Ponto de Apoio |

Ponto de Apoio

Oferece passeios ciclísticos gratuitos para pessoas com deficiência e idosos no Parque do Utinga, além de rodas de conversa com orientações para familiares

Projeto por: Ponto de Apoio
R$ 3.330,00
arrecadado
meta R$ 3.000,00

27 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Ponto de Apoio

Ponto de Apoio

Associação (Ong) de Belém (PA) em fase de formalização

R$ 30
Aquele empurrãozinho inicial
9 benfeitores apoiando
De pouquinho em pouquinho também se chega lá! Imagine só: se 100 pessoas com você doarem 30 reais, já temos os 3 mil necessários para adquirir mais uma bike. E, caso você autorize, faremos menção especial agradecendo sua ajuda em nossas redes sociais.
R$ 100
Pegando embalo!
14 benfeitores apoiando
Com este apoio, podemos dar um passo ainda maior. Bastam apenas mais 29 pessoas como você para a gente conseguir o recursos necessário para comprar mais uma bike para o projeto. Além de menção nas nossas redes, vamos enviar uma camiseta exclusiva dos Apoiadores do Ponto de Apoio.
R$ 1.000
Praticamente um patrocinador
1 benfeitor apoiando
Com este apoio, podemos dar um enorme avanço para adquirir mais que bicicletas. Bastam mais sete pessoas como você e alcançamos nossa meta 2, que é comprar uma carretilha para levar as bikes para outros pontos da cidade e até do interior, ajudando MUITO a logística. E aí, além de camiseta, colocaremos o nome de sua empresa ou nome no nosso site (em construção) como um dos apoiadores do projeto.
R$ 3.000
Patrocinador valendo
Seja o primeiro a apoiar!
Com esse valor, já podemos adquirir uma bike. E, assim, com outras doações, podemos comprar a carretilha e ajudar em toda logística, além de fazer o projeto crescer em todos os sentidos. Com isso, vamos incluir o nome de sua empresa em nossos banneres e material de divulgação. Mandar a camiseta exclusiva, claro e, ainda, te oferecer uma manhã junto com a gente, onde poderá ser um dos condutores de nossas bikes, utilizando a experiência nas suas redes, com nossa autorização.

O projeto surgiu a partir de uma experiência familiar. Para oferecer mais momentos de lazer e descontração, um dos idealizadores procurou um modelo de bicicleta com "sidecar", o carrinho ao lado. Foi feita a primeira de modo experiemental e o resultado positivo, além do interesse de pessoas que viam a bike adaptada passear por aí levou para o caminho inevitável: construir mais bicicletas e oferecer para as pessoas passeios gratuitos para pessoas com deficiência e idosos no Parque do Utinga, um espaço verde e de contato próximo com a floresta na capital paraense. 


O projeto conta com voluntários que conduzem as bikes. Mas, se o familiar ou amigo se sentir seguro e confortável, pode ele mesmo pedalar, sendo acompanhado por um guia voluntário. Atualmente, o projeto ocorre sempre no primeiro final de semana de cada mês e conta com cinco bicicletas adaptadas. 


Como ainda não possui patrocínio de empresas e está se estruturando formalmente, a solução do financiamento coletivo é a melhor escolha. Assim, muitos podem ajudar outros, colaborando com um pouco que, somado ao que for doado por outros, rapidamente é mais que suficiente! Mas, lembre-se: é tudo ou nada. Ou conseguimos viabilizar toda a primeira meta ou o dinheiro será devolvido a todos. Mas, com certeza, teremos muita gente ajudando e vamos rapidinho conquistar as outras metas, que inclui a compra de uma carretilha para transportar as bikes e oferecer o projeto em outros pontos de Blém e cidades do interior.

As bicicletas são artesanais, construídas por Robin Van, holandês radicado em Ananindeua e que cobra praticamente o preço de custo. Assim, ao ajudar o projeto, não só viabiliza mais passeios, mas também estimula a fabricação caseira e a cultura da bicicleta e da inclusão de pessoas com deficiência em espaços públicos. 

Geralmente, pessoas com deficiência ou idosos com dificuldade de locomoção ficam confinados ao ambiente doméstico. O contato com o ambiente externo e a natureza ajuda na auto estima e na reabilitação. Promove sorrisos e momentos mais leves, inclusive para os familiares. 

Quem frequenta o parque e se vê compartilhando as pistas com esse grupo, percebe que o espaço público é de todos e a inclusão é a palavra de ordem hoje. Os voluntários do pedal ganham duas vezes: ajudam o próximo e ainda fazem exercício. E quem financia tudo isso pode acompanhar o crescimento do projeto e a quantidade de pessoas beneficiadas. 

Para se manter informado do projeto, acesse nossas redes
Facebook: Fb.com/pontodeapoiopa
Instagram: @pontodeapoiopa

Email: pontodeapoiopa@gmail.com
 

O projeto surgiu a partir de uma experiência familiar. Para oferecer mais momentos de lazer e descontração, um dos idealizadores procurou um modelo de bicicleta com "sidecar", o carrinho ao lado. Foi feita a primeira de modo experiemental e o resultado positivo, além do interesse de pessoas que viam a bike adaptada passear por aí levou para o caminho inevitável: construir mais bicicletas e oferecer para as pessoas passeios gratuitos para pessoas com deficiência e idosos no Parque do Utinga, um espaço verde e de contato próximo com a floresta na capital paraense. 


O projeto conta com voluntários que conduzem as bikes. Mas, se o familiar ou amigo se sentir seguro e confortável, pode ele mesmo pedalar, sendo acompanhado por um guia voluntário. Atualmente, o projeto ocorre sempre no primeiro final de semana de cada mês e conta com cinco bicicletas adaptadas. 


Como ainda não possui patrocínio de empresas e está se estruturando formalmente, a solução do financiamento coletivo é a melhor escolha. Assim, muitos podem ajudar outros, colaborando com um pouco que, somado ao que for doado por outros, rapidamente é mais que suficiente! Mas, lembre-se: é tudo ou nada. Ou conseguimos viabilizar toda a primeira meta ou o dinheiro será devolvido a todos. Mas, com certeza, teremos muita gente ajudando e vamos rapidinho conquistar as outras metas, que inclui a compra de uma carretilha para transportar as bikes e oferecer o projeto em outros pontos de Blém e cidades do interior.

As bicicletas são artesanais, construídas por Robin Van, holandês radicado em Ananindeua e que cobra praticamente o preço de custo. Assim, ao ajudar o projeto, não só viabiliza mais passeios, mas também estimula a fabricação caseira e a cultura da bicicleta e da inclusão de pessoas com deficiência em espaços públicos. 

Geralmente, pessoas com deficiência ou idosos com dificuldade de locomoção ficam confinados ao ambiente doméstico. O contato com o ambiente externo e a natureza ajuda na auto estima e na reabilitação. Promove sorrisos e momentos mais leves, inclusive para os familiares. 

Quem frequenta o parque e se vê compartilhando as pistas com esse grupo, percebe que o espaço público é de todos e a inclusão é a palavra de ordem hoje. Os voluntários do pedal ganham duas vezes: ajudam o próximo e ainda fazem exercício. E quem financia tudo isso pode acompanhar o crescimento do projeto e a quantidade de pessoas beneficiadas. 

Para se manter informado do projeto, acesse nossas redes
Facebook: Fb.com/pontodeapoiopa
Instagram: @pontodeapoiopa

Email: pontodeapoiopa@gmail.com
 

Ponto de Apoio ainda não publicou nenhuma notícia.