Michel em Columbia University |

Michel em Columbia University

O impacto de uma educação diferenciada

Projeto por: Estudar Fora
R$ 12.707,00
arrecadado
meta R$ 9.000,00

39 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Estudar Fora

Estudar Fora
R$ 10
Contribuindo com qualquer valor
42 benfeitores apoiando
Você não recebe recompensa, mas ajuda o projeto a ganhar vida!
R$ 15
Apoiando com R$ 15,00 ou mais
Seja o primeiro a apoiar!
E-mail de agradecimento
R$ 35
Apoiando com R$ 35,00 ou mais
Seja o primeiro a apoiar!
Recompensa anterior + cartão postal de Columbia
R$ 50
Apoiando com R$ 50,00 ou mais
Seja o primeiro a apoiar!
Recompensa anterior + cartão postal de Nova York
R$ 100
Apoiando com R$ 100,00 ou mais
Seja o primeiro a apoiar!
Recompensa anterior + carta à mão de agradecimento.
R$ 500
Apoiando com R$ 500,00 ou mais
Seja o primeiro a apoiar!
Recompensa anterior + surpresinhas de Columbia
R$ 1.000
Apoiando com R$ 1.000,00 ou mais
Seja o primeiro a apoiar!
Recompensa anterior + camisa de Columbia
R$ 3.000
Apoiando com R$ 3.000,00 ou mais
Seja o primeiro a apoiar!
Recompensa nterior + camisa “I love New York” + livro do Core Curriculum(currículo obrigatório de Columbia) com uma dedicatória de agradecimento.

Olá a todos!

Meu nome é Michel Rozenberg Zelazny, tenho 17 anos e fui aprovado para ser parte da turma de 2018 (ingressando em 2014) da Universidade de Columbia, uma das mais renomadas do mundo.

Desde pequeno, procurei estudar muito para me destacar na escola. Esse desejo por sempre aprender mais fez com que eu ganhasse uma bolsa integral no Colégio Etapa, onde estudei por 7 anos. Lá, tive meu primeiro contato com as olimpíadas culturais, que abordam conteúdos que vão além da matéria regular aprendida em sala de aula. Esse misto de competição sadia com ganho acadêmico foi em encontro com minhas características. Ao longo dos 7 anos “olímpicos”, foram 30 premiações nas áreas de astronomia e astronáutica, química, linguística, matemática e informática, além da oportunidade de conhecer os Estados Unidos e a Austrália (e, em julho desse ano, estarei indo para Taiwan).

Durante tais olimpíadas, tive a chance de começar a fazer aulas de programação. Sempre gosto de contar que adorava (e ainda adoro) fazer complicadas contas de cabeça rapidamente, e tive um choque ao descobrir que o computador fazia até 100 milhões de operações por segundo! Logo descobri que poderia ter um poderoso aliado. Comecei a programar em 2008, com apenas 11 anos, e desde então não parei mais. Foram 6 premiações consecutivas de ouro ou prata na Olimpíada Brasileira de Informática e uma medalha de prata na Olimpíada Ibero-Americana de Informática, além de ter, em 2013, a honra de representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Informática, realizada na Austrália. Para 2014, fui selecionado em primeiro lugar na seletiva para a equipe brasileira e, junto com mais 3 colegas, irei ao Taiwan em julho em busca de um ótimo resultado para o Brasil. Vejo na computação uma poderosa ferramenta de inclusão social e aprendizado interativo, sendo assim um potencial campo de graduação.

Além dos estudos, tenho diversos interesses. Sou um apaixonado por esportes, seja praticando ou assistindo. Com a “mão na massa”, jogo tênis de mesa(onde já fui 7º colocado no campeonato paulista da minha categoria) e pretendo continuar praticando caso eu vá para Columbia. Quando o assunto é acompanhar, procuro saber de todos os esportes e todas as ligas, sendo o futebol e o basquete meus alvos favoritos. Como hobby, sou colunista no segundo maior site especializado em dicas para Cartola (jogo no qual você escala um time com os jogadores do Campeonato Brasileiro e tem seu desempenho equiparado com suas performances nos jogos reais). No âmbito social, faço projetos voluntários desde 2010, quando comecei a dar aulas de matemática para jovens do sistema público de educação no projeto VOA! (Vontade Olimpíca de Aprender). Em 2013, criei com amigos o projeto Mão Amiga, que busca passar um pouco de felicidade e importantes valores a jovens de comunidades carentes em São Paulo. Apesar de já contribuir, sei que posso fazer muito mais pelo povo brasileiro e, através de uma educação impactante e de alta qualidade, contribuir para nossa população em macroescala.

No Etapa, tive forte contato com a cultura de estudos no exterior desde cedo e fui me acostumando com a possibilidade de me graduar fora do Brasil. No meio do ensino médio, decidi encarar o desafio e buscar aprovação nesse processo tão desgastante e complexo, tendo que conciliar tudo com os estudos para olimpíadas e vestibulares. Felizmente, consegui bons resultados nos 3 campos e estou muito perto de alcançar um grande patamar em termos de educação!

