Memórias Indígenas |

Memórias Indígenas

Nosso objetivo é resgatar as histórias e os significados das imagens presentes na Coleção Jesco Puttkamer com a colaboração das etnias Yudjá e Waurá.

Projeto por: Sociedade Goiana de Cultura
R$ 44.802,00
arrecadado
meta R$ 113.000,00

66
benfeitores

39%
arrecadado

29
horas restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

É tudo ou nada! Precisamos bater a meta até 20/02/2020 - 23:59


POR

Sociedade Goiana de Cultura

Sociedade Goiana de Cultura
R$ 20
Cota Waurá
8 benfeitores apoiando
Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento.
R$ 40
Cota Yudjá
8 benfeitores apoiando
Certificado digital de apoio ao projeto+ Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá.
R$ 75
Cota Wanaki
13 benfeitores apoiando
Bandana com grafismo Yudjá e Waurá + Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá + Certificado digital de apoio ao projeto + Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento.
R$ 100
Cota Kamadu
24 benfeitores apoiando
Ecobag com grafismo Yudjá e Waurá + Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá + Certificado digital de apoio ao projeto + Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento.
R$ 200
Cota Bubula
9 benfeitores apoiando
Camiseta com grafismo Yudjá e Waurá + Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá + Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento + Certificado digital de apoio ao projeto.
R$ 500
Cota Curumim
2 benfeitores apoiando
Camiseta e ecobag com grafismos yudjá e Waurá + Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá + Certificado digital de apoio + Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento.
R$ 1.000
Cota Awotoba
3 benfeitores apoiando
Camiseta e Ecobag com grafismo Yudjá e Waurá + Maracá xinguano + Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá + Certificado digital de apoio + Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento.
R$ 3.000
Cota Kuarup
Seja o primeiro a apoiar!
Crédito no vídeo documentário elaborado como produto final do projeto e cópia em DVD + Conjunto de artefatos em cerâmica Waurá + Maracá xinguano + Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá + Certificado digital de apoio + Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento.
R$ 5.000
Cota Xingu
1 benfeitor apoiando
Vivência guiada em uma reprodução de aldeia indígena no Memorial do Cerrado, com a presença dos indígenas interlocutores do projeto, degustação de culinária étnica ao som de músicas indígenas (não inclui traslado) + Colar de caramujo confeccionado pelas etnias do Parque Indígena do Xingu + Cinco marca páginas com grafismo Yudjá e Waurá + Crédito no livro “Memória das Imagens” (digital e impresso) como produto final do projeto + Certificado digital de apoio + Nome mencionado nas mídias sociais do projeto em um post de agradecimento.

Não encontrou o que queria?

Apoie com qualquer valor

A Coleção Audiovisual Jesco Puttkamer da PUC Goiás é considerada uma das maiores coleções audiovisuais sobre a história e as culturas dos Povos Indígenas no Brasil. São imagens e sons de 62 grupos sul-americanos coletados em quatro décadas de pesquisa.

Dada a riqueza e a diversidade de aspectos da vida cultural dos povos indígenas nessa coleção, precisamos da ajuda de representantes desses povos para identificar as histórias e os significados presentes nas imagens. Por isso, necessitamos de apoio financeiro para executar a qualificação desse material pelos Yudjá e Waurá.

Sendo assim, criamos esta campanha de financiamento coletivo. Seu apoio contribuirá para a preservação desses bens culturais e para a recuperação dos conhecimentos e práticas culturais indígenas.
 

Os dois grupos indígenas - Yudjá e Waurá - que fazem parte desse projeto estão localizados no Parque Indígena do Xingu (PIX).
Os Yudjá, também conhecidos como Juruna, falam a língua do tronco Tupi, pertencente à família linguística Juruna. Eles se dividem em dois grupos: uma parte vive no PIX, no estado do Mato Grosso e, outra parte, vive na região do Médio Xingu, próximo à cachoeira do Jericoá. Sua população é de 880 pessoas, conforme dados da Siasi/Sesai, de 2014 (POVOS INDÍGENAS NO BRASIL, ISA).                  

        

Os Waurá falam a língua Maipure, pertencente à família linguística Arawak. Habitam as proximidades da lagoa Piyulaga, nome atribuído à aldeia Waurá. Esta lagoa está ligada por um canal à margem direito do baixo rio Batovi, no estado do Mato Grosso. Conforme o senso populacional da Siasi/Sesai, a população Waurá, em 2014, era de 540 pessoas (POVOS INDÍGENAS NO BRASIL, ISA).

