[PE] Periferias de Olinda |

[PE] Periferias de Olinda

Campanha para a conscientização, apoio emocional, entrega de kits de higiene, cestas básicas e água potável nas periferias de Olinda.

Projeto por: Erika Cardoso do Espirito Santo
R$ 34.165,00
arrecadado
meta R$ 30.000,00

22
benfeitores

113%
arrecadado

2
dias restantes

PARCELE SEU PAGAMENTO EM ATÉ 6 VEZES

A primeira meta foi batida! Nossa arrecadação continua até 30/05/2020 - 23:59


POR

Erika Cardoso do Espirito Santo

Erika Cardoso do Espirito Santo
R$ 20
Apoiar essa campanha com R$ 20
3 benfeitores apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 50
Apoiar essa campanha com R$ 50
5 benfeitores apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 80
Apoiar essa campanha com R$ 80
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 100
Apoiar essa campanha com R$ 100
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 200
Apoiar essa campanha com R$ 200
1 benfeitor apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 300
Apoiar essa campanha com R$ 300
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 500
Apoiar essa campanha com R$ 500
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 1.000
Apoiar essa campanha com R$ 1000
1 benfeitor apoiando
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 3.000
Apoiar essa campanha com R$ 3000
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!

Não encontrou o que queria?

Outro valor

As ações da Rede Orgânica Periférica de Olinda seguem os princípios da atuação de base comunitária, com vínculos de confiança e afeto já estabelecidos com os moradores de seis bairros do município, Peixinhos, Alto Sol Nascente, Salgadinho, Alto da Conquista, Rio Doce e Passarinho. Desde o início da pandemia do coronavírus no Brasil e das medidas de isolamento social, temos distribuído cestas básicas e produzido sabão ecológico e materiais de limpeza como ações de apoio às comunidades. Com esta atuação de base, já conseguimos alcançar 387 famílias e produzir 520 litros de cloro, 520 litros de detergente, 2.600 litros de água sanitária (a cada litro de cloro podemos produzir até 6 litros de água sanitária) e 525 barras de sabão ecológico amarelo feito a partir da reutilização de óleo de cozinha.

Com a campanha Enfrente, vamos ampliar o trabalho de prevenção ao alastramento do Covid-19, através da produção e distribuição de sabão ecológico, kits de higiene, alimentos e água potável às regiões mais afetadas pelo sistemático desabastecimento em nossas comunidades. Através das seguintes ações, realizadas sempre com o uso dos EPIs necessários, respeitando o distanciamento e as recomendações da OMS e das autoridades sanitárias:

  1. Compra dos itens das cestas básicas e material necessários para produção do material de limpeza por duas pessoas dos grupos que compõem a Rede.
  2. Montagem das cestas básicas e produção do sabão ecológico e dos materiais de limpeza no espaço do Grupo Comunidade Assumindo Suas Crianças - GCASC, em Peixinhos, e do Grupo S.O.L. - Sonho, Organização e Luta, no Alto Sol Nascente. As duas equipes são formadas por no máximo 4 (quatro) pessoas. As máscaras utilizadas pela equipe são confeccionadas por costureiras voluntárias das comunidades em isolamento social.
  3. Transporte das cestas básicas e material de limpeza para os demais grupos, realizado de modo seguro por apenas uma pessoa. O cálculo da quantidade de kits a serem distribuídos por cada grupo será proporcional à população de cada bairro.
  4. Distribuição para a população, feita nas sedes dos grupos que compõem a Rede. Será feito agendamento prévio com as famílias já listadas que moram nas regiões mais precárias destes bairros e a retirada será realizada em horários alternados de modo a evitar aglomeração e exposição das pessoas envolvidas na ação. 

Acreditamos que é dentro das nossas comunidades que estão as grandes soluções para os problemas que enfrentamos e que, com o devido apoio, temos a potência de alcançar até 1.500 famílias. Esperamos que a distribuição de alimentos assim como a produção comunitária de sabão ecológico e materiais de limpeza possam oferecer às comunidades de Olinda a mínima estrutura necessária para uma real e efetiva garantia de sua soberania alimentar e prevenção do contágio pelo Covid-19, de acordo com as diretrizes dos órgãos de saúde nas periferias tão marcadas pelo descaso e vulnerabilidade social. Todas as ações serão registradas em fotos e compartilhadas nas redes sociais da Rede Orgânica Periférica de Olinda para que os doadores possam acompanhar com transparência as ações desenvolvidas pelos grupos comunitários em Peixinhos, Alto Sol Nascente, Salgadinho, Alto da Conquista, Rio Doce e Passarinho.

