Finalizar Filme Quilombo Rio dos Macacos |

Finalizar Filme Quilombo Rio dos Macacos

Documentário longo sobre comunidade quilombola de Rio dos Macacos (BA), sua história e o conflito com a Marinha pela posse da terra.

Projeto por: Josias Pires Neto
R$ 15.125,00
arrecadado
meta R$ 15.000,00

57 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Josias Pires Neto

Josias Pires Neto

R$ 25
Recompensa 01: Agradecimento
8 benfeitores apoiando
Contribuindo com R$ 25,00 O Colaborador terá seu nome incluído nos créditos de Agradecimentos do filme
R$ 50
Recompensa 02: Link do filme completo
10 benfeitores apoiando
Contribuindo com R$ 50,00 o Colaborador terá seu nome incluído nos créditos de Agradecimentos do filme; e receberá em seu e-mail link do filme completo antes da estreia para assistir em canal privado pela Internet.
R$ 75
Recompensa 03: Convite para estreia
Seja o primeiro a apoiar!
Colaborador terá seu nome incluído nos créditos de Agradecimentos do filme; receberá em seu e-mail link do filme completo antes da estreia para assistir em canal privado pela Internet. e 01 convite para a estreia em Salvador
R$ 100
Recompensa 04: Convites para estreia
20 benfeitores apoiando
Contribuindo com R$ 100,00 o Colaborador terá seu nome incluído nos créditos de Agradecimentos nos créditos do filme; receberá link do filme completo antes da estreia para assistir em canal privado; receberá 02 convites para estreia em Salvador.
R$ 200
Recompensa 05: Convites e DVD do filme
11 benfeitores apoiando
Contribuindo com R$ 200,00 Colaborador terá seu nome incluído nos créditos de Agradecimento do filme; receberá link do filme completo antes da estreia para assistir em canal privado; terá 04 convites para estreia em Salvador; e 01 DVD do filme.
R$ 500
Recompensa 06: Convites e DVDs do filme
2 benfeitores apoiando
Colaborador terá seu nome incluído nos créditos de Agradecimentos Especiais do filme; receberá link do filme completo antes da estreia para assistir em canal privado; terá 04 convites para estreia em Salvador; e 03 DVDs do filme.
R$ 1.000
Recompensa 07: Apoio Cultural
9 benfeitores apoiando
Terá link do filme completo antes da estreia para assistir em canal privado; 04 convites para estreia em Salvador; 04 DVDs do filme; e terá nome na cartela de Apoio Cultural seja pessoa fisica ou jurídica / logomarca da empresa

       A comunidade quilombola de Rio dos Macacos reúne cerca de 60 famílias de agricultores e pescadores que vivem em território rural na divisa de Salvador e Simões Filho (BA). No final da década de 1950 e início de 60 as fazendas em que nasceram e viviam foram doadas pela prefeitura de Salvador à Marinha do Brasil[1]. 

    No início dos anos 1970, a Marinha construiu a Vila Naval da Barragem, condomínio residencial de suboficiais da Força, em área da Fazenda Macaco. Desde então, tornaram-se frequentes  os conflitos com os agricultores e pescadores da área. As relações entre fuzileiros, oficiais e suboficiais da Marinha com os moradores da “Roça” foram marcadas por vários episódios de violência física e psicológica e só fizeram recrudescer nos últimos anos.

       Direitos humanos fundamentais foram negados: o direito de plantar, colher, criar, pescar, reformar ou construir casas, de ter acesso à luz elétrica, água encanada, saneamento básico e, o mais elementar, o direito de ir e vir. Ao contrário, a Marinha empreendeu diversas ações para retirá-los da área sem levar em conta direitos históricos das pessoas que lá nasceram e lá vivem.

        O pequeno filme Quilombo Rio do Macaco (10 min)

https://www.youtube.com/watch?v=bwUXjUzqU6w, lançado no YouTube em dezembro de 2011, ajudou a campanha para a divulgação das denúncias de violação de direitos fundamentais, contribuindo com a formação de uma rede de solidariedade, mobilizada por organizações dos movimentos negros e populares, a exemplo da Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais (AATR), Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), Movimento de Pescadores, Campanha Reaja, Quilombo X, MST, Movimento de Mulheres e outros movimentos sociais.

       Ao longo dos últimos quatro anos acompanhamos negociações, conflitos, mobilizações ocorridos no quilombo, em órgãos públicos de Salvador e de Brasília. E também registramos aspectos culturais, simbólicos, religiosos e de diversos elementos da paisagem do território, identificado e delimitado pelo INCRA, com a extensão de 301 ha.

      Em 2014 submetemos ao Fundo de Cultura da Bahia projeto de realização de um documentário de longa-metragem e obtivemos R$ 100 mil – valor máximo disponível para captação de pessoa física – que foram dispendidos nas etapas de produção e montagem.

       Para a montagem do filme coletamos materiais produzidos também por outras fontes de registro, muitas delas veiculadas na Internet; e materiais exclusivos, gravações feitas pelos próprios quilombolas com celulares e máquinas precárias.

