NegroMuro |

NegroMuro

Arte urbana que ergue rostos negros como monumentos públicos!

Projeto por: pedro gomes rajão
R$ 22.375,00
arrecadado
meta R$ 25.000,00

108
benfeitores

89%
arrecadado

15
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

A primeira meta foi batida! O projeto será realizado, mas a arrecadação continua até 10/12/2020 - 23:59


POR

pedro gomes rajão

pedro gomes rajão
R$ 10
Agradecimentos
6 benfeitores apoiando
R$ 20
Pack de adesivos
19 benfeitores apoiando
Pack de adesivos estileira para você sair por aí colando por aí nos ônibus e vlts da cidade, afinal a arte precisa circular

31 disponíveis.
R$ 40
Pack de adesivos + 01 Marca-página
9 benfeitores apoiando
Pack de adesivos estileira para você sair por aí colando por aí nos ônibus e vlts da cidade, afinal a arte precisa circular + 01 marca-página incentivando a leitura :D

11 disponíveis.
R$ 50
Cartaz tamanho A4
19 benfeitores apoiando
Print é uma impressão em papel couchê fosco, um papel simples, mas bonito e elegante. Essa beleza toda vale a pena como um pequeno investimento e sendo bem cuidado, tenha certeza que vai durar por muitas gerações futuras.

01 disponível.
R$ 60
Poster tamanho A3
18 benfeitores apoiando
Print é uma impressão em papel couchê fosco, um papel simples, mas bonito e elegante. Essa beleza toda vale a pena como um pequeno investimento e sendo bem cuidado, tenha certeza que vai durar por muitas gerações futuras.

indisponível.
R$ 70
Camisa Exclusiva Negro Muro
15 benfeitores apoiando
Camisa exclusiva do projeto com artes relacionadas aos personagens já homenageados

29 disponíveis.
R$ 80
Bolsa NegroMuro
11 benfeitores apoiando
Já imaginou uma bolsa que cabe tudo o que você precisa e ainda divulga e apoia o projeto dos amigos? Essa bolsa chegou e sim! Ela vai ser sua. E sim! Vc vai dar aquele rolê tod@ pombos@ no 174 bolado e quem tá sentado vai passar o trajeto todo olhando para esse punho cerrado ✊

37 disponíveis.
R$ 300
Oficina Individual de Grafite
3 benfeitores apoiando
Oficina individual Uma experiência real de graffiti na rua. Você vai aprender as principais técnicas para dominar o uso do spray com um dos artistas mais renomados do Rio de janeiro. A experiência vai começar em seu ateliê na Lapa ( Rio de Janeiro) e terminará numa ação pelas ruas do bairro.

12 disponíveis.
R$ 350
DJ Set com DJ Rajão no seu evento
1 benfeitor apoiando
Discotecagem de DJ Rajão no seu evento. Com pesquisa musical contundente no universo da 'música africana' e da música preta em diáspora, Rajão já tocou em grandes casas do Rio como Circo Voador, Teatro Rival, Imperator, AudioRebel, SESCs Tijuca, Madureira, Eng. de Dentro, além dos 'Fela Day's do Rio, Belo Horizonte, Olinda, Porto Alegre, Santos, etc. Obs: duração a combinar Obs2: discotecagem em lap top e/ou em vinil (no caso do vinil, ajuda de custo com transporte não relacionada no valor da recompensa) obs3:

9 disponíveis.
R$ 500
Oficina ANIKULAPO na sua escola/universi
Seja o primeiro a apoiar!
A oficina ANIKULAPO já passou por mais de 30 escolas e universidades públicas e privadas em mais de 10 cidades pelo Brasil. ANIKULAPO é um documentário, sob edição, que aborda - através da vida e obra do músico nigeriano Fela Kuti - uma reflexão sobre o racismo, a história e cultura negra e a música enquanto ferramenta política. O projeto conta com uma exposição de 15 fotos feitas durante as filmagens em Lagos, Nigéria, além de um debate sobre o processo de produção do documentário com os alunos. Durante a apresentação, exibo 4 teasers do filme, já publicados + 1 videoclipe do de Seun Kuti (filho mais novo de Fela) filmado no Brasil, em que assino produção e direção. A direção e produção executiva do projeto é de Pedro Rajão. A atividade termina com uma discotecagem em vinil. Obs: Data e duração a combina Obs2: A Atividade também pode ser online Para mais info: www.instagram.com/anikulapo.brasil; www.facebook.com/anikulapo.brasil

10 disponíveis.

