Junta no Moinho | Vamos Sonhar Juntos |

Junta no Moinho | Vamos Sonhar Juntos

A Junta Local agora tem um endereço: o Moinho Fluminense, na Gamboa. Venha com a gente fazer desse lugar um verdadeiro mercado local da cidade.

Projeto por: Thiago Gomide Nasser
R$ 58.270,00
arrecadado
meta R$ 100.000,00

163
benfeitores

58%
arrecadado

35
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

É tudo ou nada! Precisamos bater a meta até 28/08/2021 - 23:59

POR

Thiago Gomide Nasser

Thiago Gomide Nasser
R$ 30
Da Comuna ao Moinho: 7 anos de Junta
10 benfeitores apoiando
E-book que passa a limpo os 7 anos da Junta Local, a serem completos em agosto, com fotos de Samuel Antonini, cartazes de feiras e agradecimento a todos os benfeitores que se ajuntaram na campanha. Recompensa vem acompanhada de cupom de 10 reais para uso na Sacola da Junta.
R$ 50 + FRETE
Kit Fanzoca Local
7 benfeitores apoiando
Pendure, cole e mostre por aí sua apreciação pela Junta. Você receberá uma cartela de adesivo, um cartaz especial, um broche da Junta, mais o nosso e-book comemorativo.
R$ 90 + FRETE
Sacola de feira da Junta
38 benfeitores apoiando
Uma boa sacola de feira é essencial para quem é fã da Junta. Em parceria com a Piola desenvolvemos uma linda sacola, bonita e prática. Inclui o e-book comemorativo.
R$ 115 + FRETE
Bolsa térmica por Piola Bags
4 benfeitores apoiando
Um bela bolsa térmica feita pela Piola Bags. Grande, espaçosa e linda, capaz de garantir a alegria de sua geladeira ao sair de nossa feira.
R$ 120 + FRETE
Camiseta da Junta!
27 benfeitores apoiando
Vamos vestir a camiseta da Junta! Apoiadores poderão escolher entre dois modelos com a nossa nova identidade visual. Você escolherá entre P, M e G (infantil), ou P, M, G ou GG (adulto) e receberá também o Kit Fanzoca Local + e-book. Pós-campanha e-mail será enviado para que você escollha.
R$ 210 + FRETE
Sacola DE FEIRA + CAMISETA
32 benfeitores apoiando
Vamos vestir a camiseta da Junta! Apoiadores poderão escolher entre dois modelos com a nossa nova identidade visual. Você escolherá entre P, M e G (infantil), ou P, M, G ou GG (adulto), garanta a sacola de feira e receberá também o Kit Fanzoca Local + e-book. Pós-campanha e-mail será enviado para que você escollha.
R$ 380
Caixa Curada Local
20 benfeitores apoiando
A curadoria é destaque aqui na Junta, temos o poder de poder de identificar e compartilhar o melhor da produção local e fornecer experiências gastronômicas incríveis. Escolhendo a Caixa Curada você receberá em casa uma seleção de produtos inéditos de acordo com três propostas. 1) Harmonização, 2) Pique-nique, 3) Café da Manhã. A escolha será feita pós encerramento da campanha. E-book comemorativo incluído.
R$ 460
Kit Cerveja Fim de Feira
4 benfeitores apoiando
A Fim de Feira é a cerveja oficial da Junta e está de volta. Levinha e saborosa, perfeita para dar aquela descontraída ao final do expediente. Para o produtor e para o ajuntado. Receba 4 caixas com 6 latinhas de 269ml da nova versão da famosa cerveja Fim de Feira. Leve ainda: um abridor e growler para garantir acesso contínuo ao melhor da cerveja artesanal da cidade. E-book incluído.
R$ 480
Kit Vou à Feira
8 benfeitores apoiando
Essa recompensa é para quem quer passar o dia na feira sem abrir mão da sustentabilidade. Vamos continuar na nossa missão de zerar os resíduos da nossa feira e contamos com você! Receba: uma canga para piquenique, uma caneca esmaltada com a logo da Junta, uma bolsa térmica, uma marmita, a sacola da feira e um guardanapo de pano). E-book também.
R$ 520
Kit Junta em Casa
4 benfeitores apoiando
Quem curte a Junta compra na feira, faz a Sacola online e faz a festa em casa. Essa recompensa é para trazer a Junta para a sua casa, e especialmente a sua cozinha. Receba: uma caixa para colecionar receitas, um íma de geladeira, pano de prato com logo, pano de cera para guardar alimentos e o nosso avental. E-book incluído.
R$ 550
Kit Sou Feirante
2 benfeitores apoiando
Essa é especial para os produtores da Junta mas quem quiser pode escolher esta também! O kit Sou Feirante! inclui uma caixa de feira com a logo da Junta, uma pochete, um chapéu, um avental com bolso, e um caderno de anotações e uma caneta. E-book incluído.
R$ 900
Caixa Curada Vezes Três
5 benfeitores apoiando
Apoiadores receberão uma mini-assinatura de três meses da nossa caixa curada com uma seleção de produtos novos, combinações e criações especiais. Envio será feito mensalmente.
R$ 1.500
IMERSÃO NA SLOW
1 benfeitor apoiando
Dois dias na padaria da The Slow Bakery, vivendo a rotina das padeiras padeiros, sob a batuta de Rafa Brito Pereira, aprendendo a fazer pão junto com a equipe. Data: melhor agenda para ambos no período de 1 ano após o final da campanha.

