Livro Nerds para Mulheres |

Livro Nerds para Mulheres

Publicação do meu livro "Nerds para Mulheres, o lado masculino da força."

Projeto por: Marianna Kiss
R$ 940,00
arrecadado
meta R$ 3.900,00

8
benfeitores

24%
arrecadado

13
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

É tudo ou nada! Precisamos bater a meta até 20/04/2020 - 23:59

POR

Marianna Kiss

Marianna Kiss
R$ 10
Ganhe um kiss da Kiss
1 benfeitor apoiando
O que vale dez reaszinhos no seu orçamento??? Vale um super kiss da Kiss (ou melhor, meu kiss). Risos. Nessa doação eu mando pra você um vídeo selfie agradecendo sua colaboração, afirmando que sua atitute é muito importante para a cultura brasileira e te mando um super kiss. Daí você pode tirar onda com os amigos e espalhar nas redes sociais! Irresistível!
R$ 30
Molezinha
1 benfeitor apoiando
O que você faz com R$ 30,00? Gasta com 3 cervejinhas numa tarde qualquer ou então incentiva a literatura nacional e apoia o sonho de uma escritora independente. A escolha é sua, mas o e-book é meu e eu terei o maior carinho em te enviar. E, além de amar meu jeito de escrever você ainda pode espalhar o e-book aos amigos!
R$ 50
Vamos nessa!
3 benfeitores apoiando
Incentivar o sonho de um produtor de arte independente é alimentar uma alma criativa que reverbera boas ideias por aí. Com esta contribuição eu envio a você 1 livro impresso do Nerds para Mulheres sem cobrar a taxa do Correio, ou se preferir eu faço a entrega pessoalmente... Ou, melhor ainda, lhe dou em mãos durante o lançamento na Sexyfair e ainda tiramos uma selfie!
R$ 100
Aí eu vi vantagem
Seja o primeiro a apoiar!
Além de escritora eu também sou sexóloga e faço atendimentos via skype para todos que têm dúvidas relacionadas à sexualidade. Com a contribuição desse valor, marcamos uma sessão de 1 hora (aproveita porque minha sessão vale o dobro desse valor).
R$ 150
Você quer mais!
1 benfeitor apoiando
Eu sabia que você ia querer mais e por isso, com este valor marcamos uma sessão de uma hora e eu te envio 1 livro impresso e autografado!
R$ 300
Herói da cultura
1 benfeitor apoiando
Na boa! Investir essa grana em cultura é uma atitude heróica e por isso você merece recompensa dobrada e eu lhe serei eternamente grata por tornar o meu sonho possível!

Não encontrou o que queria?

Apoie com qualquer valor

Sou Marianna Kiss, sexóloga, jornalista e escritora independente com cinco livros no mercado. Fiz campanha para um deles em 2015 e deu super certo, pois consegui a meta. Hoje trabalho para imprimir e lançar o livro Nerds para Mulheres, o lado masculino da força onde eu falo sobre comportamento e sexualidade para o público masculino a partir dos 18 anos. O livro tem 244 páginas onde eu desconstruo o estereótipo do nerd, incentivo-o a confiar no seu sabre de luz (autoestima), dou dicas de conquistas e muito mais. 

Preciso da contribuição no valor de R$ 3900,00 para cobrir a impressão de uma tiragem de 100 exemplares e toda a sua edição (correção, capa, ISBN e diagramação). O n livro será lançado no evento da Sexyfair dos dias 21 a 26 de abril deste ano, no Espaço Sulamérica e todos estão convidados. Observação: Cafofo dos Poetas é a minha marca de escritora independente. Eu não tenho qualquer patrocínio ou editora, ok?! E meu salário como sexóloga também não banca a tiragem do livro.

Ah! Estou imprimindo o livro a pedido do público que quer o lançamento do livro impresso...

Você pode conferir isso nos meus sites: cafofodospoetas.com.br e sexsencia.com.br.


Desse valor, será destinado a:

50% impressão do livro
10% capa
26% edição (ISBN, registro, diagramação e correção ortográfica)
14% Site Benfeitoria

 

Segue um trecho do livro para degustação:

Há quem goste de tanques. Eu sou adepta à tecnologia e, conexões nervosas me atraem muito mais.

Que seja e que venha a máquina de lavar. Opa! Não estou falando que sou prendada domesticamente.

A rua é o meu ambiente mais íntimo. Tampouco exerço qualquer tipo de profissão recém “CLTizada” pelo Gabeira. Falo de homens, meu esporte predileto. Não dos tipos de academia, que entre mim e os alteres, eles preferem o espelho. Tenho como ideologia: quanto maior o tamanho do bíceps menor é o do cérebro. Com isso, você já sabe, eu prefiro os nerds aos malhados. Gosto quando um nerd é interrompido em meio a um discurso sobre a economia da Malásia, por meus beijos... Quentes... Profundos... Juro que sou boa ouvinte, mas prefiro sentir o arrepiar de seus pelos e o susto com a surpresa da minha língua no céu da boca dele.

