[SP] Florescer Hub |

[SP] Florescer Hub

Apoie as mulheres periféricas de São Vicente- SP com conteúdos de bem estar físico, emocional e distribuição de cestas básicas.

Projeto por: Taynara Gois Dias
R$ 30.356,00
arrecadado
meta R$ 30.000,00

18 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Taynara Gois Dias

Taynara Gois Dias
R$ 20
Apoiar essa campanha com R$ 20
3 benfeitores apoiando
R$ 50
Apoiar essa campanha com R$ 50
1 benfeitor apoiando
R$ 80
Apoiar essa campanha com R$ 80
Seja o primeiro a apoiar!
R$ 100
Apoiar essa campanha com R$ 100
1 benfeitor apoiando
R$ 200
Apoiar essa campanha com R$ 200
Seja o primeiro a apoiar!
R$ 300
Apoiar essa campanha com R$ 300
Seja o primeiro a apoiar!
R$ 500
Apoiar essa campanha com R$ 500
Seja o primeiro a apoiar!
R$ 1.000
Apoiar essa campanha com R$ 1000
Seja o primeiro a apoiar!
R$ 3.000
Apoiar essa campanha com R$ 3000
Seja o primeiro a apoiar!

O recurso arrecadado neste financiamento coletivo vai apoiar mulheres periféricas, chefes de família, que vêm sofrendo com o desemprego e o isolamento social imposto pela pandemia do Covid-19 nas comunidades do México 70 e Vila Margarida, em São Vicente-SP. Verificamos que há uma demanda urgente por reorganizar as fontes de subsistência das suas famílias, mas também de recompor a sua estabilidade emocional frente a este contexto de incertezas. Por isso, o Florescer Hub vai realizar a doação de cestas básicas, mas também elaborar um material audiovisual com caráter informativo e de reconhecimento de habilidades e bem-estar, em uma linguagem que consiga atingir nosso público-alvo. Cabe destacar que a criação dos vídeos ficará a cargo de 10 empreendedores sociais e criativos periféricos da região da Baixada Santista fazendo a renda circular também para outras famílias em situação vulnerável.

Cria da Vila Margarida, em São Vicente, desde os 13 anos já me envolvia na escuta e acolhimento de mulheres com dependência química do bairro, também identificando necessidades e auxiliando na distribuição de donativos. Aos 19 sonhei com os meus parceiros o Instituto Família Chegados, onde reunimos os jovens do bairro na esquina para trocar ideia e conhecimento,e em eventos de cultura, lazer e conhecimento, mostrando que a rua poderia ser espaço de sociabilidade e não só de violência. Há 2 anos comecei o projeto Favela Fashion Dique, para a molecada perceber sua beleza independente do padrão dos seus corpos e da sua raça, levantando sua auto-estima. No ano passado, conseguimos um espaço e aí pudemos realizar também sessões de filmes, abrigar uma biblioteca e criar uma horta comunitária. Percebendo que as mulheres dedicavam muito tempo ao trabalho e a família, mas não encontravam um espaço para o seu próprio cuidado, iniciamos o Florescer Hub, que visa o fortalecimento integral das mulheres periféricas por meio da auto-estima, auto-conhecimento e cuidado coletivo. Além disso faço parte de várias redes de empreendedoras e empreendedores periféricos, atuando conjuntamente em projetos da região, colaborando umas com as outras.

Vila Margarida e México 70 são uns dos principais bairros periféricos de São Vicente, com quase 40 mil habitantes em situação de extrema pobreza, residentes em palafitas, barracos ou nos conjuntos habitacionais, e que enfrentam constantemente as conseqüências das enchentes e dos recorrentes incêndios que assolam a região. Grande parte da população dessas favelas tem dificuldade em manter os cuidados na prevenção contra o coronavírus, por diversos fatores: pouca informação, vivendo em ambientes superlotados e sem condições de comprar alcool gel e outros produtos de higiene, impossibilidade de estocar comida e etc. A situação já era difícil antes mesmo do Covid-19 chegar e agora com as restrições de quarentena, essas pessoas estão impossibilitadas de trabalhar e gerar renda.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

COLABORAÇÕES EXTERNAS

R$1.000,00

colaborador

A campanha [SP] Florescer Hub captou os valores acima através de ações de arrecadação independentes, ou seja, fora da plataforma Benfeitoria. Ficou com dúvidas? Clique aqui

Taynara Gois Dias ainda não publicou nenhuma notícia.

O recurso arrecadado neste financiamento coletivo vai apoiar mulheres periféricas, chefes de família, que vêm sofrendo com o desemprego e o isolamento social imposto pela pandemia do Covid-19 nas comunidades do México 70 e Vila Margarida, em São Vicente-SP. Verificamos que há uma demanda urgente por reorganizar as fontes de subsistência das suas famílias, mas também de recompor a sua estabilidade emocional frente a este contexto de incertezas. Por isso, o Florescer Hub vai realizar a doação de cestas básicas, mas também elaborar um material audiovisual com caráter informativo e de reconhecimento de habilidades e bem-estar, em uma linguagem que consiga atingir nosso público-alvo. Cabe destacar que a criação dos vídeos ficará a cargo de 10 empreendedores sociais e criativos periféricos da região da Baixada Santista fazendo a renda circular também para outras famílias em situação vulnerável.

Cria da Vila Margarida, em São Vicente, desde os 13 anos já me envolvia na escuta e acolhimento de mulheres com dependência química do bairro, também identificando necessidades e auxiliando na distribuição de donativos. Aos 19 sonhei com os meus parceiros o Instituto Família Chegados, onde reunimos os jovens do bairro na esquina para trocar ideia e conhecimento,e em eventos de cultura, lazer e conhecimento, mostrando que a rua poderia ser espaço de sociabilidade e não só de violência. Há 2 anos comecei o projeto Favela Fashion Dique, para a molecada perceber sua beleza independente do padrão dos seus corpos e da sua raça, levantando sua auto-estima. No ano passado, conseguimos um espaço e aí pudemos realizar também sessões de filmes, abrigar uma biblioteca e criar uma horta comunitária. Percebendo que as mulheres dedicavam muito tempo ao trabalho e a família, mas não encontravam um espaço para o seu próprio cuidado, iniciamos o Florescer Hub, que visa o fortalecimento integral das mulheres periféricas por meio da auto-estima, auto-conhecimento e cuidado coletivo. Além disso faço parte de várias redes de empreendedoras e empreendedores periféricos, atuando conjuntamente em projetos da região, colaborando umas com as outras.

Vila Margarida e México 70 são uns dos principais bairros periféricos de São Vicente, com quase 40 mil habitantes em situação de extrema pobreza, residentes em palafitas, barracos ou nos conjuntos habitacionais, e que enfrentam constantemente as conseqüências das enchentes e dos recorrentes incêndios que assolam a região. Grande parte da população dessas favelas tem dificuldade em manter os cuidados na prevenção contra o coronavírus, por diversos fatores: pouca informação, vivendo em ambientes superlotados e sem condições de comprar alcool gel e outros produtos de higiene, impossibilidade de estocar comida e etc. A situação já era difícil antes mesmo do Covid-19 chegar e agora com as restrições de quarentena, essas pessoas estão impossibilitadas de trabalhar e gerar renda.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Taynara Gois Dias ainda não publicou nenhuma notícia.