Solar dos Sertões: Museu Vivo dos Povos Tradicionais de Minas Gerais |

Solar dos Sertões: Museu Vivo dos Povos Tradicionais de Minas Gerais

Queremos criar um museu para partilhar os saberes dos povos que preservam o meio ambiente para todos nós

Projeto por: Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas
R$ 185.071,00
arrecadado
meta R$ 250.632,00

354
benfeitores

73%
arrecadado

3
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

A primeira meta foi batida! O projeto será realizado, mas a arrecadação continua até 01/03/2021 - 23:59


POR

Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas

secretaria@caa.org.br

Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas
R$ 20
Eu apoio o projeto!
75 benfeitores apoiando
Contribua com o nosso projeto! - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site.
R$ 50
Flores Sempre Vivas
90 benfeitores apoiando
A panha de flores de sempre vivas é uma tradição de une as comunidades da Serra do Espinhaço, além de gerar renda, o manejo é sustentável e garante a preservação das flores. Em agradecimento a sua colaboração preparamos: - 1 Buquê de flores Sempre Viva - 1 Cartão-postal e 1 imã de geladeira com fotografias dos 7 povos - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

indisponível.
R$ 100
Artesanato Quilombola
15 benfeitores apoiando
No quilombo do gurutuba existem vários coletivos de mulheres que dominam a cadeia produtiva do algodão agroecológico. Elas mantêm viva a tradição do tear, da costura e do artesanato. E como agradecimento prepararam: - Pano de Prato com bordado personalizado do quilombo Gurutuba - 1 cartão postal e 1 imã de geladeira com fotografia dos 7 povos - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

indisponível.
R$ 100
Cerveja da Cooperativa Grande Sertão
54 benfeitores apoiando
A cerveja de Coquinho Azedo, é uma fruit beer, colaborativa, produzida pela cervejaria Bruder, de Ipatinga-MG, em parceria com a Oficina de Cerveja Artesanal e a Cooperativa Grande Sertão. O coquinho azedo é fruto de uma palmeira do Cerrado e a sua polpa é muito consumida em sucos, picolés, geléias e claro, na cerveja artesanal! Pensa numa cervejinha boa?! - 2 Cervejas artesanais (600ml) da Cooperativa Grande Sertão; - 1 cartão postal e 1 imã de geladeira com fotografia dos 7 povos; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. * Importante: esta recompensa é exclusivamente para ser retirada em Montes Claros, no Solar dos Sertões, Praça Dr Chaves (Praça da Matriz), nº 152, Centro.

2 disponíveis.
R$ 150
Artesanato Xakriabá
6 benfeitores apoiando
O Artesanato Xakriabá faz parte da identidade do seu povo, pois está presente no seu dia a dia, seja em adereços, uso doméstico, como forma de resistência ou fonte de renda para muitas famílias. O povo Xakriabá é vizinho do povo Veredeiro da região de Januária, que também oferecem em agradecimento um dos vários produtos do extrativismo do cerrado: - 1 Artesanato Xakriabá (colar ou pulseira); - 1 Farofa de Pequi (400g) dos Veredeiros; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

indisponível.
R$ 150
Cachaça Geraizeiros
20 benfeitores apoiando
Os Geraizeiros são comunidades tradicionais que vivem nos Cerrados. Sua cultura possui formas particulares de relacionamento com a natureza e sistemas de produção bem adaptados ecologicamente, desenvolvendo produtos de grande qualidade. Como a cachaça artesanal e agroecológica que oferecemos: - 1 Cachaça artesanal (600ml) dos Geraizeiros; - 1 Buquê de flores Sempre Viva; - 1 Cartão postal e 1 imã de geladeira com fotografia dos 7 povos; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. * Importante: esta recompensa é exclusivamente para ser retirada em Montes Claros, no Solar dos Sertões, Praça Dr Chaves (Praça da Matriz), nº 152, Centro.

