Produção de Máscaras na Brasilândia - SP |

Produção de Máscaras na Brasilândia - SP

Colabore para produção de mais 10000 (dez mil) máscaras para as periferias de São Paulo, que são as regiões mais atingidas pela COVID-19.

Projeto por: MAYARA AMARAL DOS SANTOS
R$ 480,00
arrecadado
meta R$ 30.000,00

6 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

MAYARA AMARAL DOS SANTOS

MAYARA AMARAL DOS SANTOS

Pretendemos continuar a produção de máscaras de tecido (tricoline/algodão), que já estamos fazendo aqui na região da Brasilândia, com costureiras que iniciaram esse projeto voluntariamente, e pagar os serviços de todos os trabalhadores envolvidos no projeto. Pois nós fomos impactados pela crise financeira, e assim além de realizar nosso projeto de doações, ainda estaríamos fazendo a economia local girar.


Nós estamos produzindo 20000 (vinte mil) máscaras para os Coletivos Culturais e Instituições Sociais, além de convênios com Escolas Públicas e UBS que estão realizando doações de cestas básicas na região da Brasilândia. Pretendemos continuar com nosso projeto e produzir mais 20000 (vinte mil) máscaras em benefício da população periférica que precisa utilizar máscaras e muitas vezes não tem dinheiro para adquirir, ou mesmo as máscaras que são produzidas são para área da saúde e estão em falta. As doações de máscaras têm como intuito proteger as regiões mais afetadas e mais carentes.


Nós também entregaremos mais 10000 (dez mil) folhetos impressos, sobre a importância de manter a higiene, e sobre educação em Direitos Humanos e saúde emocional. Este conteúdo é fruto do repositório do Projeto Observatório de Direitos Humanos do NEV - USP.


Além disso, estamos criando na plataforma de nosso site https://ajudemascaras.wixsite.com/coletivos um mapeamento de coletivos e instituições com suas principais necessidades para atender as famílias mais atingidas pela crise econômica e pela pandemia do coronavírus. 


A PERIFERIA 

Nosso principal objetivo é a região Norte, a periferia da Brasilândia em São Paulo, que é a área mais atingida de São Paulo pelo COVID-19. Começamos a costurar máscaras antes de saber que seria a região mais atingida, pois sabemos que nós como sujeitos periféricos, estamos sendo sempre mais atingidos por todos os acontecimentos sociais e não iria ser diferente na pandemia. Nós estamos lutando como podemos, mas muitos precisam sair para conseguir o pão de cada dia, e as máscaras podem ser uma das únicas formas de proteção para essas pessoas que não podem trabalhar como home-office, e acabam trazendo o vírus para suas casas, para seus mais velhos, e gerando mais mortes na região.

O Coronavírus impactou principalmente a questão financeira da região, pois a maioria das pessoas são trabalhadores informais, e não tem como gerar sustento. Os benefícios do governo não saem, e nós como coletivos com atuação social saímos em busca de doações para essas famílias atingidas duramente a pandemia, não só pela doença, mas também pela fome. Muitas pessoas, principalmente nossos mais velhos, ficam depressivos por terem que ficar em casa. Há pessoas sozinhas em casa, são diversas realidades, em um contexto cruel.


A ORGANIZAÇÃO

Somos o Projeto Produção de Máscaras na Brasilândia, este projeto nasceu a partir da ideia de costureiras da região de produzir máscaras para doar na Brasilândia. Estamos atualmente com um time de costureiras que não para de crescer, e trocando ajudas e apoio entre organizações locais, doamos máscaras, mapeamos as necessidades dos coletivos, recebemos apoio de universidades, estamos todos lutando pelo restabelecimento econômico e sanitário da nossa região.

MAYARA AMARAL DOS SANTOS ainda não publicou nenhuma notícia.

Pretendemos continuar a produção de máscaras de tecido (tricoline/algodão), que já estamos fazendo aqui na região da Brasilândia, com costureiras que iniciaram esse projeto voluntariamente, e pagar os serviços de todos os trabalhadores envolvidos no projeto. Pois nós fomos impactados pela crise financeira, e assim além de realizar nosso projeto de doações, ainda estaríamos fazendo a economia local girar.


Nós estamos produzindo 20000 (vinte mil) máscaras para os Coletivos Culturais e Instituições Sociais, além de convênios com Escolas Públicas e UBS que estão realizando doações de cestas básicas na região da Brasilândia. Pretendemos continuar com nosso projeto e produzir mais 20000 (vinte mil) máscaras em benefício da população periférica que precisa utilizar máscaras e muitas vezes não tem dinheiro para adquirir, ou mesmo as máscaras que são produzidas são para área da saúde e estão em falta. As doações de máscaras têm como intuito proteger as regiões mais afetadas e mais carentes.


Nós também entregaremos mais 10000 (dez mil) folhetos impressos, sobre a importância de manter a higiene, e sobre educação em Direitos Humanos e saúde emocional. Este conteúdo é fruto do repositório do Projeto Observatório de Direitos Humanos do NEV - USP.


Além disso, estamos criando na plataforma de nosso site https://ajudemascaras.wixsite.com/coletivos um mapeamento de coletivos e instituições com suas principais necessidades para atender as famílias mais atingidas pela crise econômica e pela pandemia do coronavírus. 


A PERIFERIA 

Nosso principal objetivo é a região Norte, a periferia da Brasilândia em São Paulo, que é a área mais atingida de São Paulo pelo COVID-19. Começamos a costurar máscaras antes de saber que seria a região mais atingida, pois sabemos que nós como sujeitos periféricos, estamos sendo sempre mais atingidos por todos os acontecimentos sociais e não iria ser diferente na pandemia. Nós estamos lutando como podemos, mas muitos precisam sair para conseguir o pão de cada dia, e as máscaras podem ser uma das únicas formas de proteção para essas pessoas que não podem trabalhar como home-office, e acabam trazendo o vírus para suas casas, para seus mais velhos, e gerando mais mortes na região.

O Coronavírus impactou principalmente a questão financeira da região, pois a maioria das pessoas são trabalhadores informais, e não tem como gerar sustento. Os benefícios do governo não saem, e nós como coletivos com atuação social saímos em busca de doações para essas famílias atingidas duramente a pandemia, não só pela doença, mas também pela fome. Muitas pessoas, principalmente nossos mais velhos, ficam depressivos por terem que ficar em casa. Há pessoas sozinhas em casa, são diversas realidades, em um contexto cruel.


A ORGANIZAÇÃO

Somos o Projeto Produção de Máscaras na Brasilândia, este projeto nasceu a partir da ideia de costureiras da região de produzir máscaras para doar na Brasilândia. Estamos atualmente com um time de costureiras que não para de crescer, e trocando ajudas e apoio entre organizações locais, doamos máscaras, mapeamos as necessidades dos coletivos, recebemos apoio de universidades, estamos todos lutando pelo restabelecimento econômico e sanitário da nossa região.

MAYARA AMARAL DOS SANTOS ainda não publicou nenhuma notícia.