3 disponíveis.
R$ 2.000
ANJO LOCAL # 1
4 benfeitores apoiando
OBRIGADO POR CHEGAR JUNTO! Seu nome estará no nosso coração e na nossa lona da gratidão. A lona ficará suspensa no nosso galpão no Moinho. Entraremos em contato para entregar camiseta, sacola, avental, chapéu, pochete e mais um dos kits, à sua escolha, exceto a caixa curada X 3.
R$ 3.000
ANJO LOCAL # 2
Seja o primeiro a apoiar!
OBRIGADO POR CHEGAR JUNTO! Seu nome estará no nosso coração e na nossa lona da gratidão. Ela ficará suspensa no nosso galpão no Moinho. Entraremos em contato para entregar camiseta, sacola, avental, chapéu, pochete e mais DOIS dos kits, à sua escolha, exceto a caixa curada X 3.
R$ 5.000
ANJO LOCAL # 3
2 benfeitores apoiando
OBRIGADO POR CHEGAR JUNTO! Seu nome estará no nosso coração e na nossa lona da gratidão. Ela ficará suspensa no nosso galpão no Moinho. Entraremos em contato para entregar camiseta, sacola, avental, chapéu, pochete e TODOS nossos kits.

Não encontrou o que queria?

Apoie com qualquer valor


JUNTA NO MOINHO | O Futuro Mercado Local do Rio 

Venha com a Junta Local ocupar o Moinho Fluminense. Queremos transformar esse lugar histórico num verdadeiro mercado local e assim ir mais longe na nossa missão de revolucionar o sistema alimentar local e tornar a nossa cidade melhor!


A ocupação da Junta começou em março de 2021 e para lá transferimos nossa operação e escritório. Mas temos espaço para sonhar com muito mais. Além de ser a nossa sede e ponto de encontro, queremos fazer do Moinho Fluminense um entreposto expandido para a Sacola da Junta (nossa plataforma online), um local para a realização das nossas feiras, e a base a partir da qual ampliaremos nossas ações sociais e de comunicação. Ou seja, vamos construir juntos um verdadeiro mercado local! 

Com esta campanha, você que nos apoia, poderá se ajuntar também. Vamos sonhar juntos?  


O futuro da comida e da cidade

A cidade está em transformação e a comida está no centro dela. O que comemos, de onde vem essa comida, como a compramos e onde a compramos têm impactos profundos. Da devastação das florestas por causa de pastagens às doenças crônicas causadas pela comida ultraprocessada, tudo tem conexão com o atual sistema alimentar: monoculturas, grandes corporações, fast food, praças de alimentação e supermercados anódinos. Pouca variedade, pouco sabor. A comida como mercadoria e não como direito, cultura, transformação. 