Não encontrou o que queria?

Apoie com qualquer valor

NegroMuro é a construção contínua de um grande circuito de arte a céu aberto com retratos de personagens negras em muros da cidade, aliando arte, tecnologia e informação:

Arte na forma;

Tecnologia nas placas com QR Code levando a textos, músicas, podcasts e mapa interativo dos murais produzidos pelo projeto e informação ao dar foco nessas personagens, seu território como vínculo e seus devidos valores históricos.

Um projeto que há 3 anos finca monumentos homenageando figuras históricas e propondo uma nova visibilidade pública contribuindo para a construção da memória coletiva que inclua de forma coerente novas ou ocultadas referências. 

 

A versão eurocêntrica dos fatos históricos tem sido questionada e subscrita por novas vozes e perspectivas que buscam uma ótica descolonizada para entender como o mundo se tornou o que é hoje. E mais: que histórias o mundo esqueceu de contar, que personagens foram negligenciados?

Foi essa inquietação que levou à criação do projeto NegroMuro, idealizado pelo produtor cultural e pesquisador de história e cultura africana Pedro Rajão. Logo depois, juntou-se ao projeto o artista urbano Cazé, sensibilizado pela ideia de poder usar a arte a favor da construção de algo que transborde o valor artístico por si só e ajude a transformar realidades. Mais recentemente, juntou-se ao time Duda Mattar, produtora e ativista social que acredita nas intervenções urbanas como pontos de inflexão para a mudança na sociedade.

Este tripé forma a equipe do NegroMuro, projeto que ergue monumentos da memória negra em forma de pinturas em muros públicos no Rio de Janeiro e faz da arte urbana uma política pública de patrimônio e memória.



 

Faremos dois murais artísticos com transmissões ao vivo do processo de pintura do muro homenageando as seguintes personalidades:




Pintaremos um retrato da cantora no muro da casa em que ela morou na década de 70, na Rua Acaú, Engenho Novo. Nascida e criada no quilombo São José, em Valença (RJ), Clementina fez história no samba carioca.

 



Também conhecido como “Almirante Negro”, foi o líder da Revolta da Chibata, protagonizada por militares da Marinha em 1910 motivado principalmente pela insatisfação com os castigos físicos (as chibatadas, usadas nos postos mais baixos da Marinha, ocupados por negros e mestiços). O muro será na região portuária, onde também fica a região conhecida como Pequena África.




Eleita como “A voz do milênio” pela BBC de Londres em 99, a “mulher do fim do mundo”, abelha rainha, gata de sete fôlegos: muitos são as formas de se referir a Elza, uma gigante da nossa música, uma mulher que exala força e realeza do alto dos seus 90 anos.

Elza será eternizada no bairro de Água Santa, zona Norte do Rio, onde residiu. Seu pai também trabalhou na Pedreira Santa Luzia, no mesmo bairro <3




Dante Negro pra uns, Cisne Negro pra outros, João da Cruz e Sousa foi um poeta catarinense que atuou no século retrasado (!), quando a poesia, para pessoas negras, era ainda mais rara do que é hoje. Um dos precursores do simbolismo no Brasil, morou no bairro do Encantado, no Rio -- onde hoje tem rua com seu nome, a mesma em que vamos criar o mural em homenagem ao escritor.