        

O Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia (IGPA), da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), foi criado em 1972 para o desenvolvimento de pesquisas por meio dos núcleos de Antropologia e Arqueologia. Atualmente, suas atividades abrangem também o ensino e a extensão motivadas pelas pesquisas e pelo potencial do acervo audiovisual.

O IGPA/PUC Goiás detém um acervo audiovisual único que descortina a história de vários povos indígenas no Brasil, tendo sido constituído por meio de doações de pesquisadores, documentaristas, fotógrafos e cinegrafistas integrantes do quadro da PUC Goiás e de colaboradores externos. Este acervo é composto por coleções que se encontram em diversos suportes de imagem, som e documentos escritos. 
 

A coleção Audiovisual Jesco Puttkamer compreende, aproximadamente, 150.000 imagens fotográficas (83.600 slides, 58.000 negativos e 8.400 ampliações em papel); 165 rolos de película de 16mm, sendo 17 rolos negativos originais de imagem (NO), 140 rolos positivos originais de câmera (DPX Reversível); 8 rolos de filme editados (COZ) pela BBC de Londres - totalizando aproximadamente 96.604,5 pés de material inédito. Compõem-se ainda de diários de campo e cerca de 400 fitas sonoras. 

Esse grande quantitativo de material preservado e conservado pela PUC Goiás, bem como a riqueza e a grande diversidade de aspectos da vida cultural de povos indígenas presentes nessa coleção, contêm informações de povos que nos deixaram como legado um conjunto de conhecimentos que constitui um bem da humanidade.

Este acervo recebeu importantes prêmios por sua significância e abrangência. Em 2002 foi contemplado com o Prêmio Rodrigo de Melo Franco, pelo IPHAN. Em 2009, a UNESCO o reconheceu como patrimônio brasileiro e Memória do Brasil. E em 2011 foi novamente reconhecido pela UNESCO como Patrimônio e Memória da América Latina e Caribe, por se entender que os povos documentados transcendem as fronteiras territoriais físicas do Brasil e constituem um patrimônio cultural latino-americano.

                                                                                                                          

   


O projeto "Memórias Indígenas: qualificação da Coleção Jesco Putkamer sob os olhares dos povos Yudja e Waurá” foi aprovado no programa Matchfunding BNDES+. Para realizar a qualificação do material presente nessa coleção é necessária a colaboração de membros desses dois grupos indígenas, provenientes do Xingu, que vão identificar as imagens e sons relativos a seus povos. Para isso, precisamos do seu apoio!

Matchfunding BNDES+ é um programa que combina o crowdfunding (financiamento coletivo) com o aporte financeiro do BNDES. A cada R$ 1,00 arrecadado, o BNDES coloca mais R$ 2,00! No entanto, a campanha parte do TUDO ou NADA. Ou seja, se não atingirmos a meta o projeto não acontecerá e o dinheiro arrecadado será devolvido aos colaboradores.

Então, para que você se sinta motivado a participar dessa campanha de resgate das histórias e dos significados das imagens e sons dos povos Yudjá e Waurá presentes na Coleção Jesco Puttkamer, preparamos algumas recompensas especiais.

                                                    

                      
 


                                                                                             
 

 

Os nomes que representam cada grupo de recompensa da campanha fazem parte do universo linguístico dos povos do Xingu, notadamente, dos Yudjá e Waurá, conforme descrito abaixo:

  • Waurá: Nome de uma etnia indígena da família Aruák que significa “lobo”.
  • Yudjá: Nome de uma etnia indígena do tronco Tupi que significa “dono do rio”.
  • Wanaki: Palavra Waurá que significa “trabalhar juntos”.
  • Kamadu: Palavra Juruna que significa "beleza estética" e "imaginação criativa".
  • Bubula: Nome atribuído ao Jesco Puttkamer pelos indígenas.
  • Curumim: Palavra Tupi que significa criança.
  • Awotoba: Palavra Waurá que significa beleza.
  • Kuarup: Ritual de homenagem aos mortos ilustres, celebrado pelas etnias do Parque Indígena do Xingu.
  • Xingu: Palavra indígena que significa água boa e limpa. 