A Rede Orgânica Periférica de Olinda é um coletivo criado em caráter emergencial reunindo lideranças e organizações das comunidades periféricas de Olinda como Peixinhos, Alto Sol Nascente, Salgadinho, Alto da Conquista, Rio Doce e Passarinho, que cobrem uma área com cerca de 99.293 habitantes. A Rede é composta por lideranças e grupos comunitários que historicamente tocam projetos sociais em seus territórios: Grupo Comunidade Assumindo suas Crianças (GCASC), Movimento Cultural Boca do Lixo e Biblioteca Multicultural Nascedouro, em Peixinhos;  Grupo de Teatro Atual (GTA) e Boi Mandingueiro no Alto da Bondade, Alto Sol Nascente e Mata do Ronca; Rede de Bibliotecas Comunitárias (Releitura) e Biblioteca Solar de Ler; Grupo S.O.L. (Sonho, Organização e Luta) no Alto Sol Nascente; Coletivo Sempre Vivas, em Rio Doce; Grupo Ação com Esperança, em Passarinho Alto; e o Projeto Feneaalto, no Alto da Conquista.

Desde o início da pandemia no Brasil, a Rede tem se unido e pautado a luta pela sobrevivência através de ações diretas para que as comunidades periféricas sejam colocadas como absoluta prioridade nas ações de combate à pandemia. Temos ainda cobrado do Poder Público medidas emergenciais que coloquem a periferia e a população negra como foco nos planos de ação no combate à contaminação pelo Covid-19.

As ações serão realizadas em seis comunidades da periferia de Olinda marcadas pelo descaso e vulnerabilidade social: Peixinhos, com uma população de 36.215 habitantes; Rio Doce, com 41.163 habitantes; Alto Sol Nascente, com 2.256 habitantes; Passarinho, com 5.116 habitantes; Alto da Bondade, com 9.298 habitantes; e Alto da Conquista, com 5.245 habitantes. A maior parte das pessoas nestas comunidades sobrevive do trabalho informal (uma realidade brasileira segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, já que 40,7% dos trabalhadores estão na informalidade) e depende das saídas diárias para garantir o sustento de suas famílias. Não há saneamento básico em boa parte do nosso território e o fornecimento de água é escasso. Em muitas ruas a água chega em apenas um dia na semana, por apenas uma hora de abastecimento. Os postos de saúde já apresentam falta no fornecimento de medicamentos para doenças crônicas como tuberculose e hanseníase e há falta de transparência com relação aos procedimentos para tratamento de pessoas infectadas pelo Covid-19.

É justamente nestes locais que a pandemia traz o risco de um colapso social e econômico eminente. Em muitas das ações realizadas pelos órgãos estatais e municipais, pouco se tem feito em termos de acesso a produtos que garantam a viabilidade das medidas necessárias de higiene para a prevenção do contágio pelo novo Coronavírus. Para além do problema estrutural de falta de água em nossas comunidades, não há recursos para a compra de materiais de limpeza em um momento em que já falta comida na mesa. 

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

 

Erika Cardoso do Espirito Santo ainda não publicou nenhuma notícia.

As ações da Rede Orgânica Periférica de Olinda seguem os princípios da atuação de base comunitária, com vínculos de confiança e afeto já estabelecidos com os moradores de seis bairros do município, Peixinhos, Alto Sol Nascente, Salgadinho, Alto da Conquista, Rio Doce e Passarinho. Desde o início da pandemia do coronavírus no Brasil e das medidas de isolamento social, temos distribuído cestas básicas e produzido sabão ecológico e materiais de limpeza como ações de apoio às comunidades. Com esta atuação de base, já conseguimos alcançar 387 famílias e produzir 520 litros de cloro, 520 litros de detergente, 2.600 litros de água sanitária (a cada litro de cloro podemos produzir até 6 litros de água sanitária) e 525 barras de sabão ecológico amarelo feito a partir da reutilização de óleo de cozinha.

Com a campanha Enfrente, vamos ampliar o trabalho de prevenção ao alastramento do Covid-19, através da produção e distribuição de sabão ecológico, kits de higiene, alimentos e água potável às regiões mais afetadas pelo sistemático desabastecimento em nossas comunidades. Através das seguintes ações, realizadas sempre com o uso dos EPIs necessários, respeitando o distanciamento e as recomendações da OMS e das autoridades sanitárias:

  1. Compra dos itens das cestas básicas e material necessários para produção do material de limpeza por duas pessoas dos grupos que compõem a Rede.
  2. Montagem das cestas básicas e produção do sabão ecológico e dos materiais de limpeza no espaço do Grupo Comunidade Assumindo Suas Crianças - GCASC, em Peixinhos, e do Grupo S.O.L. - Sonho, Organização e Luta, no Alto Sol Nascente. As duas equipes são formadas por no máximo 4 (quatro) pessoas. As máscaras utilizadas pela equipe são confeccionadas por costureiras voluntárias das comunidades em isolamento social.
  3. Transporte das cestas básicas e material de limpeza para os demais grupos, realizado de modo seguro por apenas uma pessoa. O cálculo da quantidade de kits a serem distribuídos por cada grupo será proporcional à população de cada bairro.
  4. Distribuição para a população, feita nas sedes dos grupos que compõem a Rede. Será feito agendamento prévio com as famílias já listadas que moram nas regiões mais precárias destes bairros e a retirada será realizada em horários alternados de modo a evitar aglomeração e exposição das pessoas envolvidas na ação. 