16 disponíveis.
R$ 250
Kit Medicinal dos Povos
6 benfeitores apoiando
Os produtos de medicina natural sempre acompanharam os povos tradicionais. Servem para estimular a capacidade de cura do corpo e facilitar seus mecanismos de equilíbrio para obter uma boa saúde, com o princípio de não fazer mal. - 6 Pacotes de chás: Calêndula, Melissa, Erva cidreira, Alfazema, Alecrim; - 1 Pacote de Chá Multi Ervas para ansiedade; - 5 Sabonetes (90g cada) artesanais de coletivos de mulheres de produção de algodão agroecológico; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. * Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

indisponível.
R$ 250
Kit Medicinal Tintura-Mãe
13 benfeitores apoiando
A medicina natural faz parte dos saberes dos povos tradicionais. É um sistema de cuidados de saúde – uma arte, ciência, filosofia e prática de diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças. - 3 Tinturas: Mulungú, Jatobá, Carapiá; - 3 Pacotes de chás: Calêndula, Melissa, Erva cidreira, Alfazema, Alecrim; - 1 Pacote de Chá Multi Ervas para ansiedade; - 3 Sabonetes artesanais de coletivos de mulheres de produção de algodão agroecológico; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. * Importante: esta recompensa é exclusivamente para ser retirada em Montes Claros, no Solar dos Sertões, Praça Dr Chaves (Praça da Matriz), nº 152, Centro.

12 disponíveis.
R$ 300
Produtos da Cooperativa Grande Sertão 1
6 benfeitores apoiando
Conheça a produção da Cooperativa Grande Sertão que expressa a riqueza dos povos tradicionais do Norte de Minas. A cooperativa foi criada a partir do trabalho do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA-NM), com a proposta de valorizar as culturas tradicionais e os ecossistemas naturais, por meio do beneficiamento e comercialização de frutos do Cerrado e produtos da agricultura familiar: - Mel puro (280g); - Café agroecológico Cacunda de Librina dos Geraizeiros (400g); - Óleo de Pequi (150ml); - Óleo de buriti (250ml); - Açúcar mascavo (500g) dos Geraizeiros; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. * Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

indisponível.
R$ 300
Produtos da Cooperativa Grande Sertão 2
7 benfeitores apoiando
A Cooperativa Grande Sertão expressa a produção dos povos tradicionais do Norte de Minas e foi criada a partir do trabalho do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA-NM). A sua proposta é valorizar as culturas tradicionais e os ecossistemas naturais, por meio do beneficiamento e comercialização de frutos do Cerrado e produtos da agricultura familiar. - Mel puro dos Caatingueiros (250 ml); - Café agroecológico Cacunda de Librina dos Geraizeiros (400g); - Óleo de Pequi (150ml); - Cachaça artesanal (600ml) dos Geraizeiros; - Açúcar mascavo (500g) dos Geraizeiros; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. * Importante: esta recompensa é exclusivamente para ser retirada em Montes Claros, no Solar dos Sertões, Praça Dr Chaves (Praça da Matriz), nº 152, Centro.

indisponível.
R$ 500
Aula Magna Sementes Crioulas
2 benfeitores apoiando
As sementes crioulas são mantidas e selecionadas por agricultores tradicionais e trazem consigo a representação das riquezas e memórias da nossa terra. Nelas estão preservadas as bases genéticas de nossa biodiversidade, cuidar das sementes crioulas é cuidar do futuro da segurança alimentar para o mundo. - Aula magna online sobre Sementes Crioulas e agrobiodiversidade com um guardião tradicional gestor de banco de sementes comunitário. Aula online, duração 2 módulos de 4 horas; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site + agradecimento público nas redes sociais.

12 disponíveis.
R$ 500
Curso de fotografia João Roberto Ripper
6 benfeitores apoiando
João Roberto Ripper é um fotógrafo documentarista, humanista, que usa a fotografia a serviço dos direitos humanos. Conhecido pelo seu trabalho dedicado as questões sociais, é um fotógrafo que vem retratando os povos tradicionais há mais de 40 anos, e possui uma contribuição especial para a formação de comunicadores populares no Norte de Minas. - Curso de Fotografia Online "Bem Querer" com João Roberto Ripper. - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site + agradecimento público nas redes sociais.

13 disponíveis.
R$ 500
Oficina de Agroecologia
4 benfeitores apoiando
A agroecologia é uma forma de agricultura sustentável e suas práticas incorporam as questões sociais, políticas, culturais, energéticas, ambientais e éticas. A Área de Experimentação e Formação em Agroecologia (AEFA) é um espaço de encontro dos saberes tradicionais com novas técnicas visando o aperfeiçoamento para uma produção saudável para todos. - Oficina de agroecologia com foco em sistemas agrícolas tradicionais, agricultura urbana e sítios agroecológicos com direito a almoço agroecológico. Duração de 1 dia, para 1 pessoa, com translado até Montes Claros por conta do apoiador; - 1 Cesta de produtos agroecológicos da AEFA; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site + agradecimento público nas redes sociais. * Importante: esta recompensa é presencial e, portanto, no âmbito da pandemia de Covid-19, será realizada após a segurança dos envolvidos estarem asseguradas via vacinação e demais protocolos de segurança.