 

Na construção de uma memória social que enalteça lutas, conquistas e referências de pretas e pretos, NegroMuro também envolve comunicação e tecnologia. Isso se traduz de duas formas: colocando placas com QR code para transeuntes poderem saber mais sobre as figuras retratadas; e fotografando/filmando as artes para uso em site, redes sociais e outros meios, ilustrando e expandindo conteúdos sobre as histórias que a História não conta, além das lives transmitindo o processo de pintura ao vivo.

Se você quer ajudar a contar essa História não contada, sua colaboração é fundamental! Divulgando e compartilhando com pessoas que como você, acreditam no papel transformador da arte, na urgência do reconhecimento da História Negra e na manutenção dessa memória.

 

Vaquinha a gente já sabe que é crowdfunding. Só falta dar match ;)

O Matchfunding é um esquema de crowdfunding que multiplica o valor arrecadado pelo público. No caso dessa campanha, o Programa Bossa Nossa injeta +R$2 a cada R$1 captado pela campanha, ou seja, se arrecadarmos R$5.000, a gente recebe R$15.000 ao final!

Mas atenção, a campanha é TUDO OU NADA! Ou a gente bate essa meta ou o dinheiro é devolvido pra quem colaborou, e os muros ficam brancos. Então vem com a gente realizar esse sonho juntes e misturades! Você ainda pode garantir umas recompensas iradas, mas é claro que a maior delas é ajudar a pintar os muros da cidade!



 

Colabore para enchermos juntos, a cidade de arte, história e cor. 

 

 

 

Artista urbano contemporâneo do Rio de janeiro, utiliza a cidade como plataforma de comunicação. Tem como pesquisa o cotidiano que o rodeia, trazendo uma técnica única para a Arte Urbana Contemporânea. Já teve murais expostos no Peru, Inglaterra, França, Portugal e Guiné-Bissau. Atua também como curador e desempenhou esse papel no projeto Galeria Providência (2017 e 2018) e Babilônia (2017), pequenas galerias de arte urbana dentro de favelas no estado do Rio de Janeiro e criou a Ladeira do Castro, primeira Galeria de Arte Urbana na cidade do Rio de Janeiro que conecta os bairros da Lapa e Santa Teresa.


Produtor cultural, curador musical, DJ, pesquisador de música africana e cineasta. Idealizador e produtor do Leão Etíope do Méier (projeto premiado com o Diploma da Com. de Cultura da ALERJ) que há 7 anos atua de forma gratuita em espaços públicos do subúrbio e já realizou aulas públicas com Marielle Franco, Carlos Moore, Nei Lopes, além de shows de artistas como Teresa Cristina, Carlos Malta, Hermeto Pascoal, Jards Macalé, Carlos Dafé, Hamilton de Holanda, além de lançamentos de livros de Luiz Antonio Simas. Diretor e produtor do documentário ‘ANIKULAPO’ que trata do músico nigeriano Fela Kuti, promove há 8 anos oficinas e palestras relacionadas em escolas, universidades e institutos de arte públicas e privadas.

Rajão é idealizador e produtor do projeto NegroMuro que criou uma galeria a céu aberta com dezenas de grafites de grandes nomes negros da história brasileira em muros espalhados pela cidade.

 

_______________________________________

 

Mais sobre Clementina de Jesus e João Cândido:

 

Vídeo sobre a história de João Cândido

www.youtube.com/watch?v=wCBBErq8I3o

 

Matéria sobre a importância de Clementina

https://www.geledes.org.br/tag/clementina-de-jesus/

 

******************

 

Mídias Cazé:

https://www.cazearte.com/biografia

www.instagram.com/cazearte

 

Mídias Rajão:

www.instagram.com/rajao.pedro


******************

 

Mais sobre o Leão Etíope do Méier:

 

Canal do youtube - www.youtube.com/channel/UC_uXmRrnWCl7PlJrsNLWThw 

 

Última edição do Leão - www.youtube.com/watch?v=eRcXfu9EPzk

 


******************

 

Mais sobre ações correlatas:

O que não cabe em 500 anos - www.youtube.com/watch?v=saooBZQWuzc

Aula-exposição no Cais do Valongo, realizada pelo Ipeafro e pelo Partiu!, com parceria do Leão e arte de Cazé

pedro gomes rajão ainda não publicou nenhuma notícia.