O presente projeto “Qualificação da coleção Jesco Puttkamer sob os olhares dos povos Yudjá (Juruna) e Waurá” integra o projeto guarda-chuva “Memória das Imagens: Preservação das Culturas dos Povos Indígenas Brasileiros”, desenvolvido pelo IGPA/ PUC Goiás, que tem como foco a qualificação das informações que compõem a coleção Audiovisual Jesco Puttkamer.


Em 2011, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do edital de Preservação de Acervos, aprovou o projeto "Memória das Imagens", tendo como objetivos a digitalização da coleção Jesco Puttkamer e a qualificação do material audiovisual referente aos grupos Metyktire (Txukahamãe), Paiter Suruí, Cinta-Larga e Nambikwara, por meio da contribuição dos interlocutores representantes destes povos.


A partir dessa experiência focal, o projeto busca, agora, a qualificação do material audiovisual de mais dois grupos indígenas: Yudjá e Waurá, registrados por Jesco Puttkamer. Nosso objetivo é fazer dessa coleção alvo de interação e qualificação em pareceria com as comunidades indígenas nela representadas.

Abaixo seguem alguns comentários de pessoas que participaram e acompanharam o projeto.

Sociedade Goiana de Cultura ainda não publicou nenhuma notícia.

A Coleção Audiovisual Jesco Puttkamer da PUC Goiás é considerada uma das maiores coleções audiovisuais sobre a história e as culturas dos Povos Indígenas no Brasil. São imagens e sons de 62 grupos sul-americanos coletados em quatro décadas de pesquisa.

Dada a riqueza e a diversidade de aspectos da vida cultural dos povos indígenas nessa coleção, precisamos da ajuda de representantes desses povos para identificar as histórias e os significados presentes nas imagens. Por isso, necessitamos de apoio financeiro para executar a qualificação desse material pelos Yudjá e Waurá.

Sendo assim, criamos esta campanha de financiamento coletivo. Seu apoio contribuirá para a preservação desses bens culturais e para a recuperação dos conhecimentos e práticas culturais indígenas.
 

Os dois grupos indígenas - Yudjá e Waurá - que fazem parte desse projeto estão localizados no Parque Indígena do Xingu (PIX).
Os Yudjá, também conhecidos como Juruna, falam a língua do tronco Tupi, pertencente à família linguística Juruna. Eles se dividem em dois grupos: uma parte vive no PIX, no estado do Mato Grosso e, outra parte, vive na região do Médio Xingu, próximo à cachoeira do Jericoá. Sua população é de 880 pessoas, conforme dados da Siasi/Sesai, de 2014 (POVOS INDÍGENAS NO BRASIL, ISA).                  

        

Os Waurá falam a língua Maipure, pertencente à família linguística Arawak. Habitam as proximidades da lagoa Piyulaga, nome atribuído à aldeia Waurá. Esta lagoa está ligada por um canal à margem direito do baixo rio Batovi, no estado do Mato Grosso. Conforme o senso populacional da Siasi/Sesai, a população Waurá, em 2014, era de 540 pessoas (POVOS INDÍGENAS NO BRASIL, ISA).

        

O Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia (IGPA), da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), foi criado em 1972 para o desenvolvimento de pesquisas por meio dos núcleos de Antropologia e Arqueologia. Atualmente, suas atividades abrangem também o ensino e a extensão motivadas pelas pesquisas e pelo potencial do acervo audiovisual.

O IGPA/PUC Goiás detém um acervo audiovisual único que descortina a história de vários povos indígenas no Brasil, tendo sido constituído por meio de doações de pesquisadores, documentaristas, fotógrafos e cinegrafistas integrantes do quadro da PUC Goiás e de colaboradores externos. Este acervo é composto por coleções que se encontram em diversos suportes de imagem, som e documentos escritos. 
 

A coleção Audiovisual Jesco Puttkamer compreende, aproximadamente, 150.000 imagens fotográficas (83.600 slides, 58.000 negativos e 8.400 ampliações em papel); 165 rolos de película de 16mm, sendo 17 rolos negativos originais de imagem (NO), 140 rolos positivos originais de câmera (DPX Reversível); 8 rolos de filme editados (COZ) pela BBC de Londres - totalizando aproximadamente 96.604,5 pés de material inédito. Compõem-se ainda de diários de campo e cerca de 400 fitas sonoras. 