Com a pandemia vieram outras mudanças: êxodo urbano, fechamento de negócios, uso intenso de aplicativos de comida (e consequentemente o trabalho precarizado de entregadores), aprofundamento da desigualdade e o retorno da fome. 


Nesse momento de crise, ficou mais clara a importância do nosso pequeno porém resiliente sistema alimentar local, composto por pequenos agricultores, produtores artesanais e empreendedores. São estes que cuidam da terra e das tradições. São estes que inovam, que trazem comida boa à mesa e vida às ruas e bairros da cidade.

Ficou mais evidente também a necessidade deste sistema alimentar local estar preparado para o futuro. Navegar entre o online e o offline, aumentar a facilidade e conveniência, mas sem perder o propósito e a conexão real proporcionada pela relação direta e presencial. É preciso ser flexível e se adaptar a um futuro cada vez mais incerto, e isto não pode ser uma exclusividade dos grandes negócios.

É por isso que as cidades precisam integrar melhor campo, cidade, cozinha e comunidade apoiando negócios locais, com mais mercados, feiras e canais de relação direta.  O Pacto Milão da ONU coloca o sistema alimentar local como uma prioridade para as cidades. Não é só comida boa, é democracia. 
 
É nisso que a Junta Local acredita. É por isso que estamos sonhando o futuro mercado local da cidade. 

A Junta Local

A Junta Local nasceu em 2014 com a missão de aproximar quem come e quem faz . Ao longo dos últimos 6 anos realizamos feiras e desenvolvemos uma plataforma online de venda direta, a Sacola da Junta. Além disso, buscamos apoiar os produtores produzindo muito conteúdo para contar as suas histórias e identificar suas necessidades coletivas. Sempre buscamos a relação direta, o preço justo, a transparência e a união. Dessa união nasceu uma verdadeira comunidade de "ajuntados" que é como chamamos os mais de 150 produtores da Junta Local. Juntos desenvolvemos nossa Carta de Valores e Princípios e enfrentamos os muitos desafios de se mudar o sistema alimentar e ao mesmo tempo manter a sustentabilidade.   

Sacola da Junta

A Sacola da Junta é uma sistema online de relação direta com produtores. Por lá, o consumidor pode comprar diretamente dos produtores da nossa comunidade O sistema é feito sob medida para quem quer comer bem e para o produtor, pois as duas coisas andam juntas.  Para que todos possam comer bem é preciso que nossos canais de relação empoderem o produtor e tornem a comida mais acessível. Antes da pandemia fazíamos entregas em pontos de retirada. Com a pandemia fizemos a transição para um sistema de entregas em casa que veio para ficar. (ainda que possamos voltar a fazer entregas em pontos de retirada no futuro).  O desafio permanente é chegar em mais pessoas com comida boa, local e justa e superar os desafios de tecnologia, logística e organização. Queremos superá-los de forma colaborativa e criativa! 

 

Feiras

Quem é do Rio sabe que um dos melhores programas da cidade são as nossas feiras. Elas aconteciam em diferentes pontos da cidade (Botafogo, Tijuca, Gávea, Museu da República e por aí vai) sempre no mais alto astral.  Nelas era possível comprar direto dos produtores, ampliar seus horizontes gastronômicos e principalmente comer bem e se divertir. Acreditamos que as feiras são uma verdadeira rede social e uma forma muito positiva de se ocupar a cidade.  As feiras estão suspensas desde o início da pandemia. Esperamos em breve poder retomar o calendário, com a inclusão de feiras no Moinho Fluminense.

Comunidade

Mais de 150 produtores fazem parte da Junta Local. Isso significa participar da Sacola da Junta e das feiras, mas muito mais. Criamos em conjunto nossas próprias regras e discutimos os nossos desafios. Somos uma coisa só. 

