[RJ] Jovens Comunicadores contra o Covid |

[RJ] Jovens Comunicadores contra o Covid

Comunicação popular em favelas de Niterói e São Gonçalo para garantir informações seguras sobre direitos, saúde e prevenção ao Covid-19.

Projeto por: Associação Experimental de Mídia Comunitária -BEM TV
R$ 6.390,00
arrecadado
meta R$ 29.800,00

17
benfeitores

21%
arrecadado

20
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

Ajude-nos a bater nossa meta até 17/06/2020 - 23:59


POR

Associação Experimental de Mídia Comunitária -BEM TV

Associação Experimental de Mídia Comunitária -BEM TV
R$ 20
Apoiar essa campanha com R$ 20
3 benfeitores apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 50
Apoiar essa campanha com R$ 50
1 benfeitor apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 80
Apoiar essa campanha com R$ 80
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 100
Apoiar essa campanha com R$ 100
2 benfeitores apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 200
Apoiar essa campanha com R$ 200
1 benfeitor apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 300
Apoiar essa campanha com R$ 300
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 500
Apoiar essa campanha com R$ 500
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 1.000
Apoiar essa campanha com R$ 1000
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 3.000
Apoiar essa campanha com R$ 3000
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!

Não encontrou o que queria?

Outro valor

Ações de comunicação popular em favelas de Niterói para ampliar acesso as informações seguras sobre direitos, saúde e prevenção ao COVID-19, por meio de compartilhamento por redes sociais, alcançando mais de 7 mil pessoas simultaneamente. 75 jovens atuando em 3 comunidades de Niterói (Fonseca, Caramujo e Jardim Catarina) com maior densidade populacional e menor renda, envolvidos em processo formativo, objetivando capilarizar informações em saúde, em especial sobre o Coronavírus, formando jovens comunicadores para checagem e compartilhamento de informações em saúde.

Tendo em vista que grande parte dos jovens de camadas populares trabalha com aplicativos de delivery, como medida voltada para contribuição do afastamento social, os jovens comunicadores receberão uma bolsa-auxílio no valor de R$ 250,00 afiançando a segurança de renda e contribuindo diretamente para medidas preconizadas pelas autoridades sanitárias. 

A Bem TV surge como projeto em 1990 a partir do desejo de dois estudantes de jornalismo, de ter a comunicação a serviço da construção de uma sociedade solidária. A ideia começou com exibição de vídeos em espaços públicos de comunidades de baixa renda, mostrando audiovisuais produzidos em parceria com moradores dessas comunidades, visando à promoção da autoestima coletiva das comunidades, do sentimento de pertencimento, bem como ações de mobilização e educação popular. Os adolescentes e jovens eram sempre os primeiros a abraçar a proposta. Diante dessa demanda a instituição definiu como público prioritário de suas ações os adolescentes e jovens.

Com a Missão de apoiar e desenvolver ações positivas para garantir os direitos de adolescentes/jovens, bem como contribuir para que esse grupo vulnerável da sociedade possa exercer sua cidadania plena e usufruir todos os direitos fundamentais inerentes a pessoa humana, assegurando-lhes através dessas medidas o desenvolvimento físico, mental, moral e social para alcançar os ideais de liberdade, dignidade e inclusão em uma sociedade justa e solidária. Atuando por meio de ações educativas que usam a comunicação social como metodologia e ofertando formação para adolescentes/jovens nas áreas de vídeo, fotografia, e TICs a fim de socializar o conhecimento, desmistificar a mídia e oportunizar formação de jovens para o mundo do trabalho.

Essa iniciativa tem como foco áreas periféricas de Niterói e São Gonçalo:  Jardim Catarina, considerado o maior loteamento da América Latina devido ao grande número domicílios, com uma população de 73000 habitantes (Censo/2010) e baixa oferta de serviços públicos. Região Norte de Niterói, que concentra a menor oferta de serviços públicos e alto índice de violência incidindo na juventude negra.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Associação Experimental de Mídia Comunitária -BEM TV ainda não publicou nenhuma notícia.

Ações de comunicação popular em favelas de Niterói para ampliar acesso as informações seguras sobre direitos, saúde e prevenção ao COVID-19, por meio de compartilhamento por redes sociais, alcançando mais de 7 mil pessoas simultaneamente. 75 jovens atuando em 3 comunidades de Niterói (Fonseca, Caramujo e Jardim Catarina) com maior densidade populacional e menor renda, envolvidos em processo formativo, objetivando capilarizar informações em saúde, em especial sobre o Coronavírus, formando jovens comunicadores para checagem e compartilhamento de informações em saúde.

Tendo em vista que grande parte dos jovens de camadas populares trabalha com aplicativos de delivery, como medida voltada para contribuição do afastamento social, os jovens comunicadores receberão uma bolsa-auxílio no valor de R$ 250,00 afiançando a segurança de renda e contribuindo diretamente para medidas preconizadas pelas autoridades sanitárias. 

A Bem TV surge como projeto em 1990 a partir do desejo de dois estudantes de jornalismo, de ter a comunicação a serviço da construção de uma sociedade solidária. A ideia começou com exibição de vídeos em espaços públicos de comunidades de baixa renda, mostrando audiovisuais produzidos em parceria com moradores dessas comunidades, visando à promoção da autoestima coletiva das comunidades, do sentimento de pertencimento, bem como ações de mobilização e educação popular. Os adolescentes e jovens eram sempre os primeiros a abraçar a proposta. Diante dessa demanda a instituição definiu como público prioritário de suas ações os adolescentes e jovens.

Com a Missão de apoiar e desenvolver ações positivas para garantir os direitos de adolescentes/jovens, bem como contribuir para que esse grupo vulnerável da sociedade possa exercer sua cidadania plena e usufruir todos os direitos fundamentais inerentes a pessoa humana, assegurando-lhes através dessas medidas o desenvolvimento físico, mental, moral e social para alcançar os ideais de liberdade, dignidade e inclusão em uma sociedade justa e solidária. Atuando por meio de ações educativas que usam a comunicação social como metodologia e ofertando formação para adolescentes/jovens nas áreas de vídeo, fotografia, e TICs a fim de socializar o conhecimento, desmistificar a mídia e oportunizar formação de jovens para o mundo do trabalho.

Essa iniciativa tem como foco áreas periféricas de Niterói e São Gonçalo:  Jardim Catarina, considerado o maior loteamento da América Latina devido ao grande número domicílios, com uma população de 73000 habitantes (Censo/2010) e baixa oferta de serviços públicos. Região Norte de Niterói, que concentra a menor oferta de serviços públicos e alto índice de violência incidindo na juventude negra.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Associação Experimental de Mídia Comunitária -BEM TV ainda não publicou nenhuma notícia.