Ação Solidaria: Prótese para a Patinadora Alessandra Gianinni |

Ação Solidaria: Prótese para a Patinadora Alessandra Gianinni

Ajude a Alessandra Gianinni [Superação Eficiente] a conseguir uma prótese adequada para continuar na patinação.

Projeto por: Alessandra Gianinni
R$ 630,00
arrecadado
meta R$ 500,00

11 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Alessandra Gianinni

Alessandra Gianinni
R$ 10
Mensagem de agradecimento
6 benfeitores apoiando
Uma mensagem de agradecimento

Olá, meu nome é Alessandra Gianinni e eu sou amputada transfemoral. Voltei a patinar em março de 2020 (coisa que jamais imaginei ser possível novamente), e isso tem me ajudado muito a continuar me superando. Mas, infelizmente, minha prótese acabou quebrando no final deste mesmo ano.

 

Para não depender de muletas, comecei a utilizar uma do SUS (APAE BAURU), que me machucava muito e não me dava o mesmo desempenho que a outra. Foi aí que, depois de 5 anos de muita luta, finalmente consegui uma prótese do INSS. 

 

Ela é um pouco mais confortável, mas ainda não me permite realizar a patinação. Como eu tinha muita vontade de continuar nesse esporte, eu insisti! Peguei a prótese do INSS e tentei travá-la de alguma forma, mas sem sucesso.

 

Então um amigo amputado me doou um joelho hidráulico usado, igual ao que eu tinha antes, porém com o pistão quebrado. Nós o adaptamos e travamos, porque ele permite uma angulação de 15°. Primeiramente travamos com abraçadeiras de nylon, mas elas estouravam por conta do impacto. Tentamos amarrar com arame, mas nas quedas eles também quebravam. Chegamos até a testar uma trava de porta de carro, que também quebrou. Hoje, ela está com um cabo de aço, que torcemos para que aguente os impactos até eu conseguir uma nova.

 

A APAE Bauru ainda se disponibilizou a montar o que faltava da prótese para eu usar o joelho, mas a gente viu que, com o impacto do esporte, ainda não daria pra praticar com segurança. Pois em qualquer queda o joelho desarma, uma vez que o ângulo de 15° é muito pouco para a prática da patinação. Ela precisaria dobrar muito mais: de 30° a 45°.

 

Mesmo sabendo que o preço é infinitamente acima do que posso pagar, comecei a pesquisar os tipos prótese que dariam certo. Foi quando a clínica H3CLINIC entrou em contato e resolveu me ajudar a pesquisar. Cotamos o primeiro orçamento, optando pelo joelho hidráulico, porque o custo é menor. 

 

A clínica se dispôs a doar uma parte do valor da prótese, as manutenções necessárias e ainda a oportunidade de fazer testes pra ver qual seria a ideal para patinar. 

 

Foi quando minhas esperanças começaram a aumentar.

 

Mas, pra começarmos os testes, preciso ter o valor integral do restante do orçamento: R$ 35.000,00.

 

Por isso eu preciso muito da sua ajuda pra conseguir esse valor. Antes do acidente, eu era assistente de um escritório. Hoje eu só recebo auxílio do governo, e a Justiça ainda não fez o motorista bêbado que me atropelou e matou o meu noivo me indenizar.

 

Por isso criei esta campanha. Qualquer ajuda que você der vai fazer a diferença. Compartilhe esta página com seus amigos, também. 

 

Ah, se você tiver uma empresa, a gente pode fazer uma parceria nas redes sociais. Eu teria muito prazer em promover uma empresa que se disponha a me ajudar em algo tão importante! 

 

Doe aqui pela Benfeitoria, ou entre em contato comigo, se preferir. É só buscar por @alessandra_gianinni / Superação Eficiente nas redes. 

 

Muito obrigada! ❤️

Alessandra Gianinni ainda não publicou nenhuma notícia.

Olá, meu nome é Alessandra Gianinni e eu sou amputada transfemoral. Voltei a patinar em março de 2020 (coisa que jamais imaginei ser possível novamente), e isso tem me ajudado muito a continuar me superando. Mas, infelizmente, minha prótese acabou quebrando no final deste mesmo ano.

 

Para não depender de muletas, comecei a utilizar uma do SUS (APAE BAURU), que me machucava muito e não me dava o mesmo desempenho que a outra. Foi aí que, depois de 5 anos de muita luta, finalmente consegui uma prótese do INSS. 

 

Ela é um pouco mais confortável, mas ainda não me permite realizar a patinação. Como eu tinha muita vontade de continuar nesse esporte, eu insisti! Peguei a prótese do INSS e tentei travá-la de alguma forma, mas sem sucesso.

 

Então um amigo amputado me doou um joelho hidráulico usado, igual ao que eu tinha antes, porém com o pistão quebrado. Nós o adaptamos e travamos, porque ele permite uma angulação de 15°. Primeiramente travamos com abraçadeiras de nylon, mas elas estouravam por conta do impacto. Tentamos amarrar com arame, mas nas quedas eles também quebravam. Chegamos até a testar uma trava de porta de carro, que também quebrou. Hoje, ela está com um cabo de aço, que torcemos para que aguente os impactos até eu conseguir uma nova.

 

A APAE Bauru ainda se disponibilizou a montar o que faltava da prótese para eu usar o joelho, mas a gente viu que, com o impacto do esporte, ainda não daria pra praticar com segurança. Pois em qualquer queda o joelho desarma, uma vez que o ângulo de 15° é muito pouco para a prática da patinação. Ela precisaria dobrar muito mais: de 30° a 45°.

 

Mesmo sabendo que o preço é infinitamente acima do que posso pagar, comecei a pesquisar os tipos prótese que dariam certo. Foi quando a clínica H3CLINIC entrou em contato e resolveu me ajudar a pesquisar. Cotamos o primeiro orçamento, optando pelo joelho hidráulico, porque o custo é menor. 

 

A clínica se dispôs a doar uma parte do valor da prótese, as manutenções necessárias e ainda a oportunidade de fazer testes pra ver qual seria a ideal para patinar. 

 

Foi quando minhas esperanças começaram a aumentar.

 

Mas, pra começarmos os testes, preciso ter o valor integral do restante do orçamento: R$ 35.000,00.

 

Por isso eu preciso muito da sua ajuda pra conseguir esse valor. Antes do acidente, eu era assistente de um escritório. Hoje eu só recebo auxílio do governo, e a Justiça ainda não fez o motorista bêbado que me atropelou e matou o meu noivo me indenizar.

 

Por isso criei esta campanha. Qualquer ajuda que você der vai fazer a diferença. Compartilhe esta página com seus amigos, também. 

 

Ah, se você tiver uma empresa, a gente pode fazer uma parceria nas redes sociais. Eu teria muito prazer em promover uma empresa que se disponha a me ajudar em algo tão importante! 

 

Doe aqui pela Benfeitoria, ou entre em contato comigo, se preferir. É só buscar por @alessandra_gianinni / Superação Eficiente nas redes. 

 

Muito obrigada! ❤️

Alessandra Gianinni ainda não publicou nenhuma notícia.