairro da Providência em 2019, em que mobilizamos os moradores mirins da região, tivemos a vontade de criar um projeto de cortejo em que as crianças pudessem viver uma experiência artística e de aprendizagem, algo próximo ao que nós mesmos vivemos criativamente dentro do Bésame Mucho. Então criamos o projeto Cortejinho Providência.

Bianca Diaz - é educadora artística, arteira/artesã. Nascida e criada no Rio de Janeiro, fez Licenciatura em Educação Artística na FIB, com experiência em educação especial na APAE em Porto Belo e Itapema/SC, e educação infantil no Rio de Janeiro. Especializou-se em Arteterapia no Instituto Pomar. Sua vivência em carnavais no Rio de Janeiro, como integrante no Bloco Bésame Mucho desde 2015, apresentou a possibilidade de integrar por três anos o corpo de baile Fraternidad Folclórica e Cultural Caporales San Simon e Caporales da ENAF, no carnaval de Oruro-Bolívia. De carnaval em carnaval, viu-se envolvida com a música, a dança e processos criativos de vestimentas. A música e a dança latina estão presentes em seu cotidiano como uma ativação de sua memória afetiva. Por acreditar que as artes são meios de expressão criativa do corpo, co-idealizou o Cortejinho Providência.

Carol Gigliotti - aprende, ensina, dança e comunica ciência e brincadeira! Nascida e criada no Rio de Janeiro, hoje é doutoranda em Física pela UFRJ e repórter colaboradora da revista de educação científica infantil Ciência Hoje das Crianças. Bailarina clássica de formação, participou de grupos do Studio de Ballet Bertha Rosanova/RJ e do Centro de Movimento Deborah Colker/RJ. Experimentou o neoclássico e a dança contemporânea, até encontrar na performance de rua o espaço para suas piruetas. Atualmente, desenvolve seu repertório pesquisando acrobacias na perna de pau. Suas andanças pelo mundo fizeram dela mestra em Física Quântica na UFRJ, pesquisando métodos de processamento de informação. Foi oficineira da educação infantil e da capacitação de professores no projeto Construindo e Preparando o Futuro em Jenipapo/MG. Dentro da sala de aula, ela também foi professora do Pré Vestibular Comunitário e da Educação de Jovens e Adultos no CSVP/RJ. Atualmente faz parte do Bloco Bésame Mucho e é co-idealizadora do Cortejinho Providência.

Cheque Soto - é aprendiz de educador, de música e de matemática. Nascido na cidade do México, mora no Rio de Janeiro há pouco mais de 7 anos. Formado em matemática pela ITAM/México, é doutorando em matemática aplicada à computação gráfica pelo IMPA/RJ, onde trabalha com padrões geométricos e música computacional. Em seu mestrado na COPPE/UFRJ sistematizou a sua experiência em educação matemática intercultural e formação de professores. Sua trilha como aprendiz de educador começou há 20 anos e inclui trabalho como professor, formador de professores, instrutor de circo social, alfabetizador de adultos, facilitador de oficinas de planejamento, de interculturalidade, de mapeamento comunitário, dentre outras. Na sua bagagem de ferramentas tem formação em pedagogia do circo social, em teatro do oprimido e em jogos cooperativos para a comunicação. É percussionista, fundador e líder da percussão do Bloco Bésame Mucho. É percussionista e baterista na Polizônica, no Studio 69, já tocou no Mango Mambo, grupos musicais cariocas. As paixões pela música e pela educação se conjugam na co-idealização do projeto do Cortejinho Providência.

Yuri Mello - é músico e pedagogo. Nascido em Salvador/BA, mudou-se para Brasília aos 10 anos. Na Escola de Música de Brasília (CEP-EmB) estudou trompete e violão por 6 anos. Após fazer uma Oficina para professores de Musicalização Infantil se encantou pela educação musical. Formou-se em Pedagogia na UnB, com especialização em Artes com ênfase em música na UECE. É guitarrista e vocalista da banda Reggae a Semente e do bloco Comboio Percussivo, ambos de Brasília/DF. Foi professor de Educação Musical numa escola privada do Distrito Federal. Hoje, no Rio de Janeiro, compõe o naipe de ritmistas do Bloco Bésame Mucho, e co-idealizou o projeto Cortejinho Providência.