       Reunimos 150 horas de gravações de áudio e vídeo que se encontram, neste momento, na fase de montagem, a cargo de Cristina Amaral, montadora do primeiro time do cinema brasileiro, que está preparando integralmente o filme para a finalização.

       Contudo, os recursos captados até agora foram insuficientes para cobrir os custos de finalização. Optamos por buscar o financiamento coletivo para cobrir, pelo menos, uma parte do orçamento de finalização e início da etapa de exibição/distribuição do filme. O financiamento coletivo é um modo de angariar apoio e suporte ao filme, enquanto ele ainda está sendo realizado. Sua participação irá contribuir para a realização do filme agregando valor diferenciado ao processo de financiamento.

Por que você também deve colaborar? 

       Porque este é um filme em sincronia com o momento atual, é expressão do estado de crise que vivemos; o que faz deste um documentário urgente, necessário. O registro e difusão da vida dos quilombolas de Rio dos Macacos, a reflexão sobre aspectos do seu movimento  revelam possibilidades e limites da luta dos “de baixo”, do Brasil Real versus o Brasil Oficial, da difícil dialética entre a herança autoritária, racista, eivada de privilégios e a herança popular, negra, indígena, espoliada e despossuída. Um filme de luta por um país menos desigual e capaz de afirmar plenamente os princípios da liberdade, da democracia e do  respeito aos direitos humanos fundamentais.

Equipe do filme

Diretor - Josias Pires - Jornalista (UFBA,1988), Mestre em Artes Cênicas (UFBA, 2004); em 1997 passou a atuar TV para coordenar a série de documentários “Bahia Singular e Plural” (TVE-BA 18 programas de 30 e 60 min) sobre tradições populares da cultura da Bahia, realizando atividades de produtor, pesquisador, roteirista e diretor de documentários. Pesquisa, roteiro e direção do filme de longa metragem “Cuíca de Santo Amaro” (Bahia, 74 min), com Joel de Almeida e Doc Filmes Ltda/ Programa Petrobras Cultural, 2012, dados disponíveis em http://www.docdoma.com.br/cuicadesantoamaro/

Câmara - Gabriel Teixeira - antropólogo e fotógrafo, com larga experiência em documentários televisivos e outras produções, tendo obtidos diversos prêmios em festivais nacionais de cinema e audiovisual. Durante seis anos atuou como editor, roteirista e cinegrafista da TV UFBA. 

&

De Cuíca de Santo Amaro para o Quilombo Rio dos Macacos

Em: 28/09/2015 11:27

Na próxima segunda-feira (5), às 20h, na Sala Walter da Silveira, será realizada sessão especial do filme documentário Cuíca de Santo Amaro (direção Joel de Almeida e Josias Pires, 2012, 74 min).

A sessão especial, com ingressos a R$20, visa a arrecadação de recursos para contribuir com a finalização do documentário Quilombo Rio dos Macacos, de Josias Pires, em fase de montagem. O filme documenta a luta daqueles quilombolas em conflito com a Marinha do Brasil pela propriedade das suas terras.

A exibição do Cuíca é mais uma atividade da campanha de crowdfunding, através do site Benfeitoria.com (acesse aqui) que está sendo realizada pela produção do filme sobre o quilombo. A campanha será encerrada no próximo dia 10 de outubro. 

O documentário de longa metragem sobre o quilombo Rio dos Macacos é um desdobramento do web-doc Quilombo Rio do Macaco  (direção Josias Pires, 2011, 10 min),  o primeiro material audiovisual divulgado na Internet sobre o quilombo.

O que: Exibição do filme Cuíca de Santo Amaro

Onde: Sala Walter da Silveira / Salvador/BA
Quando: dia 05/10, próxima segunda-feira,  às 20 horas

Ingressos: R$ 20,00


       A comunidade quilombola de Rio dos Macacos reúne cerca de 60 famílias de agricultores e pescadores que vivem em território rural na divisa de Salvador e Simões Filho (BA). No final da década de 1950 e início de 60 as fazendas em que nasceram e viviam foram doadas pela prefeitura de Salvador à Marinha do Brasil[1]. 

    No início dos anos 1970, a Marinha construiu a Vila Naval da Barragem, condomínio residencial de suboficiais da Força, em área da Fazenda Macaco. Desde então, tornaram-se frequentes  os conflitos com os agricultores e pescadores da área. As relações entre fuzileiros, oficiais e suboficiais da Marinha com os moradores da “Roça” foram marcadas por vários episódios de violência física e psicológica e só fizeram recrudescer nos últimos anos.

       Direitos humanos fundamentais foram negados: o direito de plantar, colher, criar, pescar, reformar ou construir casas, de ter acesso à luz elétrica, água encanada, saneamento básico e, o mais elementar, o direito de ir e vir. Ao contrário, a Marinha empreendeu diversas ações para retirá-los da área sem levar em conta direitos históricos das pessoas que lá nasceram e lá vivem.

