No Mundo do Maxakalisaurus |

No Mundo do Maxakalisaurus

O objetivo é a reabertura da sala do Maxakalisaurus (o nosso Dinoprata) no Museu Nacional, que foi o primeiro dinossauro de grande porte a ser montado no Brasil

Projeto por: Associação Amigos do Museu Nacional
R$ 35.700,00
arrecadado
meta R$ 50.000,00

220
benfeitores

71%
arrecadado

10
dias restantes

A primeira meta foi batida! O projeto será realizado, mas a arrecadação continua até 04/06/2018 - 23:59

POR

Associação Amigos do Museu Nacional

Associação Amigos do Museu Nacional

R$ 20
Santanaraptor
33 benfeitores apoiando
Arte digital + nome no Facebook ! Uma arte digital do renomado paleoartista Maurílio Oliveira. Seu nome ficará na nossa página do Facebook (em ordem alfabética) em lugar de destaque junto com os outros apoiadores. O Santanaraptor placidus é um dinossauro carnívoro que viveu no nordeste, mais especificamente na Bacia do Araripe, que fica entre os estados do Ceará, Pernambuco e Piauí. Com menos de 2 metros de tamanho, o esqueleto desse animal foi encontrado com restos de músculos e vasos sanguíneos fossilizados, uma raridade a nível mundial. As rochas onde foi encontrado possuem 110 milhões de anos.
R$ 50
Staurikosaurus
65 benfeitores apoiando
Arte digital, nome no Facebook, lápis e um dente do Maxakalisaurus! Arte digital do renomado paleoartista Maurílio Oliveira, nome no Facebook, lápis e uma réplica de um dente do Maxakalisaurus. O Staurikosaurus pricei também é uma forma carnívora e retrata um dos dinossauros mais antigos conhecidos até o momento. Foi encontrado em rochas formadas há aproximadamente 220 milhões de anos no Estado do Rio Grande do Sul.
R$ 100
Pycnonemosaurus
80 benfeitores apoiando
Arte digital, nome no Facebook, lápis, réplica do dente de Maxakalisaurus e camiseta! Tendo sido por muito tempo o maior predador brasileiro, o Pycnonemosaurus nevesi foi encontrado em rochas formadas há aproximadamente 80 milhões de anos na região do Mato Grosso. Esse dinossauro está proximamente relacionado a formas encontradas na Argentina e na África.
R$ 300
Unaysaurus
11 benfeitores apoiando
Arte digital, nome no Facebook, lápis, réplica do dente de Maxakalisaurus e caneca! Seus cafés e chás vão ganhar um charme especial com esta caneca que marca os 200 Anos do Museu Nacional, além disso a sensação de estar ajudando muitos a ter acesso ao acervo deste que é o primeiro museu brasileiro, a mais antiga instituição de pesquisa brasileira. O Unaysaurus tolentinou também foi encontrado em rochas do Rio Grande do Sul, desta vez, formadas há aproximadamente 215 milhões de anos. Trata-se de uma forma herbívora e, por vezes, omnívora, que vivia quando todos os continentes estavam juntos, no supercontinente Pangeia.
R$ 500
Angaturama
9 benfeitores apoiando
Arte digital, nome no Facebook, lápis, réplica do dente de Maxakalisaurus, camiseta e caneca! Que bacana você participar da reabertura desta sala tão especial conosco! O Museu Nacional é a mais antiga instituição do gênero do Brasil e tem um acervo de cerca de 20 milhões de peças. O Angaturama limai é um dinossauro que também vivia no nordeste do Brasil há 110 milhões de anos. Essa espécie chegava a ter 5 metros de comprimento e tinha um focinho bem alongado. Pertence ao grupo dos espinossauros, que são formas que se alimentavam de peixes, passando grande parte do seu tempo dentro da água.
R$ 1.000
Gondwanatitan
1 benfeitor apoiando
Arte digital,nome no Facebook, lápis, réplica do dente de Maxakalisaurus,miniatura do Maxakalisaurus! Superagradecidos por este apoio peso-pesado! O Gondwanatitan faustoi é um dinossauro herbívoro do grupo dos titanossauros que eram formas com crânio pequeno, pescoço e cauda compridos e corpo bastante grande. Essa espécie foi encontrada na região de Presidente Prudente em camadas formadas há aproximadamente 80 milhões de anos.

9 disponíveis.
R$ 2.000
Oxalaia
4 benfeitores apoiando
Arte digital, nome no Facebook, lápis, réplica do dente de Maxakalisaurus, totem do Maxakalisaurus! Oxalá você inspire muitos a nos ajudar a apresentar esses grandes conteúdos para o público, sua contribuição é extraordinária!!! O Oxalaia quilombensis é o maior predador que já existiu no Brasil. Com um comprimento estimado em 14 metros, essa espécie também pertence ao grupo dos espinossauros e, desta forma, se alimentava de peixes. Os seus restos foram encontrados em depósitos da Ilha do Cajual, no Estado do Maranhão, em rochas de aproximadamente 95 milhões de anos.O nome específico quilombensis refere-se aos assentamentos de quilombos da Ilha do Cajual.