 

Zeza Barral - é antropóloga, pesquisadora e brincante! Nascida e criada em Ilhéus/BA, hoje é doutoranda em Sociologia e Antropologia pela UFRJ e atriz pesquisadora (DRT/BA 9841) do Núcleo de Estudos em Performances Afro-ameríndias na Nepaa/Unirio/RJ. Suas andanças pelo mundo fizeram dela mestra em Antropologia Social pela UnB/DF, pesquisando imagem e performance negra com crianças de uma manifestação artística chamada Nêgo Fugido em Acupe/ BA. Foi oficineira de teatro da Casa das Palmeiras/ RJ, centro de tratamento para enfermidades psiquiátricas criada por Nise de Silveira. Após 10 anos de experiência com ballet clássico, assumiu como projeto de vida a investigação em brincadeiras da cultura popular brasileira. De brincadeira em brincadeira, foi atriz dançarina batuqueira do Bando Cumatê/ BA e da Orquestra Alada Trovão da Mata/DF, contadora de histórias do Teatro Griô/ BA, performer do Coletivo Beira/ RJ e Brecha/RJ. É bacharel e licenciada Ciências Sociais com concentração em Antropologia pela UFBA, Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela UniJorge (DRT/BA 3811) e formação técnica em artes cênicas pelo XXVIII Curso Livre de Teatro da UFBA. Todos esses caminhos levaram Zeza ao Bloco Bésame Mucho e a co-idealizar o Cortejinho Providência.

Quer saber mais?

e-mail: cortejinhoprovidencia@gmail.com

facebook: www.facebook.com/cortejinhoprovidencia/

instagram: www.instagram.com/cortejinhoprovidencia/

 

Carolina Andries Gigliotti Machado ainda não publicou nenhuma notícia.

O que é o Cortejinho Providência? 

O Cortejinho Providência é um projeto que busca construir, junto às crianças do bairro da Providência, uma proposta coletiva de cortejo festivo. Usando ferramentas artísticas e pedagógicas para a criação de um bloco de rua, iremos estimular o desenvolvimento de linguagens artísticas, oferecendo oficinas de musicalização percussiva, performance, confecção de estandarte e fantasias carnavalescas. 

Por que o Cortejinho Providência é importante?

A intervenção artística no espaço público oferece a possibilidade de transformarmos o ambiente onde vivemos de maneira contundente e benéfica. O trabalho de construção de um conhecimento através da formação de um cortejo artístico festivo composto por crianças, à curto prazo, apresenta-se como importante meio de oferecer a oportunidade de experienciar atividades que as crianças geralmente não encontram na escola. Possibilita também a troca de saberes e acesso a modos diferentes de brincar, de criar e de fazer arte. A longo prazo, incentiva a prática musical coletiva, a integração social através de relações de aprendizagem e de expressões artística, o fortalecimento da autoestima, e a construção de perspectivas dignas de si e do outro e o desenvolvimento de autonomias a partir de uma relação formativa engajada com e para elas. 

Quais os objetivos do Cortejinho Providência?

Desejamos proporcionar uma experiência musical coletiva sócio-educativa que atenda uma demanda apresentada pelas crianças e pelo centro sócio-cultural e artístico Casa Amarela, do bairro da Providência, no Rio de Janeiro. A saber, o aprendizado de música percussiva. Unimos esse interesse à nossa vontade: construir conjuntamente um bloco de rua composto por crianças do bairro, que apresente conhecimentos elaborados sobre música percussiva, danças, performances circenses e de rua, e artes plásticas. Queremos dar continuidade aos conhecimentos e habilidades que temos, enquanto artistas e educadores em diversas áreas, visando a formação de dois desfiles em cortejo dentro da comunidade. 