Um bom nerd gosta disso. Uma nota 10 é rotina, mas uma mulher que se despe sem pudores no corredor B da biblioteca é o Prêmio Nobel de Anatomia. Ele chega a passar a mão nos lábios para reter a baba, e o suor escorre frio na tentativa de manter o fervor interno... Jogo de sedução que os sarados narcisistas mega lindos de academia não se prezam. Eu quero emoção e não uma beleza seca. Eu não quero espelhos, quero nerds que estudem minhas curvas e a exatidão do meu prazer no movimento perpendicular da minha abertura de pernas. E tomara que eu esteja equivocada quanto à informação, porque eu adoro ser corrigida. Fora a pegada – eu não deveria contar isso a ninguém para não causar inveja.

Confira surpreendendo-os com uma mordida na nuca no meio de uma equação de álgebra. Eles são capazes de coisas que Darwin não previa na evolução Sapiens. Agem como se a espécie estivesse em extinção e fosse acabar ali, na cavidade geográfica entre os meus seios... Às vezes vão direto ao ponto... Bem entre as minhas pernas, que eu não resisto em abrir quando mascaram o sexo com um livro. Eles sempre têm vergonha. Situação fofa... E, deliciosamente excitante. Os nerds doam seu próprio corpo, de dedo a cabelo em prol da ciência sexual. De ponta a ponta, tudo é devidamente apreciado, explorado... E o que é uma rapidinha entre a passada de língua entre o tanque e a torneira de um homem sarado, com os nerds são três horas de prazer apenas naquela região e um pernoite torna-se quase nada. E outra vantagem... Assim como as máquinas de lavar, eles sacodem, balançam, jogam pra lá e pra cá, torcem e você não tem trabalho algum, digo, apenas de sentir prazer... Já no tanque... Aff... Causa-me náuseas só de pensar no excesso de trabalho onde o cara fica ali paradinho e a responsabilidade dos movimentos é sempre toda sua. E na academia? O trabalho com os pesos é todo meu também, pois os sarados encontram-se ocupados demais com o próprio ego para se derreterem ao meu pedido de ajuda.

Os cabeçudos, literalmente e metaforicamente falando, ficam tão perdidos entre os alteres que chega a ser um charme. Eles nada fazem ali que não seja para evitar um infarto futuro. E isso me excita, além de uma prova de bioquímica. Fora a facilidade... Os sarados são facilmente encontráveis em academias, e essas, assim como um fast food, existem em cada esquina. Já o número de bibliotecas na cidade... Aff. Eu gosto de dificuldade, de garimpar joia rara e ler textos inéditos. Deixo-me o prazer da facilidade no comodismo de ser buscada em casa e ser levada à cama, às paredes, ao chão, à cadeira anatômica e ao ápice da multiplicidade “orgásmica”. Sem contar os segredos... Os sarados espalham os meus como a quantificar para os amigos a masculinidade... Já os nerds... Ah... Esses me contam no pé do ouvido todos os mistérios da humanidade. Coisa que, para a maioria dos sarados, é um longo desafio metafísico a enfrentar... E quase sempre sem sucesso... Já para os nerds nada mais é do que colocar para fora o melhor que são com verdadeira discrição. E... Eu adoro e sem tirar os óculos! Não há como resistir à paixão

Marianna Kiss ainda não publicou nenhuma notícia.

Sou Marianna Kiss, sexóloga, jornalista e escritora independente com cinco livros no mercado. Fiz campanha para um deles em 2015 e deu super certo, pois consegui a meta. Hoje trabalho para imprimir e lançar o livro Nerds para Mulheres, o lado masculino da força onde eu falo sobre comportamento e sexualidade para o público masculino a partir dos 18 anos. O livro tem 244 páginas onde eu desconstruo o estereótipo do nerd, incentivo-o a confiar no seu sabre de luz (autoestima), dou dicas de conquistas e muito mais. 

Preciso da contribuição no valor de R$ 3900,00 para cobrir a impressão de uma tiragem de 100 exemplares e toda a sua edição (correção, capa, ISBN e diagramação). O n livro será lançado no evento da Sexyfair dos dias 21 a 26 de abril deste ano, no Espaço Sulamérica e todos estão convidados. Observação: Cafofo dos Poetas é a minha marca de escritora independente. Eu não tenho qualquer patrocínio ou editora, ok?! E meu salário como sexóloga também não banca a tiragem do livro.