Ações Sociais

A Junta Local sempre acreditou no potencial de transformação social da comida. Parte disso significa tomar ações concretas de apoio a quem precisa. Na pandemia iniciamos o projeto da Junta Solidária, em parceria com a Gastromotiva, de distribuição de quentinhas com cooperação do projeto de integração de refugiados, o Chega Junto. Também temos uma séria de outros planos que envolvem educação e soberania alimentar, sempre buscando integrar todo mundo que mora na região do Moinho Fluminense. Tudo começará com a nossa horta comunitária, a consolidação da cozinha da Junta Solidária e ações de integração com moradores.  

Comunicação e conteúdo

A Junta Local é pioneira na valorização dos pequenos produtores. Falar de comida não é apenas falar de chefs famosos e restaurantes chiques. É contar a histórias dos produtores, falar sobre o sistema alimentar e mostrar que a comida vai muito além. Basta dar uma olhada nas nossas redes sociais e na Revista da Junta 

 

Os mercados e a cidade 

Toda cidade tem seus mercados e feiras. Havia no Rio de Janeiro o Mercado Municipal da Praça XV que foi demolido para dar passagem à Perimetral. Com a transferência das funções do mercado para outros lugares da cidade, toda uma rede de conexões se desmanchou. Com a evolução do atual sistema alimentar, as grandes redes de varejo passaram a dominar. Já parou para pensar de onde vem a comida destes lugares? 
 
Em todas partes do mundo, cidades estão redescobrindo suas feiras ou reconstruindo seus mercados. Por que o mesmo não pode acontecer no Rio de Janeiro? 
 

 

O Moinho Fluminense

A Junta no Moinho é a realização de um antigo sonho. Desde o começo da Junta Local rodamos a cidade fazendo feiras, distribuindo nossas Sacolas de comida boa, local e justa e promovendo encontros entre nossa comunidade de produtores e a cidade. Mas sempre sentimos falta de um espaço nosso. Um espaço para cumprir de forma plena nossa missão de revolucionar o sistema alimentar local, conectar as pessoas, facilitar a vida dos nossos produtores, tornar nosso megafone mais alto e sonoro e estar mais perto desta cidade pela qual somos apaixonados.
 

Eis que surge o Moinho Fluminense, um complexo histórico encravado na Gamboa, na Zona Portuária do Rio de Janeiro. Por lá já passaram de fábricas têxteis e moinhos e silos de trigo. Este é o nosso endereço agora e queremos devolvê-lo para a cidade, com a nossa energia. 

Mas queremos ir muito mais longe. Queremos que o Moinho Fluminense seja a casa da nossa comunidade e parte do futuro da comida na cidade. Temos espaço, mas precisamos de estrutura para poder aumentar nossa capacidade de receber, armazenar e enviar produtos e oferecer mais serviços para os atuais e futuros membros da nossa comunidade. Queremos fazer feiras incríveis no espaço, com muito conteúdo e com nossas próprias barracas, trazendo mais informação, aproximação e e conforto para o público.

Queremos aprofundar nossa capacidade de educar, aprender e transformar, ampliando a Junta Solidária, e trabalhando para garantir a soberania alimentar de quem mora na região, através da nossa horta comunitária, equipando melhor as nossas cozinhas e integrando tudo isso a ações educativas. Queremos, por fim, produzir mais conteúdo para espalhar a nossa missão. 


Para isso precisamos de investimento e que toda a cidade venha junto.  

 

Metas da campanha



 

 

Descrição das metas

 

Meta 1: Nossa primeira meta é conseguir adquirir as estruturas que nos tornará um verdadeiro entreposto do nosso sistema alimentar local.  Com isso poderemos apoiar mais nossos produtores na distribuição, logística e venda, sem cair nas armadilhas do sistema alimentar tradicional, expandir a Sacola da Junta e contemplar novas formas de venda, como para restaurantes, escolas e empresas (B2B). Tudo isso requer estrutura. Começaremos pela cadeia fria, essencial para trabalhar com congelados e preservar o frescor de produtos de ponta a ponta. Os recursos serão destinados à compra de uma câmara fria, com resfriamento e congelamento, geladeiras expositoras e outros equipamentos para manter a temperatura lá em baixo e a satisfação de produtores e clientes lá em cima.   
 
