Campanha Emergencial Guarani Kaiowá |

Campanha Emergencial Guarani Kaiowá

Campanha de arrecadação de recursos para combate ao Covid19 no território indígena Guarani e Kaiowá do Mato Grosso do Sul.

Projeto por: Instituto para o desenvolvimento da arte e da cultura
R$ 18.381,00
arrecadado
meta R$ 20.000,00

179
benfeitores

91%
arrecadado

38
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

A primeira meta foi batida! Nossa arrecadação continua até 09/08/2020 - 23:59

POR

Instituto para o desenvolvimento da arte e da cultura

Instituto para o desenvolvimento da arte e da cultura
R$ 25
Gratidão!
12 benfeitores apoiando
Você ajuda a proteger um dos nossos agentes voluntários, e terá seu nome divulgado numa lista de agradecimento especial em nossas redes sociais.
R$ 60
Muito amor!
25 benfeitores apoiando
Você garante máscara, luva e avental para um agente voluntário, e terá seu nome divulgado numa lista de agradecimento especial em nossas redes sociais.
R$ 120
Vamos juntos!
13 benfeitores apoiando
Com este valor você nos ajuda a comprar um termômetro digital infravermelho, e terá seu nome divulgado numa lista de agradecimento especial em nossas redes sociais.
R$ 250
Sem palavras!
5 benfeitores apoiando
Este valor ajudará a a manter 2 anciões protegidos e atendidos durante o isolamento, e terá seu nome divulgado numa lista de agradecimento especial em nossas redes sociais.
R$ 400
Todos contra o covid!
1 benfeitor apoiando
Você estará apoiando a compra de equipamento de proteção para 3 agentes voluntários e alimento para 2 famílias, e terá seu nome divulgado numa lista de agradecimento especial em nossas redes sociais.
R$ 800
Juntos transformando!
Seja o primeiro a apoiar!
Com esse valor compraremos proteção para 4 agentes voluntários e alimento para 5 famílias, e terá seu nome divulgado em destaque numa lista de agradecimento especial em nossas redes sociais.
R$ 3.000
Juntos somos mais fortes!
1 benfeitor apoiando
Com este valor você estará permitindo a montagem e estruturação completa de uma barreira sanitária! Você terá seu nome divulgado em destaque numa lista de agradecimento especial em nossas redes sociais.

Não encontrou o que queria?

Outro valor

Nós somos os Guarani e Kaiowá localizados no estado de Mato Grosso do Sul, a segunda maior população indígena do Brasil, atualmente somos mais de 51 mil (Dados DIASI/SESAI). O processo histórico de perda territorial para o agronegócio levou nossa população ao confinamento em pequenos territórios demarcados pelo Estado que se encontram degradados, superpopulosos e envenenados por agrotóxicos das plantações de monocultura que nos cercam, nos deixando isolados e impossibilitando a produção de alimentos e manutenção das nossas tradições culturais que são intimamente ligadas a territorialidade indígena. Sofremos constantes ataques genocidas por parte de fazendeiros que querem nos expulsar de nossas terras, além de ataques devido à intolerância religiosa de nossas tradições.
 

POR QUÊ PRECISAMOS DO SEU APOIO HOJE!

Atualmente a crise da pandemia de Covid-19 deixou nossas comunidades ainda mais confinados. Estamos vivendo uma politica economica e social que vem dizimando vidas e a nossa infra estrutura se encontra vulneravel. Existe um problema crônico de abastecimento de água em algumas comunidades, assim como falta de acesso ao sistema de saúde e o nao cumprimento das recomendacoes basicas de seguranca epidemiologica. As recomendações de isolamento social trouxeram para as aldeias mais distantes a desestruturação das redes econômicas externas e internas, pela impossibilidade de circulação para as cidades próximas. Enquanto outras aldeias e retomadas que são muito próximas das cidades se encontram ainda mais expostas ao risco de contaminação devido o transito entre o espaco urbano e territorio indigena. 


PARA ONDE VAI O DINHEIRO?