Quais os prazos do Cortejinho Providência?

O primeiro resultado das oficinas acontecerá no dia 10 de outubro de 2020, em homenagem ao dia das crianças. O segundo acontecerá no pré-carnaval de 2021. Ambos serão grandes e coloridos desfiles infantis, que irão descer o Morro da Providência. Ali, as crianças poderão apresentar todo o conhecimento construído ao longo da execução do projeto.

Como funcionará na prática? 

As oficinas acontecerão semanalmente, a partir de março de 2020 até fevereiro de 2021, na Casa Amarela, centro artístico e cultural que já atua como espaço comunitário do bairro. A primeira fase será entre março e outubro de 2020, e consistirá em duas aulas semanais, com 1h30 de duração, de musicalização percussiva e performance. Em paralelo, aulas exclusivamente para a confecção de fantasias e estandarte irão acontecer no final de cada mês, até passarem a ser realizadas semanalmente, à medida que nos aproximemos da data de primeiro resultado do projeto. A segunda fase será entre outubro de 2020 e fevereiro de 2021, em formato de um ensaio semanal de repertório e de coreografias. Isso possibilitará a manutenção dos saberes construídos em percussão e performance, assim como a ampliação do repertório de danças e de músicas. 

Como você pode colaborar? 

A nossa campanha de financiamento coletivo junto à Benfeitoria irá garantir a concretização da ideia, viabilizando as aulas (custo do serviço aos profissionais envolvidos, logística, gestão, divulgação, campanha do financiamento coletivo, recompensas, etc.) e a compra de materiais para construir os dois desfiles.  

Quem somos nós? 

Nós somos um grupo de artistas associados ao Bloco Bésame Mucho (instagram e facebook: @blocobesamemucho), um coletivo composto majoritariamente por migrantes latino-americanos, que existe desde 2012 e leva às ruas do Rio de Janeiro um repertório cultural de nossos países. Após a realização de duas ações no bairro da Providência em 2019, em que mobilizamos os moradores mirins da região, tivemos a vontade de criar um projeto de cortejo em que as crianças pudessem viver uma experiência artística e de aprendizagem, algo próximo ao que nós mesmos vivemos criativamente dentro do Bésame Mucho. Então criamos o projeto Cortejinho Providência.

Bianca Diaz - é educadora artística, arteira/artesã. Nascida e criada no Rio de Janeiro, fez Licenciatura em Educação Artística na FIB, com experiência em educação especial na APAE em Porto Belo e Itapema/SC, e educação infantil no Rio de Janeiro. Especializou-se em Arteterapia no Instituto Pomar. Sua vivência em carnavais no Rio de Janeiro, como integrante no Bloco Bésame Mucho desde 2015, apresentou a possibilidade de integrar por três anos o corpo de baile Fraternidad Folclórica e Cultural Caporales San Simon e Caporales da ENAF, no carnaval de Oruro-Bolívia. De carnaval em carnaval, viu-se envolvida com a música, a dança e processos criativos de vestimentas. A música e a dança latina estão presentes em seu cotidiano como uma ativação de sua memória afetiva. Por acreditar que as artes são meios de expressão criativa do corpo, co-idealizou o Cortejinho Providência.

Carol Gigliotti - aprende, ensina, dança e comunica ciência e brincadeira! Nascida e criada no Rio de Janeiro, hoje é doutoranda em Física pela UFRJ e repórter colaboradora da revista de educação científica infantil Ciência Hoje das Crianças. Bailarina clássica de formação, participou de grupos do Studio de Ballet Bertha Rosanova/RJ e do Centro de Movimento Deborah Colker/RJ. Experimentou o neoclássico e a dança contemporânea, até encontrar na performance de rua o espaço para suas piruetas. Atualmente, desenvolve seu repertório pesquisando acrobacias na perna de pau. Suas andanças pelo mundo fizeram dela mestra em Física Quântica na UFRJ, pesquisando métodos de processamento de informação. Foi oficineira da educação infantil e da capacitação de professores no projeto Construindo e Preparando o Futuro em Jenipapo/MG. Dentro da sala de aula, ela também foi professora do Pré Vestibular Comunitário e da Educação de Jovens e Adultos no CSVP/RJ. Atualmente faz parte do Bloco Bésame Mucho e é co-idealizadora do Cortejinho Providência.

