CriptoFunk 2019 |

CriptoFunk 2019

A CriptoFunk é um evento que acontece na favela da Maré para discutir democracia, privacidade, criptografia, tecnologias e cuidados físicos e digitais.

Projeto por: CriptoFunk
R$ 5.730,00
arrecadado
meta R$ 15.000,00

54
benfeitores

38%
arrecadado

17
dias restantes

É tudo ou nada! Precisamos bater a meta até 09/09/2019 - 23:59

POR

CriptoFunk

CriptoFunk

R$ 15
Glamourosa
9 benfeitores apoiando
Adesivo da CriptoFunk + agradecimento no site. Cola adesivinho no corpo, remexe gostoso, vai descendo até o chão!
R$ 30
Endereço dos Bailes
5 benfeitores apoiando
Kit de adesivos das Criptofestas + agradecimento no site Ê ê ê ê! Se liga que eu quero ver O endereço dos bailes eu vou falar pra você: Aqui no Rio é CriptoFunk, em São Paulo é Cryptorave, em Floripa é CripTainha, na Bahia CriptoAxé e em Maquiné é travalíngua: Criptra!
R$ 50
Embrazando
10 benfeitores apoiando
Cartaz CriptoFunk + Adesivo da CriptoFunk + agradecimento no site. Um cartaz de lambe-lambe personalizado com as artes da Criptofunk, só o ouro, além de adesivo.
R$ 100
Rasteirinha
6 benfeitores apoiando
Pen drive com Tails + adesivo da CriptoFunk + agradecimento no site. Joga a teia! Além do lindo adesivo da CriptoFunk, já pensou em ter um sistema operacional portátil, incógnito e anônimo, que pode ser usado em quase qualquer computador? O Tails é um sistema operacional live que você pode carregar em um pendrive, e que preserva sua privacidade e seu anonimato. Com ele você pode usar a Internet de forma anônima e evitar censura; usar o computador sem deixar rastros; e usar ferramentas criptográficas para criptografar seus arquivos, emails e mensagens instantâneas. Hacker aqui, heim! Mais sobre o Tails: https://tails.boum.org/index.pt.html
R$ 130
Tamborzão II
5 benfeitores apoiando
Livros LAVITS + adesivo da CriptoFunk + agradecimento no site A LAVITS é a rede latino-americana de estudos sobre vigilância, tecnologia e sociedade. Nós selecionamos cinco das melhores publicações dos integrantes da rede pra você que quer saber mais ainda sobre os temas da CriptoFunk. Pra conhecer melhor a LAVITS, acessa http://lavits.org.

indisponível.
R$ 130
Tamborzão III
1 benfeitor apoiando
Livros TESTEMUNHOS DA MARÉ + adesivo da CriptoFunk + agradecimento no site Eliana Sousa Silva é mulher e nordestina. Chegou ao Rio de Janeiro aos 7 anos para residir na Maré e aqui construiu uma trajetória que envolve militância, pesquisa e forte intervenção local. Neste livro ela reflete sobre violência e segurança pública a partir das práticas dos policiais militares e dos grupos armados na Maré. É pra entender melhor o território da CriptoFunk!

4 disponíveis.
R$ 130
Tarmborzão I
5 benfeitores apoiando
Camiseta da CriptoFunk + adesivo da CriptoFunk + Cartaz CriptoFunk + agradecimento no site É o kit CriptoFunk! É a prova de que você é fã e apoia os direitos humanos e os direitos na rede!
R$ 150
Senta, senta, senta!
9 benfeitores apoiando
Camiseta CriptoFunk + Cartaz da CriptoFunk + Pen drive com Tails + adesivo da CriptoFunk Ao som do 150 é só sentar e curtir o melhor kit CriptoFunk!!
R$ 200
Paredão
7 benfeitores apoiando
Camiseta AMARÉCOMPLEXO AMARÉSIMPLES + Cartaz da CriptoFunk + adesivo da CriptoFunk + agradecimento no site Em 2017 o artista Marcos Chaves desenvolveu um trabalho aqui no Complexo da Maré. As camisetas viraram um símbolo lindo de representatividade do que é a fevela e suas relações com o amor e com a cidade. É recompensa de primeira linha e exclusiva!!

3 disponíveis.
R$ 1.000
Liga pra SAMU
Seja o primeiro a apoiar!
Oficina de cuidados digitais para grupos e organizações Oficina básica de cuidados digitais para 20 pessoas de grupos ou organizações da sociedade civil. A oficina será realizada pela equipe da CriptoFunk no Rio de Janeiro, nos meses de outubro e novembro, e terá duração de 2h.

2 disponíveis.