Meta 2: Nossa segunda meta também tem como objetivo estruturar nosso entreposto. Para acomodar melhor os produtos e aumentar a capacidade de armazenamento, precisamos de mais prateleiras e materiais essenciais para a triagem (caixas, módulos de separação, etc). Ser um entreposto não significa apenas estocar, mas também embalar e oferecer uma série de outros serviços, que vão da fotografia como a intermediação financeira. Por isso, pretendemos adquirir materiais para um sistema de embalagens sustentável, adequado à logística reversa, e também equipamento de fotografia e informática, além de capital de giro para suprir lacunas entre pagamento e recebimento.  

Meta 3:  A terceira meta consiste na aquisição das nossas próprias barracas para a realização de feiras. Estamos desenvolvendo um protótipo junto com o escritório de arquitetura Grua. Mais do que uma barraca feita sob medida para os nossos produtores, bonita, desmontável e facilmente transportável, ela representa um passo adiante na nossa sustentabilidade, pois não teremos mais que arcar com custos semanais de aluguel de barraca. Assim o nosso modelo ficará ainda mais sustentável. 
   


Estudo de barraca: Grua

Meta 4:
Nossa terceira meta é aprofundar nossa capacidade de nos integrar ao entorno do Moinho através das nossas ações sociais, tendo como fio condutor a soberania alimentar, a integração através da educação e o aprofundamento das nossas ações com a Junta Solidária. O ponto de partida será a criação de uma horta comunitária na área externa. A horta não apenas produzirá insumos frescos e saudáveis, mas será um espaço de aprendizado voltado principalmente para crianças e jovens da região. Além disso, continuamos com a Junta Solidária em parceria com o Chega Junto. Para expandir nossa capacidade de produção de quentinhas solidária e de capacitação, precisamos de alguns equipamentos para melhorar nossa capacidade receber doações e aproveitar sobras que são geradas pelas feiras e Sacola da Junta. 

 
Meta 5: Para incrementar nossa capacidade audio-visual, pretendemos investir em equipamentos de gravação e emissão. Podcasts, webinars, vídeos, transmissões online. Para que o Moinho se transforme num verdadeiro ponto difusor de conhecimento sobre a comida precisamos ampliar o nosso som e visão. E, claro, não poderá falta boa música nas nossas feiras. 
  

Recompensas

Conheça um pouco das nossas recompensas! Aos poucos iremos anunciando novas, com muita colaboração da nossa comunidade!
 

 

Adesivos [Kit Fanzoca Local

 
Sacola de feira

 

 

Camiseta

 

 

 


 

Latinhas de Fim de Feira e Growler [Kit Cerveja Fim de Feira]


Guardanapo e Sacola Térmica [Kit Vou à Feira]

 


Chapéu e Pochete [Kit Sou Feirante]

 

Avental [Kit Sou Feirante e Junta em Casa]

 

Caixa curada:


 

 

 

 

 

 

Fiquem atentos! Ao longo da campanha teremos muitas outras recompensas oferecidas pela nossa comunidade!

 

 


Vamos sonhar juntos?

 

 

 

 

Thiago Gomide Nasser ainda não publicou nenhuma notícia.


JUNTA NO MOINHO | O Futuro Mercado Local do Rio 

Venha com a Junta Local ocupar o Moinho Fluminense. Queremos transformar esse lugar histórico num verdadeiro mercado local e assim ir mais longe na nossa missão de revolucionar o sistema alimentar local e tornar a nossa cidade melhor!


A ocupação da Junta começou em março de 2021 e para lá transferimos nossa operação e escritório. Mas temos espaço para sonhar com muito mais. Além de ser a nossa sede e ponto de encontro, queremos fazer do Moinho Fluminense um entreposto expandido para a Sacola da Junta (nossa plataforma online), um local para a realização das nossas feiras, e a base a partir da qual ampliaremos nossas ações sociais e de comunicação. Ou seja, vamos construir juntos um verdadeiro mercado local! 