Ah! Estou imprimindo o livro a pedido do público que quer o lançamento do livro impresso...

Você pode conferir isso nos meus sites: cafofodospoetas.com.br e sexsencia.com.br.


Desse valor, será destinado a:

50% impressão do livro
10% capa
26% edição (ISBN, registro, diagramação e correção ortográfica)
14% Site Benfeitoria

 

Segue um trecho do livro para degustação:

Há quem goste de tanques. Eu sou adepta à tecnologia e, conexões nervosas me atraem muito mais.

Que seja e que venha a máquina de lavar. Opa! Não estou falando que sou prendada domesticamente.

A rua é o meu ambiente mais íntimo. Tampouco exerço qualquer tipo de profissão recém “CLTizada” pelo Gabeira. Falo de homens, meu esporte predileto. Não dos tipos de academia, que entre mim e os alteres, eles preferem o espelho. Tenho como ideologia: quanto maior o tamanho do bíceps menor é o do cérebro. Com isso, você já sabe, eu prefiro os nerds aos malhados. Gosto quando um nerd é interrompido em meio a um discurso sobre a economia da Malásia, por meus beijos... Quentes... Profundos... Juro que sou boa ouvinte, mas prefiro sentir o arrepiar de seus pelos e o susto com a surpresa da minha língua no céu da boca dele.

Um bom nerd gosta disso. Uma nota 10 é rotina, mas uma mulher que se despe sem pudores no corredor B da biblioteca é o Prêmio Nobel de Anatomia. Ele chega a passar a mão nos lábios para reter a baba, e o suor escorre frio na tentativa de manter o fervor interno... Jogo de sedução que os sarados narcisistas mega lindos de academia não se prezam. Eu quero emoção e não uma beleza seca. Eu não quero espelhos, quero nerds que estudem minhas curvas e a exatidão do meu prazer no movimento perpendicular da minha abertura de pernas. E tomara que eu esteja equivocada quanto à informação, porque eu adoro ser corrigida. Fora a pegada – eu não deveria contar isso a ninguém para não causar inveja.

Confira surpreendendo-os com uma mordida na nuca no meio de uma equação de álgebra. Eles são capazes de coisas que Darwin não previa na evolução Sapiens. Agem como se a espécie estivesse em extinção e fosse acabar ali, na cavidade geográfica entre os meus seios... Às vezes vão direto ao ponto... Bem entre as minhas pernas, que eu não resisto em abrir quando mascaram o sexo com um livro. Eles sempre têm vergonha. Situação fofa... E, deliciosamente excitante. Os nerds doam seu próprio corpo, de dedo a cabelo em prol da ciência sexual. De ponta a ponta, tudo é devidamente apreciado, explorado... E o que é uma rapidinha entre a passada de língua entre o tanque e a torneira de um homem sarado, com os nerds são três horas de prazer apenas naquela região e um pernoite torna-se quase nada. E outra vantagem... Assim como as máquinas de lavar, eles sacodem, balançam, jogam pra lá e pra cá, torcem e você não tem trabalho algum, digo, apenas de sentir prazer... Já no tanque... Aff... Causa-me náuseas só de pensar no excesso de trabalho onde o cara fica ali paradinho e a responsabilidade dos movimentos é sempre toda sua. E na academia? O trabalho com os pesos é todo meu também, pois os sarados encontram-se ocupados demais com o próprio ego para se derreterem ao meu pedido de ajuda.

Os cabeçudos, literalmente e metaforicamente falando, ficam tão perdidos entre os alteres que chega a ser um charme. Eles nada fazem ali que não seja para evitar um infarto futuro. E isso me excita, além de uma prova de bioquímica. Fora a facilidade... Os sarados são facilmente encontráveis em academias, e essas, assim como um fast food, existem em cada esquina. Já o número de bibliotecas na cidade... Aff. Eu gosto de dificuldade, de garimpar joia rara e ler textos inéditos. Deixo-me o prazer da facilidade no comodismo de ser buscada em casa e ser levada à cama, às paredes, ao chão, à cadeira anatômica e ao ápice da multiplicidade “orgásmica”. Sem contar os segredos... Os sarados espalham os meus como a quantificar para os amigos a masculinidade... Já os nerds... Ah... Esses me contam no pé do ouvido todos os mistérios da humanidade. Coisa que, para a maioria dos sarados, é um longo desafio metafísico a enfrentar... E quase sempre sem sucesso... Já para os nerds nada mais é do que colocar para fora o melhor que são com verdadeira discrição. E... Eu adoro e sem tirar os óculos! Não há como resistir à paixão

Marianna Kiss ainda não publicou nenhuma notícia.