[SP] Favela sem Corona |

[SP] Favela sem Corona

Temos como objetivo diminuir o impacto da epidemia de coronavírus nas favelas do município, atuando nas áreas de prevenção e apoio ao diagnóstico.

Projeto por: Pedro Henrique Costa Berto
R$ 34.360,00
arrecadado
meta R$ 30.000,00

19 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Pedro Henrique Costa Berto

Pedro Henrique Costa Berto
R$ 10
Apoie com 10 reais!
1 benfeitor apoiando
Obrigada! Todo valor é importante!
R$ 25
Apoie com 25 reais!
Seja o primeiro a apoiar!
Valeu! Agradecemos por apoiar nossa causa <3
R$ 50
Apoie com 50 reais!
1 benfeitor apoiando
Muito Obrigado! Seu apoio é fundamental!
R$ 100
Apoie com 100 reais!
2 benfeitores apoiando
Sem palavras! Agradecemos muito por apoiarem nosso projeto!
R$ 250
Apoie com 250 reais!
1 benfeitor apoiando
Incrível! Sua ajuda fortalece o enfrentamento ao Coronavírus nas comunidades do Rio de Janeiro!
R$ 500
Apoie com 500 reais!
1 benfeitor apoiando
Brigadão! Seu apoio é fundamental para preservar vidas nas comunidades cariocas!
R$ 2.000
Apoie com 2000 reais!
1 benfeitor apoiando
2000 motivos para agradecer! Agradecemos demais pela força e por nos ajudar a enfrentar o Coronavírus de forma mais justa.
R$ 5.000
Apoie com 5000 reais!
Seja o primeiro a apoiar!
Você é demais! Sua colaboração vai nos ajudar muito a enfrentar o impacto do Coronavírus nas comunidades do Rio de Janeiro.

Com os recursos arrecadados através da plataforma da Benfeitoria, pagaremos a nossa equipe, que já vem trabalhando e gerando conteúdo relevante em relação a prevenção do coronavírus.
Também utilizaremos o dinheiro para pagarmos os testes de COVID-19. Abaixo, explicaremos o fluxo de trabalho:

  1. Firmamos parceria com lideranças das comunidades com maior incidência de casos suspeitos e confirmados.
  2. Firmamos parceria com laboratórios ou clínicas particular que realizam o teste de COVID-19, e que sejam o mais próximo possível das comunidades.
  3. As lideranças comunitárias divulgam a iniciativa dentro da comunidade e encaminham¹ para os laboratórios ou clínicas os moradores por ordem de prioridade².

¹ Os moradores encaminhados devem ter um pedido médico para realizarem o teste, esse pedido pode ser obtido nas UPAs e Clínicas da Família.
² Primeiro serão encaminhadas as pessoas do grupo de risco que tiveram contato com os casos confirmados, em seguida serão encaminhadas as pessoas do grupo de risco que tiveram contato com casos suspeitos, e por último as pessoas do grupo de risco de modo geral.
 

Pedro Berto, 29 anos, graduando de administração pública na FGV-EAESP, ex-morador da favela Vila Autódromo e idealizador do projeto Favela sem Corona. Depois que minha família e outras 600 foram removidas da comunidade Vila Autódromo para construção do Parque Olímpico, decidi ingressar no curso de administração pública para ajudar a combater violações como as que sofri. Consegui 100% de bolsa na FGV, e através da Fundação fiz trabalho voluntário em Cúcuta (Colômbia), trabalho de campo sobre questões indígenas em La Paz, e fui estudante visitante na Tsinghua University na China.

Em relação a prevenção, boa parte das favelas do Rio poderão ser impactadas através de nossas informações nas redes sociais. Já em relação ao apoio ao diagnóstico, as comunidades serão escolhidas priorizando as que possuem maior número de casos suspeitos e confirmados (com base nos dados da Prefeitura do Rio de Janeiro).

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que a meta mínima da campanha de arrecadação seja atingida.

 

 

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Pedro Henrique Costa Berto ainda não publicou nenhuma notícia.

Com os recursos arrecadados através da plataforma da Benfeitoria, pagaremos a nossa equipe, que já vem trabalhando e gerando conteúdo relevante em relação a prevenção do coronavírus.
Também utilizaremos o dinheiro para pagarmos os testes de COVID-19. Abaixo, explicaremos o fluxo de trabalho:

  1. Firmamos parceria com lideranças das comunidades com maior incidência de casos suspeitos e confirmados.
  2. Firmamos parceria com laboratórios ou clínicas particular que realizam o teste de COVID-19, e que sejam o mais próximo possível das comunidades.
  3. As lideranças comunitárias divulgam a iniciativa dentro da comunidade e encaminham¹ para os laboratórios ou clínicas os moradores por ordem de prioridade².

¹ Os moradores encaminhados devem ter um pedido médico para realizarem o teste, esse pedido pode ser obtido nas UPAs e Clínicas da Família.
² Primeiro serão encaminhadas as pessoas do grupo de risco que tiveram contato com os casos confirmados, em seguida serão encaminhadas as pessoas do grupo de risco que tiveram contato com casos suspeitos, e por último as pessoas do grupo de risco de modo geral.
 

Pedro Berto, 29 anos, graduando de administração pública na FGV-EAESP, ex-morador da favela Vila Autódromo e idealizador do projeto Favela sem Corona. Depois que minha família e outras 600 foram removidas da comunidade Vila Autódromo para construção do Parque Olímpico, decidi ingressar no curso de administração pública para ajudar a combater violações como as que sofri. Consegui 100% de bolsa na FGV, e através da Fundação fiz trabalho voluntário em Cúcuta (Colômbia), trabalho de campo sobre questões indígenas em La Paz, e fui estudante visitante na Tsinghua University na China.

Em relação a prevenção, boa parte das favelas do Rio poderão ser impactadas através de nossas informações nas redes sociais. Já em relação ao apoio ao diagnóstico, as comunidades serão escolhidas priorizando as que possuem maior número de casos suspeitos e confirmados (com base nos dados da Prefeitura do Rio de Janeiro).

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que a meta mínima da campanha de arrecadação seja atingida.

 

 

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Pedro Henrique Costa Berto ainda não publicou nenhuma notícia.