Jovens da UnB (Universidade de Brasília) participam de competição internacional |

Jovens da UnB (Universidade de Brasília) participam de competição internacional

O Gilluz irá modificar microrganismos através da biologia sintética, para transformar chorume e resíduos advindos de Aterros sanitários em eletricidade.

Projeto por: iGEM UnB/Embrapa
R$ 14.459,00
arrecadado
meta R$ 14.094,00

84 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

iGEM UnB/Embrapa

iGEM UnB/Embrapa
R$ 20
Cientista Mirim
13 benfeitores apoiando
Fotos de Brasília e um e-book de desenhos científicos para colorir!
R$ 50
Jovem Cientista
27 benfeitores apoiando
Além do e-book e das fotos de Brasília. Chaveiro de placa de Petri com material reaproveitado de laboratórios da UnB!
R$ 100
Cientista Experiente
21 benfeitores apoiando
Além do e-book e das fotos de Brasília. Chaveiro de feltro com temática científica.
R$ 250
Cientista Consciente
8 benfeitores apoiando
Além do e-book e das fotos de Brasília, ganhe os chaveiro de placa de Petri e de feltro!
R$ 1.000
Cientista Profissional
1 benfeitor apoiando
Uma consultoria em biossegurança e gestão de projetos para sua empresa ou instituição.

Você sabe pra onde vai todo o lixo do Distrito Federal?


    Grande parte dele era destinado ao antigo Lixão da Estrutural, que foi o segundo maior lixão a céu aberto do mundo por 60 anos e recebia cerca de mil toneladas de lixo por dia, o equivalente a 63 caminhões por mês. Em 2018, o Aterro Sanitário de Brasília (ASB) foi inaugurado e hoje é o destino de todos os rejeitos produzidos no DF - incluindo o do seu lar. A quantidade de rejeitos recebidos equivale a 150 caminhões de lixo por mês!



    Mas essa história não acaba por aí: o ASB, encontra-se em uma situação preocupante tanto no que diz respeito ao meio ambiente, quanto à saúde humana. O volume de chorume gerado pelos resíduos nele depositados ameaça contaminar seriamente os recursos hídricos da região, responsáveis por abastecer cerca de 500 mil pessoas!


    Direitos autorais: GABRIEL JABUR.



    Para prevenir um desastre ambiental iminente, e ao mesmo tempo gerar energia elétrica que poderá suprir diversas famílias no futuro, surge o GILLUZ, o nosso microrganismo pra lá de especial, que nós iremos modificar através da Biologia Sintética, com a ajuda de simulações computacionais e técnicas biotecnológicas, para que ele possa realizar a biorremediação do chorume e dos resíduos advindos do Aterro Sanitário de Brasília, transformando-os em eletricidade!


    A iGEM Design é uma competição internacional que estimula alunos de graduação e do ensino médio a desenvolverem soluções inovadoras para problemas de alto impacto através da biologia sintética. 

    Mas afinal, o que é Biologia Sintética?

    A biologia sintética é um campo da ciência que envolve o redesenho de organismos para fins úteis, projetando-os para terem novas habilidades.

    Além de contribuir com a educação de jovens cientistas brasileiros, você também se torna um agente para solucionar problemas reais aqui do Distrito Federal. A inscrição na competição custa US$1.500, e é para isso que precisamos da sua contribuição! Incluso no valor da campanha estão as aulas e os softwares necessários para a execução do nosso projeto. Com a sua ajuda, podemos nos tornar a primeira equipe do Centro-Oeste a entrar para essa competição incrível, originalmente idealizada pelo Massachussets Institute of Technology (MIT) e que agora é um dos maiores eventos de biologia sintética do mundo! 

    Nosso Pix da arrecadação é nosso emailigem.unb.embrapa@gmail.com



    Somos uma equipe multidisciplinar de alunos da Universidade de Brasília (UnB) e formamos o primeiro time do Centro-Oeste a participar da competição internacional de biologia sintética, iGEM Design. A participação de alunos da América Latina, no entanto, ainda é muito inexpressiva, e a quantidade de equipes brasileiras é ainda menor.

    Apesar disso, de uma coisa nós sabemos: problemas que dependem de soluções inovadoras, o Brasil tem de sobra! É por isso que buscamos promover a Biologia Sintética como uma ferramenta para superar esses desafios. 

    Juntos, podemos acelerar o ecossistema científico na América Latina!

    E aí? Ficou interessado em apoiar jovens cientistas brasileiros para melhorar a qualidade de vida e o meio ambiente, além de tornar o Distrito Federal mais sustentável?

    Para mais informações nos acompanhe pelas redes sociais, curta, compartilhe, invista no projeto, e vamos nessa!!!