01 disponível.
R$ 5.000
Empresa Maxakalisaurus
Seja o primeiro a apoiar!
Logomarca no banner da sala e divulgação do nome da empresa na divulgação da reabertura. Seja nosso parceiro da pesada! Sua contribuição é robusta! A marca da empresa terá destaque gigantesco associada ao Maxakalisaurus.
R$ 5.000
Maxakalisaurus
1 benfeitor apoiando
Arte digital, nome no Facebook, lápis, réplica do dente de Maxakalisaurus, pintura original! Temos que começar pela maior recompensa, o original de autoria do renomado paleoartista Maurílio Oliveira, certamente um destaque na sua casa assim como o nosso Maxakalisaurus topai, estrela da companhia! Carinhosamente apelidado de Dinoprata, foi encontrado em Minas Gerais, no município de Prata, em rochas formadas há aproximadamente 80 milhões de anos. Era, como todos os titanossauros, herbívoro e o primeiro de grande porte a ser montado no país.

2 disponíveis.

No final de 2017, um ataque de cupins destruiu a base onde estava montado o Maxakalisaurus topai. A montagem do esqueleto completo da espécie nas exposições permanentes do Museu Nacional/UFRJ foi vista por um milhão de pessoas. A sala incluía uma detalhada pesquisa relacionada ao paleoambiente onde este animal vivia.

A reabertura da sala atingirá de forma direta, milhares de indivíduos, particularmente alunos das escolas públicas que visitam o museu de forma regular, estimulando novas vocações.Resolvemos abrir a sala para as comemorações dos 200 Anos do Museu Nacional em junho com esta campanha de financiamento coletivo aqui com a Benfeitoria.Temos quatro metas diferentes a serem alcançadas.

A campanha

A primeira, ou tudo ou nada permitirá reconstruir a nova base para o nosso Maxakalisaurus. Se alcançarmos a segunda meta, será possível fazer a iluminação e os suportes para um monte de fósseis. A terceira meta garantirá, além da base e da iluminação, a interatividade de um voo do pterossauro. Agora, se atingirmos a meta final, ai sim, podermos colocar uma TV de "65" polegadas rodando animações e filmes para aumentar essa incrível experiência. Todo mundo que contribuir terá seu nome registrado no nosso Facebook e receberá recompensas caprichadas que devem ser retiradas no Museu Nacional mediante agendamento esclarecendo que isso não significa ingresso no Museu (021-39381000). 

Uma honra poder contar com a arte e expertise do paleoartista, premiado internacionalmente, Maurilio Oliveira que assina a arte digital, esculturas e original das nossas recompensas.

 

Agradecemos à Benfeitoria e a Capim Filmes pelo superapoio que recebemos, #vlw!!!

 

Associação Amigos do Museu Nacional ainda não publicou nenhuma notícia.

No final de 2017, um ataque de cupins destruiu a base onde estava montado o Maxakalisaurus topai. A montagem do esqueleto completo da espécie nas exposições permanentes do Museu Nacional/UFRJ foi vista por um milhão de pessoas. A sala incluía uma detalhada pesquisa relacionada ao paleoambiente onde este animal vivia.

A reabertura da sala atingirá de forma direta, milhares de indivíduos, particularmente alunos das escolas públicas que visitam o museu de forma regular, estimulando novas vocações.Resolvemos abrir a sala para as comemorações dos 200 Anos do Museu Nacional em junho com esta campanha de financiamento coletivo aqui com a Benfeitoria.Temos quatro metas diferentes a serem alcançadas.

A campanha

A primeira, ou tudo ou nada permitirá reconstruir a nova base para o nosso Maxakalisaurus. Se alcançarmos a segunda meta, será possível fazer a iluminação e os suportes para um monte de fósseis. A terceira meta garantirá, além da base e da iluminação, a interatividade de um voo do pterossauro. Agora, se atingirmos a meta final, ai sim, podermos colocar uma TV de "65" polegadas rodando animações e filmes para aumentar essa incrível experiência. Todo mundo que contribuir terá seu nome registrado no nosso Facebook e receberá recompensas caprichadas que devem ser retiradas no Museu Nacional mediante agendamento esclarecendo que isso não significa ingresso no Museu (021-39381000). 

Uma honra poder contar com a arte e expertise do paleoartista, premiado internacionalmente, Maurilio Oliveira que assina a arte digital, esculturas e original das nossas recompensas.

 

Agradecemos à Benfeitoria e a Capim Filmes pelo superapoio que recebemos, #vlw!!!

 

Associação Amigos do Museu Nacional ainda não publicou nenhuma notícia.