Putta |

Putta

Documentário sobre a vida de três prostitutas

Projeto por: Lilian Moreira de Alcantara
R$ 3.335,00
arrecadado
meta R$ 3.000,00

61 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Lilian Moreira de Alcantara

Lilian Moreira de Alcantara

Mineira, formada em Cinema e Audiovisual pena UNILA (Univ. Fed. da Integração Latino-Americana).

R$ 15
Puttinha
14 benfeitores apoiando
Agradecimento nos créditos e no blog do filme!
R$ 25
Putta da esquina
12 benfeitores apoiando
Agradecimentos anteriores + adesivo do filme!
R$ 50
Putta de bordel
18 benfeitores apoiando
Anteriores + link oculto para ver o filme online!
R$ 75
Putta de Luxo
3 benfeitores apoiando
Anteriores + DVD do filme!
R$ 100
Puttona
5 benfeitores apoiando
Anteriores + porta camisinha/preservativo exclusivo do putta!
R$ 150
Cafettina
3 benfeitores apoiando
Anteriores + poster exclusivo (tam: A3 42 x 29,7cm)!
R$ 500
Apoio empresarial
1 benfeitor apoiando
Todas as recompensas + Logo nos créditos como apoio!
R$ 1.000
Patrocinadora
Seja o primeiro a apoiar!
Recompensa anteriores + Logo no início do filme + Logo em todos materiais de divulgação!

Putta

 

Putta é o nome da deusa da poda, filha de Deméter com Triptólemo, filho do rei Eleusis. Seu nome, do latim, significa menina. Seguidora de Dionísio, as oferendas e pedidos para a deusa Putta, fosse na época da poda ou mesmo aqueles ligados à fertilidade, sempre estiveram ligados a festas e orgias. Daí as seguidoras da deusa passaram a ser conhecidas como “puttas” - por fazerem festas e sexo para a deusa, onde qualquer um podia participar mediante pagamento.

 

Seriam todas as putas deusas?

Putta é um documentário realizado por estudantes de Cinema e Audiovisual da Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) e que pretende contar a história de três prostitutas, suas vidas e seus cotidianos, construindo uma nova percepção sobre estas mulheres que se dedicam ao trabalho sexual.

No atual modelo de sociedade, no qual discutir a prostituição é discutir os direitos das mulheres, os direitos trabalhistas e os estereótipos criados sobre as prostitutas, ouvir as puttas é urgente e necessário. Assim, o documentário buscará tratar de questões ligadas a um imaginário social muito antigo (mais antigo até que a primeira profissão do mundo), a partir dos enredos traçados pelos depoimentos das três puttas que iremos apresentar.

 

Produção

 

O documentário está sendo produzido integralmente por alunos da Unila, com o apoio da universidade somente no empréstimo de equipamentos. Os demais custos de produção, como transporte, impressões, backup dos arquivos, material de arte, maquiagem, vestuário e despesas emergenciais não possuem qualquer tipo de suporte. Apesar da falta de apoio, o material final deverá ser defendido como trabalho de conclusão de curso de cinco alunos de Cinema e Audiovisual no mês de dezembro de 2015. Por isto a necessidade de financiamento colaborativo, participativo e coletivo, através do Benfeitoria.

O financiamento aqui funciona assim: você acredita no nosso projeto, apoia ele financeiramente e passa a fazer parte dele, além de ficarmos todos contentes com o andamento do projeto o colaborador receberá alguns agradecimentos, de acordo com a tabela ao lado. Se até o fim da campanha atingirmos a meta então o documentário poderá ser produzido!! Se não atingirmos a meta o dinheiro é devolvido aos colaboradores, sem perdas para nenhum lado. Bora Ajudar?

 

Equipe

Lílian – Direção e Roteiro

Camila Larroca – Assistência de Direção e Direção de Arte

Atilon – Direção de Fotografia

Adriano – Direção de Som e Montagem

Adolfo – Produção e Direção de Atrizes

Atílio - Assistente de Som

Camila Vital – Assistente de Produção

Luis – Assistente de Fotografia

 

Contatos

 

Para acompanhar diários de produção, fotos de makingoff, notícias sobre temas ligados ao assunto sigam nosso blog e nossa fanpage:

 

umaputta.blogspot.com

 

facebook.com/puttadoc

 

 

Nunca foi tão fácil ser produtor exeecutivo!