Com esta campanha, você que nos apoia, poderá se ajuntar também. Vamos sonhar juntos?  


O futuro da comida e da cidade

A cidade está em transformação e a comida está no centro dela. O que comemos, de onde vem essa comida, como a compramos e onde a compramos têm impactos profundos. Da devastação das florestas por causa de pastagens às doenças crônicas causadas pela comida ultraprocessada, tudo tem conexão com o atual sistema alimentar: monoculturas, grandes corporações, fast food, praças de alimentação e supermercados anódinos. Pouca variedade, pouco sabor. A comida como mercadoria e não como direito, cultura, transformação. 

Com a pandemia vieram outras mudanças: êxodo urbano, fechamento de negócios, uso intenso de aplicativos de comida (e consequentemente o trabalho precarizado de entregadores), aprofundamento da desigualdade e o retorno da fome. 


Nesse momento de crise, ficou mais clara a importância do nosso pequeno porém resiliente sistema alimentar local, composto por pequenos agricultores, produtores artesanais e empreendedores. São estes que cuidam da terra e das tradições. São estes que inovam, que trazem comida boa à mesa e vida às ruas e bairros da cidade.

Ficou mais evidente também a necessidade deste sistema alimentar local estar preparado para o futuro. Navegar entre o online e o offline, aumentar a facilidade e conveniência, mas sem perder o propósito e a conexão real proporcionada pela relação direta e presencial. É preciso ser flexível e se adaptar a um futuro cada vez mais incerto, e isto não pode ser uma exclusividade dos grandes negócios.

É por isso que as cidades precisam integrar melhor campo, cidade, cozinha e comunidade apoiando negócios locais, com mais mercados, feiras e canais de relação direta.  O Pacto Milão da ONU coloca o sistema alimentar local como uma prioridade para as cidades. Não é só comida boa, é democracia. 
 
É nisso que a Junta Local acredita. É por isso que estamos sonhando o futuro mercado local da cidade. 

A Junta Local

A Junta Local nasceu em 2014 com a missão de aproximar quem come e quem faz . Ao longo dos últimos 6 anos realizamos feiras e desenvolvemos uma plataforma online de venda direta, a Sacola da Junta. Além disso, buscamos apoiar os produtores produzindo muito conteúdo para contar as suas histórias e identificar suas necessidades coletivas. Sempre buscamos a relação direta, o preço justo, a transparência e a união. Dessa união nasceu uma verdadeira comunidade de "ajuntados" que é como chamamos os mais de 150 produtores da Junta Local. Juntos desenvolvemos nossa Carta de Valores e Princípios e enfrentamos os muitos desafios de se mudar o sistema alimentar e ao mesmo tempo manter a sustentabilidade.   

Sacola da Junta

A Sacola da Junta é uma sistema online de relação direta com produtores. Por lá, o consumidor pode comprar diretamente dos produtores da nossa comunidade O sistema é feito sob medida para quem quer comer bem e para o produtor, pois as duas coisas andam juntas.  Para que todos possam comer bem é preciso que nossos canais de relação empoderem o produtor e tornem a comida mais acessível. Antes da pandemia fazíamos entregas em pontos de retirada. Com a pandemia fizemos a transição para um sistema de entregas em casa que veio para ficar. (ainda que possamos voltar a fazer entregas em pontos de retirada no futuro).  O desafio permanente é chegar em mais pessoas com comida boa, local e justa e superar os desafios de tecnologia, logística e organização. Queremos superá-los de forma colaborativa e criativa! 