Esse grande quantitativo de material preservado e conservado pela PUC Goiás, bem como a riqueza e a grande diversidade de aspectos da vida cultural de povos indígenas presentes nessa coleção, contêm informações de povos que nos deixaram como legado um conjunto de conhecimentos que constitui um bem da humanidade.

Este acervo recebeu importantes prêmios por sua significância e abrangência. Em 2002 foi contemplado com o Prêmio Rodrigo de Melo Franco, pelo IPHAN. Em 2009, a UNESCO o reconheceu como patrimônio brasileiro e Memória do Brasil. E em 2011 foi novamente reconhecido pela UNESCO como Patrimônio e Memória da América Latina e Caribe, por se entender que os povos documentados transcendem as fronteiras territoriais físicas do Brasil e constituem um patrimônio cultural latino-americano.

                                                                                                                          

   


O projeto "Memórias Indígenas: qualificação da Coleção Jesco Putkamer sob os olhares dos povos Yudja e Waurá” foi aprovado no programa Matchfunding BNDES+. Para realizar a qualificação do material presente nessa coleção é necessária a colaboração de membros desses dois grupos indígenas, provenientes do Xingu, que vão identificar as imagens e sons relativos a seus povos. Para isso, precisamos do seu apoio!

Matchfunding BNDES+ é um programa que combina o crowdfunding (financiamento coletivo) com o aporte financeiro do BNDES. A cada R$ 1,00 arrecadado, o BNDES coloca mais R$ 2,00! No entanto, a campanha parte do TUDO ou NADA. Ou seja, se não atingirmos a meta o projeto não acontecerá e o dinheiro arrecadado será devolvido aos colaboradores.

Então, para que você se sinta motivado a participar dessa campanha de resgate das histórias e dos significados das imagens e sons dos povos Yudjá e Waurá presentes na Coleção Jesco Puttkamer, preparamos algumas recompensas especiais.

                                                    

                      
 


                                                                                             
 

 

Os nomes que representam cada grupo de recompensa da campanha fazem parte do universo linguístico dos povos do Xingu, notadamente, dos Yudjá e Waurá, conforme descrito abaixo:

  • Waurá: Nome de uma etnia indígena da família Aruák que significa “lobo”.
  • Yudjá: Nome de uma etnia indígena do tronco Tupi que significa “dono do rio”.
  • Wanaki: Palavra Waurá que significa “trabalhar juntos”.
  • Kamadu: Palavra Juruna que significa "beleza estética" e "imaginação criativa".
  • Bubula: Nome atribuído ao Jesco Puttkamer pelos indígenas.
  • Curumim: Palavra Tupi que significa criança.
  • Awotoba: Palavra Waurá que significa beleza.
  • Kuarup: Ritual de homenagem aos mortos ilustres, celebrado pelas etnias do Parque Indígena do Xingu.
  • Xingu: Palavra indígena que significa água boa e limpa. 

O presente projeto “Qualificação da coleção Jesco Puttkamer sob os olhares dos povos Yudjá (Juruna) e Waurá” integra o projeto guarda-chuva “Memória das Imagens: Preservação das Culturas dos Povos Indígenas Brasileiros”, desenvolvido pelo IGPA/ PUC Goiás, que tem como foco a qualificação das informações que compõem a coleção Audiovisual Jesco Puttkamer.


Em 2011, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do edital de Preservação de Acervos, aprovou o projeto "Memória das Imagens", tendo como objetivos a digitalização da coleção Jesco Puttkamer e a qualificação do material audiovisual referente aos grupos Metyktire (Txukahamãe), Paiter Suruí, Cinta-Larga e Nambikwara, por meio da contribuição dos interlocutores representantes destes povos.


A partir dessa experiência focal, o projeto busca, agora, a qualificação do material audiovisual de mais dois grupos indígenas: Yudjá e Waurá, registrados por Jesco Puttkamer. Nosso objetivo é fazer dessa coleção alvo de interação e qualificação em pareceria com as comunidades indígenas nela representadas.

Abaixo seguem alguns comentários de pessoas que participaram e acompanharam o projeto.

Sociedade Goiana de Cultura ainda não publicou nenhuma notícia.