Você pode ajudar o projeto colaborando financeiramente com valores pré-definidos ao lado. Para outros valores ou doações em nome de empresas, podem clicar em "apoiar esta campanha" e selecionar o próprio valor. Se não puder apoiar desta forma, pode ajudar o projeto compartilhando nossos links e acompanhando nossas páginas.

Se alcançarmos 3.000 poderemos financiar o projeto, a partir de 5.000 podemos pensar em prolongar o tempo do filme, promover ampla difusão do material após editado, e contratar serviços de melhorias técnias de pós-produção. Por tudo isso não deixe de ajudar, a partir de 15 reais você já é um financiador, benfeitor, uma putta. Afinal, QUAL SEU PREÇO?

Um pouco do andamento de nossas filmagens

 

 

* Sobre as recompensas o envío é gratuito para Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, para outros países o frete das recompensas é de responsabilidade do colaborador.

 

Putta

 

Putta é o nome da deusa da poda, filha de Deméter com Triptólemo, filho do rei Eleusis. Seu nome, do latim, significa menina. Seguidora de Dionísio, as oferendas e pedidos para a deusa Putta, fosse na época da poda ou mesmo aqueles ligados à fertilidade, sempre estiveram ligados a festas e orgias. Daí as seguidoras da deusa passaram a ser conhecidas como “puttas” - por fazerem festas e sexo para a deusa, onde qualquer um podia participar mediante pagamento.

 

Seriam todas as putas deusas?

Putta é um documentário realizado por estudantes de Cinema e Audiovisual da Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) e que pretende contar a história de três prostitutas, suas vidas e seus cotidianos, construindo uma nova percepção sobre estas mulheres que se dedicam ao trabalho sexual.

No atual modelo de sociedade, no qual discutir a prostituição é discutir os direitos das mulheres, os direitos trabalhistas e os estereótipos criados sobre as prostitutas, ouvir as puttas é urgente e necessário. Assim, o documentário buscará tratar de questões ligadas a um imaginário social muito antigo (mais antigo até que a primeira profissão do mundo), a partir dos enredos traçados pelos depoimentos das três puttas que iremos apresentar.

 

Produção

 

O documentário está sendo produzido integralmente por alunos da Unila, com o apoio da universidade somente no empréstimo de equipamentos. Os demais custos de produção, como transporte, impressões, backup dos arquivos, material de arte, maquiagem, vestuário e despesas emergenciais não possuem qualquer tipo de suporte. Apesar da falta de apoio, o material final deverá ser defendido como trabalho de conclusão de curso de cinco alunos de Cinema e Audiovisual no mês de dezembro de 2015. Por isto a necessidade de financiamento colaborativo, participativo e coletivo, através do Benfeitoria.

O financiamento aqui funciona assim: você acredita no nosso projeto, apoia ele financeiramente e passa a fazer parte dele, além de ficarmos todos contentes com o andamento do projeto o colaborador receberá alguns agradecimentos, de acordo com a tabela ao lado. Se até o fim da campanha atingirmos a meta então o documentário poderá ser produzido!! Se não atingirmos a meta o dinheiro é devolvido aos colaboradores, sem perdas para nenhum lado. Bora Ajudar?

 

Equipe

Lílian – Direção e Roteiro

Camila Larroca – Assistência de Direção e Direção de Arte

Atilon – Direção de Fotografia

Adriano – Direção de Som e Montagem

Adolfo – Produção e Direção de Atrizes

Atílio - Assistente de Som

Camila Vital – Assistente de Produção

Luis – Assistente de Fotografia

 

Contatos

 

Para acompanhar diários de produção, fotos de makingoff, notícias sobre temas ligados ao assunto sigam nosso blog e nossa fanpage:

 

umaputta.blogspot.com

 

facebook.com/puttadoc

 

 

Nunca foi tão fácil ser produtor exeecutivo!

Você pode ajudar o projeto colaborando financeiramente com valores pré-definidos ao lado. Para outros valores ou doações em nome de empresas, podem clicar em "apoiar esta campanha" e selecionar o próprio valor. Se não puder apoiar desta forma, pode ajudar o projeto compartilhando nossos links e acompanhando nossas páginas.