 

Feiras

Quem é do Rio sabe que um dos melhores programas da cidade são as nossas feiras. Elas aconteciam em diferentes pontos da cidade (Botafogo, Tijuca, Gávea, Museu da República e por aí vai) sempre no mais alto astral.  Nelas era possível comprar direto dos produtores, ampliar seus horizontes gastronômicos e principalmente comer bem e se divertir. Acreditamos que as feiras são uma verdadeira rede social e uma forma muito positiva de se ocupar a cidade.  As feiras estão suspensas desde o início da pandemia. Esperamos em breve poder retomar o calendário, com a inclusão de feiras no Moinho Fluminense.

Comunidade

Mais de 150 produtores fazem parte da Junta Local. Isso significa participar da Sacola da Junta e das feiras, mas muito mais. Criamos em conjunto nossas próprias regras e discutimos os nossos desafios. Somos uma coisa só. 

Ações Sociais

A Junta Local sempre acreditou no potencial de transformação social da comida. Parte disso significa tomar ações concretas de apoio a quem precisa. Na pandemia iniciamos o projeto da Junta Solidária, em parceria com a Gastromotiva, de distribuição de quentinhas com cooperação do projeto de integração de refugiados, o Chega Junto. Também temos uma séria de outros planos que envolvem educação e soberania alimentar, sempre buscando integrar todo mundo que mora na região do Moinho Fluminense. Tudo começará com a nossa horta comunitária, a consolidação da cozinha da Junta Solidária e ações de integração com moradores.  

Comunicação e conteúdo

A Junta Local é pioneira na valorização dos pequenos produtores. Falar de comida não é apenas falar de chefs famosos e restaurantes chiques. É contar a histórias dos produtores, falar sobre o sistema alimentar e mostrar que a comida vai muito além. Basta dar uma olhada nas nossas redes sociais e na Revista da Junta 

 

Os mercados e a cidade 

Toda cidade tem seus mercados e feiras. Havia no Rio de Janeiro o Mercado Municipal da Praça XV que foi demolido para dar passagem à Perimetral. Com a transferência das funções do mercado para outros lugares da cidade, toda uma rede de conexões se desmanchou. Com a evolução do atual sistema alimentar, as grandes redes de varejo passaram a dominar. Já parou para pensar de onde vem a comida destes lugares? 
 
Em todas partes do mundo, cidades estão redescobrindo suas feiras ou reconstruindo seus mercados. Por que o mesmo não pode acontecer no Rio de Janeiro? 
 

 

O Moinho Fluminense

A Junta no Moinho é a realização de um antigo sonho. Desde o começo da Junta Local rodamos a cidade fazendo feiras, distribuindo nossas Sacolas de comida boa, local e justa e promovendo encontros entre nossa comunidade de produtores e a cidade. Mas sempre sentimos falta de um espaço nosso. Um espaço para cumprir de forma plena nossa missão de revolucionar o sistema alimentar local, conectar as pessoas, facilitar a vida dos nossos produtores, tornar nosso megafone mais alto e sonoro e estar mais perto desta cidade pela qual somos apaixonados.
 

Eis que surge o Moinho Fluminense, um complexo histórico encravado na Gamboa, na Zona Portuária do Rio de Janeiro. Por lá já passaram de fábricas têxteis e moinhos e silos de trigo. Este é o nosso endereço agora e queremos devolvê-lo para a cidade, com a nossa energia. 

Mas queremos ir muito mais longe. Queremos que o Moinho Fluminense seja a casa da nossa comunidade e parte do futuro da comida na cidade. Temos espaço, mas precisamos de estrutura para poder aumentar nossa capacidade de receber, armazenar e enviar produtos e oferecer mais serviços para os atuais e futuros membros da nossa comunidade. Queremos fazer feiras incríveis no espaço, com muito conteúdo e com nossas próprias barracas, trazendo mais informação, aproximação e e conforto para o público.

Queremos aprofundar nossa capacidade de educar, aprender e transformar, ampliando a Junta Solidária, e trabalhando para garantir a soberania alimentar de quem mora na região, através da nossa horta comunitária, equipando melhor as nossas cozinhas e integrando tudo isso a ações educativas. Queremos, por fim, produzir mais conteúdo para espalhar a nossa missão. 


Para isso precisamos de investimento e que toda a cidade venha junto.  

