[SP] Guerreiras que dão voz e máscaras |

[SP] Guerreiras que dão voz e máscaras

Colabore para entrega de 10.000 máscaras em Poá (SP) + geração de renda empreendedoras + formação de influenciadoras contra a violência doméstica

Projeto por: Katia de Lima Barbosa
R$ 30.755,00
arrecadado
meta R$ 29.600,00

21
benfeitores

103%
arrecadado

3
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

A primeira meta foi batida! Nossa arrecadação continua até 31/05/2020 - 23:59


POR

Katia de Lima Barbosa

Katia de Lima Barbosa
R$ 20
Vídeo de agradecimento das Marias
2 benfeitores apoiando
Receba uma linda mensagem da agradecimento das nossas Marias que serão beneficiadas por esta iniciativa.

48 disponíveis.
R$ 40
Livro Chama Acessa
Seja o primeiro a apoiar!
Livro autobiográfico de Jamile Coelho. Conheça a história de vida de Jamile, um convite para um processo de autoconhecimento que pode te levar a uma nova visão sobre doença e cura pela autoconsciência.

5 disponíveis.
R$ 50
Participe de uma das reuniões online do
Seja o primeiro a apoiar!
Tenha a oportunidade de conhecer o Coletivo Marias, ouça delas o quanto o projeto tem impactado vidas.

5 disponíveis.
R$ 100
Curso de auto maquiagem para jovens
Seja o primeiro a apoiar!
Foco em auto maquiagem para jovens. Escolha um@ jovem que precisa se fortalecer e o autocuidado será uma grande ferramenta de protagonismo.

10 disponíveis.
R$ 250
Curso de auto maquiagem para senhoras
1 benfeitor apoiando
Foco em auto maquiagem para mulheres maduras. Lembre da sua avó, tia, sogra, amiga, que está em isolamento e nos indique para darmos um curso que fortaleça a autoestima o distanciamento social.

9 disponíveis.
R$ 300
Autoconhecimento: aplicação e aprofundam
Seja o primeiro a apoiar!
consultoria com Jamile Coelho para aprofundamento do resultado da ferramenta Perfil Cognitivo. Jamile Coelho é consultora educacional, autora do Perfil Cognitivo, uma ferramenta de autoconhecimento que dá um mapa do potencial das pessoas em 2007, utilizada em mais de 10.000 pessoas até hoje.

01 disponível.

Não encontrou o que queria?

Outro valor

Nosso projeto nasceu a partir da formação de um coletivo de microempreendedoras que, em sua maioria, possuem salões de beleza. A pandemia nos trouxe o desafio de nos reinventar para gerar renda para nossas famílias e já aprendemos que existirá um novo normal. Queremos nos ajudar, mas também multiplicar conhecimento para as mulheres que podem estar sofrendo violência em casa.

Vamos montar células individuais conectadas em rede para a produção de máscaras, respeitando as normas de isolamento social. Já temos experiência porque no último mês já produzimos 5.000 máscaras que foram doadas e este será um novo ciclo ainda mais virtuoso.

As células terão um monitoramento diário via whatsapp e todas as envolvidas terão equipamentos individuais de proteção com uma remuneração garantida por semana de produção.

Enquanto produzimos as máscaras, teremos uma jornada de formação online com especialistas em formação de influenciadores no enfrentamento à violência doméstica.

A cada lote produzido, teremos uma missão dupla: 1) disseminar o que aprendemos para o maior número de mulheres que conhecemos via mídias sociais e 2) distribuir máscaras através de parceiros locais como ONGs e unidades básicas de saúde.

Cada pacote de máscara terá orientações de lavagem/uso e um segredinho para a mulher que é vítima de violência. Ela vai saber qual número acessar, se estiver precisando de ajuda.

Ao longo de 2019 algumas mulheres empreendedoras do Coletivo Marias já participaram de oficinas de formação sobre desenvolvimento emocional, cidadania financeira, gestão de negócios e direitos das mulheres, executadas pela start-up social Somos Todas Marias, entidade apoiadora do Coletivo Marias neste edital.  A ideia do Coletivo Marias é usar o que aprendemos até agora, mobilizarmos mais mulheres e nos fortalecermos ainda mais para enfrentarmos este momento de crise geral. Precisamos fortalecer o lado emocional das mulheres destes territórios ainda mais agora quando o stress da restrição econômica e o confinamento tem afetado a todos e gerado consequências como o aumento da violência doméstica em todo o território brasileiro.

Nós que somos na nossa maioria micro empreendedoras de beleza, acabamos nos tornando referência de escuta e muitas vezes de apoio emocional, uma vez que um salão de beleza ou uma prestação de serviço na casa das clientes é um momento de confiança e de autoestima de dentro para fora. Isto não muda em época de vírus, apesar do distanciamento. Temos uma rede de mulheres que nos acessa pois já somos psicólogas sem termos escolhido esta profissão.

