É PRO MEU TCC | VIDEOCLIPE |

É PRO MEU TCC | VIDEOCLIPE

Produção de um videoclipe que abarca discussões múltiplas sobre identidades negras pertencentes ao espectro LGBTQIA+.

Projeto por: Vinícius Teófilo da Silva Santos
R$ 1.040,00
arrecadado
meta R$ 1.000,00

26
benfeitores

104%
arrecadado

30
horas restantes

A primeira meta foi batida! O projeto será realizado, mas a arrecadação continua até 12/11/2019 - 23:59

POR

Vinícius Teófilo da Silva Santos

Vinícius Teófilo da Silva Santos

R$ 10
Tá babado, mas quero ajudar!
7 benfeitores apoiando
Entendemos que a crise também bateu na sua porta e mesmo assim você resolveu nos ajudar. Muito obrigado! Seu nome aparecerá nos créditos do videoclipe e você receberá um cartão virtual de agradecimento.
R$ 20
Quero espalhar essa mensagem!
7 benfeitores apoiando
Além do agradecimento e do cartão virtual, você também receberá uma cartela contendo 3 adesivos personalizados com a temática do videoclipe para colar por aí.
R$ 30
Geladeira milituda!
6 benfeitores apoiando
MILITOU! Você receberá um imã de geladeira personalizado com a temática do videoclipe, além das recompensas anteriores.
R$ 50
Poster A3 com arte digital!
4 benfeitores apoiando
Ao invés do DVD, você receberá esse poster em A3 com arte digital exclusiva feita por Larissa Soledade (@maodevenus), carregado de simbolismo e representatividade LGBTQIA+ negra. Além disso, também levará o imã, os adesivos e os agradecimentos.
R$ 50
Quero aprofundar nessa discussão!
2 benfeitores apoiando
Você receberá um DVD exclusivo do documentário AFEMI (dirigido por Vinícius Teófilo), o qual aborda as opressões vividas por jovens gays afeminados e propõe uma discussão acerca da normatividade imposta sobre corpos masculinos. Além disso, levará também o imã, os adesivos e os agradecimentos.
R$ 100
Apoio total! Arrasem!
2 benfeitores apoiando
UAU! Você quer ajudar mesmo!!!!! Por isso, você receberá uma Ecobag com estampa exclusiva na temática do videoclipe, além do poster A3, DVD AFEMI, imã, adesivos e agradecimentos. MUITO OBRIGADO!

Não encontrou o que queria?

Apoie com qualquer valor

Para nosso trabalho de conclusão de curso, gostaríamos de produzir um videoclipe que abarque discussões múltiplas sobre identidades negras pertencentes ao espectro LGBTQIA+. Precisamos de sua ajuda para fomentar uma mensagem de valorização e enaltecimento da diversidade.
Conheça melhor nossa proposta e colabore com nossa missão!


Somos Thiago Fontes e Vinícius Teófilo, dois estudantes na reta final do curso de Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV. Durante nossa trajetória na universidade, buscamos sempre estar aliados às causas sociais e ao reconhecimento do uso da informação como forma de enfrentamento a favor de grupos marginalizados, principalmente por entender que a comunicação deve ser uma ferramenta de benefício para a sociedade em geral. Dessa forma, constatamos que nosso trabalho de conclusão de curso, o famoso (e temido) TCC, não poderia possuir uma temática que não abraçasse grupos minoritários socialmente, então, a partir dessa premissa, chegamos a um projeto com conteúdo o qual nos conecta e nos fortalece: a causa LGBTQIA+ protagonizada por corpos negros através dos recursos técnicos e estéticos do audiovisual; em específico, o videoclipe. Por meio da música, arte, performance e vídeo, trabalharemos para provocar visibilidade e autoafirmação à esses grupos que possuem suas reivindicações tão invisibilizadas pela grande mídia.

A produção de videoclipes no Brasil passou por uma notória mudança nesta última década, principalmente nos últimos cinco anos. O crescimento do número de lançamentos e a melhoria na qualidade das produções é notória, mas para além do reconhecimento, o videoclipe é um grande elemento cultural da contemporaneidade, e suas diversas formas de distribuição o caracterizam enquanto um artifício importante para a difusão de informação à população. Elencadas essas características, partimos para um panorama social do Brasil. O país passa por um momento de crescente violência contra negros e LGBTQIA+s; segundo números disponibilizados no Atlas da Violência 2019, 75,5% das vítimas de homicídio são negras. Já a ONG Grupo Gay da Bahia (GGB) contabilizou uma morte no grupo LGBTQIA+ a cada 19 horas. E não para por aí! Ainda existem outras violências, como a simbólica, a qual se apresenta em diversos aspectos, inclusive por meio de salários menores, oportunidades de emprego reduzidas e uma representatividade midiática escassa e muitas vezes distorcida do real, o que pode causar danos a saúde mental desta parcela da população. Então, entendemos que a produção de um material que objetive a desconstrução de conceitos pouco discutidos e busque debater as violências que LGBTQIA+s pretos estão submetidos é extremamente crucial no cenário atual, além de celebrar a beleza e ancestralidade que esses corpos carregam.