Se alcançarmos 3.000 poderemos financiar o projeto, a partir de 5.000 podemos pensar em prolongar o tempo do filme, promover ampla difusão do material após editado, e contratar serviços de melhorias técnias de pós-produção. Por tudo isso não deixe de ajudar, a partir de 15 reais você já é um financiador, benfeitor, uma putta. Afinal, QUAL SEU PREÇO?

Um pouco do andamento de nossas filmagens

 

 

* Sobre as recompensas o envío é gratuito para Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, para outros países o frete das recompensas é de responsabilidade do colaborador.

 

10 camisinhas femininas

Em: 14/10/2015 12:12

Quem quer experimentar a camisinha feminina? Vamos distribuir 10 para os primeiros 10 doadores (para valores acima de 15 reais), a partir de agora 9h10 de 14 de outubro.

Avante puttas!


Primeiro objetivo

Em: 13/10/2015 12:30

 

Genteee, muito obrigadaaaa! Atingimos o primeiro objetivo, já não somos puttas endividadas e o putteiro é nosso!

Quem ainda não pagou os boletos, quem ainda puder ajudar, daqui pra frente toda grana entra na negociação pra aumentar o tempo de duração do filme e talvez até o número de entrevistadas!

Muito, muito obrigada!

Pra comemorar hoje tem Projeção Um Beijo Pra Gabriela !!! Vamos todxs.

*La garrotera é o piripaque (do Chaves


Novo Teaser!

Em: 09/10/2015 15:41

https://youtu.be/XYaWdxabjU0


Ultrapassamos os primeiros 50%

Em: 04/10/2015 22:24

Fazer um filme é uma sensação única.

Em 2012, quando começamos a estudar cinema, era muito difícil "desconceber " o imaginário que tínhamos sobre cinema e aceitar toda a leva academicista e teórica que aos poucos íamos engolindo. Aos poucos vimos que só era possível deglutir tanta informação produzindo. Cada vez que pisamos num set é como atravessar ao outro lado do espelho, não há realidade que nos separe da ficção, não há documentário que não é ficcional, não há ficção que não é documental, tudo aquilo que lemos faz sentido, de uma maneira bem mais mágica.

Agora, o peso é bem maior. Falar de tema tão complicado como a prostituição, ouvir em set histórias tão pesadas, bonitas, engraçadas e não poder rir, nem chorar. As entrevistas são muito sérias, cada um concentrado no som, na fotografia, na continuidade, nas perguntas, nas tabelas a serem preenchidas. O cinema antes da tela. É muito pesado roubar a história do outro assim, editá-la e transformar na história que queremos contar.

Quando começamos a campanha não tínhamos noção de quanta gente atrairíamos, como a responsabilidade cresceria. Nos bares da tríplice fronteira nos questionam, visões políticas e sociais, feminismo. Amigos e desconhecidos contam suas histórias pra gente, descobrimos como a prostituição está muito mais próxima de nós, que nós dela. Nossos ouvidos vão virando confessionários.

Cada um que ajuda a campanha aporta sua visão ao documentário, mas no final das contas só as entrevistadas terão voz. Sabemos que editar é manipular o discurso, mas como editar sem recriar o discurso que nos foi confessado? Como não implicar nossa opinião acima da realidade que queríamos, lá no início, mostrar? Corresponder a todas expectativas, sejam estéticas, cinematográficas, profissionais, estudantis, sociais, políticas.

O Putta vai sendo parido a várias mãos. E cada vez que somos questionados somos impulsionados a fazer algo melhor pensado, melhor estruturado, mais abrangente. Acreditamos que o sistema de arrecadação comunitária trouxe para o cinema a participação do espectador na produção de cinema. Estamos nos realizando! Pensamos que era isso que queríamos, mas ainda faltam uns meses pra ter certeza!

Avante Puttas!

Agradecemos a todas puttinhas, puttas de esquina, de bordel, de luxo, puttonas e cafettinas que nos ajudaram até aqui. E pedimos um pouco mais de impulso, já entendemos que vocês acreditam na gente, agora só precisamos uns reais a mais. É TUDO OU NADA! Se não alcançarmos a meta de 3.000 não dá pra pagar as dívidas que já estamos criando e o dinheiro arrecadado volta pros bolsos de cada um que acreditou até agora. VAMO CARAJO!