2 disponíveis.
R$ 750
Cesta completa dos 7 povos
1 benfeitor apoiando
Os povos tradicionais ocupam e usam territórios e recursos naturais para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, usando de conhecimentos, inovações, práticas, gerados e transmitidos pelas tradições. - 1 Cesta dos povos tradicionais (com 7 produtos ): Ap. de Flores - Fruteira de Capim Dourado; Veredeiros - Farofa de pequi (400g); Xakriabá - Um colar indígena; Quilombola - Carteira de algodão agroecológico, feito pelo grupo de mulheres do Quilombo do Gurutuba; Vazanteiros - 1Kg de feijão crioulo; Geraizeiros - 1Kg de polvilho de Vereda Funda; Caatingueiros - Mel puro (500ml); - 1 Cartão postal e 1 ímã de geladeira com fotografia dos 7 povos; - Postagem com vídeo de agradecimento nas redes sociais + E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

2 disponíveis.
R$ 750
Cesta dos 7 Povos Tradicionais
Seja o primeiro a apoiar!
Os povos tradicionais são grupos culturalmente diferenciados e são responsáveis por grande parte dos alimentos que chegam nas mesas dos brasileiros. A cadeia econômica que movimentam não é tão reconhecida, mas é valiosa. 1 Cesta dos 7 povos tradicionais (7 produtos): - Ap. de Flores - Fruteira de Capim Dourado; - Veredeiros - Farofa de pequi (400g); - Xakriabá - Um colar indígena; - Quilombola - Carteira de algodão agroecológico, feito pelo grupo de mulheres do Gurutuba; - Vazanteiros - 1Kg de feijão crioulo; - Cachaça artesanal (600ml) dos Geraizeiros; - Caatingueiros - Mel puro (500ml); - 1 Cartão postal e 1 ímã de geladeira com fotografia dos 7 povos; - Postagem com vídeo de agradecimento nas redes sociais + E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. * Importante: esta recompensa é para ser retirada em Montes Claros, no Solar dos Sertões, Praça Dr Chaves (Praça da Matriz), nº 152, Centro.

3 disponíveis.
R$ 1.000
Fotografia Fine art Ripper
4 benfeitores apoiando
A fotografia fine art é criada de acordo com a visão do artista, que utiliza esse meio para expressar. João Roberto Ripper é um fotógrafo documentarista, conhecido pelo seu trabalho dedicado as questões sociais, especialmente do campo brasileiro, onde fez inúmeras fotografias retratando os povos tradicionais - 1 fotografia impressa em fine art A4; - Postagem com vídeo de agradecimento nas redes sociais + logo no museu virtual a ser construído ( *se for empresa); - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

01 disponível.
R$ 1.000
Visita de turismo no Talhado
2 benfeitores apoiando
O Parque Estadual de Serra Nova e Talhado é uma reserva de quase 50 mil hectares de área preservada, que abrange os municípios de: Rio Pardo de Minas, Serranópolis de Minas, Porteirinha, Mato Verde e Riacho dos Machados. Criado em 2003, fica na Serra Geral ou Serra do Espinhaço (como é conhecida pelos nativos da região). Esta serra corta partes dos estados de Minas e da Bahia, sendo uma das maiores do Brasil. É um ambiente da Caatinga e trata-se da antiga rota dos tropeiros do Gerais. - Visita de experiência de Turismo comunitário no Rancho Jatobá Serranópolis / Cachoeira do Talhado (1 pessoa). Translado até Porteirinha por conta do apoiador; - Postagem com vídeo de agradecimento nas redes sociais.

