Campanha Nos Trilhos do Samba Paulista |

Campanha Nos Trilhos do Samba Paulista

Colabore para o registro de lugares e territorialidades das manifestações e celebrações da prática do Samba em SP, começando pela cidade de Bauru.

Projeto por: Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo diá Piratininga
R$ 19.545,00
arrecadado
meta R$ 165.000,00

82 benfeitores
apoiaram essa campanha

Não foi dessa vez :/

A meta de arrecadação não foi atingida e todas as colaborações foram estornadas. Obrigado pelo apoio ainda assim!


POR

Kolombolo diá Piratininga

proculturalpaulista@gmail.com

Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo diá Piratininga
R$ 20
Abraço Amigo
19 benfeitores apoiando
Seu nome estará na lista de agradecimentos que será publicada em nossas redes sociais.
R$ 50
Arte pede passagem
21 benfeitores apoiando
Ilustração exclusiva impressa em tamanho A5 + Seu nome em agradecimento nos créditos finais do minidocumentário. * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 80
Me carrega!
13 benfeitores apoiando
Ecobag com arte exclusiva do projeto + Acesso ao grupo "close friends" nos stories para acessar em tempo real a gravação do minidocumentário. * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 100
Me usa!
19 benfeitores apoiando
Camiseta com arte exclusiva do projeto + Seu nome será publicado em uma lista de agradecimentos que será publicada em nossas redes sociais. * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 160
Me usa e me carrega!
6 benfeitores apoiando
Combo 01!!! Uma ecobag e uma camiseta com artes exclusivas do projeto para chamar de seu. * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 250
Chique demais!
1 benfeitor apoiando
Combo 02!!! Uma ecobag com arte exclusiva do projeto + Camiseta com arte exclusiva do projeto e ainda uma linda ilustração impressa em tamanho A5. * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 350
Café do bom!
1 benfeitor apoiando
Combo 03!!! Você receberá um pacote de 250g de um café especial do CRIO Café + Ecobag com arte exclusiva do projeto + camiseta com arte exclusiva do projeto. * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 500
Sucessão de kit!
Seja o primeiro a apoiar!
Combo 04!!! Recheado de parcerias incríveis! Você receberá um pacote de 250g de um café especial do CRIO Café + uma canequinha charmosa de porcelana desenhada e pintada à mão do Relva Ateliê + uma ecobag com arte exclusiva do projeto + uma camiseta com arte exclusiva do projeto. * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 1.000
Tem mais!!!
Seja o primeiro a apoiar!
Combo 05!!! Recheado de parcerias incríveis! Você receberá um pacote de 250g de um café especial do CRIO Café + uma canequinha charmosa de porcelana desenhada e pintada à mão do Relva Ateliê + uma ecobag com arte exclusiva do projeto + mais uma camiseta com arte exclusiva do projeto + 4 CDs da coleção "Memória do Samba Paulista" produzido pelo Kolombolo diá Piratininga * Polos de retirada: Bauru: UNESP de Bauru São Paulo: Casa Barbosa *Ou frete a combinar
R$ 6.000
É verdade este bilhete!
Seja o primeiro a apoiar!
Uma roda de samba na sua casa! Um time incrível formado por 6 representantes do nosso samba paulista levarão música com muita alegria até você, sua família e seus amigos ou sua empresa! Duração da apresentação: 2 horas. Necessidades: água e alimentação para os músicos. Local: deve ser na cidade de São Paulo ou Bauru, minimamente adequado para a realização da roda de samba (sala ampla, salão de festas, local de evento ou confraternização etc) a escolha do benfeitor. *** Maiores necessidades, como sonorização e iluminação de médio e grande portes, deverão ser providenciados pelo benfeitor ou realizador do evento que receberá a roda de samba. Data a combinar a partir do dia 29 de agosto de 2021.

O projeto “NOS TRILHOS DO SAMBA PAULISTA” traz à tona histórias negras que foram invisibilizadas. Histórias que entrelaçam os povos negros, o samba e a ferrovia.

Como vamos realizar o mapeamento?

O mapeamento busca registrar os lugares e territorialidades das manifestações e celebrações da prática do Samba na região de estudo, começando pela cidade de Bauru.

O reconhecimento e mapeamento das famílias participantes do projeto é a base para a documentação que dará suporte à escolha das famílias integrantes que serão registradas nos  minidocumentários. A base cartográfica será em softwares de SIG (Sistema de Informação Geográfica) e planilha de Excel.