A CriptoFunk é um evento-festa sobre cuidados integrais e Internet que acontece na favela da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro. E a ideia é essa mesmo: sentar ao som do 150bpm enquanto discutimos democracia, privacidade, criptografia e cuidados digitais. Durante um dia inteiro a gente propõe oficinas, mesas de debate, filmes e festa, claro! A gente acredita que o debate sobre segurança precisa ser feito a partir de um olhar integral: nossos corpos precisam ser cuidados juntos, do digital ao físico, do individual ao coletivo. É por isso que o nosso lema é “Criptografar dados e descriptografar corpos”. Não dá pra cuidar de um e esquecer do outro.
 

Quem somos nós?

A CriptoFunk é um projeto coletivo e independente, formado por integrantes do data_labe, Escola de Ativismo, Intervozes e Coding Rights com apoio do Observatório de Favelas. Nossas organizações são distintas nas suas trajetórias, mas todas trabalham por um bem comum: empoderar novas pessoas a entenderem melhor as tecnologias e como elas podem afetar nosso cotidiano de forma intensa. Se todo mundo entender melhor como elas funcionam e como agem sobre nossos corpos e comportamentos, melhor será nossas relações com elas. Pra entender melhor sobre cada um dos nossos coletivos, dá uma fuçada nos sites.
 

O evento está sendo planejado para acontecer no dia 14 de setembro, na entrada da primavera. O objetivo é trazer um tanto de gente pra Maré e discutir criptografia, segurança na rede, tecnologias e cuidados integrais.
 

Por que o funk?

Pra botar o corpo no jogo e mostrar que resistência também se constrói com prazer e alegria, nada melhor que o funk carioca. Uma tecnologia que traz a consciência corporal e a descoberta do corpo com seus prazeres e potências. É claro que quando a gente convoca o funk, vem o baile inteiro e outras questões são colocadas à mesa, como criminalização, racismo e um projeto de segurança pública que há décadas massacra pretxs, pobres e faveladxs.
 

Por que a Maré?

Se para a CriptoFunk o corpo importa, os territórios onde os corpos habitam e transitam também. Por isso, achamos fundamental que o evento seja realizado no Complexo da Maré: as soluções para as questões de privacidade e liberdade na Internet, que são muito novas pra todo mundo, só podem ser construídas a partir de múltiplos olhares, lugares e experiências. Também é preciso reconhecer e fortalecer o lugar de produção de conhecimento e tecnologia da favela.
 

Por que o financiamento colaborativo?

A parada é a seguinte: a segunda edição da CriptoFunk está marcada para o dia 14 de setembro de 2019. Já tá tudo planejado, certinho, só falta o dinheiro pra tirar o projeto do papel (risos, choros). Por isso é muito importante que a gente ative nossas redes e faça a grana virar! Sem isso a gente não consegue fazer. Nós preparamos recompensas mara. Com um pouquinho de grana você já consegue ajudar a acontecer, fortalece um debate importante e ainda pode ter uma lembrança do evento. É ganha-ganha!
 

E as recompensas?

Nós vamos produzir adesivos e camisetas da Criptofunk pra você tirar onda nos bailes ou nos seus roles pela cidade. Também preparamos pendrives com um sistema operacional portátil, incógnito e anônimo, que pode ser usado em quase qualquer computador. O Tails é um sistema operacional live que você pode carregar em um pendrive, e que preserva sua privacidade e seu anonimato. Com ele você pode usar a Internet de forma anônima e evitar censura; usar o computador sem deixar rastros; e usar ferramentas criptográficas para criptografar seus arquivos, emails e mensagens instantâneas (pra saber mais sobre o Tails, acessa aqui: https://tails.boum.org/index.pt.html). Além disso temos livros para todos os gostos e algumas tiragens da série de camisetas AMARÉCOMPLEXO - AMARÉSIMPLES do artista Marcos Chave que produziu esse trabalho aqui mesmo na Maré em 2017.

 

>> IMPORTANTE! <<

A questão é que a gente tá planejando um orçamento bem enxuto, como você vai ver aqui embaixo, então todas as recompensas serão entregues no dia e local do evento. Se você não puder vir a gente deixa guardadinho pra você buscar quando puder!


Orçamento:

Equipe (produção, foto, mídia): R$3.000,00
Fundo de apoio aos participantes (palestrantes, oficineiros): R$3.000,00
Djs + Oficina Afrofunk: R$1.500,00
Estrutura (alimentação, transporte, tenda, som, iluminação, segurança): R$4.000,00
Divulgação, mídia, comunicação: R$700,00
Recompensas: R$1.000,00
Plataforma/taxas: R$1.800,00

Bora construir isso juntxs?
Qualquer dúvida/sugestão/elogio/reclamação, é só mandar um e-mail pra gente: criptofunk@riseup.net

Se você leu até aqui, aproveita e segue a gente nas redes (:
Insta: @criptofunk
Twitter: @criptofunk

 

A CriptoFunk é um evento-festa sobre cuidados integrais e Internet que acontece na favela da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro. E a ideia é essa mesmo: sentar ao som do 150bpm enquanto discutimos democracia, privacidade, criptografia e cuidados digitais. Durante um dia inteiro a gente propõe oficinas, mesas de debate, filmes e festa, claro! A gente acredita que o debate sobre segurança precisa ser feito a partir de um olhar integral: nossos corpos precisam ser cuidados juntos, do digital ao físico, do individual ao coletivo. É por isso que o nosso lema é “Criptografar dados e descriptografar corpos”. Não dá pra cuidar de um e esquecer do outro.
 

