[SP] Pretação Arte Para TODES |

[SP] Pretação Arte Para TODES

Ajude a Pretação continuar desenvolvendo projetos artísticos que levam diversidade racial, social e de gênero para os espaços de arte.

Projeto por: Andrea Aparecida Jesus mendes
R$ 15.030,00
arrecadado
meta R$ 15.000,00

39 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Andrea Aparecida Jesus mendes

Andrea Aparecida Jesus mendes
R$ 10
Tô Junto pela arte
9 benfeitores apoiando
Receba toda nossa gratidão em forma de abraço virtual! E saiba que está ajudando a levar arte com diversidade para muita gente. Como forma de agradecimento você participará do sorteio de uma obra da artista Andrea Mendes.

21 disponíveis.
R$ 25
Tem arte e diversidade, eu apoio!
8 benfeitores apoiando
Ajudando aqui você receberá um e-mail personalizado de agradecimento!

12 disponíveis.
R$ 50
Arte antirracista, eu apoio!
13 benfeitores apoiando
Ajudando aqui você receberá uma arte postal digital via e-mail.

7 disponíveis.
R$ 100
Democratizar a arte, eu apoio!
5 benfeitores apoiando
Convite para o vernissage exposição coletiva do coletivo Pretas InCorporações + uma arte postal digital via e-mail.

10 disponíveis.
R$ 300
Arte para todas, todes e todos, eu apoio
2 benfeitores apoiando
Apoiando aqui você receberá um convite para o vernissage e fará parte do grupo de visita guiada à exposição do coletivo Pretas InCorporações.

8 disponíveis.

A Pretação nasce de forma intuitiva nasce em 2016 na Região de Campinas interior de São Paulo, quando sua fundadora, a Artista e Curadora Andrea Mendes, que já participava de exposições onde era a única representante Preta, se inquieta com a ausência de outras iguais e decide começar a estudar curadoria e propõe um chamamento para uma mostra coletiva que foi um sucesso de público. No primeiro momento a Pretação era apenas uma marca social, com projetos subsidiados pela própria fundadora da marca e parceiros. Passa a ser ferramenta com a missão democratizar e descolonizar as artes visuais, através de projetos de exposições e educativos, apresentados em espaços públicos e privados a fim de promover reconhecimento e valorização da arte e artistas Pretes emergentes. Levando diversidade social, racial e de gênero para espaços de arte, contribuindo para o aumento do repertório cultural, a formação e o pertencimento dos públicos dos ditos “grupos minoritários” em acesso como a população preta, indígena, periférica e LGBTQIA+.

Só após 2 anos que a marca é institucionalizada e passa a se tornar um afro empreendimento cultural. Se tornando um elo entre artistas e espaços de arte. 

Em 5 anos de existência a Pretação coleciona exposições, formações, oficinas, projetos educativos em espaços como SESI Campinas, Pinacoteca de Jundiaí, MIS Campinas, Museu de Santa Bárbara D'Oeste, Museu da Cidade Salto, Galeria Subsolo Campinas. Trabalhos em Arte Educação no Tomie Ohtake São Paulo, SESC Jundiaí, SESI Campinas, SESI Atibaia, SESI Jundiaí, Unicamp, Museu de Santa B, levando sempre discussões atuais sobre a arte, buscando referências teóricas e artísticas afro centradas com objetivo de tornar a arte mais pariforme.

Apesar da arte visual ter uma narrativa marcadamente branca, com déficit na exibição e indicações de artistas pretas, a Pretação tem conseguido ressignificar este lugar, pensando suas produções artísticas e maneiras de adentrar os espaços antes distantes. Oportunizando aos espaços de arte a possibilidade de acesso a artistas e obras com qualidade e conceito, democratizando as apresentações visuais, com o lema representatividade para além da representação. Garantindo assim que todos os públicos se sintam pertencentes a estes espaços, em especial os afro-indígenas, periféricos antes retratados por códigos que diminuem e ou ocultam a sua humanidade e agora ocupando o lugar de representatividade. 