Para execução integral do projeto, contamos com a ajuda de uma equipe de colegas do curso e atores que prontamente se disponibilizaram para participar das gravações do material (que não possui fins lucrativos). Ainda que tenhamos esse apoio, o financiamento coletivo do projeto é primordial para a realização do videoclipe, pois os nossos custos incluem alimentação e transporte para uma equipe com cerca de 10 pessoas durante 4 dias de gravação, além de gastos com a compra de equipamentos de luz, cenário e figurino. Então, se interessou e quer colaborar conosco? Levantamos algumas recompensas nas diversas faixas de valores, para que você possa contribuir da forma que puder, fomentar um material de interesse público e social, além de garantir a certeza de que também é realizador(a) desse projeto!

 

 

Vinícius Teófilo da Silva Santos ainda não publicou nenhuma notícia.

Para nosso trabalho de conclusão de curso, gostaríamos de produzir um videoclipe que abarque discussões múltiplas sobre identidades negras pertencentes ao espectro LGBTQIA+. Precisamos de sua ajuda para fomentar uma mensagem de valorização e enaltecimento da diversidade.
Conheça melhor nossa proposta e colabore com nossa missão!


Somos Thiago Fontes e Vinícius Teófilo, dois estudantes na reta final do curso de Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV. Durante nossa trajetória na universidade, buscamos sempre estar aliados às causas sociais e ao reconhecimento do uso da informação como forma de enfrentamento a favor de grupos marginalizados, principalmente por entender que a comunicação deve ser uma ferramenta de benefício para a sociedade em geral. Dessa forma, constatamos que nosso trabalho de conclusão de curso, o famoso (e temido) TCC, não poderia possuir uma temática que não abraçasse grupos minoritários socialmente, então, a partir dessa premissa, chegamos a um projeto com conteúdo o qual nos conecta e nos fortalece: a causa LGBTQIA+ protagonizada por corpos negros através dos recursos técnicos e estéticos do audiovisual; em específico, o videoclipe. Por meio da música, arte, performance e vídeo, trabalharemos para provocar visibilidade e autoafirmação à esses grupos que possuem suas reivindicações tão invisibilizadas pela grande mídia.

A produção de videoclipes no Brasil passou por uma notória mudança nesta última década, principalmente nos últimos cinco anos. O crescimento do número de lançamentos e a melhoria na qualidade das produções é notória, mas para além do reconhecimento, o videoclipe é um grande elemento cultural da contemporaneidade, e suas diversas formas de distribuição o caracterizam enquanto um artifício importante para a difusão de informação à população. Elencadas essas características, partimos para um panorama social do Brasil. O país passa por um momento de crescente violência contra negros e LGBTQIA+s; segundo números disponibilizados no Atlas da Violência 2019, 75,5% das vítimas de homicídio são negras. Já a ONG Grupo Gay da Bahia (GGB) contabilizou uma morte no grupo LGBTQIA+ a cada 19 horas. E não para por aí! Ainda existem outras violências, como a simbólica, a qual se apresenta em diversos aspectos, inclusive por meio de salários menores, oportunidades de emprego reduzidas e uma representatividade midiática escassa e muitas vezes distorcida do real, o que pode causar danos a saúde mental desta parcela da população. Então, entendemos que a produção de um material que objetive a desconstrução de conceitos pouco discutidos e busque debater as violências que LGBTQIA+s pretos estão submetidos é extremamente crucial no cenário atual, além de celebrar a beleza e ancestralidade que esses corpos carregam.

Para execução integral do projeto, contamos com a ajuda de uma equipe de colegas do curso e atores que prontamente se disponibilizaram para participar das gravações do material (que não possui fins lucrativos). Ainda que tenhamos esse apoio, o financiamento coletivo do projeto é primordial para a realização do videoclipe, pois os nossos custos incluem alimentação e transporte para uma equipe com cerca de 10 pessoas durante 4 dias de gravação, além de gastos com a compra de equipamentos de luz, cenário e figurino. Então, se interessou e quer colaborar conosco? Levantamos algumas recompensas nas diversas faixas de valores, para que você possa contribuir da forma que puder, fomentar um material de interesse público e social, além de garantir a certeza de que também é realizador(a) desse projeto!

 

 

Vinícius Teófilo da Silva Santos ainda não publicou nenhuma notícia.