Para finalizar esse sonho de longa data, falta apenas um passo: a viabilização financeira do projeto! Columbia me deu aproximadamente 83% de bolsa da sua estimativa de orçamento (tal valor inclui todos os gastos possíveis e imagináveis, como anuidade, moradia, alimentação, seguro-saúde, despesas pessoais e até mesmo as passagens de avião), restando a minha família a quantia de 12 mil dólares anuais (cerca de 27 mil reais). Infelizmente, o montante é acima do que minha família pode pagar, uma vez que temos nossas contas muito apertadas. Mantendo meu trabalho de professor de olimpíada e conselheiro para estudos internacionais no Etapa por Skype enquanto eu estiver em Columbia, chegamos a conclusão de que precisamos de 10 mil reais para que eu possa realizar meu sonho sem quaisquer reviravoltas. Entretanto, todo valor adicionalmente recebido será de muito bom uso para evitar problemas e aliviar minha carga horária como professor virtual, permitindo que eu foque ainda mais minha atenção para meus estudos na universidade.

Acredito que as vantagens de uma graduação nos Estados Unidos são inúmeras: além da possibilidade de escolher o curso desejado após 1 ou 2 anos de curso (gerando novas perspectivas e menos dúvidas na hora da difícil escolha), a excelência acadêmica e o variado leque de atividades extracurriculares disponíveis são fundamentais. Fora isso, existe uma relativa flexibilidade na escolha de cursos, permitindo um foco maior exatamente no que o estudante julgar necessário. Pretendo me aproveitar ao máximo disso para obter uma educação muito rica e diversificada. Também quero, de alguma forma, retribuir às oportunidades que recebi (dentre as quais vale destacar os 7 anos de bolsa integral no Colégio Etapa) e fornecer oportunidades para jovens talentos brasileiros de baixa renda, fornecendo-lhes uma chance para crescer na vida através do poder dos estudos.

Agradeço pela paciência aos que leram o texto e espero que, em nome da educação brasileira, você possa fazer uma colaboração a mim ou a um de meus colegas que tanto se esforçaram para atingir resultados tão expressivos. Muito obrigado!

Obs: se você tiver qualquer dúvida ou curiosidade, seja sobre o processo de aplicação, conhecer um pouco mais de mim ou qualquer outra coisa, sinta-se livre para me contatar pelo Facebook (https://www.facebook.com/michel.zelazny) ou por email (michelzel96@gmail.com)!

Universidades em que foi aprovado

Columbia University; wait-listed at University of Pennsylvania, Duke, Yale and University of Chicago

Principais conquistas pessoais e acadêmicas

- 30 premiações em olimpíadas culturais em nível regional, nacional e internacional;

- Membro da equipe brasileira na Olimpíada Internacional de Informática (IOI) em 2013 e 2014(a ser realizada) e medalha de prata na Olimpíada Ibero-Americana de Informática em 2013;

- Idealizador do Projeto Mão Amiga;

- Professor de olimpíada de informática e orientador para estudos no exterior no colégio Etapa;

- Aprovação no vestibular para Engenharia Elétrica na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e Engenharia de Sistemas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Como pretendo utilizar esses recursos?

Os recursos captados têm como principal função a contribuição no pagamento da anuidade de Columbia.

Estudar Fora ainda não publicou nenhuma notícia.

Olá a todos!

Meu nome é Michel Rozenberg Zelazny, tenho 17 anos e fui aprovado para ser parte da turma de 2018 (ingressando em 2014) da Universidade de Columbia, uma das mais renomadas do mundo.

Desde pequeno, procurei estudar muito para me destacar na escola. Esse desejo por sempre aprender mais fez com que eu ganhasse uma bolsa integral no Colégio Etapa, onde estudei por 7 anos. Lá, tive meu primeiro contato com as olimpíadas culturais, que abordam conteúdos que vão além da matéria regular aprendida em sala de aula. Esse misto de competição sadia com ganho acadêmico foi em encontro com minhas características. Ao longo dos 7 anos “olímpicos”, foram 30 premiações nas áreas de astronomia e astronáutica, química, linguística, matemática e informática, além da oportunidade de conhecer os Estados Unidos e a Austrália (e, em julho desse ano, estarei indo para Taiwan).

Durante tais olimpíadas, tive a chance de começar a fazer aulas de programação. Sempre gosto de contar que adorava (e ainda adoro) fazer complicadas contas de cabeça rapidamente, e tive um choque ao descobrir que o computador fazia até 100 milhões de operações por segundo! Logo descobri que poderia ter um poderoso aliado. Comecei a programar em 2008, com apenas 11 anos, e desde então não parei mais. Foram 6 premiações consecutivas de ouro ou prata na Olimpíada Brasileira de Informática e uma medalha de prata na Olimpíada Ibero-Americana de Informática, além de ter, em 2013, a honra de representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Informática, realizada na Austrália. Para 2014, fui selecionado em primeiro lugar na seletiva para a equipe brasileira e, junto com mais 3 colegas, irei ao Taiwan em julho em busca de um ótimo resultado para o Brasil. Vejo na computação uma poderosa ferramenta de inclusão social e aprendizado interativo, sendo assim um potencial campo de graduação.