Todo o recurso arrecadado com esta campanha será destinado às ações emergenciais dos Conselhos Guarani e Kaiowa, para combate e prevenção do Covid19 em territorios indigenas. Uma das ações mais urgentes são as barreiras sanitárias, medidas de sobrevivencia para frear a expansao do virus nas comunidades. São mais de 25 barreiras sanitárias que nescessitam de manutencao mensal de equipamentos de proteção, materiais de higiene, termômetros, estrutura mínima de abrigo e alimentação.  A segunda frente é direcionada ao cuidado e proteção dos anciões e anciãs, que são os guardiões do conhecimento da nossa cultura e história. Essas açõeses emergenciais de sobrevivencia não tiram a responsabilidade do governo em cumprir com a Constituicao Federal de 1988 de cuidado e protecao da saúde indígena. Nao recebemos apoio do estado, e todas as nossas ações sao possíveis mediante a sua doação. Agradecemos o seu apoio que fortalece a luta pela sobrevivencia do nosso povo.  Compartilhe a nossa campanha em suas redes.

Atyma Pora, obrigado.


 


We are the Guarani & Kaiowá People, located in the state of Mato Grosso do Sul, Brazil. We are the second largest indigenous group in Brazil, with a population of over 51,000 (Data from DIASI/SESAI). The historical loss of our territory to large-scale agribusiness had led our population to be confined in small areas, demarcated by the state, that are ecologically degraded, overpopulated, and poisoned by the pesticides used on the monoculture plantations that surround us. This has left us isolated, unable to sustain ourselves by growing food on our land, and without the means to maintain our cultural traditions which are intimately linked to indigenous territoriality. We suffer constant genocidal attacks from farmers who want to expel us from our land, as well as attacks due to religious intolerance of our traditions.

WHY WE NEED YOUR HELP TODAY

Currently the crisis brought by the Covid-19 pandemic has left our communities even more confined. We are living in a context of socio-economic politics which has been decimating lives, and our infrastructures have been left vulnerable. There is a chronic shortage of water in some communities, as well as inadequate access to health services and the non-compliance of basic recommendations of epidemiological security. The recommendations of social isolation has, in more remote regions, de-structured our external and internal economic networks, due to the impossibility of reaching nearby towns. At the same time, other villages which are very close to towns find themselves even more exposed to the risk of contamination due to the transit of people between urban spaces and indigenous territories.

WHERE WILL THE MONEY GO?

All donations raised through this campaign will be destined to the emergency actions organised by the Guarani and Kaiowá Councils, indigenous organisations who are engaged in active efforts to combat and prevent the spread of Covid-19 in indigenous territories. One of the most urgent actions are the sanitary blockades, a means of slowing the spread of the virus in our communities. There are over 25 blockades which need monthly maintenance with protective equipment, hygiene materials, thermometers, basic shelter structures and food parcels for volunteers. The second front of action is directed towards the protection of our elders, who are the guardians of traditional knowledge and cultural history. These emergency survival interventions do not excuse the government from its responsibility to protect indigenous health, set out in the Federal Constitution on 1988. We do not receive any support from the State, and all our actions are possible as a result of your donations. We thank you for your support which helps strengthen our fight for the survival of our People. please share our campaign in your networks.

Atyma Pora, Thank You.

 

A campanha de arrecadação pela Benfeitoria dura 60 dias, mas os repasses para o projeto começam a partir do atingimento da primeira meta.

 

Instituto para o desenvolvimento da arte e da cultura ainda não publicou nenhuma notícia.

Nós somos os Guarani e Kaiowá localizados no estado de Mato Grosso do Sul, a segunda maior população indígena do Brasil, atualmente somos mais de 51 mil (Dados DIASI/SESAI). O processo histórico de perda territorial para o agronegócio levou nossa população ao confinamento em pequenos territórios demarcados pelo Estado que se encontram degradados, superpopulosos e envenenados por agrotóxicos das plantações de monocultura que nos cercam, nos deixando isolados e impossibilitando a produção de alimentos e manutenção das nossas tradições culturais que são intimamente ligadas a territorialidade indígena. Sofremos constantes ataques genocidas por parte de fazendeiros que querem nos expulsar de nossas terras, além de ataques devido à intolerância religiosa de nossas tradições.
 

POR QUÊ PRECISAMOS DO SEU APOIO HOJE!