 

Metas da campanha



 

 

Descrição das metas

 

Meta 1: Nossa primeira meta é conseguir adquirir as estruturas que nos tornará um verdadeiro entreposto do nosso sistema alimentar local.  Com isso poderemos apoiar mais nossos produtores na distribuição, logística e venda, sem cair nas armadilhas do sistema alimentar tradicional, expandir a Sacola da Junta e contemplar novas formas de venda, como para restaurantes, escolas e empresas (B2B). Tudo isso requer estrutura. Começaremos pela cadeia fria, essencial para trabalhar com congelados e preservar o frescor de produtos de ponta a ponta. Os recursos serão destinados à compra de uma câmara fria, com resfriamento e congelamento, geladeiras expositoras e outros equipamentos para manter a temperatura lá em baixo e a satisfação de produtores e clientes lá em cima.   
 
Meta 2: Nossa segunda meta também tem como objetivo estruturar nosso entreposto. Para acomodar melhor os produtos e aumentar a capacidade de armazenamento, precisamos de mais prateleiras e materiais essenciais para a triagem (caixas, módulos de separação, etc). Ser um entreposto não significa apenas estocar, mas também embalar e oferecer uma série de outros serviços, que vão da fotografia como a intermediação financeira. Por isso, pretendemos adquirir materiais para um sistema de embalagens sustentável, adequado à logística reversa, e também equipamento de fotografia e informática, além de capital de giro para suprir lacunas entre pagamento e recebimento.  

Meta 3:  A terceira meta consiste na aquisição das nossas próprias barracas para a realização de feiras. Estamos desenvolvendo um protótipo junto com o escritório de arquitetura Grua. Mais do que uma barraca feita sob medida para os nossos produtores, bonita, desmontável e facilmente transportável, ela representa um passo adiante na nossa sustentabilidade, pois não teremos mais que arcar com custos semanais de aluguel de barraca. Assim o nosso modelo ficará ainda mais sustentável. 
   


Estudo de barraca: Grua

Meta 4:
Nossa terceira meta é aprofundar nossa capacidade de nos integrar ao entorno do Moinho através das nossas ações sociais, tendo como fio condutor a soberania alimentar, a integração através da educação e o aprofundamento das nossas ações com a Junta Solidária. O ponto de partida será a criação de uma horta comunitária na área externa. A horta não apenas produzirá insumos frescos e saudáveis, mas será um espaço de aprendizado voltado principalmente para crianças e jovens da região. Além disso, continuamos com a Junta Solidária em parceria com o Chega Junto. Para expandir nossa capacidade de produção de quentinhas solidária e de capacitação, precisamos de alguns equipamentos para melhorar nossa capacidade receber doações e aproveitar sobras que são geradas pelas feiras e Sacola da Junta. 

 
Meta 5: Para incrementar nossa capacidade audio-visual, pretendemos investir em equipamentos de gravação e emissão. Podcasts, webinars, vídeos, transmissões online. Para que o Moinho se transforme num verdadeiro ponto difusor de conhecimento sobre a comida precisamos ampliar o nosso som e visão. E, claro, não poderá falta boa música nas nossas feiras. 
  

Recompensas

Conheça um pouco das nossas recompensas! Aos poucos iremos anunciando novas, com muita colaboração da nossa comunidade!
 

 

Adesivos [Kit Fanzoca Local

 
Sacola de feira

 

 

Camiseta

 

 

 


 

Latinhas de Fim de Feira e Growler [Kit Cerveja Fim de Feira]


Guardanapo e Sacola Térmica [Kit Vou à Feira]

 


Chapéu e Pochete [Kit Sou Feirante]

 

Avental [Kit Sou Feirante e Junta em Casa]

 

Caixa curada:


 

 

 

 

 

 

Fiquem atentos! Ao longo da campanha teremos muitas outras recompensas oferecidas pela nossa comunidade!

 

 


Vamos sonhar juntos?

 

 

 

 

Thiago Gomide Nasser ainda não publicou nenhuma notícia.