01 disponível.
R$ 2.500
Placa de colaborador permanente
1 benfeitor apoiando
Nessa recompensa, você como colaborador Prata, fará parte da nossa história de forma permanente! - 1 fotografia de João Roberto Ripper em impressa em fine art A3; - Placa de Colaborador Prata permanente de 20 x 20 cm constante no espaço do “Museu Vivo”; - Postagem com vídeo de agradecimento nas redes sociais + logo no museu virtual a ser construído ( *se for empresa); - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site. Importante: o custo de envio de todas as recompensas será de responsabilidade de quem adquirir o produto. O envio será combinado com cada um após o término da campanha.

indisponível.
R$ 2.500
Visita ao território dos Povos
1 benfeitor apoiando
As comunidades tradicionais mantêm e manejam a natureza onde vivem, áreas que preservam, contrariando a ideia de que as matas só podem ser conservadas se livres da ação humana. Nelas, também constroem maneiras de viver – social, econômica, política e culturalmente – que dependem do território em que estão e de como se relacionam com ele e com seu entorno. - Visita de experiência ao território de um dos 7 povos tradicionais, a ser escolhido pelo apoiador. Compreende 2 dias, para uma 1 pessoa, hospedagem e alimentação, translado até o local por conta do apoiador; *Obs: só será possível realizar o evento após a vacinação do Covid-19. - 1 Cesta dos povos tradicionais da comunidade que for escolhida; - E-mail de agradecimento + nome incluído na lista de colaboradores no site + Postagem com vídeo de agradecimento nas redes sociais

01 disponível.
R$ 5.000
Romaria do Areião
1 benfeitor apoiando
Os Geraizeiros lutam pelo reconhecimento do seu território, fazendo a defesa de seu bioma, cuidando de um vasto espaço, incluindo Areião, que para eles, tem um sentido místico e religioso. - Visita no evento Romaria do Areião, para conhecer a mística de um território sagrado e uma vivência guiada no cerrado para conhecer o maior pequizeiro do mundo na área da RDS Nascentes Geraizeira (2 pessoas). *Obs: O evento será realizado após a vacinação do Covid-19. Translado por conta do apoiador. - Cesta com kit completo Cacunda de Librina, da Coop. de Agricultores Familiares e Agroextrativistas de Vereda Funda, contendo: Farinha de mandioca, Farinha de mandioca temperada, Café sombreado, Polvilho, Melado de cana, Bananas chips e passa, Colorau (Urucum); - Placa de Colaborador Ouro permanente de 30 x 30 cm constante no espaço do “Museu Vivo”; - Fotografia impressa em A4; - Postagem com vídeo de agradecimento + logo no museu virtual a ser construído + Live com sua empresa sobre o projeto.

indisponível.

Não encontrou o que queria?

Apoie com qualquer valor

 

O Solar dos Sertões: Museu Vivo dos Povos Tradicionais de Minas Gerais nasce do desejo de preservar e reconhecer o legado cultural de sete povos mineiros: geraizeiros, vazanteiros, veredeiros, caatingueiros, quilombolas, indígenas e apanhadores de flores sempre-vivas. 

 

Acreditamos que o gesto de olhar para as histórias dessas mulheres e homens é restituir a memória da resistência percorrida por essas comunidades em prol da proteção do cerrado e outros biomas que compõem o nosso estado. Para salvaguardar essas histórias no Solar do Sertão, contamos com a sua solidariedade. Vem junto com a gente construir essa história!

 

 

 

 

 

Vamos construir um espaço museológico físico no Solar dos Sertões, um patrimônio histórico tombado, localizado em Montes Claros, que atualmente é a sede do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA/NM), e abriga a memória cultural dos sete povos tradicionais que compõem a organização há 35 anos. Para promover a acessibilidade ao modo de vida dessas comunidades, criaremos uma plataforma virtual que possibilitará a imersão dos visitantes de qualquer localidade aos saberes tradicionais dos povos norte mineiros. Para isso, nós realizaremos pesquisas de campo envolvendo jovens comunicadores populares e guardiões dos saberes tradicionais na gestão de acervo dos bens culturais, e na criação de exposições itinerantes, caminhando para a preservação, promoção e inclusão dos modos de vida dos povos tradicionais, instituindo-os como protagonistas no cuidado com seu legado cultural.

  

Faça parte dessa história, colabore com uma doação e nos ajude a construir o Solar dos Sertões: Museu Vivo dos Povos Tradicionais de Minas Gerais!

 

 

 

O matchfunding BNDES+ é um programa de financiamento a projetos culturais, é o primeiro do setor público a adotar um modelo de financiamento combinado, unindo o aporte direto do BNDES ao financiamento coletivo. A cada R$ 1,00 arrecadado o BNDES investirá R$ 2,00, ou seja, sua colaboração será triplicada.