Acreditamos que é dentro das nossas comunidades que estão as grandes soluções para os problemas que enfrentamos e que, com o devido apoio, temos a potência de alcançar até 1.500 famílias. Esperamos que a distribuição de alimentos assim como a produção comunitária de sabão ecológico e materiais de limpeza possam oferecer às comunidades de Olinda a mínima estrutura necessária para uma real e efetiva garantia de sua soberania alimentar e prevenção do contágio pelo Covid-19, de acordo com as diretrizes dos órgãos de saúde nas periferias tão marcadas pelo descaso e vulnerabilidade social. Todas as ações serão registradas em fotos e compartilhadas nas redes sociais da Rede Orgânica Periférica de Olinda para que os doadores possam acompanhar com transparência as ações desenvolvidas pelos grupos comunitários em Peixinhos, Alto Sol Nascente, Salgadinho, Alto da Conquista, Rio Doce e Passarinho.

A Rede Orgânica Periférica de Olinda é um coletivo criado em caráter emergencial reunindo lideranças e organizações das comunidades periféricas de Olinda como Peixinhos, Alto Sol Nascente, Salgadinho, Alto da Conquista, Rio Doce e Passarinho, que cobrem uma área com cerca de 99.293 habitantes. A Rede é composta por lideranças e grupos comunitários que historicamente tocam projetos sociais em seus territórios: Grupo Comunidade Assumindo suas Crianças (GCASC), Movimento Cultural Boca do Lixo e Biblioteca Multicultural Nascedouro, em Peixinhos;  Grupo de Teatro Atual (GTA) e Boi Mandingueiro no Alto da Bondade, Alto Sol Nascente e Mata do Ronca; Rede de Bibliotecas Comunitárias (Releitura) e Biblioteca Solar de Ler; Grupo S.O.L. (Sonho, Organização e Luta) no Alto Sol Nascente; Coletivo Sempre Vivas, em Rio Doce; Grupo Ação com Esperança, em Passarinho Alto; e o Projeto Feneaalto, no Alto da Conquista.

Desde o início da pandemia no Brasil, a Rede tem se unido e pautado a luta pela sobrevivência através de ações diretas para que as comunidades periféricas sejam colocadas como absoluta prioridade nas ações de combate à pandemia. Temos ainda cobrado do Poder Público medidas emergenciais que coloquem a periferia e a população negra como foco nos planos de ação no combate à contaminação pelo Covid-19.

As ações serão realizadas em seis comunidades da periferia de Olinda marcadas pelo descaso e vulnerabilidade social: Peixinhos, com uma população de 36.215 habitantes; Rio Doce, com 41.163 habitantes; Alto Sol Nascente, com 2.256 habitantes; Passarinho, com 5.116 habitantes; Alto da Bondade, com 9.298 habitantes; e Alto da Conquista, com 5.245 habitantes. A maior parte das pessoas nestas comunidades sobrevive do trabalho informal (uma realidade brasileira segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, já que 40,7% dos trabalhadores estão na informalidade) e depende das saídas diárias para garantir o sustento de suas famílias. Não há saneamento básico em boa parte do nosso território e o fornecimento de água é escasso. Em muitas ruas a água chega em apenas um dia na semana, por apenas uma hora de abastecimento. Os postos de saúde já apresentam falta no fornecimento de medicamentos para doenças crônicas como tuberculose e hanseníase e há falta de transparência com relação aos procedimentos para tratamento de pessoas infectadas pelo Covid-19.

É justamente nestes locais que a pandemia traz o risco de um colapso social e econômico eminente. Em muitas das ações realizadas pelos órgãos estatais e municipais, pouco se tem feito em termos de acesso a produtos que garantam a viabilidade das medidas necessárias de higiene para a prevenção do contágio pelo novo Coronavírus. Para além do problema estrutural de falta de água em nossas comunidades, não há recursos para a compra de materiais de limpeza em um momento em que já falta comida na mesa. 

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

 

Erika Cardoso do Espirito Santo ainda não publicou nenhuma notícia.