Temos conhecimento de quem está precisando mais de proteção social e já estamos compartilhando itens de necessidade básica e o que possuímos extra para doar entre as mulheres que reunimos. Nós vamos cuidar para que cada pacote com 5 máscaras de TNT produzido por este projeto chegue nas famílias que precisam mais do que nunca se proteger. Aqui poucas pessoas estão usando máscaras porque não têm dinheiro para comprar de quem está vendendo. Além disto, a prefeitura regulamentou o uso obrigatório de máscaras. Como as pessoas farão, se as máscaras não forem doadas?

Nosso foco são famílias de bairros como Cidade Kemel, Jardim Perracini, Jardim Antônio Picosse e da favela da Tubulação, todos territórios periféricos onde as empreendedoras membros do Coletivo Marias moram e/ou seus conhecidos e familiares. A maioria das pessoas que conhecemos está sem trabalho e a renda que era antes, na média, de 2 salários mínimos caiu para metade de um salário mínimo. A maioria tem tentado acessar os benefícios do governo para autônomos mas nem todo mundo conseguiu.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Katia de Lima Barbosa ainda não publicou nenhuma notícia.

Nosso projeto nasceu a partir da formação de um coletivo de microempreendedoras que, em sua maioria, possuem salões de beleza. A pandemia nos trouxe o desafio de nos reinventar para gerar renda para nossas famílias e já aprendemos que existirá um novo normal. Queremos nos ajudar, mas também multiplicar conhecimento para as mulheres que podem estar sofrendo violência em casa.

Vamos montar células individuais conectadas em rede para a produção de máscaras, respeitando as normas de isolamento social. Já temos experiência porque no último mês já produzimos 5.000 máscaras que foram doadas e este será um novo ciclo ainda mais virtuoso.

As células terão um monitoramento diário via whatsapp e todas as envolvidas terão equipamentos individuais de proteção com uma remuneração garantida por semana de produção.

Enquanto produzimos as máscaras, teremos uma jornada de formação online com especialistas em formação de influenciadores no enfrentamento à violência doméstica.

A cada lote produzido, teremos uma missão dupla: 1) disseminar o que aprendemos para o maior número de mulheres que conhecemos via mídias sociais e 2) distribuir máscaras através de parceiros locais como ONGs e unidades básicas de saúde.

Cada pacote de máscara terá orientações de lavagem/uso e um segredinho para a mulher que é vítima de violência. Ela vai saber qual número acessar, se estiver precisando de ajuda.

Ao longo de 2019 algumas mulheres empreendedoras do Coletivo Marias já participaram de oficinas de formação sobre desenvolvimento emocional, cidadania financeira, gestão de negócios e direitos das mulheres, executadas pela start-up social Somos Todas Marias, entidade apoiadora do Coletivo Marias neste edital.  A ideia do Coletivo Marias é usar o que aprendemos até agora, mobilizarmos mais mulheres e nos fortalecermos ainda mais para enfrentarmos este momento de crise geral. Precisamos fortalecer o lado emocional das mulheres destes territórios ainda mais agora quando o stress da restrição econômica e o confinamento tem afetado a todos e gerado consequências como o aumento da violência doméstica em todo o território brasileiro.

Nós que somos na nossa maioria micro empreendedoras de beleza, acabamos nos tornando referência de escuta e muitas vezes de apoio emocional, uma vez que um salão de beleza ou uma prestação de serviço na casa das clientes é um momento de confiança e de autoestima de dentro para fora. Isto não muda em época de vírus, apesar do distanciamento. Temos uma rede de mulheres que nos acessa pois já somos psicólogas sem termos escolhido esta profissão.

Temos conhecimento de quem está precisando mais de proteção social e já estamos compartilhando itens de necessidade básica e o que possuímos extra para doar entre as mulheres que reunimos. Nós vamos cuidar para que cada pacote com 5 máscaras de TNT produzido por este projeto chegue nas famílias que precisam mais do que nunca se proteger. Aqui poucas pessoas estão usando máscaras porque não têm dinheiro para comprar de quem está vendendo. Além disto, a prefeitura regulamentou o uso obrigatório de máscaras. Como as pessoas farão, se as máscaras não forem doadas?

Nosso foco são famílias de bairros como Cidade Kemel, Jardim Perracini, Jardim Antônio Picosse e da favela da Tubulação, todos territórios periféricos onde as empreendedoras membros do Coletivo Marias moram e/ou seus conhecidos e familiares. A maioria das pessoas que conhecemos está sem trabalho e a renda que era antes, na média, de 2 salários mínimos caiu para metade de um salário mínimo. A maioria tem tentado acessar os benefícios do governo para autônomos mas nem todo mundo conseguiu.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Katia de Lima Barbosa ainda não publicou nenhuma notícia.