Cheque Soto - é aprendiz de educador, de música e de matemática. Nascido na cidade do México, mora no Rio de Janeiro há pouco mais de 7 anos. Formado em matemática pela ITAM/México, é doutorando em matemática aplicada à computação gráfica pelo IMPA/RJ, onde trabalha com padrões geométricos e música computacional. Em seu mestrado na COPPE/UFRJ sistematizou a sua experiência em educação matemática intercultural e formação de professores. Sua trilha como aprendiz de educador começou há 20 anos e inclui trabalho como professor, formador de professores, instrutor de circo social, alfabetizador de adultos, facilitador de oficinas de planejamento, de interculturalidade, de mapeamento comunitário, dentre outras. Na sua bagagem de ferramentas tem formação em pedagogia do circo social, em teatro do oprimido e em jogos cooperativos para a comunicação. É percussionista, fundador e líder da percussão do Bloco Bésame Mucho. É percussionista e baterista na Polizônica, no Studio 69, já tocou no Mango Mambo, grupos musicais cariocas. As paixões pela música e pela educação se conjugam na co-idealização do projeto do Cortejinho Providência.

Yuri Mello - é músico e pedagogo. Nascido em Salvador/BA, mudou-se para Brasília aos 10 anos. Na Escola de Música de Brasília (CEP-EmB) estudou trompete e violão por 6 anos. Após fazer uma Oficina para professores de Musicalização Infantil se encantou pela educação musical. Formou-se em Pedagogia na UnB, com especialização em Artes com ênfase em música na UECE. É guitarrista e vocalista da banda Reggae a Semente e do bloco Comboio Percussivo, ambos de Brasília/DF. Foi professor de Educação Musical numa escola privada do Distrito Federal. Hoje, no Rio de Janeiro, compõe o naipe de ritmistas do Bloco Bésame Mucho, e co-idealizou o projeto Cortejinho Providência.

 

Zeza Barral - é antropóloga, pesquisadora e brincante! Nascida e criada em Ilhéus/BA, hoje é doutoranda em Sociologia e Antropologia pela UFRJ e atriz pesquisadora (DRT/BA 9841) do Núcleo de Estudos em Performances Afro-ameríndias na Nepaa/Unirio/RJ. Suas andanças pelo mundo fizeram dela mestra em Antropologia Social pela UnB/DF, pesquisando imagem e performance negra com crianças de uma manifestação artística chamada Nêgo Fugido em Acupe/ BA. Foi oficineira de teatro da Casa das Palmeiras/ RJ, centro de tratamento para enfermidades psiquiátricas criada por Nise de Silveira. Após 10 anos de experiência com ballet clássico, assumiu como projeto de vida a investigação em brincadeiras da cultura popular brasileira. De brincadeira em brincadeira, foi atriz dançarina batuqueira do Bando Cumatê/ BA e da Orquestra Alada Trovão da Mata/DF, contadora de histórias do Teatro Griô/ BA, performer do Coletivo Beira/ RJ e Brecha/RJ. É bacharel e licenciada Ciências Sociais com concentração em Antropologia pela UFBA, Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela UniJorge (DRT/BA 3811) e formação técnica em artes cênicas pelo XXVIII Curso Livre de Teatro da UFBA. Todos esses caminhos levaram Zeza ao Bloco Bésame Mucho e a co-idealizar o Cortejinho Providência.

Quer saber mais?

e-mail: cortejinhoprovidencia@gmail.com

facebook: www.facebook.com/cortejinhoprovidencia/

instagram: www.instagram.com/cortejinhoprovidencia/

 

Carolina Andries Gigliotti Machado ainda não publicou nenhuma notícia.