 

Para financiar a primeira etapa do projeto, precisamos arrecadar a meta mínima R$ 60.000,00. Se não conseguirmos atingir a meta, o valor arrecadado é devolvido aos doadores. Mas é tudo ou nada, se não atingirmos a meta todo o recurso será devolvido, por isso, a sua contribuição é muito importante para nos ajudar a alcançar os  R$ 177.800 e garantir que nosso Museu Vivo ganhe forma.


Com esse investimento, a nossa projeto vai realizar diversas ações:

 

Meta para tirar o projeto do papel:

Espaço físico e virtual para vivenciar o patrimônio cultural dos 7 povos

Documentações em busca dos saberes tradicionais

Gestão de acervo de bens culturais

Formação de monitores culturais

Exposições itinerantes de socialização do conhecimento

 

Meta dos sonhos:

Abrangência do acervo com imagens de drones.

Registro 3 D de bens materiais 

Tradução dos conteúdos informativos dos espaços do Museu Vivo para outros idiomas 

Aditivos de tecnologia para exposição física

Equipamentos eletrônicos para os registros da base comunitária

Realização de intercâmbio cultural

 

 

 

Há 35 anos, o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas  (CAA/NM), organização formada por agricultores e agricultoras, busca garantir os direitos socioambientais de populações tradicionais no Norte de Minas. Sua atuação congrega a defesa da biodiversidade e dos direitos dos povos tradicionais brasileiros. Desde 2016, a organização executa o projeto DGM/FIP/Brasil dedicado a promover o desenvolvimento social de comunidades tradicionais em diferentes regiões do país. 

 

Em 2010, através das ações mobilizadas pelo CAA/NM nasceu a Articulação Rosalino Gomes de Povos Tradicionais, idealizada e formada por representantes vazanteiros, geraizeiros, indígenas, quilombolas, veredeiros, apanhadores de flores sempre-viva e caatingueiros. O nome da articulação traz o nome da liderança indígena Xacriabá, Rosalino Gomes, assassinada por fazendeiros em 1987, por sua luta em busca direitos socioambientais, no norte de Minas Gerais. Há um elo em comum entre esses povos que torna os seus saberes coexistentes aos ciclos da natureza que os cerca, algo que traz uma potência agregadora para todos nós diante do momento de inúmeros desafios socioambientais postos para nossa sociedade. 

 

É parceiro desta iniciativa o Instituto Pequi do Cerrado, organização que realiza desde 2014 projetos de inovação ambiental e cultural impulsionadores do desenvolvimento sustentável de comunidades tradicionais.

 

 

 

 

 

Como agradecimento às colaborações, preparamos recompensas que expressam o legado cultural dos sete povos tradicionais, cada produto tem um conjunto de saberes envolvidos, carrega uma história, uma memória e muitas vidas por trás de sua produção.

 

Essas recompensas estão diretamente vinculadas aos objetivos do projeto de valorização e disseminação da cultura popular dos povos envolvidos, sendo eles remunerados pela produção destes artefatos, apoiando o desenvolvimento e economia local. Colabore e leve um pouco do nosso conhecimento e nossa história!

 


 

#MuseuVivodosPovosTradicionaisdeMG

 

 

Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas ainda não publicou nenhuma notícia.

 

O Solar dos Sertões: Museu Vivo dos Povos Tradicionais de Minas Gerais nasce do desejo de preservar e reconhecer o legado cultural de sete povos mineiros: geraizeiros, vazanteiros, veredeiros, caatingueiros, quilombolas, indígenas e apanhadores de flores sempre-vivas. 

 

Acreditamos que o gesto de olhar para as histórias dessas mulheres e homens é restituir a memória da resistência percorrida por essas comunidades em prol da proteção do cerrado e outros biomas que compõem o nosso estado. Para salvaguardar essas histórias no Solar do Sertão, contamos com a sua solidariedade. Vem junto com a gente construir essa história!

