Sem casa e com fome |

Sem casa e com fome

Apoio às famílias mais vulneráveis nas favelas, ocupações, mutirões organizadas pela UMM SP, com a doação de cestas básicas e apoio à organização l

Projeto por: UNIAO DOS MOVIMENTOS DE MORADIA DE SAO PAULO
R$ 15.016,00
arrecadado
meta R$ 10.000,00

86 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

UNIAO DOS MOVIMENTOS DE MORADIA DE SAO PAULO

UNIAO DOS MOVIMENTOS DE MORADIA DE SAO PAULO
R$ 20
Movimento
6 benfeitores apoiando
Um cartão virtual de agradecimento
R$ 50
mobilização
28 benfeitores apoiando
Cartilha da Regularização Fundiária
R$ 100
organização
26 benfeitores apoiando
Cartilha da Autogestão
R$ 200
Luta
12 benfeitores apoiando
Revista das Mulheres da UMM
R$ 300
Resistência
20 benfeitores apoiando
Revista da Produção de Habitação em Autogestão

2a ONDA DA PANDEMIA REATIVA CULTURA DE SOLIDARIEDADE

Em: 06/04/2021 13:05


No Brasil, os efeitos da pandemia podem ser devastadores para a população mais pobre. Sabemos que mais de 40% dos brasileiros estão inseridos na economia informal e, com isso, os efeitos do isolamento social e a suspensão das atividades econômicas impactam drasticamente milhares de vidas.
Nesse sentido, diversos movimentos sociais e entidades vêm atuando na arrecadação e distribuição de doações direcionadas para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social. A mobilização tem ocorrido por meio do diálogo entre entidades, movimentos sociais, empresas e poder público.
É o caso da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM SP) que desde o início da pandemia, já entregou mais de 100 mil cestas básicas, tanto para famílias que participam de movimentos de moradia como para outras famílias, associações e comunidades.


Veja mais em https://cutt.ly/zcPy1yg


2a ONDA DA PANDEMIA REATIVA CULTURA DE SOLIDARIEDADE

Em: 06/04/2021 13:05


No Brasil, os efeitos da pandemia podem ser devastadores para a população mais pobre. Sabemos que mais de 40% dos brasileiros estão inseridos na economia informal e, com isso, os efeitos do isolamento social e a suspensão das atividades econômicas impactam drasticamente milhares de vidas.
Nesse sentido, diversos movimentos sociais e entidades vêm atuando na arrecadação e distribuição de doações direcionadas para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social. A mobilização tem ocorrido por meio do diálogo entre entidades, movimentos sociais, empresas e poder público.
É o caso da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM SP) que desde o início da pandemia, já entregou mais de 100 mil cestas básicas, tanto para famílias que participam de movimentos de moradia como para outras famílias, associações e comunidades.


Veja mais em https://cutt.ly/zcPy1yg