Foram muitas as famílias negras que vieram para o interior do estado de São Paulo, desde meados do século XIX, acompanhando os trilhos das ferrovias. Sem medir esforços, atuaram em atividades variadas integradas ao sistema ferroviário para garantir a implantação e funcionamento desse meio de transporte que era símbolo da modernidade na época. Para além do trabalho cotidiano,  mulheres e homens negros contribuíram para a formação de um repertório cultural variado nas cidades em que se estabeleceram, deixando suas marcas em irmandades, clubes, rodas de capoeira e também no samba. Neste último,  atuaram em várias frentes, desde a composição de melodias até o traquejar com os instrumentos. Organizados em encontros, realizados muitas vezes, em suas casas e quintais urbanos ou nos terreiros das fazendas de café,  homens e mulheres,  afirmavam seus laços de identidade e  pertencimento à comunidade negra e materializaram em seus repertórios as labutas diárias do seu povo, tanto no meio urbano como no rural. Suas vivências foram eternizadas em melodias, versos e arranjos que estão preservados nas memórias e documentos pessoais de seus descendentes, e necessitam ecoar à sociedade como um todo.

O projeto foi selecionado no âmbito do “Edital Matchfunding BNDES+”, que estimula ações de legado para o patrimônio cultural brasileiro. Assim, para cada um real arrecadado na campanha, o BNDES entra com mais dois reais, triplicando os recursos até atingir a primeira meta, de R$ 165.000,00. Mas a regra é TUDO ou NADA: se essa meta não for atingida, o valor arrecadado é devolvido e o projeto não acontece. Você não vai deixar isso acontecer, não é verdade? Colabore e passe a ideia adiante, criando uma grande rede de apoio à cultura brasileira!

Além de fazer o projeto acontecer, sua colaboração dá direito a recompensas especialmente elaboradas com todo o cuidado através de parcerias incríveis! Confira algumas delas abaixo (imagens ilustrativas).

 


A equipe que apresenta o projeto "NOS TRILHOS DO SAMBA PAULISTA" é fruto do encontro entre pesquisadores e membros da comunidade, que desde 2017, desenvolvem debates e seminários sobre o samba paulista. A partir da realização do seminário intitulado O SAMBA NA CIDADE, passamos a promover  debates relacionados aos processos de produção do espaço urbano e suas manifestações culturais. Ao darmos destaque ao samba, desvelamos  os meandros e mecanismos desse importante patrimônio cultural afro-brasileiro. Tendo em vista a valorização, incentivo e divulgação dessa cultura, promovemos a aproximação da UNESP Bauru e do IAU-USP com a ASTEC (Associação de Sambistas Terreiros e Comunidades do Estado de São Paulo) e com o "Coletivo Samba".

Essa união corrobora  para a aproximação entre a academia e a comunidade que vivencia o samba em seu cotidiano. 

Vale ressaltarmos, que no decorrer das ações elencadas,  nos aproximamos do Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo diá Piratininga, proponente desta campanha. O  Grêmio Recreativo foi fundado em 15 de maio de 2002 por Renato Dias, Ligia Fernandes e Max Frauendorf com o objetivo de reviver o carnaval de rua e a tradição dos cordões carnavalescos de

São Paulo. Hoje o grupo realiza pesquisas, oficinas culturais, encontros, produção de fonogramas, obras audiovisuais e shows, com o objetivo de propagar as manifestações tradicionais paulistas em especial o samba e suas vertentes. Sua abertura oficial como entidade sem fins lucrativos ocorreu em 1° de setembro de 2007, inscrita no CNPJ/MF no 09.156.206/0001-80, e em 13 de março de 2009 foi qualificada como OSCIP – Organização Social Civil de Interesse Público - pelo Ministério da Justiça (processo MJ no 08071.002415/2009-32).

Dessa forma, unidos em prol do reconhecimento, mapeamento e valorização do Samba Paulista é que nos propomos em percorrer os rastros deixados pelos trilhos da ferrovia e do samba no interior paulista.

 

 

 

Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo diá Piratininga ainda não publicou nenhuma notícia.

O projeto “NOS TRILHOS DO SAMBA PAULISTA” traz à tona histórias negras que foram invisibilizadas. Histórias que entrelaçam os povos negros, o samba e a ferrovia.

Como vamos realizar o mapeamento?