25% do dinheiro será investido para pagar os custos de impostos atrasados por falta de receita devido a pandemia.

25% para investir na profissionalização das redes sociais e criação de uma galeria virtual para que possamos mesmo no cenário de pandemia continuar desenvolvendo exposições.

25% será destinado para manutenção das despesas fixas: taxas de banco, internet e energia, pró-labore empreendedora. 

25% exposição presencial ou virtual coletivo Pretas inCorporações

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$15.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 1.500.000,00 ( um milhão e 500 mil reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo para recuperação de micro e pequenos negócios das periferias afetados pela pandemia. O Fundo Colaborativo segue aberto para novos parceiros que desejam destinar recursos para as periferias urbanas brasileiras.

 

Andrea Aparecida Jesus mendes ainda não publicou nenhuma notícia.

A Pretação nasce de forma intuitiva nasce em 2016 na Região de Campinas interior de São Paulo, quando sua fundadora, a Artista e Curadora Andrea Mendes, que já participava de exposições onde era a única representante Preta, se inquieta com a ausência de outras iguais e decide começar a estudar curadoria e propõe um chamamento para uma mostra coletiva que foi um sucesso de público. No primeiro momento a Pretação era apenas uma marca social, com projetos subsidiados pela própria fundadora da marca e parceiros. Passa a ser ferramenta com a missão democratizar e descolonizar as artes visuais, através de projetos de exposições e educativos, apresentados em espaços públicos e privados a fim de promover reconhecimento e valorização da arte e artistas Pretes emergentes. Levando diversidade social, racial e de gênero para espaços de arte, contribuindo para o aumento do repertório cultural, a formação e o pertencimento dos públicos dos ditos “grupos minoritários” em acesso como a população preta, indígena, periférica e LGBTQIA+.

Só após 2 anos que a marca é institucionalizada e passa a se tornar um afro empreendimento cultural. Se tornando um elo entre artistas e espaços de arte. 

Em 5 anos de existência a Pretação coleciona exposições, formações, oficinas, projetos educativos em espaços como SESI Campinas, Pinacoteca de Jundiaí, MIS Campinas, Museu de Santa Bárbara D'Oeste, Museu da Cidade Salto, Galeria Subsolo Campinas. Trabalhos em Arte Educação no Tomie Ohtake São Paulo, SESC Jundiaí, SESI Campinas, SESI Atibaia, SESI Jundiaí, Unicamp, Museu de Santa B, levando sempre discussões atuais sobre a arte, buscando referências teóricas e artísticas afro centradas com objetivo de tornar a arte mais pariforme.

Apesar da arte visual ter uma narrativa marcadamente branca, com déficit na exibição e indicações de artistas pretas, a Pretação tem conseguido ressignificar este lugar, pensando suas produções artísticas e maneiras de adentrar os espaços antes distantes. Oportunizando aos espaços de arte a possibilidade de acesso a artistas e obras com qualidade e conceito, democratizando as apresentações visuais, com o lema representatividade para além da representação. Garantindo assim que todos os públicos se sintam pertencentes a estes espaços, em especial os afro-indígenas, periféricos antes retratados por códigos que diminuem e ou ocultam a sua humanidade e agora ocupando o lugar de representatividade. 

25% do dinheiro será investido para pagar os custos de impostos atrasados por falta de receita devido a pandemia.

25% para investir na profissionalização das redes sociais e criação de uma galeria virtual para que possamos mesmo no cenário de pandemia continuar desenvolvendo exposições.

25% será destinado para manutenção das despesas fixas: taxas de banco, internet e energia, pró-labore empreendedora. 

25% exposição presencial ou virtual coletivo Pretas inCorporações

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$15.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 1.500.000,00 ( um milhão e 500 mil reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo para recuperação de micro e pequenos negócios das periferias afetados pela pandemia. O Fundo Colaborativo segue aberto para novos parceiros que desejam destinar recursos para as periferias urbanas brasileiras.

 

Andrea Aparecida Jesus mendes ainda não publicou nenhuma notícia.