[SP] Diálogos Afrurbanos |

[SP] Diálogos Afrurbanos

A #Covid19 está se alastrando e os mais afetados estão nas comunidades carentes e periféricas. Com a sua ajuda podemos salvar milhares de vidas!

Projeto por: Marta Costta
R$ 30.085,00
arrecadado
meta R$ 29.260,00

46 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Marta Costta

Marta Costta
R$ 20
Luiza Mahim
1 benfeitor apoiando
Carta de agradecimento e matérias Mídia 4P

199 disponíveis.
R$ 50
Carolina de Jesus
3 benfeitores apoiando
Carta de agradecimento e matérias Mídia 4P

97 disponíveis.
R$ 100
Conceição Evaristo
5 benfeitores apoiando
Carta de agradecimento e matérias Mídia 4P

95 disponíveis.
R$ 500
Deolinda Oliveira
1 benfeitor apoiando
Carta de agradecimento e matérias Mídia 4P

99 disponíveis.
R$ 1.000
Abdias do Nascimento
1 benfeitor apoiando
Abdias do Nascimento

49 disponíveis.

Entendendo o momento e o avanço do covid-19 nas comunidades e seguindo as orientações da OMS a rede de comunicadores #DialogosAfrUrbanos irá produzir materiais (peças publicitárias) e socializar com as redes periféricas e agentes comunicadores das favelas com abordagens sobre as necessidades de proteção para evitar o contágio e a transmissão pelo covid-19, importância da higiene pessoal em ambientes com pouca infraestrutura, entender os primeiros sintomas e ações pós pandemia. A partir dos seguintes eixos: Saúde, trabalho e renda, habitação e moradia juventudes e violência doméstica.

A partir de uma mobilização e o contato com diversas redes de ativistas que atuam nas periferias recebemos os apontamentos da ausência de ferramentas que promovam, com linguagem simples e local, a conscientização das comunidades sobre a importância dos cuidados para se evitar o contágio, transmissão e a letalidade que o Covid-19 está causando em regiões pela situação de extrema vulnerabilidade, desigualdade e pela  ausência de assistência prestada pelo estado.

Esse mapeamento possibilitou a junção de 11 comunicadores para produzir uma campanha de conscientização, que promova a transformação e leve informações para essas comunidades.

Rodrigo EBA!, animador, www.rodrigoeba.com.br, Gilberto Caetano, Editor, www.cavalomarinhoaudiovisual.com,  Silvana Regina Inácio, jornalista | assessora imprensa www.sicomuicacao.com.br, Suêrda Deboa, administradora e engenheira do meio ambiente e sustentabilidade, Marta Costa administradora e captadora de recursos, Mayra Sales publicitária, Gilberto Caetano, Agner Rebouças, Paulo Exù Brazil, Artista da Imagem, Bob Controversista  Educador cultural, produtor cultural e gestor de políticas públicas.

O projeto impactará mais de 630 mil pessoas em sete comunidades. Em São Paulo, foram selecionadas as comunidades de Paraisópolis e Brasilândia. Paraisópolis que é uma das maiores favelas da cidade de São Paulo, com cerca de 100 mil moradores em toda a comunidade e a Brasilândia que é o bairro com os maiores índices de mortos pela Covid-19.

No Rio de Janeiro o projeto ajudará duas comunidades: Complexo da Maré e Morro do Alemão que juntos tem uma população de aproximadamente 209 mil pessoas. A luta nesses locais é diária contra a fome, saneamento básico, a Covid-19 e a violência. 

Em Vitória, no Espirito Santo o foco será o Poligonal 1 (Território do Bem) composto por oito bairros. Em Salvador a campanha será realizada nas favelas Nova Constituinte, Beiru e Valéria que somam 60 mil pessoas e são considerados os bairros mais violentos da cidade.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

COLABORAÇÕES EXTERNAS

R$1.000,00

colaborador

A campanha [SP] Diálogos Afrurbanos captou os valores acima através de ações de arrecadação independentes, ou seja, fora da plataforma Benfeitoria. Ficou com dúvidas? Clique aqui

Marta Costta ainda não publicou nenhuma notícia.

Entendendo o momento e o avanço do covid-19 nas comunidades e seguindo as orientações da OMS a rede de comunicadores #DialogosAfrUrbanos irá produzir materiais (peças publicitárias) e socializar com as redes periféricas e agentes comunicadores das favelas com abordagens sobre as necessidades de proteção para evitar o contágio e a transmissão pelo covid-19, importância da higiene pessoal em ambientes com pouca infraestrutura, entender os primeiros sintomas e ações pós pandemia. A partir dos seguintes eixos: Saúde, trabalho e renda, habitação e moradia juventudes e violência doméstica.

A partir de uma mobilização e o contato com diversas redes de ativistas que atuam nas periferias recebemos os apontamentos da ausência de ferramentas que promovam, com linguagem simples e local, a conscientização das comunidades sobre a importância dos cuidados para se evitar o contágio, transmissão e a letalidade que o Covid-19 está causando em regiões pela situação de extrema vulnerabilidade, desigualdade e pela  ausência de assistência prestada pelo estado.

Esse mapeamento possibilitou a junção de 11 comunicadores para produzir uma campanha de conscientização, que promova a transformação e leve informações para essas comunidades.

Rodrigo EBA!, animador, www.rodrigoeba.com.br, Gilberto Caetano, Editor, www.cavalomarinhoaudiovisual.com,  Silvana Regina Inácio, jornalista | assessora imprensa www.sicomuicacao.com.br, Suêrda Deboa, administradora e engenheira do meio ambiente e sustentabilidade, Marta Costa administradora e captadora de recursos, Mayra Sales publicitária, Gilberto Caetano, Agner Rebouças, Paulo Exù Brazil, Artista da Imagem, Bob Controversista  Educador cultural, produtor cultural e gestor de políticas públicas.

O projeto impactará mais de 630 mil pessoas em sete comunidades. Em São Paulo, foram selecionadas as comunidades de Paraisópolis e Brasilândia. Paraisópolis que é uma das maiores favelas da cidade de São Paulo, com cerca de 100 mil moradores em toda a comunidade e a Brasilândia que é o bairro com os maiores índices de mortos pela Covid-19.

No Rio de Janeiro o projeto ajudará duas comunidades: Complexo da Maré e Morro do Alemão que juntos tem uma população de aproximadamente 209 mil pessoas. A luta nesses locais é diária contra a fome, saneamento básico, a Covid-19 e a violência. 

Em Vitória, no Espirito Santo o foco será o Poligonal 1 (Território do Bem) composto por oito bairros. Em Salvador a campanha será realizada nas favelas Nova Constituinte, Beiru e Valéria que somam 60 mil pessoas e são considerados os bairros mais violentos da cidade.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Marta Costta ainda não publicou nenhuma notícia.