Quem somos nós?

A CriptoFunk é um projeto coletivo e independente, formado por integrantes do data_labe, Escola de Ativismo, Intervozes e Coding Rights com apoio do Observatório de Favelas. Nossas organizações são distintas nas suas trajetórias, mas todas trabalham por um bem comum: empoderar novas pessoas a entenderem melhor as tecnologias e como elas podem afetar nosso cotidiano de forma intensa. Se todo mundo entender melhor como elas funcionam e como agem sobre nossos corpos e comportamentos, melhor será nossas relações com elas. Pra entender melhor sobre cada um dos nossos coletivos, dá uma fuçada nos sites.
 

O evento está sendo planejado para acontecer no dia 14 de setembro, na entrada da primavera. O objetivo é trazer um tanto de gente pra Maré e discutir criptografia, segurança na rede, tecnologias e cuidados integrais.
 

Por que o funk?

Pra botar o corpo no jogo e mostrar que resistência também se constrói com prazer e alegria, nada melhor que o funk carioca. Uma tecnologia que traz a consciência corporal e a descoberta do corpo com seus prazeres e potências. É claro que quando a gente convoca o funk, vem o baile inteiro e outras questões são colocadas à mesa, como criminalização, racismo e um projeto de segurança pública que há décadas massacra pretxs, pobres e faveladxs.
 

Por que a Maré?

Se para a CriptoFunk o corpo importa, os territórios onde os corpos habitam e transitam também. Por isso, achamos fundamental que o evento seja realizado no Complexo da Maré: as soluções para as questões de privacidade e liberdade na Internet, que são muito novas pra todo mundo, só podem ser construídas a partir de múltiplos olhares, lugares e experiências. Também é preciso reconhecer e fortalecer o lugar de produção de conhecimento e tecnologia da favela.
 

Por que o financiamento colaborativo?

A parada é a seguinte: a segunda edição da CriptoFunk está marcada para o dia 14 de setembro de 2019. Já tá tudo planejado, certinho, só falta o dinheiro pra tirar o projeto do papel (risos, choros). Por isso é muito importante que a gente ative nossas redes e faça a grana virar! Sem isso a gente não consegue fazer. Nós preparamos recompensas mara. Com um pouquinho de grana você já consegue ajudar a acontecer, fortalece um debate importante e ainda pode ter uma lembrança do evento. É ganha-ganha!
 

E as recompensas?

Nós vamos produzir adesivos e camisetas da Criptofunk pra você tirar onda nos bailes ou nos seus roles pela cidade. Também preparamos pendrives com um sistema operacional portátil, incógnito e anônimo, que pode ser usado em quase qualquer computador. O Tails é um sistema operacional live que você pode carregar em um pendrive, e que preserva sua privacidade e seu anonimato. Com ele você pode usar a Internet de forma anônima e evitar censura; usar o computador sem deixar rastros; e usar ferramentas criptográficas para criptografar seus arquivos, emails e mensagens instantâneas (pra saber mais sobre o Tails, acessa aqui: https://tails.boum.org/index.pt.html). Além disso temos livros para todos os gostos e algumas tiragens da série de camisetas AMARÉCOMPLEXO - AMARÉSIMPLES do artista Marcos Chave que produziu esse trabalho aqui mesmo na Maré em 2017.

 

>> IMPORTANTE! <<

A questão é que a gente tá planejando um orçamento bem enxuto, como você vai ver aqui embaixo, então todas as recompensas serão entregues no dia e local do evento. Se você não puder vir a gente deixa guardadinho pra você buscar quando puder!


Orçamento:

Equipe (produção, foto, mídia): R$3.000,00
Fundo de apoio aos participantes (palestrantes, oficineiros): R$3.000,00
Djs + Oficina Afrofunk: R$1.500,00
Estrutura (alimentação, transporte, tenda, som, iluminação, segurança): R$4.000,00
Divulgação, mídia, comunicação: R$700,00
Recompensas: R$1.000,00
Plataforma/taxas: R$1.800,00

Bora construir isso juntxs?
Qualquer dúvida/sugestão/elogio/reclamação, é só mandar um e-mail pra gente: criptofunk@riseup.net

Se você leu até aqui, aproveita e segue a gente nas redes (:
Insta: @criptofunk
Twitter: @criptofunk

 

CriptoFunk ainda não publicou nenhuma notícia.