        O pequeno filme Quilombo Rio do Macaco (10 min)

https://www.youtube.com/watch?v=bwUXjUzqU6w, lançado no YouTube em dezembro de 2011, ajudou a campanha para a divulgação das denúncias de violação de direitos fundamentais, contribuindo com a formação de uma rede de solidariedade, mobilizada por organizações dos movimentos negros e populares, a exemplo da Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais (AATR), Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), Movimento de Pescadores, Campanha Reaja, Quilombo X, MST, Movimento de Mulheres e outros movimentos sociais.

       Ao longo dos últimos quatro anos acompanhamos negociações, conflitos, mobilizações ocorridos no quilombo, em órgãos públicos de Salvador e de Brasília. E também registramos aspectos culturais, simbólicos, religiosos e de diversos elementos da paisagem do território, identificado e delimitado pelo INCRA, com a extensão de 301 ha.

      Em 2014 submetemos ao Fundo de Cultura da Bahia projeto de realização de um documentário de longa-metragem e obtivemos R$ 100 mil – valor máximo disponível para captação de pessoa física – que foram dispendidos nas etapas de produção e montagem.

       Para a montagem do filme coletamos materiais produzidos também por outras fontes de registro, muitas delas veiculadas na Internet; e materiais exclusivos, gravações feitas pelos próprios quilombolas com celulares e máquinas precárias.

       Reunimos 150 horas de gravações de áudio e vídeo que se encontram, neste momento, na fase de montagem, a cargo de Cristina Amaral, montadora do primeiro time do cinema brasileiro, que está preparando integralmente o filme para a finalização.

       Contudo, os recursos captados até agora foram insuficientes para cobrir os custos de finalização. Optamos por buscar o financiamento coletivo para cobrir, pelo menos, uma parte do orçamento de finalização e início da etapa de exibição/distribuição do filme. O financiamento coletivo é um modo de angariar apoio e suporte ao filme, enquanto ele ainda está sendo realizado. Sua participação irá contribuir para a realização do filme agregando valor diferenciado ao processo de financiamento.

Por que você também deve colaborar? 

       Porque este é um filme em sincronia com o momento atual, é expressão do estado de crise que vivemos; o que faz deste um documentário urgente, necessário. O registro e difusão da vida dos quilombolas de Rio dos Macacos, a reflexão sobre aspectos do seu movimento  revelam possibilidades e limites da luta dos “de baixo”, do Brasil Real versus o Brasil Oficial, da difícil dialética entre a herança autoritária, racista, eivada de privilégios e a herança popular, negra, indígena, espoliada e despossuída. Um filme de luta por um país menos desigual e capaz de afirmar plenamente os princípios da liberdade, da democracia e do  respeito aos direitos humanos fundamentais.

Equipe do filme

Diretor - Josias Pires - Jornalista (UFBA,1988), Mestre em Artes Cênicas (UFBA, 2004); em 1997 passou a atuar TV para coordenar a série de documentários “Bahia Singular e Plural” (TVE-BA 18 programas de 30 e 60 min) sobre tradições populares da cultura da Bahia, realizando atividades de produtor, pesquisador, roteirista e diretor de documentários. Pesquisa, roteiro e direção do filme de longa metragem “Cuíca de Santo Amaro” (Bahia, 74 min), com Joel de Almeida e Doc Filmes Ltda/ Programa Petrobras Cultural, 2012, dados disponíveis em http://www.docdoma.com.br/cuicadesantoamaro/

Câmara - Gabriel Teixeira - antropólogo e fotógrafo, com larga experiência em documentários televisivos e outras produções, tendo obtidos diversos prêmios em festivais nacionais de cinema e audiovisual. Durante seis anos atuou como editor, roteirista e cinegrafista da TV UFBA. 

&

De Cuíca de Santo Amaro para o Quilombo Rio dos Macacos

Em: 28/09/2015 11:27

Na próxima segunda-feira (5), às 20h, na Sala Walter da Silveira, será realizada sessão especial do filme documentário Cuíca de Santo Amaro (direção Joel de Almeida e Josias Pires, 2012, 74 min).

A sessão especial, com ingressos a R$20, visa a arrecadação de recursos para contribuir com a finalização do documentário Quilombo Rio dos Macacos, de Josias Pires, em fase de montagem. O filme documenta a luta daqueles quilombolas em conflito com a Marinha do Brasil pela propriedade das suas terras.

A exibição do Cuíca é mais uma atividade da campanha de crowdfunding, através do site Benfeitoria.com (acesse aqui) que está sendo realizada pela produção do filme sobre o quilombo. A campanha será encerrada no próximo dia 10 de outubro. 

O documentário de longa metragem sobre o quilombo Rio dos Macacos é um desdobramento do web-doc Quilombo Rio do Macaco  (direção Josias Pires, 2011, 10 min),  o primeiro material audiovisual divulgado na Internet sobre o quilombo.

O que: Exibição do filme Cuíca de Santo Amaro

Onde: Sala Walter da Silveira / Salvador/BA
Quando: dia 05/10, próxima segunda-feira,  às 20 horas

Ingressos: R$ 20,00