 

 

 

 

 

Vamos construir um espaço museológico físico no Solar dos Sertões, um patrimônio histórico tombado, localizado em Montes Claros, que atualmente é a sede do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA/NM), e abriga a memória cultural dos sete povos tradicionais que compõem a organização há 35 anos. Para promover a acessibilidade ao modo de vida dessas comunidades, criaremos uma plataforma virtual que possibilitará a imersão dos visitantes de qualquer localidade aos saberes tradicionais dos povos norte mineiros. Para isso, nós realizaremos pesquisas de campo envolvendo jovens comunicadores populares e guardiões dos saberes tradicionais na gestão de acervo dos bens culturais, e na criação de exposições itinerantes, caminhando para a preservação, promoção e inclusão dos modos de vida dos povos tradicionais, instituindo-os como protagonistas no cuidado com seu legado cultural.

  

Faça parte dessa história, colabore com uma doação e nos ajude a construir o Solar dos Sertões: Museu Vivo dos Povos Tradicionais de Minas Gerais!

 

 

 

O matchfunding BNDES+ é um programa de financiamento a projetos culturais, é o primeiro do setor público a adotar um modelo de financiamento combinado, unindo o aporte direto do BNDES ao financiamento coletivo. A cada R$ 1,00 arrecadado o BNDES investirá R$ 2,00, ou seja, sua colaboração será triplicada.

 

Para financiar a primeira etapa do projeto, precisamos arrecadar a meta mínima R$ 60.000,00. Se não conseguirmos atingir a meta, o valor arrecadado é devolvido aos doadores. Mas é tudo ou nada, se não atingirmos a meta todo o recurso será devolvido, por isso, a sua contribuição é muito importante para nos ajudar a alcançar os  R$ 177.800 e garantir que nosso Museu Vivo ganhe forma.


Com esse investimento, a nossa projeto vai realizar diversas ações:

 

Meta para tirar o projeto do papel:

Espaço físico e virtual para vivenciar o patrimônio cultural dos 7 povos

Documentações em busca dos saberes tradicionais

Gestão de acervo de bens culturais

Formação de monitores culturais

Exposições itinerantes de socialização do conhecimento

 

Meta dos sonhos:

Abrangência do acervo com imagens de drones.

Registro 3 D de bens materiais 

Tradução dos conteúdos informativos dos espaços do Museu Vivo para outros idiomas 

Aditivos de tecnologia para exposição física

Equipamentos eletrônicos para os registros da base comunitária

Realização de intercâmbio cultural

 

 

 

Há 35 anos, o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas  (CAA/NM), organização formada por agricultores e agricultoras, busca garantir os direitos socioambientais de populações tradicionais no Norte de Minas. Sua atuação congrega a defesa da biodiversidade e dos direitos dos povos tradicionais brasileiros. Desde 2016, a organização executa o projeto DGM/FIP/Brasil dedicado a promover o desenvolvimento social de comunidades tradicionais em diferentes regiões do país. 

 

Em 2010, através das ações mobilizadas pelo CAA/NM nasceu a Articulação Rosalino Gomes de Povos Tradicionais, idealizada e formada por representantes vazanteiros, geraizeiros, indígenas, quilombolas, veredeiros, apanhadores de flores sempre-viva e caatingueiros. O nome da articulação traz o nome da liderança indígena Xacriabá, Rosalino Gomes, assassinada por fazendeiros em 1987, por sua luta em busca direitos socioambientais, no norte de Minas Gerais. Há um elo em comum entre esses povos que torna os seus saberes coexistentes aos ciclos da natureza que os cerca, algo que traz uma potência agregadora para todos nós diante do momento de inúmeros desafios socioambientais postos para nossa sociedade. 

 

É parceiro desta iniciativa o Instituto Pequi do Cerrado, organização que realiza desde 2014 projetos de inovação ambiental e cultural impulsionadores do desenvolvimento sustentável de comunidades tradicionais.

 

 

 

 

 

Como agradecimento às colaborações, preparamos recompensas que expressam o legado cultural dos sete povos tradicionais, cada produto tem um conjunto de saberes envolvidos, carrega uma história, uma memória e muitas vidas por trás de sua produção.

 

Essas recompensas estão diretamente vinculadas aos objetivos do projeto de valorização e disseminação da cultura popular dos povos envolvidos, sendo eles remunerados pela produção destes artefatos, apoiando o desenvolvimento e economia local. Colabore e leve um pouco do nosso conhecimento e nossa história!

 


 

#MuseuVivodosPovosTradicionaisdeMG

 

 

Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas ainda não publicou nenhuma notícia.