NegroMuro é a construção contínua de um grande circuito de arte a céu aberto com retratos de personagens negras em muros da cidade, aliando arte, tecnologia e informação:

Arte na forma;

Tecnologia nas placas com QR Code levando a textos, músicas, podcasts e mapa interativo dos murais produzidos pelo projeto e informação ao dar foco nessas personagens, seu território como vínculo e seus devidos valores históricos.

Um projeto que há 3 anos finca monumentos homenageando figuras históricas e propondo uma nova visibilidade pública contribuindo para a construção da memória coletiva que inclua de forma coerente novas ou ocultadas referências. 

 

A versão eurocêntrica dos fatos históricos tem sido questionada e subscrita por novas vozes e perspectivas que buscam uma ótica descolonizada para entender como o mundo se tornou o que é hoje. E mais: que histórias o mundo esqueceu de contar, que personagens foram negligenciados?

Foi essa inquietação que levou à criação do projeto NegroMuro, idealizado pelo produtor cultural e pesquisador de história e cultura africana Pedro Rajão. Logo depois, juntou-se ao projeto o artista urbano Cazé, sensibilizado pela ideia de poder usar a arte a favor da construção de algo que transborde o valor artístico por si só e ajude a transformar realidades. Mais recentemente, juntou-se ao time Duda Mattar, produtora e ativista social que acredita nas intervenções urbanas como pontos de inflexão para a mudança na sociedade.

Este tripé forma a equipe do NegroMuro, projeto que ergue monumentos da memória negra em forma de pinturas em muros públicos no Rio de Janeiro e faz da arte urbana uma política pública de patrimônio e memória.



 

Faremos dois murais artísticos com transmissões ao vivo do processo de pintura do muro homenageando as seguintes personalidades:




Pintaremos um retrato da cantora no muro da casa em que ela morou na década de 70, na Rua Acaú, Engenho Novo. Nascida e criada no quilombo São José, em Valença (RJ), Clementina fez história no samba carioca.

 



Também conhecido como “Almirante Negro”, foi o líder da Revolta da Chibata, protagonizada por militares da Marinha em 1910 motivado principalmente pela insatisfação com os castigos físicos (as chibatadas, usadas nos postos mais baixos da Marinha, ocupados por negros e mestiços). O muro será na região portuária, onde também fica a região conhecida como Pequena África.




Eleita como “A voz do milênio” pela BBC de Londres em 99, a “mulher do fim do mundo”, abelha rainha, gata de sete fôlegos: muitos são as formas de se referir a Elza, uma gigante da nossa música, uma mulher que exala força e realeza do alto dos seus 90 anos.

Elza será eternizada no bairro de Água Santa, zona Norte do Rio, onde residiu. Seu pai também trabalhou na Pedreira Santa Luzia, no mesmo bairro <3




Dante Negro pra uns, Cisne Negro pra outros, João da Cruz e Sousa foi um poeta catarinense que atuou no século retrasado (!), quando a poesia, para pessoas negras, era ainda mais rara do que é hoje. Um dos precursores do simbolismo no Brasil, morou no bairro do Encantado, no Rio -- onde hoje tem rua com seu nome, a mesma em que vamos criar o mural em homenagem ao escritor.


 

Na construção de uma memória social que enalteça lutas, conquistas e referências de pretas e pretos, NegroMuro também envolve comunicação e tecnologia. Isso se traduz de duas formas: colocando placas com QR code para transeuntes poderem saber mais sobre as figuras retratadas; e fotografando/filmando as artes para uso em site, redes sociais e outros meios, ilustrando e expandindo conteúdos sobre as histórias que a História não conta, além das lives transmitindo o processo de pintura ao vivo.