    E-mail: igem.unb.embrapa@gmail.com
    Instagram: @igem.unb.embrapa
    LinkedIn:https://www.linkedin.com/company/team-igem-unb-embrapa
    Twitter: @iGEMUnBEmbrapa

    Pix:  igem.unb.embrapa@gmail.com



    Fontes:

    https://www.metropoles.com/distrito-federal/meio-ambiente/chorume-de-aterro-sanitario-de-brasilia-vaza-e-atinge-corrego-melchior

    https://www.correiobraziliense.com.br/cidades-df/2020/12/4893239-guara-vicente-pires-e-outras-regioes-do-df-sofrem-apagao.html

    https://www.metropoles.com/distrito-federal/risco-de-vazamento-de-chorume-em-novo-aterro-ameaca-rio-melchior

    http://www.ibram.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/04/Parecer-T%C3%A9cnico-SEI-GDF-n.%C2%BA-93.2019-IBRAM.PRESI_.SULAM_.DILAM-III.pdf


    Estudantes da UnB desenvolvem projeto para transformar chorume em eletricidade

    Em: 29/05/2021 09:53

    Nossa reportagem no G1


    Você sabe pra onde vai todo o lixo do Distrito Federal?


      Grande parte dele era destinado ao antigo Lixão da Estrutural, que foi o segundo maior lixão a céu aberto do mundo por 60 anos e recebia cerca de mil toneladas de lixo por dia, o equivalente a 63 caminhões por mês. Em 2018, o Aterro Sanitário de Brasília (ASB) foi inaugurado e hoje é o destino de todos os rejeitos produzidos no DF - incluindo o do seu lar. A quantidade de rejeitos recebidos equivale a 150 caminhões de lixo por mês!



      Mas essa história não acaba por aí: o ASB, encontra-se em uma situação preocupante tanto no que diz respeito ao meio ambiente, quanto à saúde humana. O volume de chorume gerado pelos resíduos nele depositados ameaça contaminar seriamente os recursos hídricos da região, responsáveis por abastecer cerca de 500 mil pessoas!


      Direitos autorais: GABRIEL JABUR.



      Para prevenir um desastre ambiental iminente, e ao mesmo tempo gerar energia elétrica que poderá suprir diversas famílias no futuro, surge o GILLUZ, o nosso microrganismo pra lá de especial, que nós iremos modificar através da Biologia Sintética, com a ajuda de simulações computacionais e técnicas biotecnológicas, para que ele possa realizar a biorremediação do chorume e dos resíduos advindos do Aterro Sanitário de Brasília, transformando-os em eletricidade!


      A iGEM Design é uma competição internacional que estimula alunos de graduação e do ensino médio a desenvolverem soluções inovadoras para problemas de alto impacto através da biologia sintética. 

      Mas afinal, o que é Biologia Sintética?

      A biologia sintética é um campo da ciência que envolve o redesenho de organismos para fins úteis, projetando-os para terem novas habilidades.

      Além de contribuir com a educação de jovens cientistas brasileiros, você também se torna um agente para solucionar problemas reais aqui do Distrito Federal. A inscrição na competição custa US$1.500, e é para isso que precisamos da sua contribuição! Incluso no valor da campanha estão as aulas e os softwares necessários para a execução do nosso projeto. Com a sua ajuda, podemos nos tornar a primeira equipe do Centro-Oeste a entrar para essa competição incrível, originalmente idealizada pelo Massachussets Institute of Technology (MIT) e que agora é um dos maiores eventos de biologia sintética do mundo! 

      Nosso Pix da arrecadação é nosso emailigem.unb.embrapa@gmail.com



      Somos uma equipe multidisciplinar de alunos da Universidade de Brasília (UnB) e formamos o primeiro time do Centro-Oeste a participar da competição internacional de biologia sintética, iGEM Design. A participação de alunos da América Latina, no entanto, ainda é muito inexpressiva, e a quantidade de equipes brasileiras é ainda menor.

      Apesar disso, de uma coisa nós sabemos: problemas que dependem de soluções inovadoras, o Brasil tem de sobra! É por isso que buscamos promover a Biologia Sintética como uma ferramenta para superar esses desafios. 

      Juntos, podemos acelerar o ecossistema científico na América Latina!

      E aí? Ficou interessado em apoiar jovens cientistas brasileiros para melhorar a qualidade de vida e o meio ambiente, além de tornar o Distrito Federal mais sustentável?

      Para mais informações nos acompanhe pelas redes sociais, curta, compartilhe, invista no projeto, e vamos nessa!!!





      E-mail: igem.unb.embrapa@gmail.com
      Instagram: @igem.unb.embrapa
      LinkedIn:https://www.linkedin.com/company/team-igem-unb-embrapa
      Twitter: @iGEMUnBEmbrapa

      Pix:  igem.unb.embrapa@gmail.com



      Fontes:

      https://www.metropoles.com/distrito-federal/meio-ambiente/chorume-de-aterro-sanitario-de-brasilia-vaza-e-atinge-corrego-melchior

      https://www.correiobraziliense.com.br/cidades-df/2020/12/4893239-guara-vicente-pires-e-outras-regioes-do-df-sofrem-apagao.html

      https://www.metropoles.com/distrito-federal/risco-de-vazamento-de-chorume-em-novo-aterro-ameaca-rio-melchior

      http://www.ibram.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/04/Parecer-T%C3%A9cnico-SEI-GDF-n.%C2%BA-93.2019-IBRAM.PRESI_.SULAM_.DILAM-III.pdf


      Estudantes da UnB desenvolvem projeto para transformar chorume em eletricidade

      Em: 29/05/2021 09:53

      Nossa reportagem no G1