Atualmente a crise da pandemia de Covid-19 deixou nossas comunidades ainda mais confinados. Estamos vivendo uma politica economica e social que vem dizimando vidas e a nossa infra estrutura se encontra vulneravel. Existe um problema crônico de abastecimento de água em algumas comunidades, assim como falta de acesso ao sistema de saúde e o nao cumprimento das recomendacoes basicas de seguranca epidemiologica. As recomendações de isolamento social trouxeram para as aldeias mais distantes a desestruturação das redes econômicas externas e internas, pela impossibilidade de circulação para as cidades próximas. Enquanto outras aldeias e retomadas que são muito próximas das cidades se encontram ainda mais expostas ao risco de contaminação devido o transito entre o espaco urbano e territorio indigena. 


PARA ONDE VAI O DINHEIRO?

Todo o recurso arrecadado com esta campanha será destinado às ações emergenciais dos Conselhos Guarani e Kaiowa, para combate e prevenção do Covid19 em territorios indigenas. Uma das ações mais urgentes são as barreiras sanitárias, medidas de sobrevivencia para frear a expansao do virus nas comunidades. São mais de 25 barreiras sanitárias que nescessitam de manutencao mensal de equipamentos de proteção, materiais de higiene, termômetros, estrutura mínima de abrigo e alimentação.  A segunda frente é direcionada ao cuidado e proteção dos anciões e anciãs, que são os guardiões do conhecimento da nossa cultura e história. Essas açõeses emergenciais de sobrevivencia não tiram a responsabilidade do governo em cumprir com a Constituicao Federal de 1988 de cuidado e protecao da saúde indígena. Nao recebemos apoio do estado, e todas as nossas ações sao possíveis mediante a sua doação. Agradecemos o seu apoio que fortalece a luta pela sobrevivencia do nosso povo.  Compartilhe a nossa campanha em suas redes.

Atyma Pora, obrigado.


 


We are the Guarani & Kaiowá People, located in the state of Mato Grosso do Sul, Brazil. We are the second largest indigenous group in Brazil, with a population of over 51,000 (Data from DIASI/SESAI). The historical loss of our territory to large-scale agribusiness had led our population to be confined in small areas, demarcated by the state, that are ecologically degraded, overpopulated, and poisoned by the pesticides used on the monoculture plantations that surround us. This has left us isolated, unable to sustain ourselves by growing food on our land, and without the means to maintain our cultural traditions which are intimately linked to indigenous territoriality. We suffer constant genocidal attacks from farmers who want to expel us from our land, as well as attacks due to religious intolerance of our traditions.

WHY WE NEED YOUR HELP TODAY

Currently the crisis brought by the Covid-19 pandemic has left our communities even more confined. We are living in a context of socio-economic politics which has been decimating lives, and our infrastructures have been left vulnerable. There is a chronic shortage of water in some communities, as well as inadequate access to health services and the non-compliance of basic recommendations of epidemiological security. The recommendations of social isolation has, in more remote regions, de-structured our external and internal economic networks, due to the impossibility of reaching nearby towns. At the same time, other villages which are very close to towns find themselves even more exposed to the risk of contamination due to the transit of people between urban spaces and indigenous territories.

WHERE WILL THE MONEY GO?

All donations raised through this campaign will be destined to the emergency actions organised by the Guarani and Kaiowá Councils, indigenous organisations who are engaged in active efforts to combat and prevent the spread of Covid-19 in indigenous territories. One of the most urgent actions are the sanitary blockades, a means of slowing the spread of the virus in our communities. There are over 25 blockades which need monthly maintenance with protective equipment, hygiene materials, thermometers, basic shelter structures and food parcels for volunteers. The second front of action is directed towards the protection of our elders, who are the guardians of traditional knowledge and cultural history. These emergency survival interventions do not excuse the government from its responsibility to protect indigenous health, set out in the Federal Constitution on 1988. We do not receive any support from the State, and all our actions are possible as a result of your donations. We thank you for your support which helps strengthen our fight for the survival of our People. please share our campaign in your networks.

Atyma Pora, Thank You.

 

A campanha de arrecadação pela Benfeitoria dura 60 dias, mas os repasses para o projeto começam a partir do atingimento da primeira meta.

 

Instituto para o desenvolvimento da arte e da cultura ainda não publicou nenhuma notícia.