Se você quer ajudar a contar essa História não contada, sua colaboração é fundamental! Divulgando e compartilhando com pessoas que como você, acreditam no papel transformador da arte, na urgência do reconhecimento da História Negra e na manutenção dessa memória.

 

Vaquinha a gente já sabe que é crowdfunding. Só falta dar match ;)

O Matchfunding é um esquema de crowdfunding que multiplica o valor arrecadado pelo público. No caso dessa campanha, o Programa Bossa Nossa injeta +R$2 a cada R$1 captado pela campanha, ou seja, se arrecadarmos R$5.000, a gente recebe R$15.000 ao final!

Mas atenção, a campanha é TUDO OU NADA! Ou a gente bate essa meta ou o dinheiro é devolvido pra quem colaborou, e os muros ficam brancos. Então vem com a gente realizar esse sonho juntes e misturades! Você ainda pode garantir umas recompensas iradas, mas é claro que a maior delas é ajudar a pintar os muros da cidade!



 

Colabore para enchermos juntos, a cidade de arte, história e cor. 

 

 

 

Artista urbano contemporâneo do Rio de janeiro, utiliza a cidade como plataforma de comunicação. Tem como pesquisa o cotidiano que o rodeia, trazendo uma técnica única para a Arte Urbana Contemporânea. Já teve murais expostos no Peru, Inglaterra, França, Portugal e Guiné-Bissau. Atua também como curador e desempenhou esse papel no projeto Galeria Providência (2017 e 2018) e Babilônia (2017), pequenas galerias de arte urbana dentro de favelas no estado do Rio de Janeiro e criou a Ladeira do Castro, primeira Galeria de Arte Urbana na cidade do Rio de Janeiro que conecta os bairros da Lapa e Santa Teresa.


Produtor cultural, curador musical, DJ, pesquisador de música africana e cineasta. Idealizador e produtor do Leão Etíope do Méier (projeto premiado com o Diploma da Com. de Cultura da ALERJ) que há 7 anos atua de forma gratuita em espaços públicos do subúrbio e já realizou aulas públicas com Marielle Franco, Carlos Moore, Nei Lopes, além de shows de artistas como Teresa Cristina, Carlos Malta, Hermeto Pascoal, Jards Macalé, Carlos Dafé, Hamilton de Holanda, além de lançamentos de livros de Luiz Antonio Simas. Diretor e produtor do documentário ‘ANIKULAPO’ que trata do músico nigeriano Fela Kuti, promove há 8 anos oficinas e palestras relacionadas em escolas, universidades e institutos de arte públicas e privadas.

Rajão é idealizador e produtor do projeto NegroMuro que criou uma galeria a céu aberta com dezenas de grafites de grandes nomes negros da história brasileira em muros espalhados pela cidade.

 

_______________________________________

 

Mais sobre Clementina de Jesus e João Cândido:

 

Vídeo sobre a história de João Cândido

www.youtube.com/watch?v=wCBBErq8I3o

 

Matéria sobre a importância de Clementina

https://www.geledes.org.br/tag/clementina-de-jesus/

 

******************

 

Mídias Cazé:

https://www.cazearte.com/biografia

www.instagram.com/cazearte

 

Mídias Rajão:

www.instagram.com/rajao.pedro


******************

 

Mais sobre o Leão Etíope do Méier:

 

Canal do youtube - www.youtube.com/channel/UC_uXmRrnWCl7PlJrsNLWThw 

 

Última edição do Leão - www.youtube.com/watch?v=eRcXfu9EPzk

 


******************

 

Mais sobre ações correlatas:

O que não cabe em 500 anos - www.youtube.com/watch?v=saooBZQWuzc

Aula-exposição no Cais do Valongo, realizada pelo Ipeafro e pelo Partiu!, com parceria do Leão e arte de Cazé

pedro gomes rajão ainda não publicou nenhuma notícia.