Além dos estudos, tenho diversos interesses. Sou um apaixonado por esportes, seja praticando ou assistindo. Com a “mão na massa”, jogo tênis de mesa(onde já fui 7º colocado no campeonato paulista da minha categoria) e pretendo continuar praticando caso eu vá para Columbia. Quando o assunto é acompanhar, procuro saber de todos os esportes e todas as ligas, sendo o futebol e o basquete meus alvos favoritos. Como hobby, sou colunista no segundo maior site especializado em dicas para Cartola (jogo no qual você escala um time com os jogadores do Campeonato Brasileiro e tem seu desempenho equiparado com suas performances nos jogos reais). No âmbito social, faço projetos voluntários desde 2010, quando comecei a dar aulas de matemática para jovens do sistema público de educação no projeto VOA! (Vontade Olimpíca de Aprender). Em 2013, criei com amigos o projeto Mão Amiga, que busca passar um pouco de felicidade e importantes valores a jovens de comunidades carentes em São Paulo. Apesar de já contribuir, sei que posso fazer muito mais pelo povo brasileiro e, através de uma educação impactante e de alta qualidade, contribuir para nossa população em macroescala.

No Etapa, tive forte contato com a cultura de estudos no exterior desde cedo e fui me acostumando com a possibilidade de me graduar fora do Brasil. No meio do ensino médio, decidi encarar o desafio e buscar aprovação nesse processo tão desgastante e complexo, tendo que conciliar tudo com os estudos para olimpíadas e vestibulares. Felizmente, consegui bons resultados nos 3 campos e estou muito perto de alcançar um grande patamar em termos de educação!

Para finalizar esse sonho de longa data, falta apenas um passo: a viabilização financeira do projeto! Columbia me deu aproximadamente 83% de bolsa da sua estimativa de orçamento (tal valor inclui todos os gastos possíveis e imagináveis, como anuidade, moradia, alimentação, seguro-saúde, despesas pessoais e até mesmo as passagens de avião), restando a minha família a quantia de 12 mil dólares anuais (cerca de 27 mil reais). Infelizmente, o montante é acima do que minha família pode pagar, uma vez que temos nossas contas muito apertadas. Mantendo meu trabalho de professor de olimpíada e conselheiro para estudos internacionais no Etapa por Skype enquanto eu estiver em Columbia, chegamos a conclusão de que precisamos de 10 mil reais para que eu possa realizar meu sonho sem quaisquer reviravoltas. Entretanto, todo valor adicionalmente recebido será de muito bom uso para evitar problemas e aliviar minha carga horária como professor virtual, permitindo que eu foque ainda mais minha atenção para meus estudos na universidade.

Acredito que as vantagens de uma graduação nos Estados Unidos são inúmeras: além da possibilidade de escolher o curso desejado após 1 ou 2 anos de curso (gerando novas perspectivas e menos dúvidas na hora da difícil escolha), a excelência acadêmica e o variado leque de atividades extracurriculares disponíveis são fundamentais. Fora isso, existe uma relativa flexibilidade na escolha de cursos, permitindo um foco maior exatamente no que o estudante julgar necessário. Pretendo me aproveitar ao máximo disso para obter uma educação muito rica e diversificada. Também quero, de alguma forma, retribuir às oportunidades que recebi (dentre as quais vale destacar os 7 anos de bolsa integral no Colégio Etapa) e fornecer oportunidades para jovens talentos brasileiros de baixa renda, fornecendo-lhes uma chance para crescer na vida através do poder dos estudos.

Agradeço pela paciência aos que leram o texto e espero que, em nome da educação brasileira, você possa fazer uma colaboração a mim ou a um de meus colegas que tanto se esforçaram para atingir resultados tão expressivos. Muito obrigado!

Obs: se você tiver qualquer dúvida ou curiosidade, seja sobre o processo de aplicação, conhecer um pouco mais de mim ou qualquer outra coisa, sinta-se livre para me contatar pelo Facebook (https://www.facebook.com/michel.zelazny) ou por email (michelzel96@gmail.com)!

Universidades em que foi aprovado

Columbia University; wait-listed at University of Pennsylvania, Duke, Yale and University of Chicago

Principais conquistas pessoais e acadêmicas

- 30 premiações em olimpíadas culturais em nível regional, nacional e internacional;

- Membro da equipe brasileira na Olimpíada Internacional de Informática (IOI) em 2013 e 2014(a ser realizada) e medalha de prata na Olimpíada Ibero-Americana de Informática em 2013;

- Idealizador do Projeto Mão Amiga;

- Professor de olimpíada de informática e orientador para estudos no exterior no colégio Etapa;

- Aprovação no vestibular para Engenharia Elétrica na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e Engenharia de Sistemas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Como pretendo utilizar esses recursos?

Os recursos captados têm como principal função a contribuição no pagamento da anuidade de Columbia.

Estudar Fora ainda não publicou nenhuma notícia.