O mapeamento busca registrar os lugares e territorialidades das manifestações e celebrações da prática do Samba na região de estudo, começando pela cidade de Bauru.

O reconhecimento e mapeamento das famílias participantes do projeto é a base para a documentação que dará suporte à escolha das famílias integrantes que serão registradas nos  minidocumentários. A base cartográfica será em softwares de SIG (Sistema de Informação Geográfica) e planilha de Excel.

Foram muitas as famílias negras que vieram para o interior do estado de São Paulo, desde meados do século XIX, acompanhando os trilhos das ferrovias. Sem medir esforços, atuaram em atividades variadas integradas ao sistema ferroviário para garantir a implantação e funcionamento desse meio de transporte que era símbolo da modernidade na época. Para além do trabalho cotidiano,  mulheres e homens negros contribuíram para a formação de um repertório cultural variado nas cidades em que se estabeleceram, deixando suas marcas em irmandades, clubes, rodas de capoeira e também no samba. Neste último,  atuaram em várias frentes, desde a composição de melodias até o traquejar com os instrumentos. Organizados em encontros, realizados muitas vezes, em suas casas e quintais urbanos ou nos terreiros das fazendas de café,  homens e mulheres,  afirmavam seus laços de identidade e  pertencimento à comunidade negra e materializaram em seus repertórios as labutas diárias do seu povo, tanto no meio urbano como no rural. Suas vivências foram eternizadas em melodias, versos e arranjos que estão preservados nas memórias e documentos pessoais de seus descendentes, e necessitam ecoar à sociedade como um todo.

O projeto foi selecionado no âmbito do “Edital Matchfunding BNDES+”, que estimula ações de legado para o patrimônio cultural brasileiro. Assim, para cada um real arrecadado na campanha, o BNDES entra com mais dois reais, triplicando os recursos até atingir a primeira meta, de R$ 165.000,00. Mas a regra é TUDO ou NADA: se essa meta não for atingida, o valor arrecadado é devolvido e o projeto não acontece. Você não vai deixar isso acontecer, não é verdade? Colabore e passe a ideia adiante, criando uma grande rede de apoio à cultura brasileira!

Além de fazer o projeto acontecer, sua colaboração dá direito a recompensas especialmente elaboradas com todo o cuidado através de parcerias incríveis! Confira algumas delas abaixo (imagens ilustrativas).

 


A equipe que apresenta o projeto "NOS TRILHOS DO SAMBA PAULISTA" é fruto do encontro entre pesquisadores e membros da comunidade, que desde 2017, desenvolvem debates e seminários sobre o samba paulista. A partir da realização do seminário intitulado O SAMBA NA CIDADE, passamos a promover  debates relacionados aos processos de produção do espaço urbano e suas manifestações culturais. Ao darmos destaque ao samba, desvelamos  os meandros e mecanismos desse importante patrimônio cultural afro-brasileiro. Tendo em vista a valorização, incentivo e divulgação dessa cultura, promovemos a aproximação da UNESP Bauru e do IAU-USP com a ASTEC (Associação de Sambistas Terreiros e Comunidades do Estado de São Paulo) e com o "Coletivo Samba".

Essa união corrobora  para a aproximação entre a academia e a comunidade que vivencia o samba em seu cotidiano. 

Vale ressaltarmos, que no decorrer das ações elencadas,  nos aproximamos do Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo diá Piratininga, proponente desta campanha. O  Grêmio Recreativo foi fundado em 15 de maio de 2002 por Renato Dias, Ligia Fernandes e Max Frauendorf com o objetivo de reviver o carnaval de rua e a tradição dos cordões carnavalescos de

São Paulo. Hoje o grupo realiza pesquisas, oficinas culturais, encontros, produção de fonogramas, obras audiovisuais e shows, com o objetivo de propagar as manifestações tradicionais paulistas em especial o samba e suas vertentes. Sua abertura oficial como entidade sem fins lucrativos ocorreu em 1° de setembro de 2007, inscrita no CNPJ/MF no 09.156.206/0001-80, e em 13 de março de 2009 foi qualificada como OSCIP – Organização Social Civil de Interesse Público - pelo Ministério da Justiça (processo MJ no 08071.002415/2009-32).

Dessa forma, unidos em prol do reconhecimento, mapeamento e valorização do Samba Paulista é que nos propomos em percorrer os rastros deixados pelos trilhos da ferrovia e do samba no interior paulista.

 

 

 

Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo diá Piratininga ainda não publicou nenhuma notícia.